Dom Erwin celebrando Corpus Cristi em Brasi Novo
texto: Antônio Claret Fernandes*
Povo marca presença na 30º festa do Corpo e Sangue de Cristo e da partilha em Brasil Novo
 
Aconteceu nesse dia 30 de maio a 30º festa do Corpo e Sangue de Cristo e da partilha na Paróquia Corpo e Sangue de Cristo, Prelazia do Xingu, em Brasil Novo. A sua preparação contou com realização de tríduo em todas as comunidades, com o terceiro encontro por setor. A festa contou com um grande número de pessoas, que se concentrou em frente à escola ‘Brasil Novo’, depois saiu em procissão pelas ruas enfeitadas pelos jovens até à quadra da Paróquia, que ficou lotada durante a celebração.
 
Dom Erwin, que participa todos os anos, pediu uma salva de palmas para as comunidades, que estavam em peso, ali, marcando presença, e disse que ‘a celebração da Eucaristia está ligada à vida’. Lembrou os desafios históricos dos primeiros moradores de Brasil Novo e chamou a atenção para os novos desafios impostos ao povo, entre os quais a barragem de Belo Monte. Lembrou a situação caótica de Altamira, afirmando que ‘um terço da cidade poderá ficar debaixo d’água’. Solidarizou-se ainda com os ribeirinhos e indígenas, também muito impactados por essa obra.
Os indígenas, liderados pelos povos Munduruku do Tapajós, ocuparam o canteiro de obras de Belo Monte pela 2ª vez nesse mês de maio. Eles ficaram no canteiro entre os dias 2 a 9 e, como o governo e a Norte Energia não cumpriram suas promessas, eles voltaram no dia 27 de maio por prazo indeterminado. Eles reivindicam as oitivas indígenas garantidas na Constituição brasileira e na Convenção 169 da OIT, e não querem que empresas e governo continuem invadindo suas terras.  
 
Após a celebração, aconteceu o tradicional almoço comunitário e, na parte da tarde, houve futebol, continuando o clima de confraternização e partilha das comunidades na festa do padroeiro.
 
Além do bispo, estavam presentes o padre Alírio, reitor do Seminário da Prelazia, padre José Geraldo, pároco de Brasil Novo, e padre Claret.