Pão para a vida

Padre Miguel faz reflexões diárias a partir da leitura da Palavra de Deus.

Breve histórico:

Nome completo: Michael Rohde, Missionário do Sangue de Cristo -CPPS
Nascido na Alemanha parte ocidental, na região Norte, interior de uma vila pequena localizada no meio entre Frankfurt e Hannover.
Entrou no seminário 1985, foi ordenado diácono 1992 e trabalhou um ano e meio numa paróquia na Baviera perto da fronteira com Áustria, 50 km distante de Salzburgo onde eu estudou.

Em1993 foi sua ordenação sacerdotal. Por dois anos trabalhou como vigário numa paróquia perto do Lago de Constância na fronteira com Suíça. De 1995 a 2000 trabalhou como formador e professor no Colégio da congregação na região de sua origem (5 km distante da casa de seus pais). Era o local onde passou seu tempo escolar. Tinha que cuidar dos jovens que ficavam internados e voltavam para suas famílias só no final da semana. Em 2000 fecharam esta parte do internato do colégio e assim ficou livre para vir para o Brasil. No ano 2000 cursou de língua Portuguesa no CENFI em Brasília. 2001 e 2002 trabalhou como vigário no Perpétuo Socorro e na Catedral na cidade de Altamira. 2002 até 20012 reitor do seminário de sua Congregação em Ananindeua. Desde então, voltou a trabalhar como pároco do Perpétuo Socorro em Altamira.

01 de Julho 2014

Leitura: Am 3,1-8; 4,11-12

Evangelho: Mt, 8, 23-27


 

Uma antiga dica fala: “As dificuldades, medos e necessidades ensinam a rezar!” – O profeta Amos constata o contrário. Diante das injustiças e do comportamento não-ético o povo não busca a Deus, mas se junta com os injustos e malfeitores para praticar as mesmas maldades.

O trecho do evangelista Mateus é quase uma parábola em cima do texto do profeta. O mar com seus perigos e sua imprevisibilidade era no tempo antigo um símbolo do mal. Os discípulos enfrentando isto ficam com medo e se deixam dominar por aquilo que está acontecendo. Jesus desafia a fé deles. A confiança acalma e possibilita a viver de um modo pacífico. No meio de um mundo agitado e tripulado nossa fé e nossa confiança são desafiadas para não nos igualar a este mundo e nos juntar às injustiças que acontecem.

30 de Junho 2014

Leitura: Am 2, 6-10.13-16

Evangelho: Mt, 8, 18-22


 

O profeta coloca a justiça de Deus e injustiça do povo frente em frente. Os sete crimes do povo indicam a totalidade da injustiça. No outro lado está Deus cuidando e acompanhando seu povo por amor e sem interesse próprio. Ganância e negligencia causam a pobreza e marcam a vida humana até hoje. Somos chamados a mudar, a nos converter porque o Reino de Deus está próximo.

29 de Junho 2014 - Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo   1ª Leitura: At 3, 1-10 (vigília); At 12, 1-11 (dia) 2ª Leitura: Gl 1, 11-20 (vigília) 2 Tm 4, 6-8.17-18 (dia) Evangelho: Jo 21, 15-19 (vigília) Mt 16, 13-19 (dia)       Mais diversidade como entre os dois apóstolos São Pedro e São Paulo não existe. Pedro, mesmo acompanhando o “caminho novo” de Jesus fica enraizado nas tradições judaicas e tem que aprender sobe dificuldades aceitar os cristãos que eram pagãos. Paulo, um fanático fundamentalista judeu, se torna pela conversão um “progressista” promovendo novas formas de vivência da fé em Cristo. – A história da Igreja mostra que ela precisa dos dois: da tradição que dá estabilidade e do novo e do progresso que deixa ela caminha e viver na realidade mutável do mundo. Temos que aprender viver a diversidade em comunhão e reciprocidade de amor – hoje como nos tempos dos dois apóstolos.
29 de Junho 2014 - Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo   1ª Leitura: At 3, 1-10 (vigília); At 12, 1-11 (dia) 2ª Leitura: Gl 1, 11-20 (vigília) 2 Tm 4, 6-8.17-18 (dia) Evangelho: Jo 21, 15-19 (vigília) Mt 16, 13-19 (dia)       Mais diversidade como entre os dois apóstolos São Pedro e São Paulo não existe. Pedro, mesmo acompanhando o “caminho novo” de Jesus fica enraizado nas tradições judaicas e tem que aprender sobe dificuldades aceitar os cristãos que eram pagãos. Paulo, um fanático fundamentalista judeu, se torna pela conversão um “progressista” promovendo novas formas de vivência da fé em Cristo. – A história da Igreja mostra que ela precisa dos dois: da tradição que dá estabilidade e do novo e do progresso que deixa ela caminha e viver na realidade mutável do mundo. Temos que aprender viver a diversidade em comunhão e reciprocidade de amor – hoje como nos tempos dos dois apóstolos.

28 de Junho 2014 - Imaculado Coração de Maria

Leitura: Is 61,9-11

Evangelho: Lc 2, 41-51

 

“A descendência do meu povo será para reconhecer entre as nações!” – assim fala o profeta Isaías. Reconhecemos pessoas através de suas atitudes ou percebemos se elas tem um coração bom ou não. Maria assumiu sua vocação e vivia de coração pela causa de Deus. Que Deus nos conceda que nós sejamos também reconhecíveis no meio da sociedade de hoje pela sinceridade, serenidade e simplicidade dos nossos corações. Olhamos hoje para Maria como exemplo para as nossas vidas.

27 de Junho 2014 - Sagrado Coração

1ª Leitura: Dt 7, 6-11

2ª Leitura: 1 Jo 4, 7-16

Evangelho: Mt 11, 25-30

 

Na profissão de fé o piedoso Judeu confessa que o mandamento do único Deus está gravado na sua mente e no seu coração. Viver com Deus não é um caminho seguindo um livro de leis, mas é assunto do coração. Jesus no evangelho e os apóstolos nas suas cartas continuam na mesma linha: Deus ama e chama a amar o próximo. Nisto consistem todos os mandamentos que durante todo tempo foram escritas nos livros da Bíblia. Celebramos hoje um Deus que tem um coração batendo por nós e abramos nosso coração para o amor. Amar a Deus é amar o nosso próximo.

26 de Junho 2014

Leitura: 2 Rs 24, 8-17

Evangelho: Mt 7, 21-29

 

Não é suficiente usar o nome de Deus, rezar ou ser um mero praticante de rituais religiosos. A parábola dos homens construindo sua casa nos fala que o alicerce da nossa casa de vida deve ser colocado em cima da rocha da justiça e da paz. Riqueza, posições ou aparência vão se perder como a areia na pancada de chuva. O desafio é manter o coração firme na palavra que vem de Deus.

24 de Junho 2014 - Natividade de São João Batista

1ª Leitura: Jr 1, 4-10

2ª Leitura: 1 Pd 1, 8-12

Evangelho: Lc 1, 5-17


 

“Antes de formar-te EU te chamei para ser profeta do meu povo!” – Contemplamos hoje na figura de João Batista o amor de Deus que dá a cada um de nós uma vocação especial. A nossa tarefa é descobrir e realizar este chamado que ELE nos dirigiu. Somos importantes no projeto de Deus para este mundo na realização de justiça e paz e na cultivação da vida.

25 de Junho 2014

Leitura: 2 Rs 22, 8-13; 23, 1-3

Evangelho: Mt 7, 15-20

 

Religião, economia, popularidade, poder e outras forças da nossa vida causam e causaram em todos os tempos desvios. Assim no Israel antigo os reis deixaram Deus para seguir a outros cultos para manter ou aumentar poder e influencia no seu mundo. O mesmo acontece nos nossos dias. Ideais ficam atrás de interesses pessoais. A leitura de hoje nos fala de um ponto de conversão. Encontrando o livro da aliança de Deus com seu povo começa uma orientação nova. A palavra de Deus volta ser ponto de referencia. O evangelho continua esta história. Jesus alerta contra todos que não seguem a Deus como referencial. Eles não produzem os frutos de justiça e paz. Quais são hoje nosso pontos de referencia para nosso agir? Ideias fundamentalistas, poder, riqueza ou que mais? Somos chamados a uma nova reflexão sobre a palavra de Deus, sobre a palavra da vida, da paz e da justiça.

23 de Junho 2014

Leitura: 2 Rs 17, 5-8.13-15.18

Evangelho: Mt 7, 1-5

 

“Não julgueis e não sereis julgados!” – Julgar outros faz parte da nossa maneira competitiva de viver. Jesus nos chama a abrir espaço para viver e não para fechar a vida condenando outros. O projeto é a perfeição no amor e na promoção da vida, para que todos tenham vida em abundância.