N. S. Perpétuo Socorro

05 Abril 2013

Leitura: At 4, 1-12

Evangelho: Jo 21, 1-14

Os discípulos tinham que aprender a compreender a história de Jesus e a Páscoa. João nos fala da resignação deles depois da morte do mestre. Eles querem voltar para aquilo que era antigamente a vida deles. “Eu vou pescar”! Falta de um rumo e medo diante do poder que levou Jesus à cruz. A presença do ressuscitado deixa crescer nova confiança no “não-poder” do amor e dá a coragem de enfrentar os poderes religiosos e políticos. Até hoje nós precisamos do mesmo processo de aprendizagem para que a Páscoa seja mais que uma lembrança piedosa, para que possamos ser testemunhas e transformadores e transformadoras do nosso mundo de hoje.

 


04 Abril 2013

Leitura: At 3, 11-26

Evangelho: Lc 24, 35-48

Ignorância e comodismo estão presentes na vida particular de cada pessoa e na vida das sociedades e se tornam causa de morte, de sofrimento e de falta de vida para muita gente. Assim a história humana se mostra como uma sequencia de guerras, de violência, de desprezo e de solidão e abandono. Jesus, cujo nome significa “Deus salva”, desafia nos a ter fé, a nos fixar no projeto de Deus que é “vida em abundância para todos”. Ele mesmo assumiu o sofrimento, se mostrou solidário com os sofridos. Ele nos trouxe perdão, novos espaços para viver em plenitude. E ele nos chama a sermos testemunhas desta nova vida realizando a mesma misericórdia que ele mostrou. “A paz esteja convosco! – Vós sereis testemunhas de tudo isto”! Agora nós temos que abrir caminhos para aqueles que sofrem, que caíram em culpa que sentem falta de vida e levar a paz para eles.

03 Abril 2013

Leitura: At 3, 1-10

Evangelho: Lc 24, 13-35

“O que eu tenho eu te dou”! e “Não estava ardendo nosso coração quando ele nos falava”? – Os dois textos de hoje obre as nossas relações humanas e a nossa convivência. O vazio que muitas vezes encontramos no nosso dia a dia vem da nossa maneira de não nos encontrar como ser humano, mas sim a partir de interesses, de economia ou outros “assuntos” Encontrar o outro e falar para que os corações possam arder, dar o que nas nossas mãos ... a nossa atenção e o nosso reconhecimento do outro. Assim podemos experimentar ressurreição a cada dia.

Ilustração feita por Alberto Vagner 11 anos30 de Março 2013

1ª Leitura: Gn 1, 1.26-31

2ª Leitura: Gn 22, 1-2.9-13.15-18

3ª Leitura: Ex 14,15 – 15,1

4ª Leitura: Is 54, 5-14

5ª Leitura: Is 55, 1-11

6ª Leitura: Bar 3, 9-15.32 – 4,4

7ª Leitura: Ez 36, 16-28

Epistola: Rm 6, 3-11

Evangelho: Lc 24, 1-12

Um dia de silêncio e normalmente sem liturgia, sem celebração. Deus está morto! O mundo vazio! Este dia quer nos fazer perceber o vazio da nossa vida. Sem a presença de Deus a morte é o limite de tudo que podemos fazer. O Sábado depois da paixão de Jesus Cristo é um dia escuro. Só o dia depois, o dia da Páscoa quer nos abrir novos horizontes. A vigília pascal na origem aconteceu na madrugada do dia da Páscoa e não ao anoitecer do Sábado. Assim o convite é viver o silêncio.

A vigília pascal nos deixa mergulhar de novo na abundância da presença de Deus através de sua palavra. Sete leituras da parte do Antigo Testamento, um trecho da carta do apóstolo Paulo aos Romanos e uma sequencia do evangelho de Lucas nos mostram que Deus quer falar conosco. A nossa existência é uma passagem para a vida verdadeira. Iniciando com o projeto divino que era muito bom passando o momento do desvio quando o homem assumiu o pecado e continuando com os livros dos profetas mostrando que Deus por amor não deixa sua criação e o ser humano. Por amor a morte se tornou vida nova em Jesus Cristo. O Cristo ressuscitou para que nós nos ergamos também e trilhando nas pegadas dele passando as nossas cruzes cheguando também a vida em plenitude e a vida eterna. Uma Feliz Páscoa para todos!

 

(Ilustração feita por Alberto Vagner 10 anos)

 

02 de Março 2013

 

Leitura: Mq 7, 14-15.18-20

Evangelho: Lc 15, 1-3.11-32

 

A oração sai do fundo do coração do profeta Miqueias: Que Deus volte a agir com autoridade como nos tempos antigos. Um desejo que muitas pessoas no nosso tempo também estão sentindo. Diante de um mundo confuso e complicado parece que apenas uma autoridade verdadeira que manda e que causa temor e respeito nas pessoas pode mudar as coisas. O profeta mesmo e também Lucas na sua parábola do “filho pródigo” nos mostram a autoridade de Deus que consista só no amor que se expressa na misericórdia e no perdão. Este amor é a única força e autoridade capaz de mudar e transformar o nosso mundo.  

01 de Março 2013

Leitura: Gn 37, 3-4.12-13.17-28

Evangelho: Mt 21, 33-43.45-46

O desejo de ter ou possuir o que é do outro – os irmãos de José querem se apoderar do amor que ele está recebendo do seu idoso pai Israel. Na Parábola que Mateus apresenta os vinhateiros procuram se apoderar de uma vinha matando o filho e herdeiro do proprietário. Esta atitude humana causou na história e causa também hoje uma corrente do mal, de corrupção e violência. Os textos de hoje nos falam que Deus inicia a partir desta situação humana algo novo. José se torna uma peça importante no resgate e na constituição do povo de Israel. Jesus mesmo quebra as correntes do mal para sempre entregando-se a si mesmo e sofrendo a morte na cruz. Hoje somos nós chamados a caminhar nos passos de Jesus e quebrar a corrente do mal através da nossa dedicação a favor do outro e vencendo estes sentimentos de inveja e ganância.  

31 de Março 2013 – Ressurreição do Senhor

1ª Leitura: At 10, 34.37-43

2ª Leitura: Cl 3, 1-4

Evangelho: Jo 20, 1-9

O Cristo ressuscitou, Ele ressuscitou de verdade!

O Cristo ressuscitou, mas não de uma forma que automaticamente convence todo mundo e obriga todos a acreditar. São testemunhas que confirmam a ressurreição continuando as denúncias proféticas de Jesus e fazendo o bem como Ele. Estas testemunhas perderam o medo da morte nas suas multiplicas formas. Experimentando o amor de Deus Pai que chama o Filho do túmulo para a vida, eles criaram a coragem de viver como Ele, o mestre. “Nós todos somos testemunhas de tudo isso”, diz Pedro. Ele não está mais na sepultura, Ele está vivo. A nossa morte é vencida pela ressurreição do Cristo. A nossa vida, o nosso agir e falar deve se tornar testemunho disso.

Para todos uma feliz e abençoada Páscoa!

(Ilustração Alberto Vagner 10 anos)