MAPA DO SITE

FaceBook  Twitter  

05 Agosto 2014

Leitura: Jr 30, 1-2.12-15.18-22

Evangelho: Mt 15, 1-2.10-14

 

As vezes parece que a nossa situação é incurável, que não existe mais consolo e conforto para os nossos corações tão feridos. No meio da catástrofe da deportação e exílio do povo o profeta fala para seu povo que Deus é sempre capaz de mudar a sorte humana e que ELE vai agir. Palavra para nós hoje diante de tantas situações que nós não dominamos mais. Deus tem a última palavra e ELE tem uma palavra para a vida.

FaceBook  Twitter  

04 de Agosto 2014

Leitura: Jr 28, 1-17

Evangelho: Mt 14, 22-36

 

Os profetas Jeremias e Ananias estão em conflito. Ananias anuncia que tudo vai se tornar para o bem: o final do exílio do povo, a volta do tesouro do templo da Babilónia e paz para o povo. Jeremias porem anuncia ainda mais deportações e mais sofrimento para o povo. Deus não salva porque o povo não confia e não faz passos para se converter. – Temos hoje também vozes bem diferentes e opostas. Uns falam tudo para o bem, outros enxergam só perigos e dificuldades. A palavra chave é “confiança”. A história da travessia do mar da Galileia no evangelho fala disso. O mar símbolo do mal e do perigo. Apenas a confiança de Jesus e em Jesus acalma os ventos e as ondas. Nas tribulações das nossas vidas somos desafiados a confiar e fazer passos de conversão, nos virando para o próximo e cuidando e promovê-lo.

FaceBook  Twitter  

Padre Antonio Claret Fernandes

O retiro anual da Prelazia do Xingu, realizado entre os dias 22 a 26 de julho de 2014 - coroado com a ordenação sacerdotal dos diáconos Romildo e Hortêncio, em Brasil Novo - tem vários marcos importantes, que merecem reflexão. Um deles, porém, é de todo especial.

O local do retiro, Bethânia, com seu simbolismo associado à vida de Jesus de Nazaré, é muito aconchegante; une conforto e simplicidade, num ambiente rústico e rodeado do verde da floresta, do pouco que restou. Nas madrugadas se ouve o ‘canto’ do Guariba e, durante o dia, veem-se pássaros, borboletas e tantos outros viventes que, na sua beleza harmoniosa, convidam à oração.

O retiro conjunto - leigas e leigos, religiosas e religiosos, padres e bispos - é coisa grandiosa! Parece simples, mas é algo raro no Brasil e no Mundo. O comum é o retiro dos ministros ordenados apartados do povo.

Essa convivência é de uma riqueza imensa! Todas e todos, com carismas e ‘funções’ diferentes, pertencentes à mesma Igreja e à mesma Prelazia, estão na mesma barca para o que der e vier, correndo os mesmos riscos, enfrentando os mesmos desafios, celebrando a mesma vitória e rezando juntos.

A alimentação é simples, apetitosa e variada, preparada com dedicação e competência por duas senhoras que, discretas, na cozinha, prestam esse serviço vital aos que reservam um tempo para a meditação.

O alimento da Pessoa, cuja energia busca traduzir-se em serviço, é sagrado. O alimento, quando é fruto partilhado das comunidades vivas, tem o dedo de Deus. É esse alimento, e não apenas algo para encher o estômago, que se põe à mesa, ali, no refeitório.

A organicidade da Programação, quando os participantes se distribuem em diversas equipes de serviços (plenária, refeitório, oração, louça, café e panelas) tem um sentido profundo. Essa prática não traz a lógica da economia, mas da corresponsabilidade e partilha. Trabalhar, participar de tudo que é necessário para o bem estar do ambiente comum, é uma atitude mística. Quão belo é ver alguém, às vezes até meio sem jeito, mas com uma expressão de muito amor, brigando com a panela suja, que cozinhou o alimento servido a todos!

A figura simples de d. Moacir, apoiado pela bengala e pelo carinho de d. Erwin, de Doris e Denise, sempre por perto é algo divino. Por trás da fragilidade de d. Moacir se nota uma energia vigorosa!

As lembranças de d. Luciano, com sua provocação: ‘é ruim ser pobre!’. Ele, que tanto os amou; ele, que trazia na parede de sua residência, em Mariana, as marcas das mãos de centenas de empobrecidos (que o aguardavam, pois sabiam que seriam recebidos!), marcas essas que formavam um arranjo artístico mais valoroso do que o ouro exuberante dos templos barrocos; ele, da altura do seu testemunho, pode mesmo afirmar que ‘ser pobre é ruim’, e desmascarar todo tipo de demagogo, o qual exalta o pobre nos seus discursos, mas não toca nas causas da pobreza, não vive com o empobrecido, não experimenta o seu sofrimento e não sente a necessidade premente de sua liberdade.

Outra coisa importante que aprendi com Moacir foi o sentido da expressão ‘fome e sede de justiça’. O caso contado, sua andança pela estrada erma, a esperança frustrada de ao menos uma banana pelo caminho, a fumaça ao longe, a esperança renovada, os guaribas dependurados feito bebês, o homem viúvo e com gripe preparando a própria comida, a lembrança dos cuidados da mãe, a sua fome que torna aquele almoço a melhor refeição do mundo.

Que Deus nos ajude a ter sempre essa mesma fome e sede de Justiça! Isso pode mudar o rumo de nossas vidas.

O marco mais forte desse retiro, porém, a nosso ver, foram as músicas nas celebrações. As suas melodias, letras, o entusiasmo de quem canta uma realidade vivida, tudo isso revela a memória de uma Igreja unitária e libertadora.

Podia-se respirar, ali, a Igreja querida por Jesus, animada por leigas e leigos, religiosas e religiosos, padres, acompanhada por d. Erwin; igreja vivida, historicamente, no chão da Amazônia, na poeira e no barro da Transamazônica e dos travessões, no leito do Xingu.

Dize-me o que cantas e eu te direi quem és! Uma coisa é cantar ‘como zaqueu’, ‘já deu tudo certo’, ‘noite traiçoeira’, ‘tem anjos voando’. Outra coisa é cantar ‘eu sou como chuva em terra seca’, ‘comungar é tornar-se um perigo’, ‘derruba os poderosos dos seus tronos erguidos com o sangue e o suor do seu povo oprimido’.

O primeiro bloco de música, tão comum nas igrejas hoje, é intimista, não diz nada da vida, do cotidiano, e cada pessoa resolve os seus problemas com o seu deus. O segundo revela o Evangelho refletido e testemunhado, supõe a existência da comunidade, canta a caminhada desafiante e libertadora do povo, sinal do reino de Deus já presente.

O primeiro não parece coisa de Deus. O Segundo é a ação de Deus na história.

FaceBook  Twitter  

03 de Agosto 2014

1ª Leitura: Is 55, 1-3

2ª Leitura: 8, 35.37-39

Evangelho: Mt 14, 13-21

 

A graça de Deus é maior de tudo. Ela não nos tira das dificuldades e sofrimentos, mas ela nos faz vencer tudo. A graça se manifesta onde nós começamos viver diferente partilhando e deixando nossas competições, onde a meta não é mais merecer e ganhar, mas doar e cuidar. Assim se realiza o projeto do Reino de Deus e alivia o fardo da nossa vida.

FaceBook  Twitter  

02 de Agosto 2014

Leitura: Jr 26, 11-16.24

Evangelho: Mt 14, 1-12

 

Perseguição e rejeição é a sorte do profeta. Jeremias escapou por pouco da morte encontrando a proteção de Aicam. João Batista sofreu a morte por causa da rejeição e da raiva da Herodíades. Jesus mesmo também encontrou a paixão e a morte na cruz. Mais uma vez a palavra de Deus se mostra uma contra-força no nosso mundo que não anda conforme os projetos humanos. Ela nos chama a arriscar a nossa vida para realizar o bem e transformar este mundo.

FaceBook  Twitter  

01 de Agosto 2014

Leitura: Jr 26, 1-9

Evangelho: Mt 13, 54-58

 

A palavra de Deus não é como bálsamo para nossa vida. Ela chama a conversão e a uma vida diferente. Por isso os profetas e também Jesus encontraram sempre também rejeição. Mas a palavra de Deus é uma força que realiza o que está anunciando. Ela é criativa e não apenas um vento que passa. Somos chamados a acolher ela com um respeito novo e com serenidade para que ela seja força para a vida e não para a morte.

FaceBook  Twitter  

 

Na manhã do dia 29 de julho, às 9:12, uma pessoa anônima enviou mensagem eletrônica injuriosa para Antônio Claret Fernandes, padre na Prelazia do Xingu, membro da Comissão Justiça e Paz Brasil Novo e do Movimento dos Atingidos por Barragens, usando palavras afrontosas e de baixo calão.

 

Esse ataque tem como motivação imediata a insatisfação com o Ato Público realizado por um conjunto de entidades na manhã do dia 28 de julho, na BR 230 (Transamazônica), próximo à cidade de Brasil Novo, em função dos frequentes acidentes, reivindicando do DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – quatro quebra-molas para o trecho da Rodovia no  perímetro urbano de Brasil Novo e sinalização definitiva desde Altamira até Medicilândia.

 

Para além dessa motivação imediata, acreditamos que esse ataque está associado a um contexto mais amplo de luta por direitos e por políticas públicas na Região de implantação da barragem de Belo Monte.

 

As entidades que participaram do Ato Público pela Paz e Segurança no trânsito (28/07) interpretam esse ataque como ameaça e tentativa de intimidação, buscando calar a voz do povo organizado e de seus líderes para desmotivar sua luta justa. Por isso o repudiam com toda a veemência.

 

Essa postura anônima covarde e ameaçadora deve ser esclarecida e combatida, pois reforça a negação de direitos na área de implantação do projeto Belo Monte, até o momento, carente de políticas públicas elementares.

 

Altamira / Brasil Novo, 30 de julho de 2014

 

 

Erwin Kräutler

Bispo do Xingu

 

Veja a nota original em pdf

FaceBook  Twitter  

31 de Julho 2014 – Santo Inácio de Loiola

Leitura: Jr 18, 1-6

Evangelho: Mt 13, 47-53

 

O oleiro trabalho o barro para criar vasos ou tijolos ou outras coisas importantes para a vida. As obras que saem com sucesso vão para o forno para sejam queimadas e assim fixadas. Aquilo que não sai bem fica amassado para ser de novo trabalhado. - Esta palavra do Profeta Jeremias é uma imagem da nossa vida. Deus quer nos formar para que tenhamos um significado na vida e para contribuímos para o projeto do mundo. Sobre o valor da nossa vida não decide o que nós achamos como sucesso ou vitória, mas apenas o quanto contribuímos para o projeto do Reino de Deus. - Santo Inácio fez esta experiência. Ele se considerou importante como soldado e guerreiro. Ferido em uma batalha ele descobriu que sua vocação era ajudar outros na vida espiritual e na procura de Deus. Assim cada um de nós tem a sua vocação própria. Deixamo-nos hoje animar para descobri-la.

FaceBook  Twitter  

30 de Julho 2014

Leitura: Jr 15, 10.16-21

Evangelho: Mt 13, 44-46

 

O profeta Jeremias é uma das figuras trágicas no Antigo Testamento. Ele nunca experimentou sucesso, mas sim perseguição e desprezo. Mas, Jeremias encontra a paz na sua vida e nos momentos difíceis na palavra de Deus. Aqui ele encontra justiça e consolo. Deixamo-nos hoje envolver em paz e justiça contemplando e acolhendo a palavra de Deus que nos chama mais uma vez a descobrir o Reino de Deus na pessoa do próximo. Aqui está ou tesouro que vale mais que qualquer outra coisa.

FaceBook  Twitter  

29 de Julho 2014 – Santa Marta

Leitura: 1 Jo 4, 7~16

Evangelho: Jo 11, 19-27

 

Este dia nos convida a refletir sobre o amor. O amor é mais que um sentimento ou uma emoção que vem e vai. O amor é uma decisão de deixar ou outro fazer parte da minha história de vida, é decisão de confiar no outro – seja porque ele ou ela é pessoa boa ou confiar na capacidade que ele ou ela possa mudar e melhorar. Amar significa fazer bem ao outro independente se mereça ou não. O amor como atitude é a força maior que qualquer morte.

O evangelista João nos fala que o amor é a única maneira como encontrar Deus. No amor Deus se manifesta. E Deus é amor. Não existe outro caminho para Deus senão pelo amor ao próximo.

Subcategorias

Bispo responsável: Dom Erwin Krautler

Nascimento: 12/07/1939 -Koblach/ Áustria, ordenação

presbiteral: 03/07/1965 - Salzburg/ Áustria.

Sagrado bispo em 25/01/1981 - Altamira - Província

Eclesiástica Belém do Pará.

 

Endereço: Avenida João Pessoa, 1212 CEP 68371-040 - Centro, Altamira - Para - Brasil

 

Tel: 0055.0XX93.3515.1761 - Curia - 0055.0xx93.3515.2494

 

 

Características Gerais da Prelazia

A Prelazia do Xingu foi criada a 16/08/1934, pela Bula “Animarum Bonum Postulat” do Papa Pio XI, desmembrada da Arquidiocese de Belém do Pará e das então Prelazias de Santarém e Santíssima Conceição do Araguaia. Foi confiada pela Santa Sé aos cuidados da Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue de Cristo. 1º Administrador Apostólico: Dom Armando Bahlmann, OFM (1935). 2º Administrador Apostólico: Padre Clemente Geiger, CPPS (1935-1948). 1º Bispo Prelado: Dom Clemente Geiger, CPPS (1948 a 1971). 2º Bispo Prelado: Dom Eurico Krautler, CPPS (1971 a 1981).

 

Superfície: 368.086,0 KM²

População: 392.211 hab

Densidade Demográfica 1,1 hab/km² (baseado em dados do, IBGE - 2000)

 

 Mapa da Prelazia do Xingu

 

MunicípioS pertencentes: Altamira, Anapu, Bannach, Brasil Novo, Cumaru do Norte, Gurupá, Medicilândia, Ourilândia do Norte, Placas, Porto de Moz, São Félix do Xingu, Senador José Porfírio, Tucumã, Uruará, Vitória do Xingu.

 

A Prelazia do Xingu é formada por seis regiões pastorais:

Região Alto Xingu: Ourilândia do Norte, São Félix do Xingu e Tucumã;

Região Médio Xingu: Vitória e Souzel;

Região Baixo Xingu: Porto de Moz e Gurupá

Região Transamazônica Oeste: Brasil Novo, Medicilândia, Uruará e Placas;

Região Transamazônica Leste: Belo Monte e Anapu

Região de Altamira: Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Áreas: Perpétuo Socorro e Imaculada Conceição

 

Os municípios de Cumaru do Norte e Bannach são atendidos pela Diocese de SS. Conceição do Araguaia.

 

A Prelazia possui três instâncias de decisão: Grande Assembléia do Povo de Deus no Xingu, Conselho de Pastoral e Coordenação de Pastoral.

 

 

Nesta Seção você poderá baixar arquivos: texto, vídeo ou figuras que tenham relação com o trabalho pastoral na Prelazia, na medida que for sendo disponibilizados pelas pastorais ou agentes de pastoral.

Alguns Downloads poderão ser feitos somente por usuários cadastrados. Caso você seja um Agente de Pastoral e tenha alguma dificuldade entre em contato com o Centro de Pastoral para que faça o seu cadastramento como Agente.