MAPA DO SITE

FaceBook  Twitter  
FaceBook  Twitter  

Área Pastoral do Assurini – Paróquia N. Sr ª do Perpétuo Socorro Pe. Alírio Bervian 2ª carta – 10º Ano no Assurini-4ª com Pe. André Delzelle

FEVEREIRO e MARÇO/2017

Estamos vendo com alegria o esforço das comunidades construindo capelas ou ajeitando algo no local da comunidade: limpeza, cruz, bancos, ambão, pinturas, estão funcionando catequese, coroinhas, ministros(as)- todos aos poucos dando a sua parte de colaboração.

Pe. André viajou para sua terra, em férias, na Bélgica, em 24/01/2017. O programa quando voltar já está nessa carta – Todos já sabem, pois, sempre deixa marcado na visita a vinda na próxima.

Estamos no tempo de férias, tempo de descanso, viagens, tratamentos, cursos tempo de reabastecimento, reanimação e formação. É também um tempo novo mesmo que pouco de novo virá a acontecer, pois, temos um novo grupo de mandatários em nossos municípios prefeitos e vereadores. Assim vai tendo novos encaminhamentos. Deus está permitindo o aparecimento de “chicotes” para corrigir-nos, admoestar-nos tanto em nível municipal, estadual, nacional e internacional. Lembrem os mandatários no poder ou os que nestes dias tomaram posse Juvenil, Jatene, Temer, Trump. De certa maneira Deus é sempre misericordioso. Pois, poderia ser pior, vejam lá! Quem olha com os olhos da fé vê mais longe. Apesar de tudo queremos sempre louvar ao Senhor que é o senhor da História e de nós e da nossa caminhada. Vamos agir, alertar-nos e fazer a nossa parte, colaborando com a obra de Deus, pois, o reino é dele e ele vai manifestá-lo na história.

Assim vamos colocando as prospectivas para este novo ano que já está no 2º mês: Volta as atividades normais, em Brasília, voltam os deputados e senadores, os juízes estão preocupados com o substituto de Teory” a bola que foi chutada para fora”! No Xingu vão soprar novos ventos neste ano com a presença de nosso novo bispo D. João. Neste mês no final vamos entrar no tempo maravilhoso da quaresma que nos apresenta a campanha da Fraternidade que traz como tema: Fraternidade e Biomas Brasileiros e o lema: “Cultivar e guardar a Criação” Gn2,15. Vamos refletir sobre nossos biomas brasileiros. Nosso bioma é a Amazônia – outros: Pampa, Cerrado, Pantanal, Mata Atlantica, Caatinga.

Destaque dia 17 e 18 de fevereiro a Pastoral da Criança fará a 1ª Etapa de capacitação das comunidades sobre a Pastoral da Criança na Vila Sol Nascente – Centro Irmã Dorothy. A partir das 17 h do dia 17/02.

Retrospectivas: Como foi o Natal, ano Novo? Vejam os fatos! Constatei que várias comunidades estão com contas a pagar- Não gosto disso, mas dá uma boa soma. Vejam lá! As comunidades são:Cocal São José; Nova Transunião, St Antônio, Jatobá- São Sebastião; Cajá 1 St Antônio; cajá 2 N. Sr de Fátima; Ressaca Nossa Sr das Dores; Pa- Ressaca São José; João Bispo S. Miguel Arcanjo; Ilha do Elói S. Sebastião; Arroz Cru- St Luzia; Bom Jardim 1 São Lucas; São livros de cantos, camisetas e até calendários. Quem deve, deve saber! Vejam lá!Pois estou para ir em frente e peço que tenham consciência! Já estamos num vermelho além dos R$100.000,00. Se acham que já foi paga a conta ajudem-me a ter certeza. Grato!!! Deus abençoe! Tem dívidas de 2014 até?

Pe. Alírio e Pe. André

Fevereiro 2017

Programação de Pe. André:

22/02-Altamira

23/02 Bom Sossego 3 – N. Sr ª Aparecida 9 h

24/02 Cajueiro Nossa Sr da Conceição1 9 h

Lajes Santa Luzia15 h

25/02 Trav. do Nenê Cristo Rei-9h

18 h N. Sr ª das Aparecida Itatá

26/02 Ressaca nossa Senhora das Dores-8h

Ilha do Elói São Sebastião 10:30

Sol Nascente São Sebastião 19 h

27/02 Convivência na Prelazia

28/02 Trav. de Pernambuco Nossa

Senhora das Graças 9 h

Pa – Ressaca Mocotó São Sebastião-18h

MARÇO 2017

01/03-Nova Trans união- Stº Antônio-15 h

02/03- Altamira

03/03-Alegria do Saber 9 h

Raio de Sol Nossa Senhora Graças16 h

04/03-Babaquara São Francisco 9 h

Nova Olinda – São Pedro e São Paulo19 h

05/03-Bom Sossêgo 2-Santa Maria-10h

Sol Nascente São Sebastião-19h

06/03-Convivência na Prelazia

07/03-S. Miguel João Bispo-9h

Paratizinho- São Francisco-19h

08/03 Cajá 1 Sto Antônio 9 h

São Francisco Pirarara-17h

09/03 Altamira

10/03 Firma Sagrada Família9h

Picadão São jorge-15h

11/03 Bom Jardim 1 São Lucas-9h

Palhal Santa Luzia15 h

Cascata São Rafael18 h

12/03 Pimentel 4 bocas- Nossa Senhora Aparecida 9 h

Cajá 2 N. Sr de Fátima – 15 h

Sol Nascente São Sebastião19 h

Programação de Pe. Alírio:

02/02-Vicinal dos Crentes Comunidade São Fco Xavier-30º Aniv. De falecimento de Dona Jó-15h

03/02-Firma perto do Rio ituna 2-Casa de Valdir e Cosma (vizinhos de Joel) 15 h

04/02-Ainda a ser marcado

05/02-75Fx – Transamazônica Festa dos 80 anos de Egidio Barth-10 h

08-16/02-Era previsto ida para Aparecida do Norte-13-9 h TV Missa Jubileu de Prata (25 anos) da ANPB (Associação Nacional dos Presbíteros do Brasil) e 14 e 15 Assembleia Geral.

8 a 12/02 Visitas a Souzel = mapa das comunidades

13/02-Km 100 Sul Nossa Sr ª Sant’Ana 17 h

18/02-Km90 Comunidade Santo Antônio 115 Norte 10 h

Comunidades Nossa Senhora Aparecida 105 Norte 16 h

19/02-Km90Comunidade Cristo Ressuscitado 70 FX10h

Matriz 19:30

20/02 Ida a Santarém - Encontro Regional de Presbíteros até dia 24.

25/02-Km 90Comunidade São Francisco 110N10h

Comunidade Madre Paulina 110N16h

26/02-Km 90 São Raimundo Nonato 10 h

Matriz 19:30

27/02 Surubim Bom Jesus – 19 h

28/02-Km 32-Cristoval

-Km 80n Medicilândia São Miguel Celebração quarta Feira de Cinzas19 h

MARÇO 2017

1º/03-Km 90-No 100FX-Encerramento do Retiro dos Adolescentes - iniciou em 25/02-é o 12º Encontro-10 h

04/03-Km90 Monte Calvário 70 N-10h

Família de Nazaré 70 N- 16 h

05/03 KM 95 Norte Santa - Stª Luzia 10 h

Matriz 19:30

07 a 8/03 Conselho Presbiteral Extraordinário

17/03 Chegar no Pontal ida para Beiradão São José – Beiradão – Pontal no Manoel Alho 16 h

18/03-Festa de São José – Beiradão – Pontal no Manoel Alho.

19/03-10 h Pontal – Comunidade São Tomé

23/03 – Assurini – Mangueiras – 1 ano de Falecimento Leno – às 19 h

24/03-Ida para 80 norte-Anapu-Casa de Dirceu

25/03-Santa Luzia 80 Norte Anapu-10h

Prestação de contas Gastos: novembro 2016

Entradas: Anapu R$ 262,50

B. Novo R$ 509,00

Medicilândia R$ 942,83

Assurini R$ 343,25

Doações R$ 116,00

Total R$2.173,58

Saídas: gastos

Vinhos e Hóstias 85,00

Xerox- 28,00

Baterias e Terminais 740,00

Óleo 1660,56

 

Vermelho: R$725,96

Prestação de Contas de Dezembro – Pe. André

Saldo Inicial negativo: R$2.060,00

ENTRADAS

Doação....................150,00

Ofertas.................700,00

Dízimo....................1.266,00

Total....................1.549,00

DESPESAS

Combustível.........................................1.055,00

Balsa.......................................................276,00

Vinhos e Hóstias.......................................65,00

Total....................................................1.455,00

Saldo Final Negativo..........................1.549,00

Observações:

1-O número do celular de Pe. André é 992184328. ligar de preferência na segunda feira pela manhã ou na quinta-feira pela manhã.

2-no inverno, quando a celebração é de manhã, para as comunidades distantes, o Pe. André procurará chegar o dia anterior de tarde ou de noite.

Obs.: para acessarem a carta aberta online basta acessar o site da Prelazia do Xingu: www.prelaziadoxingu.com.br

FaceBook  Twitter  

Durante os dias 14 a 21 de dezembro do ano de 2016, Dom João Muniz Alves, bispo do Xingu, fez sua segunda visita pastoral a Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Uruará.

 

O bispo chegou a cidade de Uruará por volta das 18 h do dia 14 e as 19:30 h do mesmo dia ele celebrou a santa missa e conferiu o sacramento da crisma a 11 jovens na comunidade São Pedro no km 175 Fax. No dia seguinte, D. João celebrou às 10 h, com o povo da comunidade Nossa Senhora Aparecida no Km 180 sul e abençoou a capela daquela comunidade, e à noite ele crismou 8 jovens na comunidade Jesus Bom Pastor no Km 190 Fax.

 

Entre os dias 16 e 18 foram os momentos fortes da visita do nosso bispo:

 

Pela manhã do dia 16, ele reuniu com o Conselho de Pastoral Paroquial (CPP) e a tarde foi um momento muito especial e esperado por todos, foi o primeiro encontro do nosso bispo com todos dirigentes e lideranças das comunidades da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Uruará.

 

A tarde do dia 16, após ter sido devidamente apresentado pelo Pe. Jeová às lideranças das comunidades, o bispo fez a abertura da assembleia paroquial, seguido por uma fala de agradecimento e encorajamento aos dirigentes e ficou toda aquela tarde e noite ouvindo respondendo as perguntas da assembleia e atendendo as pessoas que lhe procuravam.

 

No dia 17 o bispo continuou participando da Assembleia paroquial, ouvindo a avaliação da caminhada pastoral do ano de 2016 e o planejamento para 2017. Na noite do mesmo dia ele celebrou e crismou na comunidade São Cristóvão na cidade. No dia 18 às 08 h, missa de encerramento da Assembleia na igreja Matriz, com a bênção de envio dos dirigentes e lideranças. E às 20 h houve a missa na igreja Matriz onde foram crismados quase 50 jovens e adultos. No dia 20 Dom João visitou mais duas comunidades uma nas zonas rural e outra na cidade onde houve a santa missa e celebração dos sacramentos do batismo, eucaristia, confirmação e matrimônio.

 

FaceBook  Twitter  

Área Pastoral do Assurini – Pe. Alírio Bervian 1ª carta – 10º Ano no Assurini-4ª com Pe. André Delzelle

 

JANEIRO/2017

 

No dia 10 de dezembro de 2016 realizou-se no Centro Irmã Dorothy a nossa assembleia pastoral anual.

Participaram da assembleia:

 

O Setor Chico Mendes,

Assurini, esteve presente com sete comunidades: Paratizinho: S. Fco; Dispensa 2-Nazaré; Palhal: Stª Luzia; Cocal – S. José; Sol Nascente: S. Sebastião; Cajá 2-Fátima; Bom Sossego: St Maria.

O Setor Dema – Itapuama a Lages presentes com três comunidades: Raio de Sol N. Sr ª das Graças; Espelho: São Benedito; Itapuama: Divino Espírito Santo.

O Setor Pe. Josimo – do Babaquara ao Pimentel, presente com três comunidades; Babaquara: S. Fco; Bom Jardim 1-S. Lucas e Pimentel, 4 bocas N. Sr Aparecida.

O Setor D. Erwin – Pirarara a Ressaca esteve presente com uma comunidade: PA Ressaca (Novo Itapuama) São José.

O Setor D. Luciano: Transunião e acessos esteve ausente.

 

Portanto estiveram 14 comunidades presentes num total de 49 pessoas mais 7 cozinheiras (mais ou menos).As decisões foram: Eleição de coordenadores do setor, ficando assim:

Chico Mendes – Rozimar e Val;

Dema: Cajá e Ebson;

Pe. Josimo: Lindomar e Cláudia;

Dom Erwin: Wanderlei e Juvenil.

 

*Vamos valorizar os padroeiros com festa: torneio, procissão, partilha, algo para renda (bingo, leilão, rifa, doação…)Mutirão.

*É bom saber que Luzia do Ananias e Roseli do Pedrinho são as tesoureiras e coordenadoras da comunidade São Sebastião da Sol Nascente.

*Dar força ao Dízimo – os envelopes estão nas comunidades – o mínimo é R$10,00 (dez reais)por pessoa, por mês, ficando 50% para a comunidade, observação: dez reais é para quem está passando fome.

*Construção de Igreja: A Igreja São Sebastião do Sol Nascente e Várias capelas como Palhal: Stª Luzia, Itapuama: Div. Esp. Stº, Bom Sossego 3-Ituna, concluir Raio de Sol: N. Sr ª das Graças e muitas comunidades já tem terreno definido até já com cruz erguida: Pirarara vários santos, agrovila Pa Ressaca – S. Sebastião. Pa Ressaca -Stª Luzia, Nova Transunião Stº Antônio.

*Fazer funcionar grupos de vizinhos e novenas.

*A pastoral da Criança esteve presente na Assembleia na pessoa da coordenadora Amparo. Esta pastoral já teve seu tempo áureo no Assurini quando Ir Erenita era coordenadora. Vamos voltar aos bons tempos; ter pessoas disponíveis, fazer visitas, pesar as crianças, fazer a festa da vida. Os calendários ainda estão pendurados. O encontro de 18 a 19/02/2017 vai ser importantíssimo. Escolham agentes e enviem.

*A catequese está vindo com força – de crianças para a 1ª Eucaristia e até de jovens

e adultos. Pe. André está chamando catequistas e as pessoas estão assumindo. Parabéns!

 

O Encontro de formação 6/5/2017 vai ser muito importante. Vamos lá. Vai ser um processo, pois não podemos parar e o encontro já vai ser a partir das experiências que já estão fazendo.

*Um destaque da Assembleia foi a presença de jovens não só como pessoas, mas com expressão, isto é, os jovens deram a sua opinião, falaram e foram eles que mais pediram formação bíblica. Assim vamos articula-nos para dia 08/07/2017, será inicio de vários outros encontros de Formação Bíblica. Jovens articulem-se nas comunidades, nas escolas, nos setores e vamos fazer uma bela caminhada, claro a força dos adultos animando os jovens é importante.

 

A catequese da crisma deve acontecer em todas as comunidades. Esta é como a formação da liderança, os mais velhos ainda lembram quando d. Erwin fez a crisma. Eles eram os lideres das comunidades. Dom João quer visitar o Assurini e Crismar muita gente. Vamos reunir os jovens e adultos que ainda não foram crismados.

*Sem dúvida estamos vivendo um novo tempo no Assurini com a presença de Pe. André: Liturgia mais participadas em especial pelas crianças e jovens; catequese funcionando; Dízimo acontecendo; visitas regulares; presença do padre morando no Assurini; cruzes sendo erguidas; liturgias mais organizadas; capelas em construção e muito mais que vocês sentem e vivem. Que Deus continue abençoando.

 

* Parabéns ao Bom Sossego: St Maria pela coragem de fazer uma festa popular-26/11—Festa do Padroeiro (dia 21é o dia)Que bom foi passar por lá após a festa de aniversário da “Chica do Zezão”. Foi comigo o povo do diretor da Escola Sol Nascente Prof. Valdeci . Parabéns! Foi a 1ª festa da comunidade que vi no Assurini com objetivo para a comunidade. Vamos construir uma capela de alvenaria! Deus abençoe este povo. Gente que tem uma história de caminhada. Próspero Ano Novo!!! JANEIRO 2017

 

Programação de Pe. André:

1º/01-19 h: sol Nascente- São Sebastião

02/01-convivência na Prelazia

03/01-9 h Alegria do Saber Escola

na Nova Transunião

19 h Nova Olinda São Pedro

e São Paulo

04/01-9 h N. Sr das Graças Pernambuco

19 horas Bom Sossego 2 Santa

Maria

19 h Paratizinho São Francisco

de Assis

8/01- 9 h 4 bocas N. Sr Aparecida –

Pimental

15 h Cajá 2 N. Sr de Fátima

19 h Sol Nascente São Sebastião

9/01- Convivência na Prelazia

10/01- 9 h São Benedito – Acesso 6

Transunião

18 h:30 S. Francisco Xavier Travessão

dos crentes

11/01 9 h São José Cocal

18 h S. Benedito Bar da Rosa Pirarara

12/01-18 h Santa Luzia Palhal

13/01- S. Miguel 9 h – João Bispo

18 h S. Rafael Cascata Mangueira

14/01- 9 h Sto. Expedito. Trav. do Soldado

Escola

15/01 – 9 h Div. Espírito Santo – Itapuama

15 h Dispensa 1 N. Sr ª de Conceição

19 h Sol Nascente São Sebastião

16/01- Convivência na Prelazia

17/01- 9 h Bom Jardim 2 S Cristovão

15 h Espelho São Benedito

18/01 9 h Ramal dos Maranhenses Novo

Itapuama

05/01-17h:30 Babaquara S.     Francisco de Assis    
06/01—    15 h. São José Novo Brasil     Acesso 2
    19 h Cristo Rei – Planalto    Transunião
7/01-    9 h Cajá 1 Sto. Antônio

 

Programação de Pe. Alírio:

04-11/01Perto de Brasília – DF-Luziânia acontecerá a Semana de Espiritualidade – é na chácara do CIMI – D. Erwin será o assessor

07/01-Casa de Valdeci e Tanta – pais da Ir. Anadina na Dispensa 1-Assurini-10h

16/01-Anapu: Casa das Irmãs Franciscanas Festa.

20/01-Novo Brasil: Assurini Casa de José Pena 11 h

21/01 – Medicilândia Com São Vicente 10 h

Com Sag. Coração 75 n 16 h

22/01-Medicilândia-PA Sr ª Fátima 75 Norte 10 h

Com São Jorge 75 n 16 h

23/01- Medicilândia Com. Santa Luzia 85 Norte 10 h

Com Sg Coração 80 Norte 17 h

24/01-Pontal

24/01-No Beiradão São José Casa de Manoel Alho

25/01-de barco no Rio Jaraucu, indo nos “americanos” volta no dia 26/01

27/01-Volta do Pontal.

29/01-Km 80 N – São Miguel- Medicilândia 10 h

30/01-Vinda de Porto Alegre do Pe. Sílvio trazendo o seminarista Gilberto para um ano de estágio aqui na Prelazia do Xingu, igreja irmã da Arquidiocese de Porto Alegre.

Há muito espaço para programações que vão surgindo na caminhada, como disse Jesus “A cada dia bastam as suas preocupações”. Mt 6,34

Queremos desejar a todos um mês de descanso, férias, estudos, viagens, encontros…é sempre um mês especial, e um feliz ano novo!

 

Prestação de contas Gastos: novembro 2016

 

Prestação de Contas de Dezembro- Pe. André
Saldo negativo: R$1.879,00
ENTRADAS
Doação....................150,00
Ofertas.................1.106,00
Dízimo....................943,00
Total....................2.199,00
DESPESAS
Revisão de10.000 km  do carro.............785,00
Combustível.........................................1.064,00
Conta de luz Centro Irmã Dorothy..........124,00
Balsa.......................................................368,00
Hóstias.....................................................20,00
Texto- base CF/2017................................19,00
Total....................................................2.380,00
Saldo Final Negativo:..........................2.060,00
Coleta Missionária................................200,00
Coleta Evangelização............................500,00

 

Entradas: Anapu R$ 478,50

B. Novo R$ 160,95

Medicilândia R$ 761,05

Assurini R$ 276,85

Total R$ 1.677,35

Saídas: gastos

Vinhos e Hóstias 85,00

Xerox- 28,00

Óleo - 1.340,92

Balsas 202,00

Autoelétrica 14.00

Conserto alto-falante 80,00

Peças e troca de óleo 780,00

Mecânico 120,00

Alinhamento 180,00

Filtro do ar 30,00

2 Pneus novos 1440,00

Pneu Moto 200,00

Violão Cajá 500,00

Total 4.999,92

Vermelho: R$3.322,57= dos 9 anos passou para R$102.963,68

FaceBook  Twitter  

 

MENSAGEM

 

 

Querido povo de Deus e Devotos de São Benedito, aproximando-se a festa do Glorioso São Benedito e do Santo Natal, estamos enviando o subsidio sobre a carta de Papa Francisco: “ O rosto da Misericórdia” tal misericórdia tornou-se viva e visível em Jesus de Nazaré. ” O Papa nos adverte:

 

E meu vivo desejo que o povo cristão reflita durante o Jubileu, sobre as obras de misericórdia material e espiritual. Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e de entrar cada vez mais no coração do evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina. A pregação de Jesus apresenta-nos estas obras de misericórdia, para podermos perceber se vivemos ou não como seus discípulos. Redescubramos as obras de misericórdia corporal: dar de comer aos famintos, dar de beber aos sedentos, vestir os nus, acolher os peregrinos, dar assistência aos enfermos, visitar os presos, enterrar os mortos. E não esqueçamos as obras de misericórdia espiritual: aconselhar os indecisos, ensinar os ignorantes, admoestar os pecadores, consolar os aflitos, perdoar as ofensas, suportar com paciência as pessoas molestas, rezar a Deus pelos vivos e defuntos”.

 

Sim, precisamos sempre contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição de nossa salvação.

 

O Ano Santo extraordinário nos ajude viver na existência de cada dia a Misericórdia, que o Pai, desde sempre estende sobre nós.

 

Ao Padre Francisco Rubeaux a nossa gratidão por continuar nos acompanhando em nossa caminhada com esta reflexão.

 

A nossa festa que se realiza ao findar este ano de Graça e Misericórdia possa nos conduzir, passo a passo, pelos caminhos do nascido da Virgem Maria, nos revelando a Misericórdia de Deus.

 

Um Santo Natal, uma Boa Festa e um Ano Novo de Misericórdia e Paz.

 

 

 

Pe. Giulio Luppi

 

 

CELEBRAÇÃO DOS FESTEJOS DE SÃO BENEDITO E DO SANTO NATAL

ANO 2016

 

DIA

TEMA

1ª LEITURA

SALMO

2ª LEITURA

EVANGELHO

 

09

 

 

 

 

 

São José

10

 

 

 

 

 

Nossa Senhora da Conceição

11

 

 

 

 

 

Nossa Senhora de Fátima

12

 

 

 

 

 

São Francisco

13

 

 

 

 

 

São Judas

14

 

 

 

 

 

Santa Maria

15

 

 

 

 

 

São Benedito

16

 

 

 

 

 

Nossa Senhora do Perpetuo

17

“Ó Sabedoria”

Gn 49,2.8-10

72,1-4.7-8.17

 

Mt. 1,1 – 17

Santo Antônio

18

“Ó Adonai”

Jr. 23, 5 - 8

72,1-2.12-13.

18-19

Mt. 1, 18 – 24

Socorro Nossa Senhora das Graças

19

“Ó Raiz de Jessé”

Jz. 13,2-7.24-25

71,3-6.16-17

 

Lc. 1, 5 - 25

Nossa Senhora Santana

20

“Ó Chave de Davi”

Is. 7, 10 - 14

24, 1-6

 

Lc. 1, 26 – 38

São Paulo

21

“Ó Sol do Oriente”

2Sm 7, 1-16

89, 2-5.27-29

Rm 16, 25-27

Lc. 1, 26 - 38

São José

22

“Ó Reis das Nações”

1Sm 1,24-28

1Sm 2,1-8

 

Lc. 1, 46 - 56

Nossa Senhora da Conceição

23

“Ó Emanuel”

Ml 3,1- 4.23-24

25, 4-14

 

Lc. 1, 57 – 66

Nossa Senhora de Fátima

24

“Ó Mistério”

Is. 62, 1 - 5

89,4-5.16-29

At. 13, 16 – 25

Mt. 1, 1 – 25

São Francisco

24

Hoje Nasceu o Salvador

Is. 9, 1 – 6

96

Tt. 2, 11 – 14

Lc. 2, 1 – 14

São Judas– Pastoral da Juventude

25

Paz na Terra aos de Boa Vontade

Is. 62, 11 - 12

97

Tt. 3, 4 - 7

Lc. 2, 15 – 20

Santa Maria – Infância animação de criança

25

O Verbo se fez carne

Is. 52, 7 - 10

98, 1 -6

Hb. 1, 1 – 6

Jo. 1, 1 – 18

São Benedito

26

Família: primeira Comunidade

Eclo. 3,3 – 17

128

Cl 3, 1-12.21

Mt. 2, 13 –23

NS, Perp Socorro– Pastoral da Família

26

Santo Estevão Diácono – Protomártir

At. 6,8–10;7,54-59

31

 

Mt. 10, 17 – 31

Santo Antônio

27

S. Benedito “Luz das nações”

Vida de S. Benedito

89

2Tm 4, 1 – 5

Mt. 5, 13 – 16

Setor Cidade

27

Em São Benedito, Deus se faz força

1Jo 1, 1-4

97

At 13,47

Jo. 20, 2 – 8

N.S. Graça

28

Sagrada Família, Jesus, Maria , José

Eclo 3, 3-17

128, 1-5

Cl 3,12-21

Lc 2, 22-40

N.S, Santana

28

São Benedito e a Família

Gn 15, 1-6; 21,1-3

105, 1-9

Hb 11, 8-19

Lc 2, 22-40.

São Paulo


 

(Texto da contracapa do programa)

Dom João Muniz e Dom Erwin Kräutler

Discípulos Missionários no Xingu

 

A frente da maior circunscrição eclesiástica do Brasil, Dom João Muniz Alves, OFM e Dom Erwin Kräutler, dedicam-se a evangelização e a renovação das comunidades eclesiais de base, esse novo jeito da Igreja ser. É na organização, formação e celebração dos sacramentos, da Palavra e da Eucaristia que a vida acontece. Somos membros da Igreja do Xingu que faz sua opção pelos mais pobres e excluídos, pela causa dos indígenas e das comunidades ribeirinhas.

 

A Dom Erwin o nosso muito obrigado por seu testemunho profético – missionário.

 

A Dom João Muniz, nossas boas vindas e votos de feliz e abençoado Ministério Episcopal, a serviço da vida do povo!

 

 

Contracapa.

 

 

 

 

 

 

 

PROGRAMAÇÃO

FaceBook  Twitter  

JESUS: O Rosto da Misericórdia do Pai.

 

Pela sua carta “O rosto da misericórdia” o Papa Francisco decretou o ano de 2.016 como o ano jubilar extraordinário da Misericórdia.

Este ano a Liturgia nos ofereceu de reler e meditar o Evangelho segundo São Lucas. São João Crisóstomo chamava São Lucas de: “escriba, isto é escritor, da Misericórdia de Deus”; e ainda dizia que a misericórdia “é a rainha das virtudes”.

Bons motivos para nós aproveitarmos esta festa de São Benedito para refletir e nos deixar invadir pala misericórdia divina. Pois o desejo de Jesus é que nós “sejamos misericordiosos como o nosso Pai é misericordioso”.

 

 

1. Experimentar a misericórdia de Deus:

Já no Antigo Testamentos numerosos são as pessoas que fizeram a experiência da misericórdia e da bondade de Javé. Fizeram essa experiência em grupo ou individualmente, e cantam essa misericórdia de Deus. Basta lembrar o Salmo 136 que canta o amor de Deus que cria e recria, libertando da escravidão: “Celebrai a Javé porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre”, “eterna é a sua misericórdia”.

Da mesma forma o Salmo 103 declara: “Javé é compaixão e piedade, lento para a cólera e cheio de amor… O amor de Javé existe desde sempre e para sempre existirá por aqueles que o temem”. A misericórdia de Deus é aqui evocada como “compaixão” isto é a capacidade de padecer com o outro, de se identificar com o outro nos seus sofrimentos. A dor alheia se torna a minha dor. Esse sentimento vem do mais fundo da pessoa, vem das suas entranhas.

É porque ele conhece o sofrimento do seu povo no Egito que Javé decide libertá-lo das mãos do Faraó. “Conhecer” na língua hebraica não é somente uma questão de saber intelectual (podemos conhecer a dor dos outros através de uma reportagem ou de um documento, mas não passa de um conhecimento teórico). “Conhecer” para os Hebreus é “com-nascer” isto é ter um sentimento de partilha, de solidariedade, de profunda comunhão com a pessoa que está padecendo. Com ela padecemos (com-padecer= compaixão). Aqui podemos reler a mensagem da sarça ardente (Êxodo 3, 1-15).

Observamos como no texto é descrita a misericórdia de Deus: ele vê, ele ouve, ele conhece, ele desce, ele liberta....todos estes verbos nos indicam que a misericórdia não é palavra e sim ação. Os verbos marcam os diversos passos que levam Deus a ter misericórdia.

É a partir dessa experiência que Moisés descobre o Deus da misericórdia e da compaixão. Vamos ler no livro do Êxodo 34, 5-7. Javé é o Deus “de compaixão e de piedade, cheio de amor e de fidelidade”. Talvez que mais do que “Javé”, esse seja realmente o nome que revela melhor quem é o Deus de Israel. O amor é a gratuidade de Deus (=sua graça) que se manifesta de forma muito diversa. Lá também basta reler o Salmo 146 para conhecer a lista de todos os benefícios que Javé realizou em favor do seu Povo e das pessoas em particular, movido pela sua compaixão. Deus nos ama, sua misericórdia é para sempre reza e canta o Povo de Israel. Assim “amor e fidelidade” se torna o próprio nome de Deus. A misericórdia vem das entranhas, é a compaixão de quem sofre e padece com o outro. A certeza da misericórdia de Deus para com a humanidade gera a fidelidade, Ele é nossa segurança, por isso Deus é também chamado de “rochedo” sobre o qual podemo-nos apoiar sem medo de cair ou escorregar. Deus é firme e seguro e isso gera em nós a fé (fé, firmeza, fidelidade, todas palavras que tem uma única origem numa palavra hebraica: “Amém”)

Para refletir: quais são as experiências da misericórdia de Deus que tivemos em nossas vidas, vamos compartilhar estas experiências.

Podemos rezar juntos o Salmo 136 e depois das louvações por causa das misericórdias de Deus, acrescentamos as nossas de hoje.

Para refletir: Como hoje, posso descobrir a misericórdia de Deus nos acontecimentos? Mais facilmente dissemos que Deus não olha para nós, nos abandonou? Você concorda? Será que estas experiências do antigo Testamento são do tempo passado? Não vale mais para nós hoje? O que você acha?

2. OSÉIAS, o Profeta da misericórdia divina.

 

Profeto Oséias

O Profeta do amor incondicional

* Nome Oseias do hebraico "ysh", Hoshea"

siginifica "salvação", "Libertação ou livramento, ou ainda "O Senhor Salva";

O nome procede da mesma raiz de Josué e

é uma forma carinhosa de se chamar o nome

original, tipo Chico no lugar de Francisco.

 

Oseias 11, 1-9.

Foi do meio da escravidão no Egito que os Hebreus fizeram a experiência da misericórdia do seu Deus. É do meio de uma situação social conturbada que o Profeta Oseias vai fazer a experiência da misericórdia divina.

Israel (o Reino do Norte cuja capital é Samaria) começando pelos seus líderes (reis e príncipes, magistrados e sacerdotes, Oséias 5, 1-7) abandonou o seu Deus, aquele que o tirou do Egito, e se entregou aos ídolos cananeus, divindades da fertilidade e da prosperidade (Oséias 2, 4-1). É a infidelidade em todas as suas dimensões: traíram a Aliança com Javé e por isso é a desordem social (Oséias 4, 1-3) e a idolatria que sustenta este sistema onde quem domina é o mais forte, ou seja, o mais poderoso econômico e politicamente.

Pela voz do Profeta, Deus lembra ao seu povo todo o amor que sempre teve para com Israel (Oséias 11, 1-9).

Vamos notar, neste texto, o vocabulário usado pelo Profeta e que expressa o amor de Deus para com o seu povo: amei, chamei o meu filho, ensinei a caminhar, tomei nos meus braços, cuidava deles, atraí com laços de amor, levantei contra o meu rosto, me inclinei para ele para alimentar, como poderia te abandonar, meu coração se contorce dentro de mim, minhas entranhas comovem-se.

Na Bíblia, duas palavras expressam a misericórdia divina, a primeira é “Rahamim”: é o termo hebraico para designar as “entranhas”, é o plural de “Rehem” que significa “ventre materno”. É a ternura da mulher para com o fruto de seu ventre (1º Reis 3, 26). É um amor totalmente gratuito.

Hesed” é a segunda palavra que indica uma profunda atitude de bondade. Quando esta disposição se estabelece entre duas pessoas, estas passam a ser, não somente benévolas uma para com a outra, mas, ao mesmo tempo, reciprocamente fiéis por força de um compromisso interior. No Antigo Testamento como no Novo, encontramos a expressão “amor e fidelidade”, “graça e verdade” (Êxodo 34, 6; Provérbios 20, 28; Salmo 25, 10; João 1, 14 e 17). Esta expressão se torna o próprio nome de Deus. Para falar de Deus se diz simplesmente “amor e fidelidade” (Êxodo 34, 6; Oséias 2, 21-22; Salmo 117; João 1, 14).

Vamos reler uns destes textos e conversar a seu respeito.

Vamos rezar o menor de todos os Salmos: o Salmo 117. Quando se celebra o Deus de Amor e fidelidade, tudo já é dito. Qual seria o canto de hoje mais próximo deste Salmo?

Jesus nos revela que Deus é amor, por isso, vem morar em nós (João 14, 21 e 31). João que contemplou em Jesus esta revelação, repousando no peito de Jesus (João 13, 25 e 1, 18) escreve na sua carta: “Deus é Amor” (1ª João 4, 8 e 16). “Ágape”, a caridade, é a plenitude do amor (Romanos 5, 8). Este amor-caridade vem de Deus (1ª João 4, 7) e “é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo” (Romanos 5, 5).

A misericórdia é a caridade que “toma mãos e pés”, ou seja, o amor que se manifesta e age. A misericórdia, como manifestação típica da caridade, não é apenas um sentimento, mas uma ação decidida e generosa (Tiago 1, 27), capaz de transformar e libertar. Ela é inseparável da justiça e se concretiza no partilhar. Não se trata de dar qualquer coisa ao outro, mas de admiti-lo em nossa vida. “Ninguém tem o direito de ser feliz sozinho” (Raoul Follereau no livro “O Evangelho da misericórdia, página 191).

Para refletir: Que ideia tenho do amor? Deus me ama! Mas creio de verdade que Deus me ama? Como sinto que ele cuida de mim?

Como Deus está querendo que retribua o amor que Ele tem por mim? Para responder leia 1ª de João 3, 16 e 4, 11.

Para orar: Salmo 85; Salmo 103.

 

3. “Nos visitou a misericórdia do nosso Deus”.

Lucas 1, 67-79.

 

São Lucas desde o início do seu livro nos coloca num clima de misericórdia e bondade.

Como outrora Deus se lembrou de Abraão e Sara, hoje se lembra de Zacarias e Isabel. Ele se lembrou de suas promessas feitas por seus Profetas. Pelo Profeta Natã, Deus prometeu constituir uma dinastia para Davi (2ª livro de Samuel 7, 11-12). Como visitou o seu povo no Egito, agora visita o seu povo que está debaixo da dominação romana. Ele vem para libertar. Deus se aproxima de nós “com simpatia” dizem os Padres da Igreja. Pelo amor, Deus chega a identificar-se com os que Ele ama. Assim se expressa Santo Agostinho: “Estarias morto para sempre, se Ele não tivesse nascido no tempo, jamais te libertarias da carne do pecado, se Ele não tivesse assumido uma carne semelhante à do pecado. Estarias condenado a uma eterna miséria se não tivesses recebido esta misericórdia”.

Com Jesus aparece entre nós, em plenitude, “a bondade e amor de Deus, nosso Salvador” (Tito 3, 4). Nele “temos reconhecido o amor de Deus por nós, e nele acreditamos” (1ª João 4, 16). Jesus é a visibilidade do amor de Deus, pelas atitudes, pelos gestos, pelas palavras ele nos revela o amor do Pai Ele é " o rosto da misericórdia do Pai" título da carta do Papa Francisco proclamado o Jubileu extraordinário da misericórdia).

Essa presença misericordiosa de Deus nasce entre os empobrecidos, os “os pobres de Javé”. São as pessoas que confiam na fidelidade divina e tem certeza de que Deus não abandona o seu povo (Zacarias, Isabel, Maria, José, Simeão, Ana…).

A Boa Nova é proclamada por mulheres e na casa ( e não por homens no Templo ou na Sinagoga....). Esta é outra obra da misericórdia de Deus. Ele vai revelar o seu rosto misericordioso através das mulheres e num ambiente que não é mais o Templo.

A encarnação de Jesus é a manifestação do amor de Deus: “Deus amou tanto o mundo que lhe enviou o seu filho unigênito” (João 3, 16). João na sua primeira carta enaltece o amor de Deus: foi ele que nos amou por primeiro

E Jesus será o rosto visível do amor de Deus para conosco: “Quem me viu, viu o Pai” (João 14,9). “Com efeito, a graça de Deus se manifestou para a salvação de todos os homens... quando a bondade e o amor de Deus, nosso Salvador, se manifestaram, Ele salvou-nos, não por causa dos atos justos que houvéssemos praticado, mas porque por sua misericórdia, fomos lavados pelo poder regenerador e renovador do Espírito Santo”(Tito 2, 11 e 3, -5).

Em Jesus aproximou-se de nós o nosso Deus, Jesus é a face humana “da graça e da verdade” (João 1, 14 e 17: hesed we émet, amor e fidelidade)

Jesus nos revela que Deus é amor, por isso, vem morar em nós (João 14, 21 e 31). João que contemplou em Jesus esta revelação, repousando no peito de Jesus (João 13, 25 e 1, 18) escreve na sua carta: “Deus é Amor” (1ª João 4, 8 e 16). “Ágape”, a caridade, é a plenitude do amor (Romanos 5, 8). Este amor-caridade vem de Deus (1ª João 4, 7) e “é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo” (Romanos 5, 5).

Contemplar umas cenas dos dois primeiros capítulos do Evangelho segundo Lucas: a Anunciação; a Visitação; o nascimento de João Batista ou de Jesus. Em todas estas cenas é a misericórdia de Deus que se manifesta.

Para refletir: Como vejo hoje a manifestação da misericórdia divina?

Como estas manifestações passam a ser a minha oração

e meu louvor?

Para orar: os dois hinos de Zacarias e de Maria: Lucas 1, 46-55 e 1, 67-79.'

 

4. A prática misericordiosa de Jesus.


 


Lucas 7, 36-50.

Vamos acompanhar nesta contemplação da ação de Jesus o livro do Evangelho segundo Lucas.

Antes do ensinamento de Jesus sobre a misericórdia, Lucas insiste sobre a sua prática misericordiosa. De fato Lucas nos diz que ele “escreveu o que Jesus fez e ensinou” (Atos dos Apóstolos 1, 1). A prática vem na frente da palavra.

A prática, mesmo sem palavras, é Boa Nova também e antes de tudo. Lucas nos lembra a presença e a ação de Jesus junto aos mais abandonados: os doentes, as mulheres, os estrangeiros... Já, na Sinagoga de Nazaré, Jesus anuncia o seu projeto de ação: Ele vem ungido na força do Espírito, para aliviar as dores dos sofridos e esmagados, Ele vem para anunciar “o ano da graça de Deus” que é o ano jubilar, ano do perdão e da libertação (Lucas 4, 16-22).

Vamos contemplar a misericórdia de Jesus com as mulheres. São muitas as cenas narradas no Evangelho segundo Lucas. Vamos tentar lembrar alguns textos do Evangelho segundo São Lucas que narram a ação de Jesus junto à mulheres.

Num primeiro texto Jesus acolhe uma mulher considerada pecadora (Lucas 7, 36-50). Ela trata Jesus com todos os gestos da hospitalidade, coisa que o Fariseu não fez. Jesus sabe o que está no coração de Simão: “se este homem fosse um profeta, homem de Deus, não deixaria esta mulher lhe agarrar os pés”.

Para a mulher a primeira Boa Nova é justamente que Jesus a deixou agarrar os seus pés, beijar, perfumar, enxugar... Jesus não a rejeitou e sim a acolheu.

Agora é preciso evangelizar o Fariseu. Simão: “Vês esta mulher”.

Jesus nos pede de fixar o nosso olhar na adultera, na prostituta. É preciso parar e olhar, pois é o nosso próprio pecado que está diante de nós.

Marginalizamos as prostitutas, como os Judeus levavam as adulteras para o apedrejamento. Para podermos continuar de nos achar limpos, puros, pois a gente se acha inocente quando prendemos um culpado. Responsáveis de atos ilícitos, pegos na hora, não podem negar o fato e assim nos permitem de esquecer com toda boa fé as nossas próprias irresponsabilidades.

Em Cristo Jesus nos é dado o perdão, que é a fonte de um amor novo. No coração da mulher, e nosso, corrompido pelo pecado, uma fonte nova jorra, e tudo se torna novo. Nesta mulher, como em nós, ressoou o apelo do amor e ela, como nós, corresponde plenamente a este amor.

Outro texto fala de uma mulher encurvada (Lucas 13, 10-17), Jesus dá toda a sua atenção às mulheres encurvadas pelo peso da discriminação tanto social como religiosa, em tudo a mulher era marginalizada. Por isso, Jesus lembra que ela também é filha de Abraão, como ele o lembrará a respeito de Zaqueu (Lucas 19, 9). Jesus devolve a dignidade da mulher, pois ela não podia louvar a Deus na Sinagoga, mas agora glorifica o Senhor como já tinham feito as duas mulheres (Maria e Isabel) na casa de Zacarias (Lucas 1, 39-55).

No Evangelho segundo Lucas, Jesus manifesta ainda a sua compaixão para com uma mulher viúva: a viúva de Naim. Três vezes Lucas, no seu livro, usa o verbo “ter compaixão” (com a viúva de Naim, o Bom Samaritano e o pai do filho pródigo). Em 7, 11-17, é o Senhor que tem compaixão, portanto Deus mesmo, presente em Jesus. Não podemos deixar de pensar nesta compaixão do filho para com a mãe, que um dia será a própria mãe dele, viúva, que conduzirá o filho único para a sepultura. Jesus vai repetir o gesto de Elias e de Eliseu, devolvendo o filho à vida e à mãe., prenúncio de sua própria ressurreição (1º livro dos Reis 17, 23; 2º livro dos Reis 4, 36).

Não podemos esquecer de que no Evangelho de João, a misericórdia divina tomou o rosto do Bom Pastor. Quem quiser pode também meditar e contemplar a partir deste texto (João 10, 1-18). O Bom Pastor ouve a voz das ovelhas, como elas ouvem a sua. Ele as conduz para pastagens e riachos abundantes, Ele dá até a sua vida, defendendo-as do lobo.

Para refletir: De que maneira eu pratico a misericórdia?

Com quem eu sou mais misericordiosa? Porque?

Para orar: Salmo 16; Salmo 23; Salmo 26; Salmo 34.


 

5 . As parábolas da misericórdia (Lucas 15, 11-32.)

Jesus costumava ensinar por meio de parábolas. No livro de Lucas três delas estão reunidas num capítulo só: o capítulo 15. Elas receberam o nome de “parábolas da misericórdia”.

Lucas as introduz por um versículo que situa muito bem esta mensagem: “Os fariseus e os escribas murmuravam: esse homem recebe os pecadores e come com eles” (Lucas 15, 2).

Jesus chama os fariseus e os escribas à misericórdia como o Pai do filho pródigo foi compassivo e misericordioso.

Três pessoas ocupam um lugar central nesta parábola, mas quem está no centro da parábola é o Pai, por isso seria melhor falar em parábola do Pai compassivo e misericordioso. O filho mais novo representa todos os excluídos da sociedade, a qual se acha “justa, limpa, sadia, honesta”. O filho mais velho representa os pretensos “justos e impecáveis”. Ele é a figura de todas as pessoas que tem prazer em humilhar, em espalhar defeitos e falhas dos outros.

O Pai respeita a liberdade do filho. Ele não o priva de liberdade para lhe dar segurança. Não a tutela! O filho vai fazer sua experiência de vida, e então “vai cair em si”. Discursos e práticas tutelares impedem à pessoa de crescer em humanidade, dificulta a pessoa “cair em si”. Diante do filho reclamando sua parte da herança e partindo, o Pai não fala. Deus criou a pessoa livre ao ponto de ter condição de dizer “Não” ao seu Criado!

O Pai vê de longe. E nós que, às vezes, não queremos ver nem de perto nem de longe! Deus vê de longe e em profundidade (Salmo 138, 1-2. 16: Tu me sondas Senhor…).O Pai vê com o corpo todo e não somente como os olhos.

E o Pai se comove e a alegria toma conta de todo o seu corpo. Não só a dor comove, mas também a alegria do reencontro.

Então ele corre ao encontro do filho. A misericórdia supera todas as expectativas do filho. Ele é acolhido como filho e não como empregado.

O Pai dá ao filho o sinal do perdão: ele o beija (2º livro de Samuel 14, 33).

A festa pode começar! Aí está toda a diferença entre Jesus (imagem do Pai) e os fariseus e escribas: Jesus se relaciona na misericórdia e na compaixão, enquanto os fariseus tratam segundo o rigorismo da Lei (puro impuro) quem transgrediu a Lei deve ser punido. A misericórdia devolveu ao filho a sua verdadeira identidade. A compaixão é o caminho que leva ao perdão, à misericórdia, ao amor gratuito.

O Pai usa da mesma atitude para com o filho mais velho: ele lhe quer bem e lhe lembra que ele está todos os dias junto dele. Mas parece que mesmo assim o filho não compreendeu o que é a misericórdia.

Vivemos tanto junto de Deus e com Deus (oração, Eucaristia, palestras, leituras bíblicas), mas não descobrimos a imensidão da misericórdia divina. Porque? Por que o nosso olhar e o nosso julgamento partem de nós e do que achamos certo, em vez de partir, como Deus nosso Pai, dos excluídos, das vítimas. Deus não exclui ninguém do seu amor (se não seria se negar a si mesmo), mas Ele se situa de maneira diferente, ele se coloca no lugar do outro com ele sente a dor e o sofrimento tanto físico como psicológico ou espiritual.

Como cristão chamado à misericórdia, me sinto mais perto da atitude do pai ou do filho mais velho?

Sou capaz de perdoar até esquecendo as ofensas que recebi? (“Eu perdoo, mas não esqueço!”).

O que penso e digo das pessoas marginalizadas de hoje, as desguiadas?

Salmos para a oração: 24; 25; 32.

 

6 .“Sejam misericordiosos como o seu Pai é misericordioso”

 


 

Aquele que usou misericórdia” Lucas 10, 37).

 

Este apelo de Jesus para os seus discípulos e discípulas é um apelo a uma atitude interior: ter um coração misericordioso, sem isto não haverá prática misericordiosa. É um apelo à conversão.

Para ilustrar este apelo à misericórdia, Lucas nos relata a parábola contado por Jesus: o bom Samaritano. Vamos reler o texto: Lucas 10, 29-37).

O Samaritano e uma pessoa que enxerga e o seu olhar é de compaixão para com aquele que sofre. Ver o sofrimento do outro, enxergar a realidade. Quem não vê é como quem não sabe. É um analfabeto da realidade!

Mas o olhar leva ao coração, assim é na antropologia bíblica. A lâmpada do corpo é o teu olho (Lucas 11,34) “Só se vê bem com o coração” (Pequeno Príncipe). Ele olha e se comove, isto é, sente nele a dor do outro, compadece, compartilha o sofrimento do outro. Ele não fica alheio, mas assume com ele a dor pela qual outro passa.

O Samaritano viu e comoveu-se. Duas atitudes que geram a misericórdia e provocam a atitude seguinte que é se aproximar, se fazer próximo daquele que sofre e necessita de ajuda. O Samaritano deixa o seu caminho e vai ao encontro do homem semimorto na beira da estrada. Ele descia de Jerusalém para Jericó, ele desce ao encontro do necessitado. Não é o outro quem é o seu próximo, mas é ele que se torna próximo do outro. Basta reler a pergunta final de Jesus: “Qual foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” (Lucas 10, 36).

Após este movimento de ir ao encontro, desencadeia-se toda uma série de ações em favor do ferido. O interessante é que todas estas ações são indicadas por verbos. Ora na gramática o verbo serve para descrever a ação. Portanto a misericórdia é ação, não é palavra. Agir é o próprio da misericórdia, senão não deixa de ser um belo sentimento, que rapidamente vira sentimentalismo. Mas não muda nada da situação.

A misericórdia vai além da ação concreta no momento necessário, ela se prolonga até o tempo necessário: o Samaritano se preocupa do que pode acontecer na sua ausência e avisa que vai voltar. Podemos até dizer que ele acompanha o caso, ele prossegue a ação começada.

Escutamos a conclusão de Jesus: “Vá tu e faça o mesmo!”

Como prático a misericórdia em família, na vizinhança, no serviço ou trabalho, na escola, na comunidade que frequento?

 

O que acho mais difícil para praticar a misericórdia?

Acontece eu passar longe dos que necessitam da minha ajuda?

 

7. Mãe de todas as Misericórdias

Maria proclama também as misericórdias de Deus e se faz misericórdia.

Lucas 1, 46 a 55.

Em primeiro lugar é uma ação de graças pela misericórdia de Deus que se manifesta de novo em favor do seu povo. É a primeira atitude diante da misericórdia de Deus: agradecer. Assim fez também a mãe de Samuel (1ª livro de Samuel 2, 1-10).

Reconhecer esta misericórdia que se manifesta sempre em favor dos mais abandonados. Deus é fiel à sua prática. É fiel à sua identidade de um Deus dos empobrecidos, não porque é contra os outros, mas porque chama a todos para a compaixão e misericórdia.

Maria reconhece esta presença ativa de Deus na História.

Ela descreve esta ação na maneira que sempre aprendeu nas Escrituras: Ele está do lado dos empobrecidos, por isso “derruba os poderosos dos seus tronos, eleva os humildes, manda embora os ricos de mãos vazias e sacia de bens os famintos”.

Maria é fiel a Deus, mas também ao seu povo. Ela eleva a sua voz para engrandecer o Senhor que sempre está do lado dos pobres e para apresentar o programa do Reino de Deus.

Maria, mulher forte e corajosa, anuncia a realização da misericórdia divina, com a instauração de um mundo novo de relações igualitárias, de fraternidade e de justiça: “O Senhor agiu com a força do seu braço... se lembrou de sua misericórdia”.

Maria aprende do Espírito Santo que Deus gosta de exaltar os pequenos e rebaixar os poderosos. Os que nada eram, são valorizados, os que eram infortunados conhecem enfim a felicidade., os que estavam mortos, revivem”(Martin Lutero).

Em Maria experimentamos os traços femininos do amor de Deus. Ele nos oferece também um modelo acabado de discípula do Senhor. Maria de Nazaré, “longe de ser uma mãe mulher passivamente submissa ou de uma religiosidade alienante, foi, sim, uma mulher que não duvidou em afirmar que Deus é vingador (goél= redentor) dos humildes e dos oprimidos, e derruba dos seus tronos os poderosos do mundo. Foi a primeira entre os humildes e os pobres do Senhor” (Lúmen Gentium, no. 55).

Maria é uma mulher forte que conheceu de perto a pobreza e o sofrimento, a fuga e o exílio (Mateus 2, 13-23). Ela não foi uma mãe unicamente voltada para o eu filho, mas junto com ele ela assumiu uma ação que favoreceu a fé da comunidade apostólica em Cristo (João 2, 1-12). Sua função materna se dilatou até atingir dimensões universais: “Mulher, eis o teu filho!” (João 19, 25-27).

Salve Rainha, Mãe de misericórdia”.


 

Refletir e carregar na nossa oração as mulheres sofredoras de hoje, aquelas que eu encontro todos os dias, mães de família de duas jornadas de trabalho, mulheres explorados pelo trabalho pouco remunerado (empregadas domésticas, lavadeiras, faxineiras terceirizadas).

 

Para orar: Salmo 44; Isaías 61, 10-12.

Magnificat: Lucas 1, 46-55.

FaceBook  Twitter  

Plano de Ação Pastoral de 2015, baixe em doc >>: Plano de Ação Pastoral de 2015 formato doc

Plano de Ação Pastoral de 2015, baixe em pdf (pronto para imprimir) >> Plano de Ação Pastoral em pdf

Plano de Ação Catequética, baixe >> : Plano de Ação Catequética em pdf

 

FaceBook  Twitter  

Durante os dias 2, 3 e 4 de dezembro, a Pastoral da Juventude da Prelazia do Xingu (PJX), esteve reunida na paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos (Vitória do Xingu). Com representação das 6 regiões (Alto Xingu, Médio Xingu, Baixo Xingu, Transleste, Transoeste e Altamira). Compartilhamos nossos desafios e nos aprofundamos no conhecimento concreto das nossas realidades.

N a noite de sexta-feira, após o jantar, tivemos uma mística de abertura que teve a participação do Pe. Bosco, Pe. Lucas e Dorismeire do Centro de Pastoral. Refletimos sobre o evangelho das Bem Aventuranças, e percebemos que a sede de justiça, da qual a prelazia do Xingu carrega em sua história, será saciada.



 

Durante o sábado, tivemos o espaço da manhã e tarde conduzido pela assessoria do Fábio Barros (Casa de Educação Popular), ex representante do Regional N2 na Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude (2009/2012). Seguindo o método das CEB’s (Ver, Julgar e Agir), com base no documento subsídio em preparação para a ampliada Nacional da Pastoral da Juventude, Fábio fez uma análise de conjuntura da situação atual que nosso país e nosso regional enfrenta. Durante a tarde, iluminados pela luz da palavra divina, confrontamos a palavra de Deus com a nossa realidade, e percebemos que as dificuldades das quais vivenciamos só poderão ser superadas com muita oração e obediência aos princípios e ensinamentos libertadores do evangelho.


 


 

 

Na manhã de domingo (agir) conduzida pela Irma Cléa (Setor Juventude), vivenciamos uma preparação e reflexão visando a construção e formação de uma equipe de coordenação da PJX. Iluminados pela leitura de Mateus 4, 18-22, os representantes das diferentes regiões fizeram suas indicações, das quais reuniram-se ao final, ficando a equipe da seguinte forma:

Coordenadores: Danyllo Worlan (Brasil Novo) Júlio Augusto (Altamira)

Secretaria: Josineura Cabral (Vitória do Xingu) e Natália (Altamira)

Financeiro: Franciely (Gurupá) Jailson Junior (Anapú)

Comunicação: Diogo Suk (Brasil Novo) Eduardo Medeiros (Anapú)

 

Ao final do encontro, com o privilégio da benção do Bispo Dom João Muniz, enceramos um capítulo da história de nossa pastoral, e iniciamos outro.

Que Deus possa abençoar os passos desta Pastoral de agora em diante. E crentes na esperança de dias melhores para a juventude de nossa Prelazia, que esse instrumento de evangelização se fortaleça cada vez mais.


 

 

 

FaceBook  Twitter  

 


DOM FREI JOÃO MUNIZ ALVES

Pais: José Maria Alves e Antonia MunizAlves

Nascimento: 08 de janeiro de 1961 povoado Carema - Santa Rita do Maranhão.

Batismo: 28 de julho de 1962 Carema - Santa Rita.

Postulantado da Ordem dos Frades Menores (OFM): 13 de fevereiro 1984

1ª Profissão Religiosa: 02 de fevereiro de 1986

Profissão Solene: 14 de janeiro de 1991

Ordenação Diaconal: 12 de dezembro de 1992

Ordenação Sacerdotal: 03 de setembro de 1993

Nomeação Episcopal: 23 de dezembro 2015

Ordenação Episcopal: 05 de março de 2016

Posse na Prelazia de Xingu: 03 de abril de 2016


ESTUDOS:

Ensino Fundamental:

- Escola Santa Teresinha em Carema (1ª a 4ª série);

- Ginásio Bandeirante de Santa Rita (5a - 7a série);

- Unidade Integrada de 1º grau Luís Viana _ São Luís - MA (8a série).

Ensino Médio:

- "Eletrotécnica" na Escola Técnica Federal do Piauí.

Ensino Superior:

- Filosofia e Teologia: (ICESP) Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí, Teresina - PI.

- Validação da Filosofia: Licenciatura Plena - UECE.

- Pós-graduação "Lato-sensu": Especialização em Filosofia Contemporânea – PUC/MG;

- Pensamento Franciscano – (ITF) Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis;

- Master Universitário em Bioética e Formação - Pontifício Instituto João Paulo" em Roma (estudante hóspede).

Pós-graduação "Strito-sensu":

Mestrado e Doutorado em Teologia Moral - Academia Alfonsiana em Roma;

Mestrado em Filosofia – Pontifícia Universidade Antonianum em Roma;

 

ATIVIDADES PASTORAIS:

1992:

- Diaconato em Piripiri - PI.

1993 – 1994:

- Vigário Paroquial da Paróquia São José em Lago da Pedra - MA;

1995 a 1998:

- Pároco da Paróquia de São Francisco das Chagas em Bacabal - MA;

1995-2001:

- Definidor provincial;

- Secretário Provincial da Animação Vocacional;

- Mestre e Presidente do Postulantado;

- Assistente do Instituto Secular Pequena Família Franciscana de Bacabal;

- Membro eleito do Conselho Presbiteral da Diocese de Bacabal;

1999-2001 e 2007-2013:

- Vigário Paroquial na Paróquia de São Francisco das Chagas;

2007-2013:

- Ministro Provincial da Província Franciscana de Nossa Senhora da Assunção MA/PI;

2013-2015:

- Membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores da Diocese de Bacabal;

- Diretor espiritual dos candidatos ao Diaconato Permanente da Diocese de Bacabal;

- Guardião da Fraternidade Nossa Senhora da Glória;

- Mestre de estudantes professos temporários;

2013-2015:

- Professor no (lESMA) Instituto de Estudos Superiores do Maranhão;

- Vigário Paroquial da Paróquia N. Sra. da Glória;

- Visitador Geral na Custódia Autônoma Santa Clara de Assis (Moçambique, África - 2014).

DESCRIÇÃO DO BRASÃO

O Brasão Episcopal é utilizado pela Igreja para indicar os traços fortes da espiritualidade e o caráter evangelizador do bispo.

Chapéu prelatício: Do chapéu, pendem dois cordões, cada um com três fileiras de borlas, somando um total de doze borlas, simbolizando Cristo cabeça da Igreja, com seus doze apóstolos dos quais o bispo é sucessor e mantém a Igreja local em comunhão na fé e na caridade com o Papa.

Cruz hastil: Em tonalidade dourada, representa a cruz processional e o convite de Jesus: “se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16,24); aponta para a copiosa riqueza do mistério da cruz e ressurreição do Salvador.

Lema: “Louvado sejas, meu Senhor”: Inspirado no “Cântico das criaturas” de São Francisco de Assis e na Encíclica "Laudato si" do Papa Francisco, ilumina e orienta o caminho missionário do episcopado do novo Pastor. O Cântico das criaturas é expressão de uma vida reconciliada consigo mesmo, com Deus e com o próximo.

ESCUDO: Traçado em quatro campos.

Dois campos amarelos: retratam a luz divina e a riqueza espiritual, a constância e o poder de Deus no mundo.

Dois campos azuis: simbolizam tudo sob a proteção do manto azul de Maria, Mãe de Deus, Senhora Gloriosa e Virgem Imaculada.

À esquerda, no alto: O Sol e a Lua recordam o “Cântico das criaturas” ou “Cântico do irmão sol e irmã lua” de São Francisco de Assis. São símbolos da força e do poder permanente de Deus no mundo. O sol é Símbolo do Cristo Ressuscitado, Ele é Sol nascente que nos veio visitar (Lc 1,89). A Lua é fonte e símbolo da fecundidade, é guia das noites e dos valores noturnos, evoca a luz
nas trevas da noite.

À direita, abaixo: A palmeira do coco babaçu é símbolo de fertilidade, resistência e beleza natural e do Maranhão, sendo chamada de mãe dos pobres (por causa da sua utilidade doméstica); As águas são o tesouro de Deus para a sobrevivência da vida do planeta; lembram a nossa vocação comum através do batismo e os rios da rica hidrografia da grande Amazônia e caminhos de missão e evangelização na região do Xingu.

No alto à direita: A Bíblia é a revelação da verdade divina que ilumina a história humana. O alfa e o ômega, a primeira e a última letra do alfabeto grego, apontam para o Cristo princípio e fim de todas as coisas (Ap 1,8; 22,13). O TAU: representa a origem franciscana de Dom João Muniz. É o sinal dos eleitos (cf Ez 9,1-7), da certeza e universalidade da salvação, é símbolo de conversão contínua. São Francisco reverenciava com grande afeição este sinal e “com ele selava as cartas e marcava as paredes das pequenas celas” (LM 4, 9; 2,9; 3 CeI3).

À direita, abaixo: O M com a coroa lembram Maria, mãe e rainha dos apóstolos, sempre presente na vida e missão da Igreja. Ela ilumina e inspira as atividades apostólicas, ajuda-nos a compreender a nossa identidade cristã, nossa razão de ser e de apresentar Jesus ao mundo.


 

FaceBook  Twitter  

Área Pastoral do Assurini – Pe. Alírio Bervian 6ª carta – 9º Ano no Assurini-3ª com Pe. André Delzelle

DEZEMBRO

Estamos vivendo o tempo bonito do fim do ano e início de um novo ano. No dia de Cristo Rei-20/11 Papa Francisco fechou a Porta do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia -Esperando que o mundo inteiro tenha aprendido a perdoar.

No dia 27/11 foi o primeiro domingo do ano novo da Igreja, ou seja 1º domingo do Advento. Certamente o Natal é a festa mais linda do ano todo. É o aniversário do Nascimento de Jesus, o Cristo, nosso Salvador. Por isso temos antes os 4 domingos de preparação “espera” “Vem Senhor Jesus Maranata’', com a novena de 16 a 24/12. Temos a festa do Natal no dia 25/12 e depois vai se estendendo até o Batismo do Senhor, depois a festa dos Reis. Vamos viver intensamente este tempo em família, em comunidade e cada um renove-se pessoalmente. Assim desejamos a todos um Feliz Natal e uma alegre e próspero ano novo de 2017. Deus a todos abençoe! Pe. André e Pe. Alírio

Retrospectivas:

1- 1º/11Papa na Suécia – Catedral Luterana unidade dos Cristãos um fato de destaque.

2-Os encontros do Conselhos Presbiteral e Pastoral foi um fato de destaque. Dom João constituiu o Conselho Presbiteral com 12 padres-6 representando as regiões e seis por cargos ou nomeados. O conselho de pastoral destacou a família com o documento do Papa Francisco, “Alegria do Amor”.

3-Nossa presença nas comunidades Pe. André está muito animado no Assurini e o povo contente em especial os jovens e as crianças. Povo preocupado e agindo com gestos como cruz, ambão para liturgia da Palavra. A preocupação com as capelas: definir terreno, planejar ou ajeitar melhorando e também no terreno para capela. Pe. Alírio agindo não só no Assurini, mas no km 90 nos cemitérios e comunidades. Fomos com Ir. Inês e Pe. Zé Geraldo no 75 Norte e Pontal, são viagens missionárias que animam a gente. Em Altamira não faltam trabalhos.

4-Nossa ida para o Maranhão em missão não deu certo e não fomos, pois, ia prejudicar a ida ao Pontal.

Prospectivas:

1-A Assembleia Assurini vai ser importante que todas as comunidades estejam lá será só no dia 10/12-das 9 às 16h-Ver as 3 perguntas: Ver, Julgar e Agir

2 A novena de Natal inicia em 16/12 ou antes e vai até depois – o importante é visitar as famílias afastadas, necessitadas.

3-Coleta da Evangelização será no dia 11/12/2016-3º domingo de Advento.

Feliz Natal e próspero Ano Novo!!!

DEZEMBRO DE 2016

Programação de Pe. André:

1º/12-Altamira

02/12-Firma: Sagrada Família 9 h

Picadão São Jorge 15 h

03/12-Transunião Alegria do Saber 9 h

Cajá 2 N. sr Fátima 15 h

Cascata Mangueiras São Rafael 17 h

04/12-km 2 da Balsa Barro Duro 9 h

Cajá 2 – N. Sr Fátima 15 h

Sol Nascente São Sebastião 19 h

05/12-Convivência Prelazia

06/12—Stª Clara e São Sebastião – Jatobá 9 h

Acesso 6-São Benedito 16 h

07/12-São Sebastião Novo Itapuama 9 h

Pirarara – Dona Fátima 16 h

8/12-Altamira

Babaquara São Francisco 17:30

9/12-Palhal Santa Luzia 17 h

10/12-9 h às 16 h Assembleia Pastoral

11/12 Escola Severino Pinto – St. Expedito -Travessão do Soldado 9 h

Sol Nascente São Sebastião 19 h

12/12-Convivência na Prelazia

13/12-João Bispo – São Miguel 9 h

Pa Ressaca Stª Luzia 15 h

14/12-Cajueiro 2 na Isabel 9 h

Lages 15 h

15/12 – Altamira

16/12-Stº Antônio Cajá 1 - 19 h

Paratizinho – S. Fco. 19H

17/12-Cocal – São José 9 h

-Bom jardim 2 São Cristóvão 16 h

18/12-Itapuama – Div Esp. Santo 9 h

-Sol Nascente São Sebastião 19 h

19/12 – Convivência na Prelazia

20/12-Acesso 1 São Gaspar 9 h

Pa Ressaca – São José 18 h

21/12 Dispensa 2 N. Sr de Nazaré 19 h

22/12-Altamira

23/12-Raio do Sol N. Sr das Graças 17 h

24/12 Itatá – N. Sr Aparecida 9 h

N. Sr Aparecida Pimentel 4 bocas-16h

25/12-Ressaca – N. Sr das Dores 8 h

Ilha da Fazenda S. Sebastião 10:30

Sol Nascente São Sebastião 19 h

26/12 – Convivência Prelazia

27/12- Nova Transunião – Santo Antônio 15 h

28/12-Bom Sossego 3 – Ituna – 9 h

São Francisco – Pirarara-17h

29/12 – Altamira

30/12-Firma – Sagrada Família-9h

Picadão – São Jorge 15 h

31/12-Cristo Rei Trav. do Nenê 9 h

São Lucas: Bom Jardim 1 18 h

Programação de Pe. Alírio:

1/12-Centro Nazaré – Anapu 18h-Conclusão do Ano Escolar

3/12 – S. Francisco Xavier em Souzel

4/12-é Festa de N. Sr ª Mãe dos Pobres em Medicilândia

8/12 Festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição

Assurini: 1-Dispensa 1-9 h

2-Cajueiro16h

10/12- Km 125-Medicilândia S. Francisco 10 h

-km 97 Faixa Medicilândia N. Sr Aparecida 17 h

-Assembleia da Área Pastoral Assurini – Sol Nascente 9 h às 16 h

- Romaria das Águas: Vitória e Souzel dia todo

11/12 – Pacal – Medicilânda – N. Sr de Lurdes 8 h

13/12-Anapu Surubim – Novo horizonte – Ramal São José-11 h casa de José Roberto “Zé Vermelho”

-80—norte Anapu – Stª Luzia-15h

-Festa no Anapu – Padroeira com a presença de Dom João 17 h procissão.

14/12-Surubim – Anapu-18h + Francisco “Kaul” 18 anos moro. Pede a mãe Maria Francisca

17/12-Espelho – Stº Expedito-18h

18/12-Ramal dos crentes – Assuirini – Festa de São Francisco Xavier com procissão saindo da capela Nossa Senhora de Nazaré, dispensa 2-às 9 h

22/12-firma – Casa de Dª Ana 18 h lembrando + Reginaldo e + Risca Faca. Pai e Filho. Falta confirmar, pois, foi pedido quando Risca Faca estava vivo.

24/12 – km 75 sul – Medicilândia – 17 h casamento – Chácara “Malvinas” na comunidade São Pedro.

25/12-Festa na Dª Tereza-90 Nt Medicilândia 10 h

26/12-Projeto ir a Óbidos – passar o ano novo.

Prestação de contas Gastos: novembro 2016

Entradas: Brasil novo - 294,00

Assurini 583,50

Anapu 118,00

Medicilândia 1.418,10

Total 2.413,60

Gastos: 1.464,00

Saldo R$ 949,60

Novembro deu azul, isto é , saldo positivo.

Brasil Novo deu óleo, completando o tanque na volta da viagem ao Pontal no valor de R$185,00. Agradecemos a generosa colaboração. Louvado seja Deus!!!

 

Saídas: gastos

Xerox- 24,00

Óleo - 1208,00

Balsas 202,00

Conserto do Pneu 30,00

Total 1464,00

 

Praticamente este é o nosso gasto mensal – claro sem outras despesas extras.

Deus multiplica a quem dá com generosidade e segundo o seu coração! Deus não se deixa vencer em generosidade!!!

FaceBook  Twitter  

Nos dias 17 e 18, dom João Muniz Alves  participou da reunião em  Belém/PA o dos bispos da Amazônia com bispos das Igrejas Irmãs que participam do projeto Igrejas Irmãs da CNBB voltado a parceria  e corresponsabilidade no atendimento da Igreja na Amazônia, promovida pelo  Arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, Dom Sérgio da Rocha, e que será feito cardeal no próximo dia 19 de novembro.

A finalidade da reunião é:

Favorecer e animar a comunhão e corresponsabilidade da Igreja do Brasil  com a Igreja que está na Amazônia, pois a evangelização nesta região não se  restringem apenas  aos bispos e às Igrejas locais, mas diz respeito ao conjunto  do Brasil e da América Latina, isto é, responsabilidade de todos;

Discutir a realidade  e os avanços da evangelização da Amazônia e partilhar  experiências e testemunho do trabalho missionário  dessas Igrejas irmãs em parceria com as diversas dioceses e prelazias da Amazônia possibilitando  reavivar  o compromisso missionário,animar ainda mais não só os atuais projetos, mas certamente o despertar de outros projetos missionários o crescimento e amadurecimento da Igreja na Amazônia e no Brasil.

A Prelazia do Xingu nesse projeto tem parceria com a Igrejas irmãs: Arquidiocese de Porto Alegre(RS), Arquidiocese de Mariana(MG), Diocese de Uberlândia(MG) e  Diocese de Ituitaba (MG)

 

Subcategorias

Bispo responsável: Dom Erwin Krautler

Nascimento: 12/07/1939 -Koblach/ Áustria, ordenação

presbiteral: 03/07/1965 - Salzburg/ Áustria.

Sagrado bispo em 25/01/1981 - Altamira - Província

Eclesiástica Belém do Pará.

 

Endereço: Avenida João Pessoa, 1212 CEP 68371-040 - Centro, Altamira - Para - Brasil

 

Tel: 0055.0XX93.3515.1761 - Curia - 0055.0xx93.3515.2494

 

 

Características Gerais da Prelazia

A Prelazia do Xingu foi criada a 16/08/1934, pela Bula “Animarum Bonum Postulat” do Papa Pio XI, desmembrada da Arquidiocese de Belém do Pará e das então Prelazias de Santarém e Santíssima Conceição do Araguaia. Foi confiada pela Santa Sé aos cuidados da Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue de Cristo. 1º Administrador Apostólico: Dom Armando Bahlmann, OFM (1935). 2º Administrador Apostólico: Padre Clemente Geiger, CPPS (1935-1948). 1º Bispo Prelado: Dom Clemente Geiger, CPPS (1948 a 1971). 2º Bispo Prelado: Dom Eurico Krautler, CPPS (1971 a 1981).

 

Superfície: 368.086,0 KM²

População: 392.211 hab

Densidade Demográfica 1,1 hab/km² (baseado em dados do, IBGE - 2000)

 

 Mapa da Prelazia do Xingu

 

MunicípioS pertencentes: Altamira, Anapu, Bannach, Brasil Novo, Cumaru do Norte, Gurupá, Medicilândia, Ourilândia do Norte, Placas, Porto de Moz, São Félix do Xingu, Senador José Porfírio, Tucumã, Uruará, Vitória do Xingu.

 

A Prelazia do Xingu é formada por seis regiões pastorais:

Região Alto Xingu: Ourilândia do Norte, São Félix do Xingu e Tucumã;

Região Médio Xingu: Vitória e Souzel;

Região Baixo Xingu: Porto de Moz e Gurupá

Região Transamazônica Oeste: Brasil Novo, Medicilândia, Uruará e Placas;

Região Transamazônica Leste: Belo Monte e Anapu

Região de Altamira: Paróquia Sagrado Coração de Jesus, Áreas: Perpétuo Socorro e Imaculada Conceição

 

Os municípios de Cumaru do Norte e Bannach são atendidos pela Diocese de SS. Conceição do Araguaia.

 

A Prelazia possui três instâncias de decisão: Grande Assembléia do Povo de Deus no Xingu, Conselho de Pastoral e Coordenação de Pastoral.

 

 

Nesta Seção você poderá baixar arquivos: texto, vídeo ou figuras que tenham relação com o trabalho pastoral na Prelazia, na medida que for sendo disponibilizados pelas pastorais ou agentes de pastoral.

Alguns Downloads poderão ser feitos somente por usuários cadastrados. Caso você seja um Agente de Pastoral e tenha alguma dificuldade entre em contato com o Centro de Pastoral para que faça o seu cadastramento como Agente.