Prelazia

Bispo responsável: Dom Erwin Krautler

Nascimento: 12/07/1939 -Koblach/ Áustria, ordenação

presbiteral: 03/07/1965 - Salzburg/ Áustria.

Sagrado bispo em 25/01/1981 - Altamira - Província

Eclesiástica Belém do Pará.

 

Endereço: Avenida João Pessoa, 1212 CEP 68371-040 - Centro, Altamira - Para - Brasil

 

Tel: 0055.0XX93.3515.1761 - Curia - 0055.0xx93.3515.2494

 

 

Características Gerais da Prelazia

A Prelazia do Xingu foi criada a 16/08/1934, pela Bula “Animarum Bonum Postulat” do Papa Pio XI, desmembrada da Arquidiocese de Belém do Pará e das então Prelazias de Santarém e Santíssima Conceição do Araguaia. Foi confiada pela Santa Sé aos cuidados da Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue de Cristo. 1º Administrador Apostólico: Dom Armando Bahlmann, OFM (1935). 2º Administrador Apostólico: Padre Clemente Geiger, CPPS (1935-1948). 1º Bispo Prelado: Dom Clemente Geiger, CPPS (1948 a 1971). 2º Bispo Prelado: Dom Eurico Krautler, CPPS (1971 a 1981).

 

Superfície: 368.086,0 KM²

População: 392.211 hab

Densidade Demográfica 1,1 hab/km² (baseado em dados do, IBGE - 2000)

 

 Mapa da Prelazia do Xingu

 

MunicípioS pertencentes: Altamira, Anapu, Bannach, Brasil Novo, Cumaru do Norte, Gurupá, Medicilândia, Ourilândia do Norte, Placas, Porto de Moz, São Félix do Xingu, Senador José Porfírio, Tucumã, Uruará, Vitória do Xingu.

 

A Prelazia do Xingu é formada por seis regiões pastorais:

Região Alto Xingu: Ourilândia do Norte, São Félix do Xingu e Tucumã;

Região Médio Xingu: Vitória e Souzel;

Região Baixo Xingu: Porto de Moz e Gurupá

Região Transamazônica Oeste: Brasil Novo, Medicilândia, Uruará e Placas;

Região Transamazônica Leste: Belo Monte e Anapu

Região de Altamira: Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Áreas: Perpétuo Socorro e Imaculada Conceição

 

Os municípios de Cumaru do Norte e Bannach são atendidos pela Diocese de SS. Conceição do Araguaia.

 

A Prelazia possui três instâncias de decisão: Grande Assembléia do Povo de Deus no Xingu, Conselho de Pastoral e Coordenação de Pastoral.

 

 

 


DOM FREI JOÃO MUNIZ ALVES

Pais: José Maria Alves e Antonia MunizAlves

Nascimento: 08 de janeiro de 1961 povoado Carema - Santa Rita do Maranhão.

Batismo: 28 de julho de 1962 Carema - Santa Rita.

Postulantado da Ordem dos Frades Menores (OFM): 13 de fevereiro 1984

1ª Profissão Religiosa: 02 de fevereiro de 1986

Profissão Solene: 14 de janeiro de 1991

Ordenação Diaconal: 12 de dezembro de 1992

Ordenação Sacerdotal: 03 de setembro de 1993

Nomeação Episcopal: 23 de dezembro 2015

Ordenação Episcopal: 05 de março de 2016

Posse na Prelazia de Xingu: 03 de abril de 2016


ESTUDOS:

Ensino Fundamental:

- Escola Santa Teresinha em Carema (1ª a 4ª série);

- Ginásio Bandeirante de Santa Rita (5a - 7a série);

- Unidade Integrada de 1º grau Luís Viana _ São Luís - MA (8a série).

Ensino Médio:

- "Eletrotécnica" na Escola Técnica Federal do Piauí.

Ensino Superior:

- Filosofia e Teologia: (ICESP) Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí, Teresina - PI.

- Validação da Filosofia: Licenciatura Plena - UECE.

- Pós-graduação "Lato-sensu": Especialização em Filosofia Contemporânea – PUC/MG;

- Pensamento Franciscano – (ITF) Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis;

- Master Universitário em Bioética e Formação - Pontifício Instituto João Paulo" em Roma (estudante hóspede).

Pós-graduação "Strito-sensu":

Mestrado e Doutorado em Teologia Moral - Academia Alfonsiana em Roma;

Mestrado em Filosofia – Pontifícia Universidade Antonianum em Roma;

 

ATIVIDADES PASTORAIS:

1992:

- Diaconato em Piripiri - PI.

1993 – 1994:

- Vigário Paroquial da Paróquia São José em Lago da Pedra - MA;

1995 a 1998:

- Pároco da Paróquia de São Francisco das Chagas em Bacabal - MA;

1995-2001:

- Definidor provincial;

- Secretário Provincial da Animação Vocacional;

- Mestre e Presidente do Postulantado;

- Assistente do Instituto Secular Pequena Família Franciscana de Bacabal;

- Membro eleito do Conselho Presbiteral da Diocese de Bacabal;

1999-2001 e 2007-2013:

- Vigário Paroquial na Paróquia de São Francisco das Chagas;

2007-2013:

- Ministro Provincial da Província Franciscana de Nossa Senhora da Assunção MA/PI;

2013-2015:

- Membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores da Diocese de Bacabal;

- Diretor espiritual dos candidatos ao Diaconato Permanente da Diocese de Bacabal;

- Guardião da Fraternidade Nossa Senhora da Glória;

- Mestre de estudantes professos temporários;

2013-2015:

- Professor no (lESMA) Instituto de Estudos Superiores do Maranhão;

- Vigário Paroquial da Paróquia N. Sra. da Glória;

- Visitador Geral na Custódia Autônoma Santa Clara de Assis (Moçambique, África - 2014).

DESCRIÇÃO DO BRASÃO

O Brasão Episcopal é utilizado pela Igreja para indicar os traços fortes da espiritualidade e o caráter evangelizador do bispo.

Chapéu prelatício: Do chapéu, pendem dois cordões, cada um com três fileiras de borlas, somando um total de doze borlas, simbolizando Cristo cabeça da Igreja, com seus doze apóstolos dos quais o bispo é sucessor e mantém a Igreja local em comunhão na fé e na caridade com o Papa.

Cruz hastil: Em tonalidade dourada, representa a cruz processional e o convite de Jesus: “se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16,24); aponta para a copiosa riqueza do mistério da cruz e ressurreição do Salvador.

Lema: “Louvado sejas, meu Senhor”: Inspirado no “Cântico das criaturas” de São Francisco de Assis e na Encíclica "Laudato si" do Papa Francisco, ilumina e orienta o caminho missionário do episcopado do novo Pastor. O Cântico das criaturas é expressão de uma vida reconciliada consigo mesmo, com Deus e com o próximo.

ESCUDO: Traçado em quatro campos.

Dois campos amarelos: retratam a luz divina e a riqueza espiritual, a constância e o poder de Deus no mundo.

Dois campos azuis: simbolizam tudo sob a proteção do manto azul de Maria, Mãe de Deus, Senhora Gloriosa e Virgem Imaculada.

À esquerda, no alto: O Sol e a Lua recordam o “Cântico das criaturas” ou “Cântico do irmão sol e irmã lua” de São Francisco de Assis. São símbolos da força e do poder permanente de Deus no mundo. O sol é Símbolo do Cristo Ressuscitado, Ele é Sol nascente que nos veio visitar (Lc 1,89). A Lua é fonte e símbolo da fecundidade, é guia das noites e dos valores noturnos, evoca a luz
nas trevas da noite.

À direita, abaixo: A palmeira do coco babaçu é símbolo de fertilidade, resistência e beleza natural e do Maranhão, sendo chamada de mãe dos pobres (por causa da sua utilidade doméstica); As águas são o tesouro de Deus para a sobrevivência da vida do planeta; lembram a nossa vocação comum através do batismo e os rios da rica hidrografia da grande Amazônia e caminhos de missão e evangelização na região do Xingu.

No alto à direita: A Bíblia é a revelação da verdade divina que ilumina a história humana. O alfa e o ômega, a primeira e a última letra do alfabeto grego, apontam para o Cristo princípio e fim de todas as coisas (Ap 1,8; 22,13). O TAU: representa a origem franciscana de Dom João Muniz. É o sinal dos eleitos (cf Ez 9,1-7), da certeza e universalidade da salvação, é símbolo de conversão contínua. São Francisco reverenciava com grande afeição este sinal e “com ele selava as cartas e marcava as paredes das pequenas celas” (LM 4, 9; 2,9; 3 CeI3).

À direita, abaixo: O M com a coroa lembram Maria, mãe e rainha dos apóstolos, sempre presente na vida e missão da Igreja. Ela ilumina e inspira as atividades apostólicas, ajuda-nos a compreender a nossa identidade cristã, nossa razão de ser e de apresentar Jesus ao mundo.


 

Nos dias 17 e 18, dom João Muniz Alves  participou da reunião em  Belém/PA o dos bispos da Amazônia com bispos das Igrejas Irmãs que participam do projeto Igrejas Irmãs da CNBB voltado a parceria  e corresponsabilidade no atendimento da Igreja na Amazônia, promovida pelo  Arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, Dom Sérgio da Rocha, e que será feito cardeal no próximo dia 19 de novembro.

A finalidade da reunião é:

Favorecer e animar a comunhão e corresponsabilidade da Igreja do Brasil  com a Igreja que está na Amazônia, pois a evangelização nesta região não se  restringem apenas  aos bispos e às Igrejas locais, mas diz respeito ao conjunto  do Brasil e da América Latina, isto é, responsabilidade de todos;

Discutir a realidade  e os avanços da evangelização da Amazônia e partilhar  experiências e testemunho do trabalho missionário  dessas Igrejas irmãs em parceria com as diversas dioceses e prelazias da Amazônia possibilitando  reavivar  o compromisso missionário,animar ainda mais não só os atuais projetos, mas certamente o despertar de outros projetos missionários o crescimento e amadurecimento da Igreja na Amazônia e no Brasil.

A Prelazia do Xingu nesse projeto tem parceria com a Igrejas irmãs: Arquidiocese de Porto Alegre(RS), Arquidiocese de Mariana(MG), Diocese de Uberlândia(MG) e  Diocese de Ituitaba (MG)

 

Nosso Bispo Dom João Muniz Alves nos dias 19 a 23 de setembro de 2016 visitou a cidade de Assis( Itália), terra de São Francisco e Santa Clara.  Na oportunidade presidiu celebração eucarística junto com dom Evaristo Pascoal Spengler (bispo de Marajó-PA) na Porciúncula na Basília de Santa Maria dos Anjos) e visitou a curia da OFM ( Ordem dos Frades Menores). Por Dóris.

De 11 a 18 de setembro, Dom João esteve em Roma, na Itália em um curso de formação para novos Bispos e se encontrou com o Papa Francisco.

Nosso Bispo Dom João Muniz Alves desde o dia 26 até o dia 29 de setembro de 2016 está na cidade de  Santarém para uma visita de acompanhamento aos  5 seminaristas (Orlando de Araujo,  Arilson Lopes Pimentel, Perison Lopes Tenório, Francisco Junior Loureiro Martins,  Elienai Mendes Alvarez) da Prelazia do Xingu  que estão estudando no Seminário Pio X e  2 jovens  aspirantes (Benedita Pinto Conceição e Joice Barbosa Duarte) que estão na Congregação das Adoradoras do Sangue de Cristo.  Na oportunidade participou de celebração eucarística junto com dom Flávio  Giovenale, no dia 26 de setembro de 2016. (por Dóris).