MAPA DO SITE

FaceBook  Twitter  

Área Pastoral do Assurini -  Pe. Alírio Bervian 40ª carta - 9º Ano no Assurini- 1º com Pe.André Delzelle

 

 

OUTUBRO, NOVEMBRO, OUTUBRO DE 2016

Sentimos grande alegria com a chegada de pe. André em nosso meio. Veio uma 1ª vez com bastante rapidez só para anunciar a sua disponibilidade de trabalhar no Xingu. Isto foi em 14 a 16 de junho; veio uma segunda vez para participar do Retiro Anual da Prelazia onde houve uma decisão na reunião do Conselho Presbiteral com Dom João Muniz que foi aceito sua vinda, isso ocorreu nos dias 26 -30/07; veio uma terceira vez para dar uma volta na área Assurini com o acompanhamento do pe. Alírio nos dias 23 a 26/08. Nos dias 31/08 a 4/09 dias caminhamos incansavelmente no setor Chico Mendes, o próprio Assurini, visitando as comunidades com celebrações de duas até 4 por dia. No dia 29/08 fomos a Brasil Novo para buscar a chave do Centro com Pe. Geraldo e o dinheiro de R$1.500,00 para a conclusão do muro. No dia 31/08 Pe. André já fez com o pedreiro Rogério um projeto para concluir o muro do Centro de Formação Ir Dororthy. O projeto todo ficou em R$6.747,00 gasto que foi suprido pela Prelazia. O que ficou para trás não nos compete administrar. Pe. André regressou a Manaus no dia 5/09 para enviar sua mudança e concluir tudo por lá. Voltou para permanecer no dia 14/09 e no dia 17/09 foi com seu carro e mudança morar no centro. Na semana que iniciou no dia 19/09, foi com Cajá visitar locais onde não fomos e lembrando os locais aonde já tinha ido. Parece que passaram o Setor Dema ( Itapuama-Lages); o setor D. Erwin (Ressaca), o setor D. Luciano (Transunião) e o setor (Pe. Josimo bom Jardim e Pimentel). Na semana 26/09 a 30/09 foi a vez de passar pelo Setor Chico Mendes (Assurini) com a companhia de “Val”, assim nestas visitas ficou marcado o programa. Que aí segue:

 

1/10- Sol Nascente- 19h – são Sebastião

4/10- Nova Olinda- 9h São Pedro e São Paulo

05/10- Pirarara- Casa do Assis 5h

06/10 - Jatobá- Comunidade N. Sr Guadalupe-15h

07/10- Bom Sossego 3- 9h

Agrovila Mocotó-18h

08/10- S. José – Cocal 9h

Paratizinho18h – São Francisco de Assis

09/10-Conselho de Pastoral – Centro Ir Dorothy

-Bom jardim 2 15h- São Cristovão

-Sol Nascente-19h- são Sebastião

10/10- Convivência com os padres na Prelazia do Xingu 11h

11/10- Novo Itapuama- Salazar 9h- São Sebastião

Dispensa 2- 19h-N. Senhora Nazaré

12/10- Itatá- 18h- N. Sr Aparecida

13/10- Cajá 1- 9h- Snato Antônio

PA Ressaca São José -18h

14/10 Acesso 1 Jatobá 9h – snata Clara e São Sebastião

Acesso 6 São Benedito- 15h

15/010- Conselho de Pastoral – Pimentel 9h

Bom Jardim I 17h- São Lucas

16/10 4 bocas- 9h – Pimentel- N. Sr Aparecida

Sol Nascente-19h

17/10- Acesso 2- São José – 15h- Novo Brasil

Planalto- Cristo Rei- 19h- Transunião

18/10- Palhal- 17h

19/10- São Benedito – D. Rosa-18h- Pirarara

20/10- Alegria do Saber- 15htransunião

21/10- Travessão Pernambuco- N. Sr das Graças-9h

São Gaspar 15h- Acesso 1

22/10- Babaquara-9h- são Francisco de Assis

Dispensa 1-16h30' Nossa Senhora da Conceição

23/10- Ressaca8h- Nossa Senhora das dores

Ilha do Elói 11h- São Sebastião

Sol Nascente 19h- São Sebastião

24/10- Convivência com os padres-11h

25/10- Bom Sossego 2- 18h

26/10 São João Batista . D.Fátima-16hPirarara

27/10- Sagrada Família 15h- Firma

28/10- Picadão 9h- São Jorge

Raio do Sol 17h- N. Sr das Graças

29/10 – Cajá 2- 9h- Nossa Senhora de Fátima

trav do Nenê Cristo Rei 16h

30/10- Barro Duro -8h

Sol Nascente 19hSão Sebastião

31/10 11h convivência – Prelazia.

 

Pe. Alírio está por hora com a sua proposta: Como D. Erwin orientou: “faça o que puder”. Assim só trabalha se for acionado. Até agora programa não faltou e todo dia há solicitações. Assim queremos anunciar o que está agendado:

 

OUTUBRO:

04/10- No Anapu com as irmãs Festa de São Francisco-

7/10- 19h 7 dias de Geraldo Amorim- Pioneira- em casa

8/10- Bom Jardim 2 Capela S. Cristovão- festa S. Francisco -16h

Espelho- Festa S. Benedito ( o dia dele é 05) 19h

9/10- Ilha do Elói -- São Sebastião-10h

Bairro Boa Esperança – São Francisco- 18h

10-17/10- Indo e voltando de Porto Alegre- 30ª Festa do clã Bervian

17/10- Sitio irmão Sol- Aniversário de Ir Celina-18h

18/10- Novo Pimental- Casa de Irene

19/10- Cajueiros – Casa de Isabel- 16h

22/10 – Na 10- casa de...16h

23/10- 10h Nova Transunião- Casa Rogério -10h

24/10- Casa de Aquino- Festa 36 anos de Claudio

30/10- Aurora- Crispim 90 anos- 10h

 

Fatos de destaque:

Encontrei Cláudio do Cajá 1, N. Sr de Fátima, contou com entusiasmo a preparação da crisma. Reunem-se uma vez por semana nas casas e estudam e celebram. O povo até já descobriu que é melhor que novena: estudar a bíblia. A comunidade toda está comprometida. E cada encontro tem mais gente. Era assim no inicio como diz em Atos dos Apóstolos. Todos descobrindo o caminho. Parabéns! Sejam fiéis! É o grupo de vizinhos funcionando!

No Raio de Sol- Nossa Senhora das Graças reunem-se todas as 4ª feiras. O povo está se abastecendo da Palavra de Deus. O casal Helio e Gelsa, a Tereza, o Agostinho e tantos mais. Não falham. Como faz bem ouvir isso. E a capela está em construção através de mutirão. Toda a ajuda é bem-vinda à igreja prédio e a igreja povo unir fé e vida! Beleza!

O muro do centro está sendo concluído vai ser nesta semana ( de 03 até 8/10). Rogério com os serventes e Pe. André. Como é bom dar conta das obras e não deixar no meio do caminho. Depois vamos para a construção da Igreja Matriz São Sebastião do Sol Nascente, será que até o fim do ano vamos celebrar nela? Só depende de nós!

 

Senti nas rodadas pela Firma que onde não funciona comunidade o povo está desprotegido na fé e entregue a pilhagem . Os gaviões estão aí para devorar. Vamos tomar cuidado. Leiam a carta de Paulo aos Gálatas. Fico triste de ver e ouvir: “A religião não salva ninguém!”Ora religião significa re-ligar. Quem devemos Re-ligar? Quem está desligado. Há muitos católicos desligados da sua fé, do seu batismo, deixando-se enganar por gente sem escrúpulos. Que só faz “lavagem cerebral” e cria confusão e divisão. São os diabos no nosso meio. Comunidades fortes povo sadio na fé.

Lembramos que:

 

O Objetivo Geral da Prelazia do Xingu é: A Igreja, povo de Deus no Xingu, para ser fiel à missão profética e à prática libertadora de Jesus Cristo, ouvindo o clamor do povo e à luz da Palavra de Deus compromete-se com alegria a viver sua opção pelas/os excluídas/os, querendo ser acolhedora, samaritana, comunitária, orante e missionária, a resgatar os valores da família e a incentivar a iniciação à vida cristã no anuncio, no testemunho, no serviço e no diálogo, a caminho do Reino definitivo”.

E como prioridades temos: Defesa da vida, Renovação das comunidades eclesiais de base , Juventude e Família.

E que sempre quando queremos conversar, discutir, encaminhar e propor atividades, ações e construir um plano de pastoral para nossa área e ao mesmo tempo avaliarmos e acompanharmos o trabalho pastoral na área realizamos a Reunião do Conselho de Pastoral da área, que pode acontecer por setores com todas as lideranças das comunidades engajadas, padres e missionários no plano evangelizador do Assurini.

 

 

Prestação de contas Gastos: 13/08 até 1º/10/2016

 

- Para-brisa: R4750,00

- Entrega de Coletas, Doações Dizimo e Devoluções:

- óleo: 2.349,00 ajuda capela R4500,00

- Total R$ 5.857,60

- Gastos: óleo, xerox, balsa, ajudas, energia, material litúrgico R$ 5.080,41

- Saldo desta vez ficou positivo R$ 777,19

 

obs.: Assim não fechamos o R$100.000,00 no vermelho( R$9 8.691,51). O passe livre da balsa funcionou pouco tempo e não aceitaram mais. Pois a dívida da Prefeitura era alto.

FaceBook  Twitter  

De 11 a 18 de setembro, Dom João esteve em Roma, na Itália em um curso de formação para novos Bispos e se encontrou com o Papa Francisco.

FaceBook  Twitter  

Nosso Bispo Dom João Muniz Alves nos dias 19 a 23 de setembro de 2016 visitou a cidade de Assis( Itália), terra de São Francisco e Santa Clara.  Na oportunidade presidiu celebração eucarística junto com dom Evaristo Pascoal Spengler (bispo de Marajó-PA) na Porciúncula na Basília de Santa Maria dos Anjos) e visitou a curia da OFM ( Ordem dos Frades Menores). Por Dóris.

FaceBook  Twitter  

Nosso Bispo Dom João Muniz Alves desde o dia 26 até o dia 29 de setembro de 2016 está na cidade de  Santarém para uma visita de acompanhamento aos  5 seminaristas (Orlando de Araujo,  Arilson Lopes Pimentel, Perison Lopes Tenório, Francisco Junior Loureiro Martins,  Elienai Mendes Alvarez) da Prelazia do Xingu  que estão estudando no Seminário Pio X e  2 jovens  aspirantes (Benedita Pinto Conceição e Joice Barbosa Duarte) que estão na Congregação das Adoradoras do Sangue de Cristo.  Na oportunidade participou de celebração eucarística junto com dom Flávio  Giovenale, no dia 26 de setembro de 2016. (por Dóris).

 

FaceBook  Twitter  

Nosso Bispo Dom João Muniz Alves esteve  nos dias 10 a 18 de setembro de 2016 em visita à cidade de  Roma  participando do Cursos para Novos Bispos . O encontro foi  promovido pela Congregação para os Bispos . Na ocasião participaram 155 bispos, dos quais 17 eram brasileiros.  Entre os brasileiros estavam 2 bispos  do Regional Norte II : Dom Evaristo (Bispo da Diocese de Marajó(PA) e   Dom João Muniz Alves , Bispo da Prelazia do Xingu(PA). Na oportunidade participou de uma audiência com o Santo Padre, Papa Francisco no Vaticano, no dia 16 de setembro de 2016.

Por: Dóris.

 

 

 

 

FaceBook  Twitter  

Laudato Sí” – Uma encíclica diferente

O título desta conferência “Eucaristia e Ecologia” gera sem dúvida uma certa perplexidade. O que “o Memorial da Morte e Ressurreição do Senhor”, a “Hóstia Santa que se consagra sobre o altar e aos nossos olhos se levanta para o Brasil abençoar”, o que o “Sacramento dos sacramentos” tem a ver com assuntos aparentemente tão profanos como as questões ecológicas, bandeiras de luta de ambientalistas e indigenistas, de movimentos e partidos verdes?

Quem nos dá resposta é o próprio papa Francisco na sua Encíclica “Laudato Si”: “A criação encontra a sua maior elevação na Eucaristia. A graça, que tende a se manifestar de modo sensível, atinge uma expressão maravilhosa quando o próprio Deus, feito homem, chega ao ponto de fazer-Se comer pela sua criatura. No apogeu do mistério da Encarnação, o Senhor quer chegar ao nosso íntimo através dum pedaço de matéria. Não o faz de cima, mas de dentro, para podermos encontrá-Lo a Ele no nosso próprio mundo. Na Eucaristia, já está realizada a plenitude, sendo o centro vital do universo, centro transbordante de amor e de vida sem fim. Unido ao Filho encarnado, presente na Eucaristia, todo o cosmos dá graças a Deus. Com efeito a Eucaristia é, por si mesma, um ato de amor cósmico (...). A Eucaristia une o céu e a terra, abraça e penetra toda a criação. O mundo, saído das mãos de Deus, volta a Ele em feliz e plena adoração: no Pão Eucarístico (...). Por isso, a Eucaristia é também fonte de luz e motivação para as nossas preocupações pelo meio ambiente, e leva-nos a ser guardiões da criação inteira” (LS 236).

Nesta compreensão da Eucaristia como “fonte de luz e motivação para as nossas preocupações pelo meio ambiente” que nos leva “a ser guardiões da criação inteira” queremos refletir sobre a Encíclica “Laudato Si”. Ser guardião implica em assumir a responsabilidade de zelar pela criação e cuidar do meio ambiente, inclusive com vista às futuras gerações. O Papa Francisco rejeita categoricamente a interpretação de Genesis 1,28 numa perspectiva de dominação implacável do ser humano sobre a criação, de exploração desenfreada e inescrupulosa dos recursos naturais como se fossemos a última geração.

A referência ao Cântico das Criaturas de São Francisco de Assis realça a harmonia que deve existir entre o ser humano e os outros seres criados que São Francisco chama de irmãos e irmãs. Essa visão de harmonia de que o Papa fala coincide com o entendimento que os povos indígenas andinos conservam desde tempos imemoriais quando falam do Sumak Kawsay (Bem Viver): Existe um ser supremo que criou todas as coisas e por isso deve ser amado e respeitado. Esta consciência faz o homem e a mulher viver em paz consigo mesmo e em harmonia com os irmãos e irmãs e ao mesmo tempo com todos os seres criados, com o mundo que nos circunda.

Sem dúvida a Encíclica foi também uma contribuição do Papa Francisco à Conferência sobre o Clima realizada de 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015 em Paris que se propôs substituir o Protocolo de Kyoto de 1997 de resultados decepcionantes e chegar a um acordo mundial sobre a redução das emissões de gases de efeito estufa. Nesta histórica conferência de Paris pela primeira vez não se fez mais a distinção entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento o que está bem na linha do papa que alerta na encíclica: “O movimento ecológico mundial já percorreu um longo e rico caminho, tendo gerado numerosas agregações de cidadãos que ajudaram na consciencialização. Infelizmente, muitos esforços na busca de soluções concretas para a crise ambiental acabam, com frequência, frustrados não só pela recusa dos poderosos, mas também pelo desinteresse dos outros (...). Precisamos de nova solidariedade universal“ (LS 14). Em Paris, de repente todos os países – e não apenas alguns – escolhem como meta limitar a temperatura global ao aumento de 2° C e insistem ainda em envidar todos os esforços para atingir no máximo 1,5° C.

Como secretário da Comissão Episcopal para a Amazônia tive o privilégio de ser recebido pelo Papa Francisco em 4 de abril de 2014 em uma audiência particular de uns vinte minutos. Foi a ocasião em que ele me confidenciou que estava pretendendo promulgar uma encíclica sobre a ecologia. Lembro-me da ênfase especial que deu ao assunto: “Não trataremos de ecologia de modo apenas genérico, está na hora de falarmos em uma ecologia ‘humana‘“. Foi aí que pedi a ele que não se esquecesse da Amazônia e dos Povos Indígenas. Convidou-me então a colaborar nestes tópicos o que fiz com muita alegria e gratidão enviando minha contribuição ao Cardeal Pedro Turkson, Presidente da Pontifícia Comissão Justiça e Paz, encarregado de sintetizar as diversas sugestões vindas de todo mundo.

Os parágrafos 37/38 e 145/146 são o reflexo das contribuições que ofereci em nome da Igreja na Amazônia. Vejam o que o Papa escreve:

37. Alguns países fizeram progressos na conservação eficaz de certos lugares e áreas – na terra e nos oceanos –, proibindo aí toda a intervenção humana que possa modificar a sua fisionomia ou alterar a sua constituição original. No cuidado da biodiversidade, os especialistas insistem na necessidade de prestar uma especial atenção às áreas mais ricas em variedade de espécies, em espécies endémicas, raras ou com menor grau de efetiva proteção. Há lugares que requerem um cuidado particular pela sua enorme importância para o ecossistema mundial, ou que constituem significativas reservas de água assegurando assim outras formas de vida.

38. Mencionemos, por exemplo, os pulmões do planeta repletos de biodiversidade que são a Amazônia e a bacia fluvial do Congo, ou os grandes lençóis freáticos e os glaciares. A importância destes lugares para o conjunto do planeta e para o futuro da humanidade não se pode ignorar. Os ecossistemas das florestas tropicais possuem uma biodiversidade de enorme complexidade, quase impossível de conhecer completamente, mas quando estas florestas são queimadas ou derrubadas para desenvolver cultivos, em poucos anos se perdem inúmeras espécies, ou tais áreas transformam-se em áridos desertos. Todavia, ao falar sobre estes lugares, impõe-se um delicado equilíbrio, porque não é possível ignorar também os enormes interesses econômicos internacionais que, a pretexto de cuidar deles, podem atentar contra as soberanias nacionais. Com efeito, há « propostas de internacionalização da Amazônia que só servem aos interesses econômicos das corporações internacionais ». É louvável a tarefa de organismos internacionais e organizações da sociedade civil que sensibilizam as populações e colaboram de forma crítica, inclusive utilizando legítimos mecanismos de pressão, para que cada governo cumpra o dever próprio e não-delegável de preservar o meio ambiente e os recursos naturais do seu país, sem se vender a espúrios interesses locais ou internacionais.

Será que a delegação brasileira na Conferência de Paris assimilou a lição do Papa? Fato é que a assim chamada “Contribuição Nacionalmente Determinada Pretendida” do Brasil à Conferência de Paris visa o fim do desmatamento na Amazônia, o reflorestamento e a recuperação de áreas degradadas, além do propósito de alcançar, em termos de fontes de energia, o patamar de 45% de energias renováveis.

145. Muitas formas de intensa exploração e degradação do meio ambiente podem esgotar não só os meios locais de subsistência, mas também os recursos sociais que consentiram um modo de viver que sustentou, durante longo tempo, uma identidade cultural e um sentido da existência e da convivência social. O desaparecimento duma cultura pode ser tanto ou mais grave do que o desaparecimento duma espécie animal ou vegetal. A imposição dum estilo hegemônico de vida ligado a um modo de produção pode ser tão nocivo como a alteração dos ecossistemas.

146. Neste sentido, é indispensável prestar uma atenção especial às comunidades aborígenes com as suas tradições culturais. Não são apenas uma minoria entre outras, mas devem tornar-se os principais interlocutores, especialmente quando se avança com grandes projetos que afetam os seus espaços. Com efeito, para eles, a terra não é um bem econômico, mas dom gratuito de Deus e dos antepassados que nela descansam, um espaço sagrado com o qual precisam de interagir para manter a sua identidade e os seus valores. Eles, quando permanecem nos seus territórios, são quem melhor os cuida. Em várias partes do mundo porém, são objeto de pressões para que abandonem suas terras e as deixem livres para projetos extrativos e agropecuários que não prestam atenção à degradação da natureza e da cultura.

Até agora em nenhum documento papal a realidade em que vivem os povos indígenas e seus legítimos anseios foram abordados de maneira tão contundente. O papa assume a defesa da dignidade e dos direitos dos povos aborígenes. Para a Igreja no Brasil, mormente na Amazônia, e de modo especial para o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), organismo vinculado à CNBB, as palavras do Papa são um enorme impulso para prosseguir na luta destemida em favor destes povos que atualmente estão vivendo mais um momento crítico. Está em jogo a vitória conquistada na Assembleia Nacional Constituinte de 1987/88 de finalmente verem seus direitos inscritos na Constituição Federal. Hoje, lamentavelmente, tramitam no Congresso Nacional Projetos de Emenda Constitucional apoiados em cheio pela bancada ruralista declaradamente anti-indigena e pelos representantes do agronegócio, de alterar os parâmetros constitucionais em franco detrimento dos povos indígenas deste País.

A encíclica Laudato Sí tem que ser lida e meditada na íntegra, como um todo. É até desaconselhável assinalar apenas um e outro ponto ou insistir apenas nesse ou naquele aspecto sem levar em conta a mensagem completa. Digo isso também a respeito dos já citados parágrafos sobre a Amazônia e os Povos Indígenas. Não podem ser pinçados e analisados fora do contexto de toda a encíclica.

Mesmo assim saltam à vista algumas palavras-chave que são, por assim dizer, o “arcabouço” de toda a encíclica:

  1. As encíclicas papais são geralmente endereçadas aos “veneráveis irmãos no episcopado, ao clero, às famílias religiosas, aos fiéis da igreja católica” e como expressão de certa condescendência “a todos os homens de boa vontade”. A Encíclica do Papa Francisco “Laudato Sí”, no entanto, quer ultrapassar qualquer fronteira confessional, política, racial e ideológica e se dirige à toda a humanidade em todos os continentes. “Agora, à vista da deterioração global do ambiente, quero dirigir-me a cada pessoa que habita neste planeta. Na minha exortação Evangelii gaudium, escrevi aos membros da Igreja, a fim de os mobilizar para um processo de reforma missionária ainda pendente. Nesta encíclica, pretendo especialmente entrar em diálogo com todos acerca da nossa casa comum“ (LS 3).

  2. “Entre os pobres mais abandonados e maltratados, conta-se a nossa terra oprimida e devastada, que « geme e sofre as dores do parto » (Rom 8, 22). Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf. Gen 2, 7). O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar permite-nos respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos“ (LS 2).

  3. O Papa insiste na “ecologia humana”. Ele cita a encíclica “Centesimus Annus” de 1991 do Papa João Paulo II que fala das “condições morais de uma autêntica ecologia humana”. E explicita: “A destruição do ambiente humano é um fato muito grave, porque, por um lado, Deus confiou o mundo ao ser humano e, por outro, a própria vida humana é um dom que deve ser protegido de várias formas de degradação. Toda a pretensão de cuidar e melhorar o mundo requer mudanças profundas «nos estilos de vida, nos modelos de produção e de consumo, nas estruturas consolidadas de poder, que hoje regem as sociedades»“ (LS 5).

  4. “O progresso humano autêntico possui um carácter moral e pressupõe o pleno respeito pela pessoa humana, mas deve prestar atenção também ao mundo natural e «ter em conta a natureza de cada ser e as ligações mútuas entre todos, num sistema ordenado». Assim, a capacidade do ser humano transformar a realidade deve desenvolver-se com base na doação originária das coisas por parte de Deus“ (LS 5).

  5. “A pobreza e a austeridade de São Francisco não eram simplesmente um ascetismo exterior, mas algo de mais radical: uma renúncia a fazer da realidade um mero objeto de uso e domínio“ (LS 11).

  6. A “cultura do descarte (...) afeta tanto os seres humanos excluídos como as coisas que se convertem rapidamente em lixo (...) acaba por danificar o planeta inteiro“ (LS 22).

  7. “O urgente desafio de proteger a nossa casa comum inclui a preocupação de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral, pois sabemos que as coisas podem mudar (...). A humanidade possui ainda a capacidade de colaborar na construção da nossa casa comum“ (LS 13).

  8. É errado “pensar que os outros seres vivos devam ser considerados como meros objetos submetidos ao domínio arbitrário do ser humano. Quando se propõe uma visão da natureza unicamente como objeto de lucro e interesse, isso comporta graves consequências também para a sociedade. A visão que consolida o arbítrio do mais forte favoreceu imensas desigualdades, injustiças e violências para a maior parte da humanidade porque os recursos se tornam propriedade do primeiro que chega ou de quem tem mais poder: o vencedor leva tudo“ (LS 82).

  9. “O ser humano não é plenamente autónomo. A sua liberdade adoece, quando se entrega às forças cegas do inconsciente, das necessidades imediatas, do egoísmo, da violência brutal. (...) Podemos afirmar que carece de uma ética sólida, uma cultura e uma espiritualidade que lhe ponham realmente um limite e o contenham dentro dum lúcido domínio de si” (105).

  10. Se a crise ecológica é uma expressão ou uma manifestação externa da crise ética, cultural e espiritual da modernidade, não podemos nos iludir de sanar a nossa relação com a natureza e o meio ambiente, sem curar todas as relações humanas fundamentais. Quando o pensamento cristão reivindica, para o ser humano, um valor peculiar acima das outras criaturas, suscita a valorização de cada pessoa humana e, assim, estimula o reconhecimento do outro. A abertura a um «tu» capaz de conhecer, amar e dialogar continua a ser a grande nobreza da pessoa humana. Por isso, para uma relação adequada com o mundo criado, não é necessário diminuir a dimensão social do ser humano nem a sua dimensão transcendente, a sua abertura ao «Tu» divino. Com efeito, não se pode propor uma relação com o ambiente, prescindindo da relação com as outras pessoas e com Deus“ (LS 119).

  11. O ambiente humano e o ambiente natural degradam-se em conjunto; e não podemos enfrentar adequadamente a degradação ambiental, se não prestarmos atenção às causas que têm a ver com a degradação humana e social. (LS 48). “Não há duas crises separadas: uma ambiental e outra social; mas uma única e complexa crise socioambiental. As diretrizes para a solução requerem uma abordagem integral para combater a pobreza, devolver a dignidade aos excluídos e, simultaneamente, cuidar da natureza“ (LS 139).

  12. Sempre se deve recordar que «a proteção ambiental não pode ser assegurada somente com base no cálculo financeiro de custos e benefícios. O ambiente é um dos bens que os mecanismos de mercado não estão aptos a defender ou a promover adequadamente». Mais uma vez repito que convém evitar uma concepção mágica do mercado, que tende a pensar que os problemas se resolvem apenas com o crescimento dos lucros das empresas ou dos indivíduos“ (LS 190).

  13. Trata-se simplesmente de redefinir o progresso. Um desenvolvimento tecnológico e econômico, que não deixa um mundo melhor e uma qualidade de vida integralmente superior, não se pode considerar progresso“ (LS 194).

  14. Já no início da Laudato Si o Papa Francisco insiste numa “conversão ecológica global” (LS 5), aprofundando esse tema no final da Encíclica quando diz: “Desejo propor aos cristãos algumas linhas de espiritualidade ecológica que nascem das convicções da nossa fé, pois aquilo que o Evangelho nos ensina tem consequências no nosso modo de pensar, sentir e viver“. Trata-se na realidade de uma “espiritualidade para alimentar uma paixão pelo cuidado do mundo. Com efeito, não é possível empenhar-se em coisas grandes apenas com doutrinas, sem uma mística que nos anima. E o Papa cita a sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium quando diz que essa mística é “uma moção interior que impele, motiva, encoraja e dá sentido à ação pessoal e comunitária“ e acrescenta: “Temos de reconhecer que nós, cristãos, nem sempre recolhemos e fizemos frutificar as riquezas dadas por Deus à Igreja, nas quais a espiritualidade não está desligada do próprio corpo nem da natureza ou das realidades deste mundo, mas vive com elas e nelas, em comunhão com tudo o que nos rodeia“ (LS 216).

  15. Também já no começo da Encíclica o Papa Francisco fala dos passos da conversão citando do patriarca de Constantinopla Bartolomeu que “propôs-nos passar do consumo ao sacrifício, da avidez à generosidade, do desperdício à capacidade de partilha, numa ascese que «significa aprender a dar, e não simplesmente renunciar. É um modo de amar, de passar pouco a pouco do que eu quero àquilo de que o mundo de Deus precisa. É libertação do medo, da avidez, da dependência» (LS 9). No final ele acrescenta: “Convido todos os cristãos a explicitar esta dimensão da sua conversão, permitindo que a força e a luz da graça recebida se estendam também à relação com as outras criaturas e com o mundo que os rodeia, e suscite aquela sublime fraternidade com a criação inteira que viveu, de maneira tão elucidativa, São Francisco de Assis“ (LS 221).

 

Termino assim convidando as irmãs e os irmãos a rezarmos juntos e com o Papa Francisco a “Oração pela nossa terra” que ele propõe no final da Encíclica (LS 246):

Deus Omnipotente,
que estais presente em todo o universo
e na mais pequenina das vossas criaturas,
Vós que envolveis com a vossa ternura
tudo o que existe,
derramai em nós a força do vosso amor
para cuidarmos da vida e da beleza.
Inundai-nos de paz,
para que vivamos como irmãos e irmãs
sem prejudicar ninguém.
Ó Deus dos pobres,
ajudai-nos a resgatar
os abandonados e esquecidos desta terra
que valem tanto aos vossos olhos.
Curai a nossa vida,
para que protejamos o mundo
e não o depredemos,
para que semeemos beleza
e não poluição nem destruição.
Tocai os corações
daqueles que buscam apenas benefícios
à custa dos pobres e da terra.
Ensinai-nos a descobrir o valor de cada coisa,
a contemplar com encanto,
a reconhecer que estamos profundamente unidos
com todas as criaturas
no nosso caminho para a vossa luz infinita.
Obrigado porque estais conosco todos os dias.
Sustentai-nos, por favor, na nossa luta
pela justiça, o amor e a paz.


 

Belém, 19 de agosto de 2016

XVII Congresso Eucarístico Nacional

 

Erwin Kräutler

Bispo em. do Xingu

FaceBook  Twitter  

Pe. Alírio Bervian 3ª carta - 9º Ano no Assurini

AGOSTO, SETEMBRO, OUTUBRO DE 2016

Nos meses passados teve acontecimentos marcantes:

 

Julho: A Romaria dos Mártires, no Mato Grosso, Prelazia de São Félix do Araguaia e Ribeirão cascalheira o município, fomos: Ir Else, Ir jorge e eu. São uns 1.700 km daqui. Saímos no dia 14/07 e voltamos no dia 19/07 a meia noite. Pernoitamos em Marabá com um grupo de universitários; outra noite em Santana do Araguaia com os freis capuchinhos ( na ida e na volta). A Romaria foi nos dias 16 a 17 de julho. O destaque foi o bispo emérito D. Pedro Casaldáliga. Veio de avião, pois, já está em cadeira de roda. Veio gente de toda Brasil e do Exterior. Acontece de 5 em 5 anos. Pe. João Batista foi assassinado pela polícia quando ele e dom Pedro foram interceder em favor de mulheres presas que estavam sendo maltratadas e judiadas. Foi em 1976. No começo a romaria era a cada 10 anos , depois de 20 anos daí para cá de 5 em 5 anos. Na volta em Redenção, celebramos 25 anos de sacerdócio de Pe. Bené. O Bispo dom Dominique e muitas pessoas de Conceição do Araguaia estavam lá.Um destaque da Romaria foi a situação dos indígenas do Mato Grosso, povo Guarani Kawuá: ameaçados de morte pelos jagunços do agronegócio.

 

Nos dias 21 a 24/07/16 foi a Romaria da Floresta, no Anapu. O destaque foram os jovens (em especial de Brasil Novo); os agricultores da Mata Preta ameaçados pelos grandes grileiros; a presença do nosso novo bispo d. João Muniz Alves.

 

No final do mês de julho (26-30/07)foi o Retiro com D. Pedro , bispo de Macapá-AP. O destaque foi sua simplicidade, suas histórias, as mensagens e as celebrações dos 4 elementos: Terra, ar, água e fogo. Assurini esteve presente com Val e Cajá.

 

Nestes meses marcamos presença em Uruará, Medicilândia e Brasil Novo . Quando solicitados e o Assurini que é a nossa área predileta, mas como Pe. Juquinha e Pe. Zé Geraldo já atendem e haviam programado. Nos sentimos mais livres para ajudar outros irmãos, comunidades e paróquias...

 

PROSPECTIVA

No mês de Agosto 2016: temos como compromisso apresentar o Pe. André Delzelle na área pastoral do Assurini e mostrar a realidade da cidade de Altamira. Ele quer realizar uma experiência num local desafiador. Virá no dia 23/08 e ficará até 06/09.Depois em conversa com o bispo decidirá o seu local de pastoral.

 

Neste ano a Prelazia quer dar destaque aos nossos mártires. Por isso estaremos na comemoração dos 15 anos da morte de Dema, será nos dias 24 a 25/08 em Medicilândia 75 Faixa,mas ele continua vivo no meio de nós. No dia 16/10 será Pe. tore, km 23- 29 anos.

 

Não vamos esquecer o mês vocacional: Cajá está distribuindo as cartilhas com os testemunhos vocacionais. Semana Nacional das Famílias (tema: Misericordia na Família Dom e Missão) de 24 a 28/08 nas 3 paróquias de Altamira finalizando com Celebração de encerramento no dia 28/08 às 8h na Catedral. E no dia 31 de agosto haverá uma celebração de encerramento do mês vocacional às 19:30 na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorrro.

 

O mês de setembro tráz o destaque da Bíblia . Neste ano o CEBI propõe o estudo do profeta Miquéias: agricultor-denuncia o latifundio conseguido com a exploração dos pobres- acham que estão certos com a Bíblia na mão Deus os destruirá. Alimenta a esperança anunciando a vinda de um Rei que vai libertar o povo: Jesus nascido em Belém. Teremos também a caminhada dos jovens do Xingu nos dias 8 a 11/09/2016. iniciará com a presença de D. Erwin na vivinal 16- n. Srª de Nazaré comunidade de Léo. A caminhada é em memória ao Jovem Leonardo Nascimento de Brasil Novo vítima de um acidente que consequentemente o levou a morte quando voltava de uma missão jovem em Vitória do Xingu.

 

No mês de outubro é o mês missionário. Tem material para as comunidades e grupos de vizinhos não vamos esquecer a coleta para que o evangelho seja anunciado a todos as nações: o Tema é Cuidar da Casa Comum é nossa missão e lema “Deus viu que tudo era muito bom” Gn 1,31.

 

A nossa Prestação de contas:

Nossos gastos foram R$ 6.287,23 e nossas entradas: R$ 4.369,54

o vermelho ficou em R$ 1.917,89. Assim o total vermelho foi a R$ 99.468,92- continua a média de R$1.000,00 por mês sem salário.

As entradas vieram das coletas, doações, ofertas ou ajudas. Até agora não vimos prestação de contas de Pe. Juquinha sobre o dízimo que está sendo implantado e creio que está funcionando, mesmo que seja fraco ou as coletas e doações.

 

Note bem: quanto as entradas temos R$1.800,00 de doações. Quando aos gastos o maior foi de R$ 2.050,00 reparos na parte dianteira do carro em peças e oficina e duas troca de óleo que ficou em R$657,00 e um pneu usado no valor de R$250,00. Só nisto ficou o vermelho.São despesas extras.

 

Gastos : 25/025 até 7/08/2016

Paõ e vinho 40,00

Troca de óleo e filtros 653,00

Cãmara – Pneus e consertos 540,00

Buchas 50,00

Peças e oficina 2.070,00

energia- Centro Ir. Dorothy 23,98

Balsa 294,00

combustível 2.616,25

Total 6.287,23

 

Programas agendados : O que está agendado?

 

AGOSTO

Estamos em meados de agosto . E tinhamos previsto ir participar do 17º Congresso Eucarístico

Nacional, mas por motivo de agendas pastorais tivemos que voltar atrás. E também estava

prevista no final do mês uma missão em Coroatá- maranhão que foi adiada para novembro.

Assim sendo reprogramamos esta metade do mês.

 

14/08- Grota Seca (Socorrinha)-10h com Socorrinha e Ir Celina

95 norte- São Francisco – Medicilândia-14h 1 ano de falecimento de Dona Teca

na vicina 8- Brasil Novo- 18h – Dª Margarida- no Bom Jesus

18 a 21/08- disponível para Assurini e Brasil novo . Tem programa marcado, vindo de Lages a Itapuama, mas é também festa na São Roque Vic .18 e outras comunidades., como matriz.

23/08 até 06/09 estarei a disposição de Pe. André que virá de Manaus para trabalhar no Xingu.

O bispo d. João pediu para mostrar-lhe a realidade de Altamira e do Assurini. Algo já está

previsto:

24/08- Km 90- Medicilândia – Seminário sobre DEMA e a questão ecológica- casa comum. Sede do Sindicato- Dia todo.

25/08- Km 75 Fx-N. Sr da Paz-10h Missa c/ D. João. Aniversário de 15 anos do assassinato de Dema. Inauguração da Obra do Projeto Dema e plantio de Árvores.

27/08-Assurini- Babaquara-15h – São Francisco-Comunidade

PA- Ressaca- São José- fim da tarde-18h Aniversariantes do mês

28/08- Pimentel. N. Sr Aparecida-9h

- Celebração das Família -8h Catedral

31/08- Celebração de encerramento do mês vocacional- P. Socorro-19:30

 

SETEMBRO:

03/09 -Barro duro (Beira do Asfalto) 16h Ramal dos Crentes- São Francisco Xavier-19h

04/09- Na 8- Menino Deus- 10h Chico Patrício- 60 anos.

Bom Sossego- Stª Maria-10h

Sol Nascente- São Sebastião-15h

06/09- N. Sr de Fátima- 75N – Medicilândia-17h

07/09- Sagrado Coração de Jesus-75N- Medicilândia-10h

São Vicente 75N-Medicilândia-15h

08/09- Pontal- Medicilândia- São Tomé- 10h

Beiradão- São José- Medicilândia- 15h

09-11/09- Na Romaria jovem – Brasil Novo partindo da vic.16

10/09-85 N- Stª Rita- 19h. 30 anos de casados Irene e Chiquinho

15/09- Km100N Medicilândia- Casa Dona Prazedes-19h

17/09 – Babaquara- São Francisco-9h

São Pedro e São Paulo- (Socorrinha) Cido -50 anos -19h- pede Socorrinha

18/09 -75N Medicilândia- Zé Tomé- Bodas de ouro

24/09 – Brasil Novo- Malvinas-na 19- á tarde

25/09 Pimentel- N. Sr Aparecida-9h aniversário de falecimento de Carlos Alberto

 

OUTUBRO

02/10- Eleições Municipais

05-07/10- Curso de Garrafas PET- Brasil Novo

9/10- Sol Nascente- São Sebastião-9h 1 ano falecimento de Bia

10/10 14h viagem de avião para o Sul- volta 17/10

17/10- Sítio Irmão Sol-18h aniversário Ir Celina Maria

22/10-vicinal da 10 Brasil Novo-16h

24/10- ir a Souzel com Miguel- Curso “ Garrafa PET” volta 27/10

30/10- Aurora Casa de seu Crispim Acácio

 

Note bem: Há muito espaço para atender quem estiver interessado . O importante é articular

se e colocar as comunidades em movimento. O que está realmente funcionando?

*Temos muito a lembrar como seja pessoas doentes e que marcaram muito nossas

comunidades como Dª Tanta da Dispensa;

Dª Jó da Dispensa 2 ( está em Belém- Alexandre e a Filha está com ela) . Rezemos por

elas e tantas outras- nossa solidariedade.

*Tivemos mais um caso de assassinato na Nova Transunião - nossa área está

manchada de sangue. Vamos ser misericordiosos neste ano jubilar: Em vez de matar,

perdoar e fazer viver.

*Nossa comunidade viva deve ser tudo para nós. Ser criativos e levantar propostas,

festejamos as mães , os pais, Festa Juninas, etc

*Marcar presença nos acontecimentos marcados na carta aberta. Como foi bom ver Val e Cajá no Retiro. Quem tem coragem de representar o Assurini?

FaceBook  Twitter  

A Paróquia Imaculada Mãe dos Pobres celebrou seus 25 anos de missão no dia 10 de julho de 2016, com a presença de nosso novo bispo, Dom João Muniz Alves. A Data de ereção da Paróquia é dia 01 de julho de 1991, porém, aproveitando da ocasião da visita de nosso novo bispo, organizamos a celebração para alguns dias depois de completar os 25 anos.

A presença da Igreja na região se dá desde o início da década de 70, com a abertura da Rodovia Transamazônica e a chegada dos migrantes, vindos de todos os recantos do país. Comemoramos assim também os 45 anos de presença da Igreja na Transamazônica, Agrovilas e vicinais.

Tempo esse de muita esperança como também de dificuldades, dentre elas a ação da Igreja, com rara presença de padres e religiosos/as. O povo rezava e invocava os seus santos de devoção. Dom Eurico Krautler, bispo na época, era de uma presença serena e amiga, com um olhar confiante e sorriso acolhedor. Apoiava os poucos padres a visitar as Agrovilas, quando possível.

A primeira missa no km 100, na Agrovila Miguel Gustavo, aconteceu em 1972, com o casamento de Caetano e Maria das Dores, celebrada por padre Aldo, Xaveriano, no ano seguinte o padre Sávio, Xaveriano, veio celebrar novamente na mesma agrovila.

Dom Eurico, como bom pastor se preocupava com as famílias que iam chegando à região, foi então à Arquidiocese de Porto Alegre pedir auxílio de padres e religiosos/as para atender melhor à nova fronteira, no que foi atendido com o envio de irmãs, irmãos e padres para a Prelazia, tornando-se assim a Igreja Irmã do Xingu.

Altamira é a porta de entrada para os novos missionários e missionárias, onde já estavam as irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo. Irmã Terezinha, desta Congregação acompanhava o padre Conrado nas visitas para Medicilândia, na época, km 90.

As Irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã começaram sua missão aqui na região, por Altamira, no Bairro de Brasília, estendendo-se logo pela Transamazônica, no km 90, onde, fixaram morada, desde 1977, participando sempre da vida e missão deste povo, juntos na missão os estavam padres, Leo Pedro Schneider, Oscar Fur, Alírio Bervian, leigos/as, voluntários/as, seminaristas, dando continuidade ao anúncio do Evangelho de Jesus Cristo. Padre Alírio foi o primeiro a fixar morada no km 90.

A Paróquia foi erigida em 01 de julho de 1991, por Dom Erwin Krautler, sob a proteção de Imaculada Mãe dos Pobres, sendo o padre Carlos Alberto Garcia, seu primeiro pároco, auxiliado pelas irmãs, Ignez Wenzel, Catarina Buron, Maria das Neves Morais de Azevedo e Benedita Pereira de Melo; os leigos, Raimundo Rodrigues Xavier ( motorista), João Alberto Garcia, Mário José Henchen e a secretária Maria Divina Pereira de Melo. Hoje está sob os cuidados de Dom João Muniz Alves, Pe. Gilmar Dalcanale ( diocesano) , irmãs Maria Knet, Inês Fell, Benedita Pereira de Melo e as leigas Cristiane de Araújo Silva ( secretária) e Olga Gomes da Silva ( Zeladora).

Neste ano, 2016, completamos Bodas de Prata paroquial e celebramos todas as vitórias, dificuldades e conquistas, pois, nossa Paróquia continua crescendo sob a proteção de Maria e aos cuidados de seu Filho Jesus Cristo. Com o início do tríduo celebrativo dos 25 anos, no dia 08 de julho, recebemos a primeira visita de nosso novo pastor, Dom João que foi acolhido na comunidade São Judas Tadeu, no km 85 fx, por jovens e lideranças de comunidade, de onde seguimos em carreata até o salão Paroquial, onde mais jovens e lideranças de comunidades, pastorais e movimentos eclesiais o aguardavam.

Depois de uma série de homenagens de boas vindas, almoçamos e seguimos o roteiro de visitas às comunidades. A primeira missa presidida por Dom João na Paróquia foi na comunidade São João Batista do km 80 fx, ainda no dia 08 a noite, no dia 09, pela manhã celebrou na comunidade Monte Calvário, no km 70 Norte e pela tarde do mesmo dia, Inaugurou e dedicou a capela da comunidade São João Evangelista, no km 112 fx. No dia seguinte foi acolhido pelos jovens na comunidade Nossa Senhora das Graças do km 120 fx e a Noite do dia 10, às 19:30 h presidiu a missa dos 25 anos de missão da Paróquia Imaculada Mãe dos Pobres. Com grande presença da comunidade, seguindo-se de uma confraternização no barracão da Matriz, fruto da partilha de muitas comunidades e famílias. Os jovens foram um ponto forte nesta celebração de prata paroquial e primeira visita de nosso bispo Dom João que demonstra muita alegria, simplicidade e o dom da escuta.

Agradecemos a Dom Erwin, nosso bispo Emérito pela árdua missão realizada conosco. Deus lhe pague por tudo; pelos momentos de turbulências, mas, também de fé, encontro e esperança, sobretudo na celebração da Eucaristia, gesto de amor e partilha. “ Eu sei em quem acreditei”.

Somos gratos a todas as pessoas que ajudaram a semear, cuidar para que a semente brotasse e espalhasse seus ramos. Aos padres, irmãs, lideranças de todas as comunidades, pastorais e movimentos eclesiais. Vocês proporcionaram a festa. Nossos agradecimentos hoje e ao longo de nossa história. Muito obrigado.

Seguem fotos que registram este momento.

 

 

 

FaceBook  Twitter  

Foto da Irmã Doroty   11ª ROMARIA DA FLORESTA

    21 a 24 de julho de 2016 em Anapu – Pa

 

 

   Objetivos da Romaria:

 

» Celebrar e rezar pela vida, pela terra, pela floresta e pela luta.

» Celebrar a memória da vida da Irmã Dorothy e as nossas lutas!

» Celebrar as pessoas que têm dado sua vida na luta pela terra, pela paz e pelo sossego.

» Gritar todos e todas juntos por justiça: que as autoridades ajam em prol da VIDA, PAZ e JUSTIÇA

» Partilhar novas ideias, novos jeitos de olhar os problemas para construir novas saídas.

» Trocar experiências, dar força e coragem um ao outro, uma à outra para começar a viver agora aquilo que sonhamos: Mundo de Justiça, Paz e Amor.

 

   Memória:

Quem são eles?

- Hércules: um jovem de 17 anos, ocupante do Lote 46, assassinado na Praça de Anapu.

- Jesusmar: Pai de família, dono do Lavajato, dava apoio aos ocupantes do lote 83·

- Zé do Lapada: Ocupante do Lote 83, líder na organização do povo, pioneiro de Anapu.

- Ivanzinho: Parente de um ocupante do Lote 83, apoiava a ocupação.

- Cosme: Morador antigo do Surubim, falou que apoiava o povo ocupando lote 83.

 

O que todos tinham em comum?

A luta pela terra, luta pela vida, o desejo para paz e justiça e defesa dos companheiros e companheiras.

Eles irritavam os grandes pretensos donos de terras, que sempre querem mais terras.

Mataram estes cinco homens exatamente como eles mataram Irmã Dorothy. A luta é a mesma.
Tem outras pessoas que lutaram?

E nossos jovens assassinados, envolvidos em roubo de motos, de casas. Eles estão ganhando desta atividade? Quem ganha?

Como conseguir a verdadeira justiça? Comotirar nossos jovens destas atividades que leva à cadeia e morte para eles?

 

Queremos Justiça!

Até hoje não tem ninguém na cadeia para responder por estes crimes. As mortes continuam. Quantas pessoas têm sido assassinadas em Anapu desde janeiro de 2016?
Tem gente na cadeia para estes crimes?

 

Quando Irmã Dorothy foi assassinada, a justiça respondeu. Teve pessoas presas, julgadas e condenadas. O fato é que Regivaldo Pereira Galvão ainda está fora da cadeia, mas teve julgamentos. Nestes casos agora ninguém está preso, ninguém julgado, ninguém responsabilizado.

Nestas mortes de 2015 e 2016 só tem impunidade. Está quase se tornando normal de resolver suas queixas matando. É isso que queremos que nossos filhos e nossas filhas aprendam?

Houve uma passeata pela paz, houve um abaixo-assinado pedindo para as autoridades agirem. Mas até agora nada.

 

E daí?

Vem! Pense em novos jeitos de viver, novas linhas de ação!

 

Futebol para jovens e adolescentes:

Os pais vendo que drogas estavam circulando no campo dos homens, começaram um time de futebol para jovens e adolescentes, bem longe do campo dos homens.
O time é campeão.

 

Capoeira:

Jovens que estavam já começando a se envolver com drogas, grupos de roubo e furto, foram convidados de treinar na Capoeira. Eles estão trocando faixas, ganhando o respeito da comunidade toda.

 

O grupo de jovens:

Reúnem de 15 a 30 jovens toda semana para conversar sobre os problemas, estudar, brincar, trocar de experiências.

 

Quadrilha de Alto Bonito:

Uma avó convidou crianças para formar ensaiar quadrilha. Contagiou a vizinhança. Acampamento: Famílias acampadas na beira da estrada de terra para ocupar reuniram e formaram termos de Bem Viver entre eles para viver na Paz e segurança.

 

Quais outros exemplos que você está sabendo que mostram que já tem gente vivendo a Paz e Justiça e amor do qual sonhamos

 

LEITURAS DA BÍBLIA PARA ENRIQUECER A REFLEXÃO:

Apocalipse 6, 9-10
1 Reis 21, 1-24
João 6,1-15

2 Reis 4,1-7
Miqueias 3, 1-8

Atos dos Apóstolos 3,1-10

 

Escolham uma leitura cada vez nos encontros da comunidade.o.

Qual é a esperança a partir destas leituras? Qual é a força que nós encontramos nelas? Como praticar estas leituras hoje?

 

COMO SERÁ:

Concentração no Centro São Rafael ao meio dia no 21 de julho. Saída às 15hs.

Caminhada pela estrada da Santana e chegada no Lote 55, PDS Esperança no dia 23
de julho. Missa de Encerramento com Dom João, novo bispo do Xingu, na Cruz
onde Ir. Dórothy foi assassinada no dia 24 de julho pela manhã.

 

TRAGA: rede e cordas ou barraquinha, prato, colher, copo, tênis, sapatos ou
chinelos bem confortáveis!

Comunidades preparam: teatro, canto, poesia, dança, declarações, cartazes!

FaceBook  Twitter  

Quem não conhece Padre Frederico?! Ou, o Fred, como é chamado pelos mais próximos.

Pe. Frederico, com 87 anos de vida, hoje, faz 60 anos de sacerdote, um testemunho vivo de sacerdote que doa a cada dia sua vida e seu amor, ao serviço e a missão a qual o Senhor lhe confiou.

Muitos anos dedicados a nossa cidade de Altamira e outros municípios como Porto de Moz e  Medicilândia onde também foi o pároco por lá dividindo seu tempo entre os dois municípios por alguns anos na década de 90.

Em Altamira, por muitos anos foi Vigário da Catedral e esteve a frente de vários trabalhos “Samaritanos” entre os quais foi responsável pela criação de vários Bairros e  igrejas em nossa cidade.

Desde os tempos do Bispo Dom Eurico Krautler (antecessor de Dom Erwin) já era Vigário Geral da Prelazia (segunda pessoa depois do Bispo), ficando no cargo até o ano de 2009.

Um exemplo de sacerdote,  de humildade  e de dedicação ao Povo de Deus aqui no Xingu! Nosso querido Fred está de parabéns, a ele nosso obrigado e o obrigado de todas as famílias que ele ajudou como Pastor e amigo.

Subcategorias

Bispo responsável: Dom Erwin Krautler

Nascimento: 12/07/1939 -Koblach/ Áustria, ordenação

presbiteral: 03/07/1965 - Salzburg/ Áustria.

Sagrado bispo em 25/01/1981 - Altamira - Província

Eclesiástica Belém do Pará.

 

Endereço: Avenida João Pessoa, 1212 CEP 68371-040 - Centro, Altamira - Para - Brasil

 

Tel: 0055.0XX93.3515.1761 - Curia - 0055.0xx93.3515.2494

 

 

Características Gerais da Prelazia

A Prelazia do Xingu foi criada a 16/08/1934, pela Bula “Animarum Bonum Postulat” do Papa Pio XI, desmembrada da Arquidiocese de Belém do Pará e das então Prelazias de Santarém e Santíssima Conceição do Araguaia. Foi confiada pela Santa Sé aos cuidados da Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue de Cristo. 1º Administrador Apostólico: Dom Armando Bahlmann, OFM (1935). 2º Administrador Apostólico: Padre Clemente Geiger, CPPS (1935-1948). 1º Bispo Prelado: Dom Clemente Geiger, CPPS (1948 a 1971). 2º Bispo Prelado: Dom Eurico Krautler, CPPS (1971 a 1981).

 

Superfície: 368.086,0 KM²

População: 392.211 hab

Densidade Demográfica 1,1 hab/km² (baseado em dados do, IBGE - 2000)

 

 Mapa da Prelazia do Xingu

 

MunicípioS pertencentes: Altamira, Anapu, Bannach, Brasil Novo, Cumaru do Norte, Gurupá, Medicilândia, Ourilândia do Norte, Placas, Porto de Moz, São Félix do Xingu, Senador José Porfírio, Tucumã, Uruará, Vitória do Xingu.

 

A Prelazia do Xingu é formada por seis regiões pastorais:

Região Alto Xingu: Ourilândia do Norte, São Félix do Xingu e Tucumã;

Região Médio Xingu: Vitória e Souzel;

Região Baixo Xingu: Porto de Moz e Gurupá

Região Transamazônica Oeste: Brasil Novo, Medicilândia, Uruará e Placas;

Região Transamazônica Leste: Belo Monte e Anapu

Região de Altamira: Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Áreas: Perpétuo Socorro e Imaculada Conceição

 

Os municípios de Cumaru do Norte e Bannach são atendidos pela Diocese de SS. Conceição do Araguaia.

 

A Prelazia possui três instâncias de decisão: Grande Assembléia do Povo de Deus no Xingu, Conselho de Pastoral e Coordenação de Pastoral.

 

 

Nesta Seção você poderá baixar arquivos: texto, vídeo ou figuras que tenham relação com o trabalho pastoral na Prelazia, na medida que for sendo disponibilizados pelas pastorais ou agentes de pastoral.

Alguns Downloads poderão ser feitos somente por usuários cadastrados. Caso você seja um Agente de Pastoral e tenha alguma dificuldade entre em contato com o Centro de Pastoral para que faça o seu cadastramento como Agente.