• 44 Anos de Vida Sacerdotal - Pe Alírio Bervian

    O Senhor Deus de amor e da vidaescolhe os seus  por amor e com amor.

    Foi assim que a 44 anos, escolheu este servo de  Deus   com seu amor o cativou e o lapidou tornando um sacerdote do povo.

    E este sacerdote respondeu ao seu chamado de amor  com  fidelidade, humildade, coragem, firmeza e audaciosamente  no testemunho de fé e vida dedicado ao Xingu.

    Por isso toda a Igreja , povo de Deus no Xingu, agradece  com carinho o SIM de Pe. Alírio Bervian ao Deus da vida, à Igreja e ao povo do Xingu.

    E agradece a Igreja irmã de Porto Alegre ao presentear o Xingu com a presença e o testemunho desse  sacerdote missionário em nosso meio.

    Que o Senhor continue derramando bênçãos  em sua vida e missão. E que Nossa Senhora de Nazaré interceda sempre junto ao Pai por sua vida.

    Abraço fraterno de teus bispos, irmãos padres, religiosos irmãs religiosas, irmãos amigos e irmãs amigas

     no Xingu.

     

    Caro Pe. Alírio Bervian,

    Parabéns por seus 44 anos de Sacerdócio onde a maior parte foi dedicada ao nosso povo do Xingu. Nossa Prelazia te estima e nutre gratidão e respeito por sua pessoa. Que a Virgem de Nazaré te proteja sempre na missão de cada dia.

     

    Meu fraterno abraço e bênção.


    Dom João Muniz, OFM

    Bispo do Xingu

     
  • PORONGA Nº 2

    Senador José Porfírio - Souzel

    Paróquia São Francisco Xavier – Alírio Bervian 2ªPISADO –

    NOVEMBRO-DEZEMBRO /2017

     

    PROGRAMAÇÃO

    Fim de ano é tempo de avaliação e memória e gratidão. Assim, nestes poucos meses, desde 21/03/2017, tivemos grandes alegrias.

     

    Em 1º lugar o encontro com as comunidades – visitamos todas mesmo em tempos difíceis, com estradas perigosas, algumas até várias vezes. Estávamos a disposição e agimos segundo os pedidos.

     

    Em 2º lugar tivemos a graça da visita em todas as capelas da imagem de N. Srª Aparecida de 26/06 até 2/07. Foi algo marcante, disse-me o povo. Fomos buscar a imagem em Porto de Moz em 25/06 e deixamos no Belo Monte, em 02/07/2017.

     

    Em 3º lugar foi a presença de 8 missionários legionários de São Paulo e Rio de Janeiro conosco na 2ª quinzena de julho até o final Alex já em Altamira de 16/06 e Pe. Paulo com 6 jovens até 30/07/2017).

     

    Em 4º lugar foi a caminhada Jovem já de agosto até a grande CAJUX- a 2ª caminhada jovem do Xingu em Souzel de 7 a 10/09/2017. Foi realmente um marco. Jovens de todos os cantos, algo inesquecível.

     

    Em 5º lugar o 1º REPAM Paroquial da Prelazia do Xingu que teve a presença significativa de Dom Erwin Krautler e lideranças, sob a coordenação geral da Prof ª Ester Alves e sua equipe. Presença: Doris do Centro de Pastoral, Pe. Gilmar, Pe. Zé Geraldo, Paulo Cézar, Danilo (jovens e MAB) e de muitos outros locais.

     

    A presença da paróquia ou município nos diversos encontros e acontecimentos como 12ª Romaria da Floresta no Anapu, Jovens Missionários no Cariá, Jovens no DNJ de vitória do Xingu e Anapu e presença em outros momentos em Gurupá, Brasil Novo. Gente no retiro, nos cursos na Bethânia ou paróquia (curso Fé e Cidadania). Presença de pessoas que vieram a Souzel como a Pastoral da Criança; a atividade interna da paróquia muito louvável como o trabalho incansável para organizar e recolher o dízimo – Parabéns Equipe Econômica.

     

    Temos os grupos ativos das legionárias nos 3 presídios, algo louvável, agora os (as) amigos(as) do Terço estão fermentando tudo com novo espírito.

    Descobrimos novos caminhos para chegar de carro nas comunidades e vamos abrir, mais caminhos...

     

    O caso do barco puxado Stª Teresinha no estaleiro de Vitória (seu Raimundo) com a vistoria constante de Roberto Trindade e abrimos para o mundo nos ajudar e como foi bonita a solidariedade que continua. Só Deus pode recompensar. Muito obrigado! Foi além dos R$22.000,00 e ainda estamos lutando por uma voadeira cujo motor 15 custa R$9.500,00 (nove mil e quinhentos reais) e o Casco de 6 m custa R$7.400,00 (sete mil e quatrocentos reais).

     

    As festas foram e são o destaque em Souzel. A festa de São Benedito de 10 a 18/06; a Santo Inácio 06/08/2017 e a de 25/11 a 3/12 - Festa de São Francisco Xavier, o padroeiro da Paróquia. São momentos de animação, convívio, partilha, doações que ajudam na autossustentação e acima de tudo devia ser de renovação espiritual.

     

    Fomos para o Sul em meados de maio e voltamos em 04/06- Festejamos coma família os 70 anos de vida.

    A presença de Pe. Bento no início do ano foi muito boa. Teve ainda visitas em todas as comunidades e, eu fui entrando de mansinho, visitando Tapecuari- São Pedro e também o setor 5 Canoé. Assim tivemos a presença de Pe. Hortêncio, Pe. Romildo e Pe. Bento em outros momentos. Nossa fraternidade é garantia de fidelidade a missão e ao ministério.

     

    A luta para a autossustentação nos deixa preocupados. Vivemos no meio de vós com nossas posses e assumindo o mais possível para não sermos pesados a ninguém. Grato pela oferta de todos. A paróquia somos todos nós, estamos a serviço!

     

    Queremos desejar a todos um feliz e santo Natal e um alegre e abençoado ano Novo de 2018. Força e coragem! Que Deus nos abençoe!

     

    Baixe o seu Poronga (qualquer edição) clicando aqui.

    (Pe. Alírio Bervian)

     
  • FREI HENRI VIVE!

    Foto: Marcos Amaral Lotufo
     
    A CPT, Regional Pará, lamenta profundamente, a morte de FREI HENRI BURIN DES ROZIERS, o Frei Henri, como carinhosamente era chamado por todos nós. Frei Henri faleceu ontem no convento dos Dominicanos, em Paris, na França, aos 87 anos de idade.
     
    Frei Henri dedicou mais de 30 anos de sua vida ao trabalho em defesa dos direitos dos camponeses e camponesas do Bico do Papagaio (Tocantins) e do Sul do Pará. Como advogado e agente da CPT no Tocantins, foi  companheiro do Pe. Josimo Tavares no apoio à luta dos(as) trabalhadores(as) pela defesa de suas terras, contra a violência organizadas por grileiros e grandes fazendeiros da região. Pe. Josimo foi assassinado a mando de latifundiários
    no ano de 1986 e Frei Henri continuou com o trabalho de defesa dos direitos dos camponeses da região do Bico do Papagaio.
    No ano de 1991 foi convidado a integrar a equipe da CPT da Diocese de Conceição do Araguaia, sul do Pará. No início daquele ano tinha sido assassinado por pistoleiros, em Rio Maria, o sindicalista Expedito Ribeiro de Souza. Antes de Expedito, no mesmo município, já tinham sido assassinados: o sindicalista João Canuto, em 1985, dois filhos de João Canuto (José e Paulo) em 1990 e o sindicalista Braz Antônio de Oliveira e seu colega de trabalho Renan Ventura, no
    mesmo ano. Essas e muitas outras mortes de trabalhadores (as) rurais na região permaneciam acobertadas pela impunidade.
    Frei Henri passou a integrar a equipe da CPT, em Rio Maria, juntamente com o Pe. Ricardo Resende Figueira.Juntos iniciaram um trabalho na região de apoio à luta dos camponeses pela terra e de pressão às autoridades pela punição dos responsáveis pelas mortes no campo. Com a saída do Pe. Ricardo devido às ameaças de morte pelos latifundiários, Frei Henri passou a integrar a equipe da CPT já com sede em Xinguara juntamente com Ana de Souza
    Pinto, a Aninha. Graças a seu trabalho corajoso e persistente, pistoleiros, intermediários e mandantes dos assassinatos de João Canuto, filhos de João Canuto e Expedito Ribeiro foram julgados e condenados pelas mortes.
    Frei Henri se destacou também no combate ao trabalho escravo na região. Além do trabalho feito no âmbito da Campanha Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, coordenada pela CPT, moveu processos emblemáticos contra o governo brasileiro perante a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA. Devido seu trabalho aguerrido e corajoso, foi muitas vezes perseguido e ameaçado de morte por fazendeiros. Em alguns desses momentos teve que
    andar escoltado para não ser assassinado. Mas, mesmo frente ao perigo, Frei Henri sempre manteve firmeza e coragem na luta pela defesa dos direitos dos mais pobres na região.
     
    Frei Henri foi um profeta de nosso tempo. Assumiu a causa dos injustiçados acima de qualquer coisa. Foi um exemplo de igreja a serviço dos mais pobres, como ensinou o mestre Jesus. Henri foi referencia também no campo da advocacia popular, colocando seu saber enquanto advogado, a serviço das causas dos pobres da terra. Sua partida nos deixa triste e saudosa, mas, nos dá a certeza de que as sementes semeadas por ele continuarão a nascer neste vasto campo de lutas do povo pela terra e pelos direitos de permanecer nela. A CPT Pará agradece seus mais de 30 anos de serviço à causa dos trabalhadores e trabalhadoras do Pará e da Amazônia. Seu exemplo continuará sendo fonte de inspiração para todos nós.
    VIVA FREI HENRI!
    Belém, 27 de novembro de 2017.
    CPT Regional Pará
     
    --
    Comissão Pastoral da Terra - CPT Alto Xingu
    Rua Sucupira, 49 Monte Castelo -Tucumã – Pará. 
    CNPJ 02.375.913/0009-75
    Fone/Fax (94) 3433 1440 E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
    Escritorio São Felix: Trav. Antonio Nunes, n. 123,  S. Felix do Xingu-Pará
     
     
  • SEMINÁRIO LAUDATO SI’ REPAM

    CARTA COMPROMISSO

     

     

    Paróquia São Francisco Xavier - Senador José Porfírio/Pa, 12 de novembro de 2017

    A Igreja, povo de Deus, da Paróquia São Francisco Xavier, em diálogo com os movimentos sociais, entidades e órgãos públicos, procurando viver no Espírito do Ressuscitado, que é luz para nosso caminho e garantia de Vida em plenitude, reuniu-se durante os dias 10 a 12 de novembro de 2017, no Ramadão de São Benedito, no seminário da REPAM, respondendo assim, ao apelo de nosso Papa Francisco, para aprofundar sua Encíclica, LAUDATO SI’.

    Acreditando na Luz que alimenta a esperança, mesmo quando se faz noite sobre o nosso solo sagrado, que está sendo ameaçado por grandes projetos, como: hidrelétricas, mineradoras, agronegócio e, extração ilegal de madeira e garimpos, que ocasionam um aumento populacional desordenado na cidade, provocando o êxodo rural, deslocamento forçado, aumento dos índices de violência urbana e no campo, contra indígenas e ribeirinhos, desemprego, prostituição e abuso sexual, tráfico humano, aumento do consumo de drogas e álcool, ausência de políticas públicas básicas e de qualidade, aumento do desmatamento, uso indiscriminado de agrotóxicos, morte cultural dos povos tradicionais, especialmente dos ribeirinhos, pescadores e extrativistas; invasão e grilagem de terras.

    Denunciamos a ausência de políticas públicas do município à população indígena, ribeirinha, rural e urbana; extração ilegal de madeira, causadora da destruição da fauna, flora e recursos hídricos. E a implantação do projeto de mineração da empresa, Belo Sun, na volta grande do Xingu, distrito da Ilha da Fazenda e Ressaca, sem o devido esclarecimento da empresa e sem a adequada consulta à população da região do Médio Xingu.

    Apesar destes males, mantemos viva a esperança e a coragem, porque reconhecemos, que o Senhor caminha conosco e nos orienta: “Não tenham medo!” Queremos ser uma “Igreja em saída”, discípula e missionária que vive e anuncia o Evangelho “derrubando muros e construindo pontes” neste solo sagrado.

    São sinais desta construção de pontes: Agricultura Familiar; projetos agroecológicos e extrativistas (projeto quelônios Embaubal, recuperação do igarapé Nazaré); lutas e resistências dos povos e populações tradicionais (ribeirinhos, pescadores, agricultores e extrativistas), assim como a mobilização dos movimentos sociais e sindicais, e a atuação da juventude e das mulheres nas Comunidades Eclesiais de Base e na Educação.

    Com a graça de Deus, renovamos nossos compromissos batismais e crismais, na defesa e promoção da vida, onde o amor e a paz semeados, tornam-se frutos da luta, resistência e conquista do povo souzelense que vê nas águas do majestoso Xingu, a esperança e o despertar à reflexão e à contemplação da criação divina em um louvor ao Deus da vida, que nos convoca, através da Encíclica LAUDATO SI’, a cuidar do nosso “SIRIMBABO” (Lar comum).

    Diante disso nos comprometemos:

    -Incentivar a agricultura familiar através de parceria com organismos e organizações com assistência técnica agrícola;

    Ajudar as comunidades a elaborarem projetos de sustentabilidade;

    Incentivar as comunidades a criação de pequenos animais,

    Ajudar no fortalecimento da Casa Familiar Rural;

    Realizar campanhas em parceria com outras entidades e organismos para recuperação de áreas degradadas;

    Cobrar a implantação de políticas públicas voltadas ao agricultor/a;

    Incentivar, reforçar e apoiar a criação e funcionamento do Conselho Municipal Rural;

    Conquistar e garantir assentos da sociedade civil na composição dos conselhos municipais de controle social;

    Apoiar e promover a Acessibilidade às pessoas especiais solicitando adequação dos ambientes para o livre acesso dessas pessoas;

    Reivindicar a criação de áreas verdes;

    Promover Espaço de convivência coletiva;

    Garantir a convenção 169 da OIT para as comunidades tradicionais;

    Reforçar, apoiar e garantir o Etnodesenvolvimento para os povos e comunidades tradicionais;

    Propor a criação de parques ambientais desde a nascente do igarapé Nazaré/Redondo e seu entorno;

    Reivindicar, reforçar e apoiar Projetos sociais, culturais e esportivos,

    Apoiar o fortalecimento da medicina tradicional;

    Incentivar as organizações e as comunidades a participar do Conselho Municipal de Meio Ambiente;

    Propor a criação de Regras de uso do Igarapé Nazaré;

    Apoiar, reforçar e realizar ações de recuperação das matas ciliares;

    Propor a criação da disciplina de Educação Ambiental nas escolas de Educação Infantil , Ensino Fundamente e Ensino Médio;

    Realizar campanhas de conscientização sobre o cuidado com o meio ambiente;

    Realizar a conscientização e reivindicar programas sobre a coleta seletiva no município;

    Propor, Apoiar e realizar ações de recuperação das margens dos Igarapés;

    Esclarecer a população sobre os impactos do projeto de mineração Belo Sun no município e Região do Médio Xingu;

    _Propor a revisão do plano diretor municipal;

    Reivindicamos aos órgãos competentes:

    Criação da Secretaria de Pesca;

    Ordenamento fundiária;

    Aplicação do Código de trânsito no município;

    Plebiscito municipal para a escolha do nome do município;

    Implantação de um Centro de convivência;

    Criação de Casa de apoio para atendimento a população das áreas rurais e ribeirnhas;

    Criação da Casa da Cultura;

    Criação das leis de legalização dos bairros e perímetros urbanos;

    Construção e manutenção de banheiros públicos;

    Investimento em Segurança Pública;

    Criação da Delegada da Mulher com local de atendimento especializado;

    Fomentação do turismo, investindo na formação de profissionais,

    Contratação de Médicos cirurgiões permanentes;

    Implantação da Unidade Centro intensiva UCI e Unidade de Tratamento Intensivo – UTI Neonatal;

    elaboração do Projeto de lei para a preservação das nascentes;

    Construção da Rede de Tratamento do esgoto;

    Instalação de Água encanada em toda a cidade;

    Implantação do aterro sanitário.

    Que o Deus da vida, pela intercessão de Nossa Senhora de Nazaré, Padroeira do Pará e do Xingu, e São Francisco Xavier, nosso padroeiro, derrame suas bênçãos sobre todo povo Souzelense, para que continue lutando e defendendo seus direitos à dignidade e à cidadania.

    Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

    Povo de Deus de Souzel.

     
  • Carta de Solidariedade aos Profissionais de Educação

    PRELAZIA DO XINGU

    ASSEMBLEIA DE AVALIAÇÃO DA AÇÃO EVANGELIZADORA DO POVO DE DEUS DO XINGU

    Carta de Solidariedade aos Profissionais de Educação

    e de Repúdio as gestões municipais e estadual

    Nós, Povo de Deus do Xingu, em torno de 160 pessoas representativas das comunidades eclesiais de base reunidas junto com nosso bispo Dom João Muniz Alves, OFM, em nossa assembleia avaliativa de nossa ação pastoral evangelizadora, nos dias 16,17 a 18 de novembro de 2017, no Centro de Formação Bethânia, Altamira-PA, fiéis à missão profética e à prática libertadora de Jesus Cristo somos cientes do quão importante é a educação e a missão do educador na formação intelectual e cidadã de crianças, jovens e adultos.

    Solidarizamo-nos com a situação dos profissionais em educação e dos servidores públicos concursados e contratados que vem sendo atacados nos seus direitos e no caráter alimentar de seus vencimentos. Repudiamos a ação das gestões municipais e estadual em relação a esses servidores dos municípios que constituem a Prelazia do Xingu (Anapu, Altamira, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará, Placas, São Félix do Xingu, Tucumã, Ourilândia do Norte, Gurupá, Porto de Moz, Vitória do Xingu, Senador José Porfírio) que enfrentam a seguinte situação:

    • Reformulação de Planos de Carreira com a retirada de direitos conquistados a duras lutas, de modo a ferir a Constituição Federal, a LDB (9.394/96) e demais Resoluções do Conselho Nacional de Educação, causando redução salarial e desvalorização do profissional da educação.

    • A interrupção antecipada dos contratos, seja dos profissionais do magistério, seja dos servidores de apoio à educação (vigias, serventes, entre outros), e em alguns casos a modificação desse contrato de modo a reduzir a carga horária e por consequência os vencimentos dos trabalhadores de forma inesperada, além da redução do 13º agora proporcional (fevereiro a novembro), traz abalos financeiros a dezenas de famílias. Sem contar que com os distratos e o fim do ano letivo ser antecipado, ferido está o direito dos alunos aos 200 dias letivos constantes na LDB. Há casos de municípios em que a contratação é de 12 meses e recebem apenas os salários correspondentes a 10meses, onde ficam os salários de dezembro e janeiro e o 13º previsto por lei?

    • A ausência de concurso público na maioria dos Municípios há anos gera insegurança jurídica ao trabalhador que vive sem vínculo efetivo e são usados politicamente em épocas de campanha. Assim, a decisão dos gestores municipais de demissão dos contratados até dezembro de 2017, ou antes disto, sem previsão de recontratação, gera sempre um risco de termos centenas de profissionais desempregados em nossa região do Xingu e da Transamazônica.

    • A precariedade e insegurança do transporte escolar para condução dos alunos e a merenda escolar muitas vezes não estão adequados às normas estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional. Muitas vezes falta merenda ou são armazenadas de maneira inadequada não possuindo em alguns casos o caráter nutricional para um aluno em fase de crescimento;

    • O remanejamento compulsório de profissionais em educação corresponde a meros interesses políticos em vez de atender ao interesse público;

    • Há ameaça de extinção Sistema Modular de Ensino (SOME) para a implantação de programas de Sistema Integrado de Educação ao Ensino Médio, onde o professor será substituído por aulas televisionadas acompanhadas por simples monitores;

    • A preocupação dos pais, professores e alunos de Ensino Médio com o sistema excludente de seleção para inclusão de jovens nas universidades através do ENEM, que tem levado muitos jovens ao risco da depressão e a não oportunidade de cursar um ensino superior, em especial os jovens de famílias de baixa renda, pois não são totalmente contemplados com o sistema de cotas;

    • A situação desrespeitosa do gestor estadual e gestores municipais quando não repassam, não dão transparência quanto aos recursos próprios que devem aplicar na educação e não aplicam adequadamente os recursos destinados à educação nas respectivas rede de ensino fazendo com que os profissionais e educandos realizem o ensino-aprendizagem dentro de estruturas físicas e com materiais pedagógicos sucateados, onde professores em formação e graduados tem que executar outras funções como a de serviços gerais, confecção da merenda escolar e ainda ministrarem aulas ao mesmo tempo em processo multiseriado na Educação Fundamental e Educação Infantil nas escolas rurais e em certos lugares, também na área urbana;

    Como cristãs e cristãos católicos comprometidos com a fé e a vida SOLICITAMOS que:

    Os gestores das três esferas do governo eleitos pelo povo assumam conforme o juramento de posse e com dignidade as suas responsabilidades de gestão do bem comum e se comprometam a não violar a garantia dos direitos inalienáveis de seus munícipes e o respeito aos profissionais de educação que são os principais formadores de opinião de toda a sociedade. Que as autoridades Judiciais competentes para julgar as Ações inconstitucionais das gestões municipais e estadual julguem com justiça e exijam o respeito ao Estado de Direito e à Constituição; a um ensino de qualidade às crianças, aos jovens e aos adultos e; aos profissionais em educação de exercerem sua missão em meio a uma estrutura deficitária de modo a lhes garantir os direitos previstos na Lei de Diretrizes e Base da Educação e demais dispositivos legais vigentes no país.

    Que as situações relatadas acima sejam revistas com urgência primordial. Reafirmamos aqui a nossa solidariedade a todos os profissionais em educação, servidores públicos em geral e a todas as famílias que serão e já foram atingidas se essas reivindicações não forem debatidas e solucionadas junto aos municipais da Transamazônica e Xingu. Exigirmos que os profissionais em educação tenham seus direitos adquiridos assegurados pelos gestores nos termos da lei.

    Altamira Bethânia (PA),17 de novembro de 2017

    Povo de Deus do Xingu


     

     
  • MINIASSEMBLEIA DA PRELAZIA DO XINGU 2017

    Foto de Dom João Muniz Alves, Bispo da Prelazia do XinguAos Padres, Equipe Paroquial e povo amado do Xingu,

     

    Convite

     

    Estimado irmãos, Paz e Bem!

     

     

    Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estarás fazendo o impossível”. São Francisco


    A Prelazia do Xingu realizou a 7ª Assembleia do Povo de Deus no ano de 2014. Já se passaram 3 anos de trabalho e ação pastoral nas mais de 786 comunidade eclesiais de base. Agora é hora de pararmos um momento para juntos em comunhão e unidade refletir sobre cada passo dessa caminhada e trabalho evangelizador.

     

    É por esse motivo que venho com imensa alegria convidá-los a participarem da MINIASSEMBLEIA DA PRELAZIA DO XINGU que realizar-se-á dias 16 a 18 de novembro do corrente ano na Bethânia, iniciando às 9 h do dia 16/11/2017.

     

    Esse momento ímpar porque contribui à edificação e à eficácia de nossa ação missionária junto ao povo nesse solo sagrado e, tem como objetivo:

     

    Avaliar e celebrar as prioridades definidas na 7ª Assembleia com seus respectivos projetos e ações contidas no Plano de Ação Pastoral, à luz da Palavra de Deus e do objetivo da Prelazia do Xingu para  reavivar e fortalecer a nossa missão evangelizadora ”.

     

    Lembro que é de fundamental importância a dedicação de todos no trabalho avaliativo que está sendo realizado nas comunidades, paróquias e organismos referente ao plano de Ação Pastoral quinquênio 2015 a 2019 e o aprofundamento da caminhada pastoral na paróquia conforme as questões contidas na carta norteadora enviada no final de maio; nas escolhas de seus 5 leigos e leigas conforme os critérios de engajamento na vida comunitária da paróquia, pastorais grupos eclesiais e que tenham mais de 16 anos; e também nos nossos pedidos nos momentos de oração, nas novenas, nos encontros, na catequese e nas celebrações pelo bom andamento desse processo avaliativo de nossa caminhada.

     

    Conto com vossas orações, apoio, dedicação, disponibilidade e amor pela causa de Cristo de anunciar no dialogo, no serviço e no testemunho missionário o abençoado trabalho dedicado às nossas quatro prioridades:

     

    DEFESA DA VIDA: ao assumir a defesa da vida humana em todas as suas fases e faixas etárias e do meio ambiente, contra todo tipo de devastação para futuras gerações, revitalizando a ação social evangelizadora da Igreja no Xingu.

    RENOVAÇÃO DAS COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE: ao promover e articular um processo de formação integral, permanente, que garanta capacitação de agentes de pastoral.

     

    JUVENTUDE: ao apoiar e acompanhar a juventude nas suas diversas organizações e associações eclesiais, promovendo o seu protagonismo na evangelização da juventude e na construção de uma sociedade e um mundo mais justo, fraterno e solidário.

     

    FAMÍLIA: ao apoiar e ajudar as famílias a redescobrir-se e a reafirmar-se como Igreja doméstica comprometida com a educação, o acompanhamento, a catequese e a formação cristã de seus filhos introduzindo-os ao sentido pleno da vida e das escolhas responsáveis proporcionando uma convivência fraterna em família e na participação e compromisso evangelizador junto a comunidade eclesial de base.

     

    Porque é na soma de nossas ações, gestos e atitudes que vamos avançando e aprimorando o que Papa Francisco nos pede: uma Igreja missionária em saída nesse solo sagrado do Xingu que peregrina pelas estradas, campos, rios e igarapés até as periferias existenciais onde se encontra nossas irmãs e nossos irmãos a margem da exclusão e do descarte. E é assim que vamos também realizando na prática nosso Plano de Ação Pastoral da Prelazia do Xingu definido e elaborado por todos nós, povo de Deus do Xingu.

     

    Que o Senhor Deus os abençoe nessa caminhada de preparação e até novembro, quando juntos daremos mais um passo firme em amor a causa do Cristo Ressuscitado. Que Nossa Senhora de Nazaré, Rainha da Amazônia, nossa padroeira e São Francisco intercedam por nossas vidas e nossa missão.

    Altamira, 04 de outubro de 2017

    Festividade de São Francisco de Assis

     

     

    Dom João Muniz Alves, OFM

    Bispo da Prelazia do Xingu
     

     
  • Carta Aberta da Juventude do Xingu e da Transamazônica

    Portanto, escolhe a vida, para que você e seus descendentes vivam (Dt 30, 19)”

    A Pastoral da Juventude do Xingu, durante os dias 07 a 10 de setembro de 2017, avançou mais um passo rumo ao resgate da sua identidade profética de anúncio e denúncia, fortalecendo a unidade em torno do projeto do Reino de Deus, buscando integrar a fé e a vida, que se encontram presentes no rosto de nosso amigo e companheiro Jesus Cristo.

    Com efeito, a Pastoral da Juventude promoveu, junto à comunidade da Paróquia São Francisco Xavier no município de Senador José Porfírio, a construção e a realização da 2ª Caminhada da Juventude do Xingu (2ª CAJUX), que teve como tema: “Jovens e a violência no Médio Xingu” e lema: “Ponho então a tua frente, dois caminhos diferentes, vida e morte e escolherás”.

    Todos temos à Luz da Palavra a mesma face e somos irmãos em um só Pai. Em razão disso, nestes quatro dias de encontro, a juventude lembrou do seu compromisso com o “projeto de formação inspirado na espiritualidade do segmento de Jesus Cristo” e debateu a violência em suas mais diversas faces.

    A sociedade brasileira é, hoje, uma das mais desiguais do mundo. Tal situação reflete um modelo social que impõe um ideal de consumo ilusório e inatingível aos pobres, somente possível para os mais ricos. Esse modelo alimenta a difusão da violência, resultando de muitos conflitos e tensões produzidos por um mundo desigual, incapaz de respeitar a dignidade das pessoas. Uma desigualdade que, aos olhos do cristão, é um escândalo e, ao mesmo tempo, um desafio, diante do qual não basta protestar ou lamentar, mas é preciso redobrar com lucidez e  com perseverança o empenho na construção de uma sociedade justa e solidária (Doc. 85 - CNBB, Evangelização da Juventude. pag. 57).
     
    Por meio de oficinas e palestras, recordamos que os nossos semelhantes sofrem com diversos tipos de violências: violência urbana e rural; ambiental e doméstica; contra as mulheres, contra o idoso, contra os indígenas, contra os trabalhadores e contra a juventude. Estas são a prova de que vivemos em uma sociedade doente, obcecada pelo capital e cheia de egoísmo. No entanto, o Cristo Jovem nos mostra que o caminho e a saída é o Mandamento do Amor.

    A evangelização dos jovens não pode visar somente a suas relações mais próximas – como o grupo de amigos, a família, a amizade, a fraternidade, a afetividade e o carinho, as pequenas lutas do dia a dia. A ação evangelizadora deve também motivar o envolvimento com as grandes questões que dizem respeito a toda a sociedade, como: a economia, a política, e todos os desafios sociais de nosso tempo. Há necessidade de animar e capacitar o jovem para o exercício da cidadania, como uma dimensão importante do discipulado [...]. (Doc. 85 - CNBB, Evangelização da Juventude. pag. 57).

    Conforme o tema deste encontro, temos dois caminhos à nossa frente. Um dos caminhos, o da morte, já foi escolhido pelos grandes latifundiários, pelo grande empresariado, pelos idealizadores e executores dos grandes projetos na Amazônia e por parte de nossa classe política. O caminho da morte é protagonizado pelos que provam sua incompetência depositando na violência o seu último argumento. Hidrelétricas, mineradoras, grilagens e garimpos, somadas a má gestão e a corrupção, são ceifadores da vida do povo amazônida.
     
    Contudo, dizemos NÃO a todos que escolhem o caminho da morte e levamos sempre o Santo Evangelho na luta contra esse caminho destrutivo. No entanto, rezamos pela conversão de todos no Amor de Cristo e nos abrimos ao debate neste desafio, a fim de anunciar a liberdade, a igualdade e a fraternidade a todos os povos, e fazemos assim a nossa escolha pelo caminho da vida.

    Nesse sentido, uma das formas de se prevenir a violência, se faz por meio da garantia da dignidade da pessoa e dos direitos humanos, previstos no Pacto de São José da Costa Rica, e na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. O artigo 6º da Constituição Federal, afirma que “São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção a maternidade e a infância, a assistência aos desamparados”.

    Ademais, o artigo 227, diz que “é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar a criança, ao adolescente, e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação e ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade, à convivência familiar e comunitária, além de colocá-lo a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”.

    A Santa Palavra, no entanto, é a nossa base para a escolha do caminho da vida. Lembramos que o Evangelho do Amor deve nos reger para o Bom Caminho já que o próprio Cristo nos lembra que Ele veio “para que todos tenham vida, e tenham vida em abundância (Jo 10,10)”.

    Somos Igreja Jovem e “acreditamos na Luz e alimentamos sempre a esperança [...], renovamos nossos compromissos batismais e crismais na defesa e promoção da vida onde a morte é semeada; do amor e da paz onde o ódio é espalhado; da justiça quando vemos os povos do Xingu agredidos por injustiças, violências, desrespeito e discriminação” (Carta Compromisso do Seminário do REPAM/Xingu 2017).

    Fazemos coro aos movimentos eclesiais e sociais que lutam pela vida de todos aqueles que sofrem com qualquer forma de violência, e mais ainda, nos propomos a anunciar sem receio e sem fronteiras o Mandamento Novo: AMEM-SE UNS AOS OUTROS (Jo 13, 34).

    Ao fim do encontro que nós, irmãos e irmãs em Cristo, possamos nos recordar que a Caminhada da juventude inicia-se agora. Nas nossas comunidades, nos encontros de base, na nossa vivência cristã na sociedade. É lá que de fato vamos recomeçar a nossa caminhada, renovados e fortalecidos com esses dias de encontro. É hora de lembrar da Palavra, segundo São Lucas e, que possamos guardar isso no nosso íntimo: “Levantaram-se, voltaram e contaram o que tinha acontecido no caminho” (Lc 24, 33.35).

    É hora do anúncio. É hora do anúncio da escolha da vida.

    Viva a Pastoral da Juventude do Xingu!

     
  • 2ª Caminhada da Juventude do Xingu

    São Luís, 06 de setembro 2017

     

    Caros Jovens participantes da 2ª Caminhada da Juventude do Xingu (CAJUX), Paz e Bem!

     

    Infelizmente não poderei estar convosco nesta caminhada. Mas estou em sintonia pela oração torcendo pelo bom andamento deste evento.

     

    Desde que cheguei na nossa Prelazia logo notei que a Pastoral da Juventude (PJ) é uma das mais expressivas e atuantes neste solo sagrado do Xingu. Como Pastoral vocês expressam o rosto jovem e cheio de esperança da Igreja do Xingu que tem uma história de protagonismo e luta em defesa da vida e do planeta como nossa casa comum.

     

    Como vosso pastor quero parabenizá-los e expressar meu apoio e bênção a todos os participantes desta 2ª CAJUX, idealizada e realizada pela Pastoral da Juventude que neste ano 2017 acontece no Município de Senador José Porfíro (Souzel).

     

    Esta caminhada quer refletir sobre a violência em nossa região, fruto da situação trágica que nosso país está vivendo. Nossa situação política atual está marcada pela incapacidade de gerir os bens públicos. A ganância da maioria dos que estão no poder faz com que “os ricos ficam cada vez mais ricos às custas do pobres cada vez mais pobres” (São João Paulo II). Esta caminhada pacífica no dia da “independência do Brasil” quer ser um grito profético de nossa juventude em favor da vida e da luta pela preservação de nossa casa comum. Um novo mundo é possível.

     

    "Vocês são o presente jovem da Igreja e da humanidade... A Igreja precisa de vocês, como jovens, para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo, que se desenha na comunidade cristã. Sem o rosto jovem a igreja se apresentaria desfigurada" (Bento XVI). A Juventude deve ser imagem de Jesus Cristo que age no mundo como sal, luz e fermento na terra fértil do Xingu.

     

    “Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós” (1 João 2,14). Vossa caminhada no presente nos dá esperança de um futuro melhor. Façamos de nossa vida Evangelho vivo! “Levem o Evangelho como força de Deus, para extirpar e destruir o mal e a violência; para devastar e derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio; para construir um mundo novo. Jesus Cristo conta com vocês! A Igreja conta com vocês!” (Papa Francisco). O Xingu conta com vocês.

     

    A todos desejo uma abençoada caminhada! Contem com minha oração e bênção.

     

    Dom João Muniz Alves, OFM.

    Bispo do Xingu

     
  • Pedimos ao Senhor da Vida

    Senhor, salvai o vosso povo e libertai-o”

    (Salmo 27,9)

     

    Reunidos em Belém, de 28 a 31 de agosto de 2017, nós, bispos do Regional Norte II da CNBB (Pará e Amapá) nos deparamos mais uma vez com a realidade preocupante em que os povos indígenas, quilombolas e outros grupos tradicionais se encontram. Apesar de inscritos na Constituição Federal de 1988 (Art. 231 e 232) os direitos indígenas estão seriamente ameaçados pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215/2000 que pretende passar a decisão final da demarcação de terras indígenas do Executivo para o Legislativo e a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº 3239, que prevê a Lei do Marco Temporal para definir um limite de tempo para a ocupação e o reconhecimento de terras indígenas e questiona a existência dos territórios quilombolas.

     

    Para favorecer o agronegócio, as empresas mineradores e os criadores de gado, grupos representados pela bancada ruralista no Congresso propõem a anulação ou diminuição de áreas tradicionalmente habitadas por povos indígenas e quilombolas e a abertura de Áreas de Conservação a empresas mineradoras. Projetos de mineração e agronegócio do jeito como vêm sendo implementados na Amazônia trazem consequências desastrosas e irreversíveis para o meio-ambiente e os povos que habitam essa região. O recente decreto presidencial sobre a extinção da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca) emanado sem nenhuma consulta prévia dos povos diretamente atingidos como prevê a Constituição Federal é mais um golpe contra a Amazônia.

     

    Como pastores da Amazônia não podemos nos calar diante dos desmandos governamentais e conclamamos a todos os homens e mulheres de boa vontade a se opor às contínuas investidas contra a Amazônia e seus povos “utilizando inclusive legítimos mecanismos de pressão, para que o governo cumpra o dever próprio e não-delegável de preservar o meio ambiente e os recursos naturais (...) do seu país, sem se vender a espúrios interesses locais ou internacionais” (LS 38).

     

    Pedimos ao Senhor da Vida que salve os seus povos da extinção física e cultural e liberte a Amazônia da destruição e ruína.

     

    Belém, 30 de agosto de 2017

    Os bispos do Pará e Amapá.


     

     

     
  • A esperança cristã vence as tragédias do mundo

    Altamira, 22 de agosto de 2017

     

    Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá” (Jo 11,25).

     

    Caríssimos irmãos e irmãs, Paz e bênçãos!

     

    Profundamente consternado pelo naufrágio que vitimou e levou a óbito tantos irmãos e irmãs no dia 22 de agosto, desejo apresentar aos familiares e a todo o povo do Xingu minhas mais sinceras condolências.

     

    Elevemos a Deus nossas preces pelos parentes das vítimas e por todo o Povo de que chora seus falecidos neste trágico naufrágio. “A esperança cristã vence as tragédias do mundo” (Papa Francisco). Estamos unidos a todos vocês pela oração.

     

    Nesta hora, anima-nos a certeza da promessa do Cristo que disse: “Quem crê em mim, ainda que tenha morrido, viverá” (Jo 11,25). Consolem a todos a fé e a esperança no Cristo, ressurreição e vida para os que nele creem. Que o Deus de misericórdia faça brilhar sobre estes irmãos e irmãs falecidos a luz divina, participando do convívio dos eleitos.

     

    Unidos pela oração. Vosso irmão,

     

     

    Frei João Muniz Alves, OFM

    Bispo da Prelazia do Xingu


     

     
  • Silêncio da Morte

    O silêncio da morte paira sobre o Xingu.

    Corpos inertes flutuam de braços erguidos

    Nas águas verdes-esmeralda.

    Uma mulher sem vida,

    agarrada às suas crianças!

     

    Xingu majestoso,

    Xingu misterioso,

    By-tire dos Índios!

    Por que te revoltaste?

    Por que ficaste tão furioso?

    Por que agrediste o navio

    Que singrava tuas águas?

     

    Ou foram homens que te provocaram?

    Ávidos de lucro, te desrespeitaram?

    Ultrapassaram os limites de carga e passageiros?

     

    Ó minha Porto de Moz querida,

    Cidade de um povo

    alegre e sorridente!

    Agora o luto enche tuas casas,

    A aflição e tristeza te abalam.

    Gritos de dor ecoam pelas ruas,

    Defuntos são levados à derradeira morada,

    Insônia e pesadelos povoam a noite.

     

    Ó minha Porto de Moz querida,

    O silêncio sufocante da morte te invadiu!

     

    Mas será da morte a última palavra?

    Não! Jamais! A morte foi tragada pela Vida!

     

    Mesmo com o rosto desfigurado pelas lágrimas

    Adoramos a tua Cruz, Senhor.

    Mesmo com o coração traspassado de dor

    Professamos nossa fé na Ressurreição.

    Mesmo com a alma atônita,

    Confiamos a Ti nossos irmãos e irmãs.

     

    Dom Erwin

    24 de agosto de 2017

     
  • Naufrágio em Porto de Moz

    Embarcação naufraga entre as cidades de Porto de Moz e Senador José Porfírio com pelo menos 70 pessoas a bordo.

     

    A embarcação Comandante Ribeiro que saiu da cidade de Santarém com destino a Vitória do Xingu ontem, dia 22 de Agosto, naufragou no rio Xingu por causa da forte ventania e da chuva forte que caiu em toda a região ontem a noite. Na embarcação estavam cerca de 70 pessoas a bordo e até o momento pelo menos 25 pessoas já foram resgatadas com vida e 10 corpos localizados.

     

    A movimentação no porto da cidade de Vitória do Xingu é intensa. Muitos curiosos e familiares de passageiros que estavam na embarcação, estão em busca de informações sobre o naufrágio dessa madrugada. A prefeitura de Vitória do Xingu, já deslocou equipes de médicos e paramédicos para o local do acidente. Na cidade de Porto de Moz, o desespero de parentes de vítimas no porto, onde a todo momento chegam passageiros da embarcação que afundou. As vítimas estão sendo trazias em voadeiras que ajudam no resgate.

     

    O acidente com a embarcação aconteceu em uma área denominada de Ponta Grande do Xingu, entre as cidades de Porto de Moz e Senador José Porfírio. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, já foram encontrados sete corpos de vítimas do naufrágio. O navio Comandante Ribeiro saiu do município de Santarém, com cerca de 70 pessoas a bordo. A embarcação tinha escala nos municípios de Monte Alegre, Prainha e destino final em Vitória do Xingu. Poucas horas depois da tragédia, cerca de 25 vítimas do naufrágio chegaram à margem do rio com vida.

     

    De acordo com a SEGUP (Secretaria de Segurança do Estado do Pará, trabalham no resgate das vítimas do naufrágio as Defesas Civis Municipais de Belém, Senador José Porfírio e Vitória do Xingu. A Polícia Civil já investiga as causa dessa tragédia. Equipes de Mergulhadores da Capital e aeronaves estão caminho para o Local para as buscas das Vítimas que estão desaparecidas.

     

    Matéria: Glici Lima

    Jornal Cidade Livre - Prelazia do Xingu

    Imagens: Internet/ Pm/Bombeiros

     

     

     
  • ROMARIA DA FLORESTA, caminhada da ESPERANÇA

    Texto de: Danyllo da Pastoral da Juventude do Xingu

     

    A Paróquia Santa Luzia do Anapu no Estado do Pará, desde 2006 realiza a Romaria da Floresta. Uma caminhada na fé, oração e esperança com uma peregrinação de mais de 50 km, Ela inicia no Centro de Formação São Rafael localizado no centro da cidade e vai até o local onde Ir. Dorothy Stang, religiosa, missionária, representante da Comissão Pastoral da Terra(CPT) foi assassinada por pistoleiros. Os mandantes poderosos que por meio de grilagem se apossavam de terras públicas. O motivo de tal ato brutal foi porque ela estava junto dos agricultores organizando-os na luta por justiça e na busca de seus direitos junto as autoridades competentes e com bases legais.

     

    Esse ano a Romaria da Floresta realizou-se de 20 a 23 de julho de 2017, com a mistica de início de caminhada com a presença de Dom João Muniz Alves, bispo do Xingu.

     

     

    Entre muitas frases ditas por Ir Dorothy uma ecoa forte em nosso meio e por todos os continentes “A morte da floresta é o fim de nossas vidas. E assim como Dorothy, consideramos que esse modelo de desenvolvimento que se baseia somente no lucro, como: destruidor da natureza, concentrador de riquezas, opressor dos indefesos, explorador dos pobres e excluídos, repressor de direitos e ceifador de vidas, ele não condiz com o projeto de sociedade que o Cristo queria.

     

    Caminhamos, rezamos em romaria e continuamos lutando, porque consideramos justa a resistência popular pelo direito dos que não conseguem se defender, e são silenciados com ameaças covardes. A Igreja do Xingu acolhe estes pequeninos em seu lar, sentindo suas dores e lutando para que tenham o direito a vida, a terra, a justiça, a paz.

     

     

    Lembramos que em tempos de retrocessos com o avanço do “modo conservador de governar” a política brasileira tem sido ocupada e encabeçada por grupos e figuras que se utilizam do poder para implantar projetos e aprovar políticas que visam a manutenção de seus privilégios, retirando recursos e direitos básicos e inalienáveis do povo.

     

    Nós, povo brasileiro, juventude e sociedade organizada precisamos ter clareza do que se passa, para nos posicionarmos junto as trincheiras dos que estão lutando em defesa da democracia e da vida, exercendo sua cidadania de maneira consciente e responsável. Precisamos se bons de oração e de luta!

     

     

    Esse ano os organizadores da Romaria da Floresta contaram com a ajuda da Pastoral da Juventude do Xingu (PJX) que colocou em seu calendário anual a participação ativa e efetiva da juventude nesse momento de fé, de consciência e de resistência com a presença de 150 jovens, totalizando mais de 350 romeiros e romeiras a caminharem na fé e na defesa da vida por quatro dias fortes e firmes em seu compromisso de fé e de missão no solo sagrado do Xingu. O encerramento da caminhada finalizou com a celebração da Santa Eucaristia presidida por Dom Erwin Krautler, bispo emérito do Xingu.

     

     

    A Pastoral da Juventude do Xingu e toda a equipe organizadora da Paróquia Santa Luzia agradece de coração a todos e todas que se disponibilizaram em sair do conforto de suas casas para vivenciar a experiência da Romaria da Floresta, que a cada ano se amplia e se faz necessária como grito de esperança e profecia. A Romaria não é um simples evento, mas um processo que se consolida em um momento de reflexão sobre o modelo de desenvolvimento, de sociedade, de Igreja, de ser humano firmes na fé e na justiça que buscamos e queremos alcançar inciando já aqui o Reino de Deus.

     

    Lembramos que não foram apenas 4 dias fora de casa, caminhando, mas 4 dias de troca de experiências, de diálogos e de articulações e de ideias construindo caminhos de vida. Momentos também fortes de denúncias, de reflexões, de memórias de nossa história e de nossos mártires, onde se visualiza e se sente o eco das emoções, das lamentações, da indignação do Povo de Deus, mas também é um momento de muita animação com canções, paródias, músicas, adorações, gritos e orações. Ao mesmo tempo se partilha e se compadece com as dores, com os cansaços, com as lágrimas e com as misticas que nos fazem compreender o sentido profundo do companheirismo, da fraternidade e da solidariedade entre irmãos forjadas na luta. Tudo isto surge a partir do respeito, carinho e consideração que nos faz superar todos os limites, ao mesmo tempo que passam a fortalecer a caminhada do povo de Deus, porque tudo está interligado.

     

    Romaria da Floresta é VIDA!

    Caminhada de fé e vida dos romeiros, isto é ESPERANÇA!

    Dorothy vive para SEMPRE!!!!

    Povo do XINGU e Pastoral da Juventude PRESENTE SEMPRE!

    Louvado seja nosso Senhor!!!

     
  • Um jovem, missionário em missão nas plagas do Xingu

    Quem estuda missiologia, se depara com um dos poemas mais belos de D. Helder Câmara que diz: “Missão é partir, caminhar, deixar tudo, sair de si, quebrar a crosta do egoísmo que nos fecha em nosso eu”.

    E olhe que quando esse poema foi escrito, esse jovem nem era conhecido e reconhecido no mundo, apenas no seu mundinho de Lordi. Apenas dizendo sim ao Pai, doara a sua vida a um povo. Partiu de seu pequeno mundo, caminhou, e navegou muito, quebrou tudo que em sua juventude pudesse fomentar o egoísmo de se fechar no seu próprio eu, e doou-se a um povo que nem conhecia, de outro continente, tudo por causa do primeiro amor: único e permanente.

    Foi muito mais além, deixou o seu EU, encontrou o TU nos irmãos e formou o NÓS – comunidade.

    Deixou de dar volta sobre suas individualidades, pretensões, ambições, sucesso… não centralizou em si, foi além, abriu-se para o povo. Partiu para outras terras além-mar: Brasil, Amazônia, Pará, Xingu, Altamira, Gurupá…

    Foi ao povo, e dia após dia, foi construindo um relacionamento, um elo de amizade e irmandade que rompe qualquer problema pessoal, porque a comunidade fala mais alto.

    Os pequenos problemas: intriga, discórdia, desunião, desentendimento tornam-se besteira perto da defesa da vida, do amor maior à causa do Reino e do amor incondicional pela obra-prima de Deus, a Humanidade.

    Nessa caminhada de 50 anos de Sacerdócio não correu acelerado, não devorou quilômetros, foi passo a passo no serviço, no diálogo, no anúncio e no próprio testemunho de fé; abriu-se para os outros e se tornou irmãos dos outros, sem excluir ninguém.

    Descobriu e reencontrou irmãos e irmãs! Dizem que amigos a gente não faz, a gente os reconhece na jornada de nossas vidas. Por isso foi semeando amizades no decorrer da caminhada missionária.

    Teve a oportunidade de viver quarenta e sete anos no Xingu. Na realidade inculturou-se a nós. Não conseguimos ver Gurupá sem o rosto de Pe. Giulio. Somos resultados de vossa presença, ensinamento, orientações, experiência e convivência fraterna conosco.

    Juntos temos dádivas e histórias a contar; marcas de cicatrizes de tempos difíceis; e violência bruta cometida contra o povo de Deus; momentos conflitivos convividos e solucionados. Mas também muita fé e caminhada missionária registrada a cada dia, semanas, meses e anos que convivemos juntos.

    Esse grande missionário somado a nós formamos uma grande família povo de Deus. E nos ensina que se é para amar o Senhor e amar a cada irmão e irmã, cada um de nós precisamos atravessar os mares existenciais e diferenciais que nos separam do outro e voar nos altos céus em busca do Sol Amado e

    novamente mirar em nosso irmão e irmã e encontrar o reflexo desse Sol, neles e juntos de mãos dadas acreditar que vai ser bonito cantar a canção e ver no olhar da gente a certeza do irmão e da irmã, reinado do povo fazendo acontecer uma terra sem males.  E então, partir até os confins do mundo a servir, anunciar, dialogar e testemunhar sempre no amor...

    E ao viver e ensinar isso a nós, podemos afirmar como Papa Francisco: “Foi belo, por que o senhor pode, ao fim do dia, dizer: hoje realizei um gesto de amor pelos outros!”

    E no vosso caso, nesses 50 anos realizou 17.155 gestos de amor pelos outros...

    Para essa experiência não tem palavras a dizer a não ser nossa eterna gratidão e nosso:

    Muito obrigada, obrigado!

    Que o Senhor lhe abençoe e lhe guarde

    O Senhor lhe mostre a sua face

    e se compadeça de lhe.

    O Senhor volva seu rosto para lhe e te dê a paz.

    O Senhor lhe abençoe!”

     
  • NASCE A ÁREA PASTORAL PE. FREDERICO TSCHOL

    O dia de Nossa Senhora de Fátima de 2017 foi marcado por um momento especial e importante à Região Pastoral de Altamira, porque foi instituída no território da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição a Área Pastoral Pe. Frederico Tschol numa celebração eucarística presidida por Dom João Muniz Alves, na Igreja de um dos novos reassentamentos urbanos, denominado JATOBÁ.

     

    A criação desta nova área pastoral tem como objetivo um maior acompanhamento, assistência e presença missionária da Igreja em 4 bairros novos da cidade: Jatobá, Água Azul, Paixão de Cristo e Viena. Bairros esses que foram organizados para acolher os moradores das áreas de risco afetadas com os impactos da construção da Hidrelétrica de Belo Monte e que já estavam organizados em comunidades eclesiais de Base como Comunidade São João Batista (Baixado do Tufi) São Benedito (Aparecida), Nossa Senhora Aparecida (Peixaria) e Santa Maria de Matias (Açaizal) e parte dos Bairro Aparecida, Boa Esperança, Independente I e II.

     

    Essa nova área pastoral está sob a responsabilidade e acompanhamento pastoral missionário da Congregação Verbo Divino através do Pe. Rudolvus Julius Oetpah, SVD e Pe. Patrick Francis Brennan, SVD e com a colaboração das irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã.

     

    A Área Pastoral recebeu o nome de Pe. Frederico Tschol em homenagem a esse grande missionário, visionário e de total dedicação ao serviço pastoral e social na região de Altamira de 1958 a 2016. E que retornou ao Pai em 16 de outubro de 2016.

     

     
  • Ela defendia a vida da Floresta - Convite

    12 de junho de 2017

     

    Convite

     

     

    O Comitê em Defesa de Anapu com a Comissão Pastoral da Terra e a Paróquia Santa Luzia junto com a Pastoral da Juventude, convidam as Comunidades Eclesiais de Base, os grupos de Juventude, as Paróquias da região, grupos organizados que trabalham para melhorar o mundo, e as pessoas com este sonho para nos dias 20 a 23 de julho de 2017 participar da caminhada da 12ª Romaria da Floresta em Anapu, Pará.

     

    Há 12 anos que Irmã Dorothy foi assassinada porque defendia o direito do povo à Terra, a um meio de viver com dignidade com justiça e segurança.  e a Natureza toda como a própria vida do Povo. “A morte da Floresta é o fim da nossa Vida,” ela dizia. Ela defendia a retomada das terras de Anapu que são públicas dos grileiros. Por isso incomodava os grandes e foi morta.

     

    Nestes 12 anos, o povo continuou a lutar por este mesmo projeto: retomada das terras públicas dos grileiros para a Reforma Agrária, ocupação destas terras pelas famílias de agricultura familiar para produzir, viver bem e defender a natureza. Nestes 12 anos o povo vem lutando com paciência exigindo que os governos municipal, estadual e federal comprem seus deveres e obrigações com o povo e exigindo que o Ministério Público Estadual e Federal faça justiça mesmo.

     

    Mas o processo é devagar, muito devagar e a paciência está ficando pouco e procuramos até quando temos de esperar a justiça? Até quando temos de aguentar as ameaças contra nossa vida e segurança e a vida e segurança das nossas filhas e dos nossos filhos? Até quando temos de esperar pelo cumprimento de nossos direitos? Até quando teremos a paciência de esperar?

     

    Há 12 anos que fazemos a Romaria da Floresta, a caminhada do túmulo da Dorothy no Centro São Rafael até o lugar no PDS Esperança onde ela foi morta, um ato de fé, de resistência, de celebração, de memória. É um momento de partilha, de fortificar nossa fé em nós mesmos, e em nossa organização e celebrar a memória da Dorothy e outros mártires e nossas vitórias.

     

    Este ano estamos celebrando a graça especial de ter a imagem da Nossa Senhora Aparecida que está fazendo uma peregrinação por Brasil conosco. Ela vai caminhar conosco até o PDS. Nossa Senhora Aparecida foi encontrado por pescadores pobres, e tem sido a Santa especial dos pobres e das pobres trabalhadores, oprimidos e sofredores. Na celebração da fé nela encontramos a força de se juntar e lutar para a vida, a dignidade, a liberdade e a alegria!

     

    Neste momento da nossa história a violência é demais. Toda semana tem uma chacina numa área rural, num bairro urbano ou numa favela -- muitas vezes com o envolvimento da Polícia Militar. A corrupção e podridão dos governantes de cima são demais. Nas palavras do Zezé de Camargo e Luciano: Este trem está desgovernado!

     
  • JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL

    Dia de “Corpus Christi”
    15 de junho de 2017

    A verdadeira paz começa no seu coração

    Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, para que dê a paz ao Brasil e ao mundo inteiro. “Reconhecemos a necessidade de rezar constantemente pela paz, porque a oração protege o mundo e o ilumina. A paz é o nome de Deus”. (Papa Francisco)

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
    Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar, para nos ajudar a construir a justiça e a paz, em nosso país.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
    Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.  

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
    Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejam atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos!

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
    Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos artesãos da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
    Vosso filho Jesus está no meio de nós, no Santíssimo Sacramento, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas. Seguindo o exemplo de Maria, queremos permanecer unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo. Amém!

    (Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)

     


     

     

     
  • Seminário Laudato Si e Rede Eclesial Pan-Amazônica-REPAM Altamira – Pará

     

    Carta Compromisso da Prelazia do Xingu


     

    A Igreja, Povo de Deus do Xingu, em diálogo com os movimentos sociais, procura viver no Espírito do Ressuscitado que é luz para nosso caminho e garantia da Vida em plenitude. Durante os dias 26 a 28 de maio de 2017 nos reunimos no Centro de Formação Bethânia para o Seminário da REPAM respondendo ao apelo de nosso papa Francisco para aprofundar sua Encíclica “Laudato Si (Louvado Sejas), sobre o Cuidado com a Casa comum”. Acreditamos na Luz e alimentamos sempre a esperança, mesmo quando se faz noite sobre o solo sagrado do Xingu regado com o sangue dos nossos mártires. Com a graça de Deus renovamos nossos compromissos batismais e crismais na defesa e promoção da vida onde a morte é semeada; do amor e da paz onde o ódio é espalhado; da justiça quando vemos os povos do Xingu agredidos por injustiças, violências, desrespeito e discriminação.

    O clamor da Mãe Terra se junta ao clamor de suas filhas e filhos. Denunciamos os efeitos causados pelos grandes projetos predatórios: hidrelétricas, mineradoras e garimpos, agropecuária e madeireiros que ocasionam aumento populacional desordenado nas cidades provocado pelo êxodo rural; o deslocamento forçado; aumento dos índices de violência urbana, no campo e contra indígenas; desemprego; prostituição e abuso sexual; tráfico humano; aumento do consumo de drogas e álcool; ausência de políticas públicas básicas e de qualidade; aumento do desmatamento; uso indiscriminado de agrotóxicos; morte cultural dos indígenas pela fragmentação das aldeias, e invasão e grilagem nas terras indígenas e extrativistas. Denunciamos que a maioria das condicionantes para a construção de Belo Monte não foi cumprida. Agora os impactos causados são duradouros, em grande parte irreversíveis.

    Apesar destes males, mantemos vivas a esperança e a coragem porque reconhecemos que o Senhor caminha conosco e nos orienta: “Não tenham medo”! Queremos ser uma “Igreja em saída”, discípula e missionária que vive e anuncia o Evangelho “derrubando muros e construindo pontes” neste solo sagrado. São sinais desta construção de pontes: Agricultura Familiar; projetos agroecológico – extrativistas; lutas e resistências dos povos indígenas e comunidades tradicionais (quilombolas, ribeirinhos); o protagonismo da juventude e das mulheres nas Comunidades Eclesiais de Base e movimentos populares;

    Aprendemos com a Laudato Si, que há duas crises graves e urgentes que se articulam e se influenciam: a crise climática e a crise ecológica. Elas são consequências de uma economia que visa apenas o lucro e do individualismo consumista como centro da vida social. O papa nos propõe a Ecologia Integral, onde o ser humano e a natureza encontram-se interligados. Convoca-nos a uma ação política de tomada de posição em defesa da vida no Planeta; a uma conversão ecológica e promoção da educação ambiental. Ainda a cultivar e cuidar da Criação, como compromisso com as atuais e futuras gerações.

    Comprometidos então com o pedido do Papa Francisco, somos responsáveis com as seguintes ações:

    • Construir um fórum composto pelos povos tradicionais implementando medidas educacionais levando em consideração a questão étnico-racial nas escolas dos municípios;

    • Unir forças na proteção das terras e meio ambiente contra as políticas predatórias dos grandes projetos e dos empreendimentos governamentais;

    • Reconhecer e manter as experiências e os saberes tradicionais;

    • Valorizar os produtos da região e lutar pela regularização fundiária;

    • Propor que as Universidades Públicas e os centros de pesquisa públicos acompanhem as atividades desenvolvidas dos grandes projetos de exploração e mineração informando os resultados à sociedade;

    • Reforçar o apoio às políticas públicas para infância e juventude;

    • Apoiar implantação de Centros de Apoio Psicossocial Álcool e Droga-CAPS-AD;

    • Criar uma Ouvidoria ou uma pastoral da escuta para acompanhamento das famílias nas paróquias e das famílias atingidas;

    • Cobrar as condicionantes de Belo Monte não cumpridas pelos consórcios, assim como de outros projetos de mineração (Belo Sun, Pulma, Vale);

    • Participar dos conselhos de controle social dos municípios;

    • Apoiar e lutar por uma nova política energética e pela Política Nacional dos Atingidos por Barragens;

    • Despertar a consciência prática da Ecologia Integral;

    • Implementar um projeto de evangelização para juventude, enfrentando as violências e considerando as suas famílias;

    Celebramos a vida que é dom de Deus e, na interação com a natureza, lançamos sementes de árvores nativas, convictos de que elas frutificarão efetivando a implantação da Rede Eclesial Pan-Amazônica no Xingu.

    Pedimos ao Deus vivo que abençoe, e a sua Mãe, Virgem de Nazaré, rainha da Amazônia, nossa padroeira, que interceda por nós para que sejamos fiéis a nossa missão na defesa da vida no Xingu.

    Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

    Altamira, 28 de maio de 2017


     

    Povo de Deus do Xingu

     

    veja algumas fotos no facebook do Seminário do REPAM-XINGU

     
  • COLETIVA DE IMPRENSA REPAM

    Nesta última terça-feira o Bispo do Xingu, Dom João Muniz, junto a coordenação do Pastoral fizeram uma coletiva de Imprensa para o lançamento do Seminário “Laudato Si”- (Louvado seja) que será realizado pela Rede Eclesial Pan Amazônica. O local escolhido foi o Sítio Betânia.

     

     

     

     

    Foi um lançamento feito dentro do espírito do REPAM, na intenção de marcar a temática amazônica, na beira do Igarapé.

     

     

     

     

    A divulgação de que o Seminário do REPAM que vai nos dias 26 a 28 de maio de 2017, para a Imprensa local, tem um intuito de também indicar uma pauta aos Meios de Comunicação Sociais em preparação a este importante evento.

     

    Houve um momento também para uma breve confraternização com os profissionais de comunicação.

     

    A preocupação ambiental da Igreja através da Encíclica Papal aponta caminhos a todas as pessoas, na orientação de um desenvolvimento sustentável, que deve ocorrer em todos os níveis: pessoal, comunitário e social. Nas atitudes do dia a dia, em produções na roça e na cidade. Na produção visando a sustentabilidade de todo o sistema. Rever práticas, visualizar o que se tem e a partir dai projetar um futuro melhor e sustentável.

     

     

    Abaixo o conteúdo para divulgação:

     

    A REPAM, Comissão Episcopal para A Amazônia e Prelazia do Xingu realizarão o SEMINÁRIO LAUDATO SI nos dias 26 a 28 de maio de 2017, no Centro de Formação Bethânia a fim de aproximar mais as Igrejas locais aos ideais da REPAM nacional.

     

    Participarão lideranças de nossa Igreja no Xingu, Poder Público, Instituições Acadêmicas, E Organismos não governamentais. O Seminário se propõe iluminar a realidade local através de uma ação educativa para criar uma cultura ecológica e elaborar um mapeamento eclesial da Pan-Amazônia nos três eixos: eclesial, social e ambiental.

     

    OBJETIVO DA REPAM

    Fortalecer a presença missionária no território amazônico, por meio de parceria entre diversas entidades como o Conselho Episcopal Latino-Americano, a Rede Cáritas e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A proposta da Repam é unir forças e criar caminhos de diálogo, cooperação e articulação entre todos os atores eclesiais presentes na região.

     

    OBJETIVO DO SEMINÁRIO

    Tornar a REPAM conhecida, a fim de que possa identificar e fortalecer iniciativas socioambientais da Igreja e da sociedade civil na Amazônia, possibilitando o intercâmbio de saberes e ações, caracterizando o trabalho em rede.

     

    PROGRAMAÇÃO

     

    MOMENTOS FORTES:

    1º -  26/05/2017-Audiência Pública

    2º -  27/05/2017-Estudo, aprofundamento, análise e diagnóstico da realidade da Região do Xingu e Transamazônica

    3º -  Estudo da Encíclica Laudato Si

     

    Visite o site da REPAM

    Assista ao Vídeo:

     
  • CNBB divulga nota sobre momento nacional

    Redação A12, 04 de Maio de 2017 às 16h54. Atualizada em 04 de Maio de 2017 às 17h00.

     

     

    O GRAVE MOMENTO NACIONAL

     Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça” (Mt 6,33)

    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil–CNBB, por ocasião de sua 55ª Assembleia Geral, reunida em Aparecida-SP, de 26 de abril a 5 de maio de 2017, sente-se no dever de, mais uma vez, apresentar à sociedade brasileira suas reflexões e apreensões diante da delicada conjuntura política, econômica e social pela qual vem passando o Brasil. Não compete à Igreja apresentar soluções técnicas para os graves problemas vividos pelo País, mas oferecer ao povo brasileiro a luz do Evangelho para a edificação de “uma sociedade à medida do homem, da sua dignidade, da sua vocação” (Bento XVI - Caritas in Veritate, 9).

    O que está acontecendo com o Brasil? Um País perplexo diante de agentes públicos e privados que ignoram a ética e abrem mão dos princípios morais, base indispensável de uma nação que se queira justa e fraterna. O desprezo da ética leva a uma relação promíscua entre interesses públicos e privados, razão primeira dos escândalos da corrupção. Urge, portanto, retomar o caminho da ética como condição indispensável para que o Brasil reconstrua seu tecido social. Só assim a sociedade terá condições de lutar contra seus males mais evidentes: violência contra a pessoa e a vida, contra a família, tráfico de drogas e outros negócios ilícitos, excessos no uso da força policial, corrupção, sonegação fiscal, malversação dos bens públicos, abuso do poder econômico e político, poder discricionário dos meios de comunicação social, crimes ambientais (cf. Documentos da CNBB 50– Ética, Pessoa e Sociedade – n. 130)

    O Estado democrático de direito, reconquistado com intensa participação popular após o regime de exceção, corre riscos na medida em que crescem o descrédito e o desencanto com a política e com os Poderes da República cuja prática tem demonstrado enorme distanciamento das aspirações de grande parte da população. É preciso construir uma democracia verdadeiramente participativa. Dessa forma se poderá superar o fisiologismo político que leva a barganhas sem escrúpulos, com graves consequências para o bem do povo brasileiro.

    É sempre mais necessária uma profunda reforma do sistema político brasileiro. Com o exercício desfigurado e desacreditado da política, vem a tentação de ignorar os políticos e os governantes, permitindo-lhes decidir os destinos do Brasil a seu bel prazer. Desconsiderar os partidos e desinteressar-se da política favorece a ascensão de “salvadores da pátria” e o surgimento de regimes autocráticos. Aos políticos não é lícito exercer a política de outra forma que não seja para a construção do bem comum. Daí, a necessidade de se abandonar a velha prática do “toma lá, dá cá” como moeda de troca para atender a interesses privados em prejuízo dos interesses públicos.

    Intimamente unida à política, a economia globalizada tem sido um verdadeiro suplício para a maioria da população brasileira, uma vez que dá primazia ao mercado, em detrimento da pessoa humana e ao capital em detrimento do trabalho, quando deveria ser o contrário. Essa economia mata e revela que a raiz da crise é antropológica, por negar a primazia do ser humano sobre o capital (cf. Evangelii Gaudium, 53-57). Em nome da retomada do desenvolvimento, não é justo submeter o Estado ao mercado. Quando é o mercado que governa, o Estado torna-se fraco e acaba submetido a uma perversa lógica financista. Recorde-se, com o Papa Francisco, que “o dinheiro é para servir e não para governar” (Evangelii Gaudium 58).

    O desenvolvimento social, critério de legitimação de políticas econômicas, requer políticas públicas que atendam à população, especialmente a que se encontra em situação vulnerável. A insuficiência dessas políticas está entre as causas da exclusão e da violência, que atingem milhões de brasileiros. São catalisadores de violência: a impunidade; os crescentes conflitos na cidade e no campo; o desemprego; a desigualdade social; a desconstrução dos direitos de comunidades tradicionais; a falta de reconhecimento e demarcação dos territórios indígenas e quilombolas; a degradação ambiental; a criminalização de movimentos sociais e populares; a situação deplorável do sistema carcerário. É preocupante, também, a falta de perspectivas de futuro para os jovens. Igualmente desafiador é o crime organizado, presente em diversos âmbitos da sociedade.

    Nas cidades, atos de violência espalham terrorvitimam as pessoas e causam danos ao patrimônio público e privado. Ocorridos recentemente, o massacre de trabalhadores rurais no município de Colniza, no Mato Grosso, e o ataque ao povo indígena Gamela, em Viana, no Maranhão, são barbáries que vitimaram os mais pobres. Essas ocorrências exigem imediatas providências das autoridades competentes na apuração e punição dos responsáveis.  

    No esforço de superação do grave momento atual, são necessárias reformas, que se legitimam quando obedecem à lógica do diálogo com toda a sociedade, com vistas ao bem comum. Do Judiciário, a quem compete garantir o direito e a justiça para todos, espera-se atuação independente e autônoma, no estrito cumprimento da lei.   Da Mídia espera-se que seja livre, plural e independente, para que se coloque a serviço da verdade.

    Não há futuro para uma sociedade na qual se dissolve a verdadeira fraternidade. Por isso, urge a construção de um projeto viável de nação justa, solidária e fraterna. “É necessário procurar uma saída para a sufocante disputa entre a tese neoliberal e a neoestatista (...). A mera atualização de velhas categorias de pensamentos, ou o recurso a sofisticadas técnicas de decisões coletivas, não é suficiente. É necessário buscar caminhos novos inspirados na mensagem de Cristo” (Papa Francisco – Sessão Plenária da Pontifícia Academia das Ciências Sociais – 24 de abril de 2017).

    O povo brasileiro tem coragem, fé e esperança. Está em suas mãos defender a dignidade e a liberdade, promover uma cultura de paz para todos, lutar pela justiça e pela causa dos oprimidos e fazer do Brasil uma nação respeitada.

    A CNBB está sempre à disposição para colaborar na busca de soluções para o grave momento que vivemose conclama os católicose as pessoas de boa vontadea participarem, consciente e ativamente, na construção do Brasil que queremos.

    No Ano Nacional Mariano, confiamos o povo brasileiro, com suas angústias, anseios e esperanças, ao coração de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. Deus nos abençoe!

     Aparecida - SP, 3 de maio de 2017.

     

    Cardeal Sergio da Rocha

    Arcebispo de Brasília e Presidente da CNBB

    Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, SCJ

    Arcebispo de São Salvador da Bahia e Vice-Presidente da CNBB

    Dom Leonardo Ulrich Steiner

    Bispo Auxiliar de Brasília e Secretário-Geral da CNBB

     
  • No coração da Amazônia, depoimento de dom Erwin Krautler

    Xingu, que eu amo desde criança

    Conheci o Xingu através dos meus tios, padre Eurico e Guilherme, leigo. Vieram para o Xingu em 1934. As cartas que periodicamente enviaram para sua terra natal circulavam entre todos os familiares na Áustria. Falaram da realidade que estavam vivendo no Xingu. Tio Guilherme queria retornar para a Áustria em 1939, mas não foi mais possível. A guerra que estourou naquele ano impedia sua volta à pátria. Permaneceu no Brasil e casou-se em Santa Catarina. Dos seus doze filhos, um se tornou padre e duas filhas, religiosas. Tive o primeiro contato imaginário com o Xingu através desses tios. Padre Eurico falava em seringueiros, ribeirinhos, índios, especialmente os índios Kayapó. Assim meu imaginário de criança já estava povoado com gente e coisas do Xingu.

    Nasci na Áustria em 1939. Em 1978 naturalizei-me brasileiro. Hoje me apresento como brasileiro, nascido na Áustria. Minha família era pobre. Éramos seis filhos. Meu pai era professor. O que ganhava foi insuficiente para sustentar a família. Assim todos tínhamos que ajudar. Nas férias escolares eu trabalhava como ajudante de pedreiro. Cheguei a conhecer o mundo do trabalho na construção civil. Fiz muitas amizades. Aqueles operários de trabalho duro me aceitaram muito bem. Estavam felizes com a minha presença nos canteiros de obra, trabalhando com eles. Minha vocação nasceu a partir desta experiência, na Juventude Operária Católica – JOC. Pensava às vezes em fazer medicina ou letras. Mas, depois descobri que a melhor contribuição que poderia dar para o mundo seria como padre. Não sabia, porém, se ia ser jesuíta ou padre secular. Aí, sim, entrou a influência do tio padre Eurico. Ele me dizia: “Se tu queres ser padre por que não vens para a nossa congregação – Missionários do Sangue de Cristo?”. Aceitei a sugestão e fiz minha opção de vida nesta congregação.

     

    O surgimento de um missionário

    Depois de completar os estudos secundários em junho de 1958, entrei em outubro do mesmo ano no noviciado da congregação no Principado de Liechtenstein.Em 1959, matriculei-me na Universidade Federal de Salzburg. Foram seis anos de estudo na maravilhosa cidade de Mozart. Diplomei-me em filosofia e cursei teologia na mesma Universidade Federal. Pouco antes de me formar, veio a pergunta: Onde vou exercer meu ministério de padre? Meus superiores queriam que eu continuasse os estudos e me diplomasse em Filologia Antiga: Grego e Latim. A congregação precisava de professores em um grande colégio que mantinha na Alemanha. De modo especial necessitava de professor para as aulas de Grego e Latim. Eu gostava – e gosto até hoje – destas línguas. Mas fiquei pensando comigo mesmo: “Meu Deus, vou ser padre para ser professor de Grego e Latim?” Então me veio a inspiração: “Vou ser padre numa terra onde há falta de padres e de recursos.”

    Como jovem já me entusiasmava o texto da Primeira Carta de São João 3,16: “Nisto conhecemos que é o amor: Jesus deu a vida por nós. Portanto, também nós devemos dar a vida pelos irmãos e irmãs”. Empolgado por esta mística e tendo aprendido muito com a JOC que, junto com outros jovens, eu tinha fundado em minha cidade natal, tomei a decisão: Vou para o Brasil. E o Brasil significava o Xingu. Fui falar com o Provincial e disse: “Diante da situação em que se encontra a Prelazia do Xingu, quero ir para lá, quero dedicar minha vida aos povos do Xingu”. Mesmo constatando a necessidade de professor, o provincial concordou e disse: “Precisamos enviar nossos jovens para lugares onde há necessidade de padres, onde falta tudo. Podes ir. No entanto, deves primeiro te submeter a exames médicos para saber se és apto para o clima tropical”. Não tive a menor dúvida acerca de minhas condições de saúde que eram ótimas. Praticava esportes como esquiar e escalar montanhas.

     

    Adeus à Áustria

    Fui ordenado padre no dia 3 de julho de 1965 na Catedral de Salzburg. Já em 2 de novembro do mesmo ano, me despedi da família. Era o aniversário de meu pai. No dia 4 de novembro embarquei em Hamburgo no navio cargueiro “Emsstein” que me levou ao Brasil. Éramos apenas dois passageiros junto aos marinheiros do cargueiro – Frei Lucas, um franciscano, e eu. No dia 18 de novembro de 1965 o navio aportou em São Luís do Maranhão. Foi às quatro horas da tarde – à hora décima do Evangelho de João. Os dois discípulos de João Batista nunca mais se esqueceriam daquele momento em que pela primeira vez encontraram Jesus que os convidou: “Vinde e vede!”. E eles permaneceram com ele naquele dia. Também eu nunca me esqueço daquela hora e daquele dia em que pela primeira vez finquei meus pés em solo brasileiro: “era a hora décima” (Jo 1,39).

    Até o navio descarregar ou carregar carga, hospedei-me por três dias no Convento dos Franciscanos em São Luís. Não falava uma palavra em português. Quando em março de 2016 estive novamente nesse convento para ordenação de meu sucessor como bispo do Xingu, dom João Muniz Alves OFM, encontrei o quarto tal e qual como nos idos de 1965. Quantos anos já haviam passado desde então! Quando dom João foi nomeado para o Xingu ele era guardião daquele mesmo convento que receberaa mim, padre novo, missionário enviado para o Brasil. Mero acaso? Não. “A mão do Senhor veio sobre mim e me conduziu...” (Ez 37,1). Quem imaginaria que, 50 anos depois da minha chegada ao Brasil, o superior do convento em que então me hospedei me sucederia na Prelazia do Xingu!

    Cheguei a Belém no dia 25 de novembro, à meia noite. Lá fiquei um mês. Participei de um curso intensivo para os “Voluntários do Papa” vindos dos Estados Unidos. Não gostei muito, pois na mesa e no recreio sempre falaram Inglês. E eu não estava aí para bater papo em Inglês, mas para aprender Português. Assim pedi a Madre Ventura que me permitisse tomar as refeições com as Irmãs. E uma delas, a Irmã Mônica, encarregou-se de ensinar Português para mim. A irmã era muito exigente, graças a Deus. Mandou-me às vezes repetir uma palavra tantas vezes até que a pronúncia estava correta, sem sotaque.

     

    Padre andarilho e professor

    No dia 21 de dezembro viajei para a Altamira. Foi o primeiro voo na minha vida. Era um DC 3 da companhia aérea Cruzeiro. O pessoal brincava dizendo: DC-3 quer dizer que sobem dezoito e descem três. No dia 25 de dezembro, fui celebrar a missa no Santuário de Nossa Senhora de Nazaré e fiz minha primeira homilia em Português! Tremendo nas bases, é claro. Também pudera, depois de apenas um mês no Brasil! Me esforcei muito para falar o Português corretamente. Fiquei ainda uns dias em Altamira e, antes do final do ano, retornei a Belém para continuar o curso de Português com a Irmã Mônica e com os americanos (que continuavam falando Inglês nas refeições).

    No dia 6 março de 1966, fui em definitivo para Altamira. E o bispo dom Clemente me deu a primeira provisão canônica: mandou-me dar catequese às crianças, dar aulas de religião no colégio e celebrar às seis e meia da manhã a missa na Igrejinha de Nossa Senhora de Nazaré, naquele tempo periferia de Altamira que era uma cidade com uns sete mil habitantes. Na realidade, não tinha muito o que fazer durante a semana, fora alguns encontros de catequese. Sábado e domingo ia então para as colônias. Era um padre andarilho. Logo mais assumi a pastoral no porto de Altamira que era Vitória do Xingu, hoje paróquia e município, e em Souzel, uma paróquia antiga do Baixo Xingu.

    No Instituto Maria de Mattias havia falta de professor para o Curso Pedagógico. Assim a diretora me pediu que assumisse as aulas de Filosofia e Psicologia Educacional. Contribuí durante anos, até minha nomeação de bispo em 1980, para a formação de professoras e professores de ensino fundamental. Foi uma época muito gratificante porque tive um contato direto com a juventude de Altamira. E ainda, como não havia professor de língua estrangeira, assumi também as aulas de Inglês.

     

    Bispo aos 41 anos

    Em 1971, o Papa Paulo VI nomeou o padre Eurico, meu tio, bispo da Prelazia do Xingu. Já tinha 65 anos. Interessante é que ele ainda foi nomeado “bispo titular de Cissa e prelado do Xingu”. Procurei um dia saber onde se encontrava essa diocese e descobri que se tratava de uma ilha já submersa no Mar Tirreno. Assim começamos a brincar com dom Eurico dizendo que para tomar posse de sua diocese titular precisava de um equipamento de mergulho. Sempre achei estranho essa praxe de nomear bispos titulares de alguma diocese que há séculos não mais existe. No final da década de 70, a saúde dele já estava bastante debilitada. Assim ele pediu um bispo coadjutor à Nunciatura. Já pelo fato de eu ser sobrinho de dom Eurico, quem já esperava que fosse eu o seu sucessor. Mas, dom Eurico fez uma pesquisa entre os padres para saber a quem indicariam como seu sucessor. Pelo que soube muito tempo depois, o nome mais apontado foi o meu. Dom Eurico, certamente assustado, não sabia como agir e foi se consultar com dom Alberto Gaudêncio Ramos, arcebispo metropolitano de Belém. Este teria respondido: “Se os padres querem, vamos propor o nome do seu sobrinho.”

    No final de outubro de 1980, fui chamado à Nunciatura. O núncio apostólico era dom Carmine Rocco. O secretário me recebeu e convidou-me a aguardar o núncio. Não tardou a aparecer. Entregou-me uma carta e pediu que a lesse. Era a minha nomeação para bispo-coadjutor na Prelazia do Xingu. Fiquei pasmo e o núncio me perguntou: “O que vai fazer agora?”. Respondi: “Volto para Altamira e vou perguntar os colegas o que acham disso”. E ele: “Eu já consultei padres, leigos e irmãs da prelazia. Confiam no senhor. Aceite!”. Apelou ainda para meu “sensus ecclesiae” e o espírito filial ao Santo Padre. Para mim, começou uma grande agonia. Não sabia mais o que dizer. O núncio olhou bem para mim e falou: “Olhe, o senhor pode aceitar tranquilamente porque o povo lhe quer muito bem. As consultas que fizemos mostram isso claramente. Façamos assim: o senhor vai agora para a capela, fique lá rezando por uma hora e depois venha assinar o termo.” Respondi: “Se é assim, que depois de uma hora devo vir assinar de qualquer jeito, assino logo para depois poder rezar sossegadamente”. O núncio ainda acrescentou: “O senhor terá que guardar o sigilo até 12 de novembro, quando a notícia será oficialmente publicada no Vaticano”.

    Essa conversa com o núncio se deu no dia 31 de outubro de 1980. Voltei em seguida via Belém para Altamira. Várias pessoas souberam que tinha viajado para a capital federal e se interrogavam: “Padre Erwin foi a Brasília fazer o quê?”. Dona Berenice, a despachante da VASP e amiga de longa data, também se perguntava o que eu tinha ido fazer em Brasília. Naquele tempo não era tão comum eu viajar. Dom Eurico estava em Belém e indagou também: “O que foi fazer em Brasília?”. Como era segredo pontifício, dei-lhe uma resposta evasiva.

     

     
  • NOSSA VOZ - Informativo da Área Pastoral de Belo Monte

    Queridos irmãos e irmãs, da Área Pastoral de Belo Monte, estamos iniciando o mês de maio, que é todo dedicado à Maria mãe de Jesus, e com ele também, dando continuidade à nossa caminhada comunitária, agradecendo ao Pe. Jorge pelo seu empenho e esforços dispensados em favor da evangelização de nossas comunidades, enquanto esteve à frente do pastoreio da Área Pastoral.

    A Igreja por sua vez sempre incentivou a devoção mariana, pois a ela é atribuído o papel central do projeto salvífico; dela queremos aprender a oferecer o Sim à ação de Deus em nossas vidas e em nossas ações pastorais.

    Nossa Área Pastoral é toda marcada pela devoção a Maria, portanto não deixemos adormecer essa vivência e que possamos continuar venerando Maria ao entrar nos Mistérios da Anunciação, Encarnação, vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus.

    Mês de Maio é também voltado às mães, e por esse motivo queremos celebrar essa data com todas as mães de nossa Área Pastoral, reconhecendo e valorizando o papel de cada uma delas, sobretudo na vida da Igreja e em suas ações pastorais.

    Feliz dia das mães!

    NOSSA VOZ é um informativo das comunidades da Área Pastoral. A razão desse nome nasceu da memória da caminhada do

    povo, quando Pe. Alírio exerceu sua atividade pastoral nessas terras.

    Por meio desse informativo você acompanha nossas programações de visitas e nos próximos meses artigos temáticos da Igreja. Desejamos que a nossa caminhada seja marcada pela partilha, oração e compromisso. Nossa meta de trabalho para esse ano é fortalecer a JUVENTUDE E A FAMILIA. Um forte abraço a todos e boa jornada.

    Por: Pe. Romildo Maurício da Silva.

     

    AGENDA

     

    Ter-02 /05 - Reunião com equipe de Pastoral - as 16 h.

    Quart-03/05 - Reunião Preparatória em Brasil Novo posse de Pe. Gilmar as 19 h.

    Quint – 04/05 – Reunião Preparatória para festividade de Nossa Sra de Fátima Vila Residencial.

    Sext – 05/05 – Visita Pastoral Vila Belo Monte Escola Municipal.

    Sáb – 06/05 – Visita Pastoral – Vila Santa Izabel Km 80. Missa Nossa Sra Aparecida Km 18 as 19.30 h.

    Dom – 07/05 Missa Vila residencial as 9 h-

    Missa Ramal dos Cocos as 14 h

    Missa de Posse Pe. Gilmar as 19 h em Brasil Novo.

     

    Seg-08/05 Altamira – Setor Juventude

    Reunião Liturgia Vila Residencial Nossa Sr a de Fátima as 19 h.

    Sex-12/05 Visita Pastoral Km 13 às 17 horas – (Irão junto Wandelson & André).

    Sáb-13/05 Visita Pastoral São Sebastião às 11 horas – (Irá junto Wandelson).

    Missa – Festividade Nossa Sr a de Fátima as 19.30 Homenagens as mães.

    Dom-14/05 Cavalgada em Homenagem as mães as 9 h

    Missa Comunidade Santa Maria Balsa as 19.30 h.

     

    Seg – 15/05 Altamira – Setor Juventude

    Qui-18/05 Visita Pastoral km 32 – (Silvia Irá junto).

    Sex-19/05 Visita Pastoral – Km 27- (Edivan irá junto).

    Sáb-20/05 Encontro formativo sobre o Dízimo km 18 – 8.30 as 16 h.

    Dom-21/05 Missa Nossa Sr a de Fátima as 9 h.

    Missa Nossa Sr a Aparecida as 15 h.

    Missa Imaculada Conceição outro lado da Balsa 19.30 h

     

    Seg-22/05 Altamira Setor Juventude

    Quarta-24/05 Festividade Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos em Vitória do Xingu.

    Procissão as 17 horas-Missa, Arraial.

    Sext-26/05 REPAM – Rede Eclesial Pan – Amazônica

    Sáb-27/05 REPAM

    Dom-28/05 REPAM

    Missa Nossa Sra. Aparecida Km 18 – 19.30 h.

    Seg-29/05 Altamira Setor Juventude.

    Ter-30/05 Planejamento para mês de junho.

     

    Em Junho de 2017, será realizada em Nossa Área Pastoral, uma Campanha de arrecadação de alimentos para o Seminário São João Maria Vianney – Brasil Novo. Contamos com a generosidade de todas as comunidades para com a formação dos futuros padres.

    PROGRAMAÇÕES DA PRELAZIA DO XINGU

    7/05-chegada da Imagem de Peregrina de Nossa Senhora de Aparecida em Altamira às 14:20

    26 a 28/05-Seminário Laudato Si – REPAM na Betânia/Altamira a partir das 16:00 do dia 26/05

    6 a 9/07-Encontro de Formação Catequética – Bethânia a partir do dia 6 às 12 h

    10 a 16/7-Visita da Imagem Peregrina nas comunidades de área Pastoral Belo Monte

    20 a 23/07-Romaria da Floresta

    15/08- Festa de Santa Maria – Belo Monte

    24-27/08 Encontro das CEBs Transamazônica – Medicilândia

    7 a 10/09Caminhada da Juventude Xingu - Souzel

    16 a 18/11-Miniassembleia – Centro de Formação Bethânia a partir das 9 h credenciamento

    12/12 Festa Padroeira Nossa Senhora de Guadalupe- Belo Monte

     

    Obs.: para acessarem a NOSSA VOZ online basta acessar o site da Prelazia do Xingu: www.prelaziadoxingu.com.br

     
  • Área Pastoral Nossa Senhora de Guadalupe

    Carta-compromisso.

     

    A todos os nossos irmãos e irmãs em

    Jesus, Maria e José, a família de Nazaré,

    nossa cordial e fraterna saudação.

     

    Nós, membros das comunidades da Área Pastoral Nossa Senhora de Guadalupe, realizamos nos dias 25 a 28 de fevereiro de 2017, no Centro de Formação localizado no km 32 o XV Festival com Cristo, retomando a tradição de anos passados de aproveitar o carnaval para, num encontro fraterno de estudo e oração, louvar e adorar o nosso bom Deus.

    O nosso querido Bispo Emérito Dom Erwin refletiu conosco o tema da Campanha da Fraternidade 2017: Biomas brasileiros e Defesa da vida com o lema “Cultivar e Guardar a Criação – Gênesis 2,15”. Após um intensivo trabalho em grupos veio-nos a ideia de redigir uma carta compromisso para partilhar os nossos propósitos com os irmãos e irmãs de nossas comunidades. Queremos dar conhecimento daquilo que discutimos e apresentar o nosso compromisso com a defesa da “Casa Comum”, do Lar que Deus preparou para toda a Família Humana. A Amazônia, o bioma em que vivemos grita por socorro. Descobrimos que nossa ação evangelizadora tem que assumir essa causa, pois a nossa vida e a das futuras gerações corre perigo.

    Para protegermos o meio ambiente em que vivemos nos propomos em primeiro lugar a conhecer melhor os seres que habitam este nosso Lar, a nossa Casa Comum: a flora e a fauna, todas as riquezas naturais do solo e subsolo, e em especial os povos da Amazônia. Precisamos conhecer melhor a realidade da Amazônia e os perigos que ameaçam toda a vida nesta imensa região.

    Em segundo lugar, percebemos que se faz necessário unir mais o nosso povo em torno destas questões. Descobrimos mais uma vez o valor da união quando discutimos esses assuntos.

    Em terceiro lugar achamos que é muito importante que nossas comunidades sejam sensibilizadas para que tomem consciência da necessidade de cuidar da criação, da Casa Comum, da ecologia, para salvaguardar a nossa própria vida, a vida de nossas famílias e comunidades.

    Concretamente queremos assumir os seguintes compromissos:

     

    1. educação ecológica nos encontros de catequese e nas aulas em nossas escolas;

    2. programa de reflorestamento e recuperação de áreas degradadas por causa dos desmatamentos;

    3. preservação da fauna (especialmente os peixes);

    4. conscientização do povo sobre as consequências da exploração dos recursos minerais;

    5. proteção especial aos mananciais e igarapés.

     

    Estamos confiantes que todas as nossas comunidades vão aderir a esse chamado de cuidar e defender nossa Casa Comum, Criação de DEUS. Queremos assim, junto com todos os irmãos e irmãs, praticar uma evangelização que se preocupa com a defesa da vida.

    Agradecemos a DEUS pela oportunidade de vivermos esses dias de comunhão.

     

    DEUS tomou o homem e o colocou no jardim de Éden,

    para que o cultivasse e guardasse” (Gn,2,15).

     

    Belo Monte, 28 de fevereiro de 2017

     

    QUE A PAZ DE NOSSO DEUS PERMANEÇA SEMPRE CONOSCO!

     

    Participantes do Festival com Cristo durante o Carnaval 2017

     
  • Missa de Despedida de Padre Gilmar Dalcanale

     

    No Domingo de Páscoa (16/04/17) os fiéis lotam a Igreja Matriz da Paróquia Imaculada Mãe dos Pobres por dois grandes motivos: a Festa da Páscoa e a última missa celebrada pelo Pe. Gilmar Dalcanale, como pároco da referida igreja no município de Medicilândia, e concelebrada por Pe. Hortêncio Medeiros (Seminário Brasil Novo). Essa noite foi marcada por grandes emoções, tanto da parte dos fiéis que o tiveram como Pastor por 10 anos e dois meses, quanto da parte dele, que não tinha noção da dimensão desse amor demonstrado por esse povo querido e acolhedor de Medicilândia.

    A surpresa ficou também por um número significativo de fiéis que estavam usando camisetas confeccionadas para esse dia especial, estampada com fotos de Padre Gilmar e com a seguinte frase: “Melhor Padre” e com a sua frase vocacional: “Fui Feito Ministro do Evangelho pelo Dom e Graça de Deus”. A Igreja Imaculada Mãe dos Pobres, ficou pequena para tantos fiéis que compareceram nessa missa de despedida” que antes mesmo de começar já era difícil encontrar lugar para se acomodar nos bancos. Às19:00 a porta principal já estava praticamente bloqueada pelos fiéis que ficavam em pé. Pontualmente às 19h:30m, deu-se início a celebração com a entrada da Equipe Litúrgica em meio ao canto que fervorosamente era entoado pelos fiéis. Era notório a emoção do Padre Gilmar estampada em seu rosto ao ver toda aquela multidão, e isso era apena o começo das grandes emoções que estavam por vir.

    No momento do Ofertório, dez jovens trouxeram cartazes que simbolizavam os dez anos de Pe. Gilmar destacando as ações realizadas, idealizadas ou mesmo incentivadas por ele. Frutos de sua missão que contribuíram para o crescimento espiritual da nossa paróquia.


    Padre Gilmar leu em sua mensagem de agradecimento:

    "Quero aqui somente agradecer. Agradecer primeiramente a Deus por me ter dado essa grande bênção; essa grande alegria de ter conhecido vocês; de ter trabalhado com vocês, de ter convivido com vocês; de ter caminhado com vocês, de ter me reunido e estudado com vocês; de ter sido tão bem acolhido e amado por vocês; de ter celebrado tantas e tantas vezes com vocês; de ter festejado com vocês, de ter participado das alegrias, preocupações e tristezas de vocês. Vocês foram e continuam sendo minha família. Grande família. Como diz o Evangelho: “Quem deixa pai, mãe, irmãos e irmãs por causa de Jesus Cristo ganhará cem vezes mais, irmãos, irmãs, pai, mãe...” Mt. 19,29. Realmente isso aconteceu entre nós.

    Obrigado pelo sorriso de cada um e de cada uma; pelos abraços; pelos conselhos, pela alegria; pela amizade. Obrigado pela colaboração de tantos leigos e leigas na missão – pastoral- evangelizadora.Obrigado pela acolhida nas famílias, nas casas, pelo bom bate -papo, pelo cafezinho. Obrigado pelos almoços, merendas e jantares comunitários. Quanta partilha e amizade.

    Obrigado aos jovens pelo carinho, pela amizade, pela alegria e pelo dinamismo; pela criatividade, pela participação, pelo apoio, pela ousadia de amar. Melhores jovens! Jesus sempre É o melhor Caminho.

    Obrigado aos catequistas e ao grupo do CEBI, por fazerem ecoar a Palavra de Deus em todo lugar. Obrigado as irmãs pela dedicação e companheirismo na pastoral. Obrigado as pastorais do batismo, do dizimo, da família, da visitação, da liturgia. Obrigado ao Movimento Carismático - Católico e a Comissão de Justiça e Paz, aos ministros e ministras da Eucaristia; as equipes de canto, aos tocadores, a equipe do bio - saúde e a todas as lideranças das comunidades e aos benfeitores. Quanta gente boa.

    Obrigado aos Conselhos Administrativo e pastoral pela colaboração e seriedade na condução dos trabalhos pastorais. Obrigado as duas funcionárias da Paróquia. Cristiane, secretária, pela sua honradez, amizade, dedicação, acolhida e companheirismo. Deus a abençoe sempre. Olga, zeladora, sempre atenta ao cuidado com o jardim e com toda a infraestrutura e finalmente, obrigado as crianças pelo carinho, pela simplicidade, pelo lindo sorriso. Obrigado aos adultos e idosos pela constante presença e amizade.

    Essa Paróquia tem muitas lideranças, de bom engajamento, de muita luta. Parabéns!!! Continuem nesse propósito. Valeu muito conhecer vocês, conviver com vocês, trabalhar com vocês. Já estou com saudades, mas estaremos bem próximos, o que, certamente, facilitará nos encontrarmos de hora em quando." (Pe. Gilmar Dalcanale).

    Outro momento de grande emoção, que merece destaque, foi a homenagem da Catequese com o Canto “Alma Missionária” entoado na voz maravilhosa de Mara Camila (12 anos) que adentrou a igreja cantando e emocionando a todos, principalmente ao Padre Gilmar. Após esse momento, foi feita a homenagem em nome da Paróquia pela Catequista Rejane Malveira Vaz, que começou citando Eclesiastes 3 “Há tempo para nascer, para plantar, para chegar e para partir...” frisou que Padre Gilmar é missionário e, está a serviço de Deus. Ressaltou seu trabalho na Paróquia nesses 10 anos, e o definiu como homem de fé, e serviço, carisma, alegria, simplicidade e honradez. Graças ao seu trabalho desenvolvido ao longo desses 10 anos, e por ter sido instrumento de Deus, contribuiu para transformar a Paróquia Imaculada Mãe dos Pobres em uma paróquia mais acolhedora, mais alegre e atuante. Enfim, uma Igreja em saída, uma Igreja missionária e jovem.

    Em seguida, a assembleia foi convidada a cantar o canto vocacional de Padre Gilmar “Um Dia Escutei Teu Chamado”. Padre Gilmar não se conteve em lágrimas, e a emoção tomou conta de todos. Ao término da missa, todos se dirigiram ao Salão Paroquial para o jantar realizado através de partilha de todas as comunidades.

    A Festa e as homenagens feita por todos foram maravilhosas, muito bem organizada e, de tudo isso ficou a certeza: o coração de Padre Gilmar está muito bem obrigado! E, essa homenagem e todo esse amor do povo Medicilandenses, com certeza ele não vai esquecer jamais. Amigos, pra sempre/ Bons amigos que nasceram pela fé, Amigos, pra sempre/Para sempre amigos sim, se Deus quiser!!

    Por: Rejane Malveira Vaz e Cristiane de Araújo silva

     

     
  • As Setes Palavras

     

     

    As sete palavras de Jesus na cruz

     

    Primeira Palavra

     

    Chegando ao lugar chamado Caveira, lá o crucificaram, bem como os malfeitores, um à direita e outro à esquerda. Jesus dizia: "Pai, perdoa-lhes: não sabem o que fazem" (Lc 23,33-34).

     

     

    "Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido" rezamos no Pai Nosso. Pedimos perdão a Deus, fazendo a solene promessa de perdoarmos aos que nos ofenderam. Não é fácil realizar o que prometemos. Existem chagas que custam cicatrizar. Há violências e injustiças que deixam como saldo um mar de sofrimentos. Há infidelidades e traições que ferem profundamente o coração. Há agressões e ódios que geram abismos quase intransponíveis entre as pessoas. No entanto, não há inimigos que resistam eternamente à bondade e ao amor. Não há ódio que um dia não sucumba ao poder do Amor. O primeiro passo para o perdão é desarmar-se interiormente. Quem perdoa é sempre mais forte do que quem ofendeu. O perdão é que gera vida, não o ódio e a vingança! Dizem que o ódio é como o fogo: arde, queima, se alastra, arrasa, reduz a cinzas. Se o ódio é como fogo, então o perdão é como a água! É a água que extingue as labaredas, é a água que apaga as chamas, é a água que vence o incêndio. Assim é o perdão que extingue as vinganças, é o perdão que apaga as inimizades, é o perdão que afoga as mágoas, é o perdão que vence o ódio.

     

     

    Segunda Palavra

     

    Um dos malfeitores suspensos à cruz o insultava, dizendo: "Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós." Mas ou outro, tomando a palavra, o repreendia: "Nem sequer temes a Deus, estando nas mesma condenação? Quanto a nós, é de justiça; pagamos por nossos atos; mas ele não fez nenhum mal". E acrescentou: "Jesus, lembra-te de mim, quando vieres com teu reino". Ele respondeu: "Em verdade, eu te digo, hoje estarás comigo no Paraíso" (Lc 23,39-43).

     

    Um dos malfeitores crucificados chama Jesus de "Cristo", o outro o reconhece com "Rei". Por causa destes dois títulos - um religioso, outro político - Jesus morre na cruz. Como "Cristo" Jesus é condenado por "blasfêmia" porque se declara "Filho de Deus" (cf. Mt 27,62-66) reivindicando para si a dignidade divina. Como "Rei" é considerado subversivo e agitador. Os chefes do povo conseguiram o que queriam: matar Jesus de Nazaré como perturbador da ordem pública e aos que o tiverem na conta de profeta tinha que ser apresentado como homem definitivamente derrotado, destruído, aniquilado. Um dos malfeitores faz coro aos insultos dos chefes que zombeteiramente lhe recomendam: "que salve a si mesmo, se é o Cristo de Deus, o Eleito" (Lc 23,35). Ele também grita: "Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós". O outro, porém, reconhece a inocência de Jesus e descobre na sua derradeira hora a verdadeira identidade de quem sofre ao seu lado o mesmo suplício. Entende que o Reino de Jesus não é deste mundo (cf. Jo 18,36), mas que Jesus é Rei e viera "ao mundo para dar testemunho da verdade" (Jo 18,37). A luz da verdade que ilumina o coração e a mente do "bom ladrão" gera de repente uma ilimitada confiança e o enche de certeza de que Jesus pode salvá-lo e perdoar-lhe os seus pecados, acolhendo-o no paraíso.

     

     

    Terceira Palavra

     

    Junto à cruz de Jesus, estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria, a de Cléofas, e Maria, a Madalena. Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, eis o teu filho!” Depois disse ao discípulo: “Eis a tua mãe!” A partir daquela hora, o discípulo a acolheu no que era seu (Jo 19,25-27)

     

    Os soldados repartiram as vestes de Jesus em quatro partes, uma para cada soldado (cf. Jo 19,23). Quatro soldados! Quatro homens sentados, distribuindo entre si, em partes iguais, os últimos pertences de Jesus e jogando dados para ver quem fica com a peça principal, a túnica sem costura. Não foi a mãe que a teceu para Jesus? Em cada fibra se esconde um traço de seu amor materno. São quatro soldados, quatro partes de roupa e uma túnica que recorda a esses homens rudes que, afinal, o crucificado também tem mãe.

     

    São também quatro as mulheres. Não estão sentadas, mas sim de pé junto à cruz. Só duas delas conhecemos mais de perto: Maria, a mãe de Jesus, e Maria, a Madalena. Mas no cenário de Golgotha se encontra ainda um outro personagem. O Evangelho não revela o nome. Diz apenas que ao lado da mãe de Jesus se encontrava "o discípulo a quem amava". Ele representa todos os filhos e filhas de Deus que são os discípulos e discípulas "a quem Jesus ama". São suas irmãs, seus irmãos amados, a quem, antes de morrer, confia como última e amorosa dádiva sua própria mãe. Na última ceia nos assegurou sua presença até o fim dos tempos no pão e no vinho que se transformam no Corpo e Sangue do Senhor: Corpo entregue, Sangue derramado. No alto da cruz completa o testamento, oferecendo-nos sua mãe como Mãe Nossa também por todos os séculos. É de uma comovente solenidade e de uma expressividade singular com que Jesus fala pela última vez a sua mãe. O seu testamento se completa com a palavra dirigida ao "discípulo a quem amava", a todas e todos nós: "Eis tua mãe!"

     

     

    Quarta Palavra

     

    Desde a hora sexta até a hora nona, houve treva em toda a terra. Por volta da hora nona, Jesus deu um grande grito: "Eli, Eli, lamá sabachthâni?", isto é: "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (Mt 27,45-46).

     

    Pouco antes de morrer em meio aos crudelíssimos tormentos que o Império Romano reservou aos criminosos, Jesus começa a balbuciar, num derradeiro esforço entre dores inimagináveis o comovente e, ao mesmo tempo, horrendo Salmo 21 (22). Como não foi o impacto desse grito aos que assistiram ao terrível espetáculo, de modo que os evangelistas fizeram questão de transmiti-lo tal e qual como Jesus o bradou, na língua que aprendeu de sua mãe no lar de Nazaré!

     

    Jesus passa pela angústia de sentir-se completamente abandonado, experimenta a noite escura da tremenda solidão em meio ao redemoinho de um indizível sofrimento que se fecha sobre ele. Tudo vira trevas, sem horizonte. Jesus vive essa experiência até ao extremo.

     

    Muitos de nossos irmãos e irmãs experimentam essa solidão, a dor do abandono, de não entender mais nada, de duvidar da bondade de Deus, até de usar as palavras de Jó e amaldiçoar o dia em que nasceu: "Por que não morri ao deixar o ventre materno, ou pereci ao sair das entranhas? Por que me recebeu um regaço e seios me deram de mamar?" (Jó 3,11-12) Quantos são os gritos sobem dos "porões da humanidade": "Onde estás, ó meu Deus?" Quantas perguntas sem resposta! Ouvindo, porém, o grito de Jesus sabemos que ele, na cruz, sofreu conosco. Mesmo assim, o salmo 21(22) não é um salmo de desespero, mas em meio à toda a angústia e aos tormentos, a oração procura a Deus: "Pois és tu quem me tirou do ventre de minha mãe, quem me confiou ao seu peito; eu fui lançado a ti ao sair das entranhas. Desde o ventre materno tu és meu Deus " (Sl 21(22),10-11).

     

    Há muita coisa em nossa vida que jamais entendemos. Nestas horas escuras não são palavras e pias considerações que nos consolam. Resta-nos, no silêncio, contemplar a cruz. Por mais escura que seja a noite, o sol volta sempre a brilhar! O "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" não é a última palavra. Deus dá seu Sim irrevogável à vida na manhã da Páscoa ao ressuscitar Jesus. A luz afugenta as trevas.

     

     

    Quinta Palavra

     

    Depois disso, sabendo Jesus que tudo estava consumado, para que se cumprisse a Escritura até o fim, disse: “Tenho sede!” Havia ali, uma jarra cheia de vinagre. Amarrando uma esponja embebida de vinagre num ramo de hissopo levaram-na à sua boca (Jo 19,28-29)

     

    A exclamação de Jesus pode ser uma alusão ao Salmo 68 (69),22: "Como alimento deram-me fel e na minha sede serviram-me vinagre". Não precisa ser zombaria, escárnio dos soldados. Pode até ser uma expressão de afeto para com esse pobre homem que, no estertor da morte, ardendo de dor e de febre por causa das inúmeras chagas, pede que lhe molhem pelo menos os lábios. É um pedido tão humilde e totalmente humano.

     

    A sede de Deus é tema de comoventes orações do Antigo Testamento: "Assim como a corça suspira pelas águas correntes, suspira igualmente minh'alma por vós, ó meu Deus! Minha alma tem sede de Deus, e deseja o Deus vivo. Quando terei a alegria de ver a face de Deus?" (Sl 41(42),2-3).

     

    "Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh'alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água" (Sl 62(63),2).

     

     

    Sexta Palavra

     

    Quando tomou o vinagre, Jesus disse: “Está consumado!”. E, inclinando a cabeça entregou o espírito (Jo 19,30).

     

    O quarto Evangelho começa a narração da Última Ceia de Jesus com seus discípulos com as palavras: "Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim". A expressão "até o fim" na língua em que o Evangelho foi escrito, o Grego, se relaciona ao "Está consumado" que Jesus falou antes de morrer. É a mesma raiz gramatical que se encontra no "até o fim" e no "consumado". "Está consumado" não mais é um gemido de dor, mas já o anúncio antecipado da Vitória.

     

    Contemplamos o Senhor crucificado, o corpo dilacerado pelos açoites, as mãos e os pés perfurados. "Está consumado!". O amor chegou ao extremo. Mas contemplamos na face ensanguentada de Jesus também os rostos de tantas irmãs e irmãos nossos que sofrem: comunidades indígenas e afro-americanas; mulheres excluídas, em razão de gênero, raça ou situação sócio-econômica; jovens que recebem uma educação de baixa qualidade e não têm oportunidades de progredir; pobres, desempregados, migrantes, deslocados, agricultores sem terra; meninos e meninas submetidos à prostituição infantil; dependentes de drogas, as pessoas com limitações físicas, os portadores e vítimas de enfermidades graves que sofrem a solidão; seqüestrados e os que são vítimas da violência, do terrorismo; anciãos recusados por sua família como pessoas incômodas e inúteis; os presos em situação desumana.

     

    Só o Amor "até o fim", até ao extremo, consegue ver com os olhos de Deus os pobres e condenados à morte antes do tempo. Só este Amor consegue desvendar, a partir do coração de Deus, as causas dessa realidade iníqua.

     

     

    Sétima Palavra

     

    Era já mais ou menos a hora sexta quando o sol se apagou, e houve treva sobre a terra inteira até à hora nona, tendo desaparecido o sol. O véu do Santuário rasgou-se ao meio, e Jesus deu um forte grito: "Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito" Dizendo isso, expirou. O centurião, vendo o que acontecera, glorificava a Deus, dizendo: "Realmente, este homem era justo!" (Lc 23,44-47).

     

    Segundo o Evangelho de São Lucas, Jesus morre pronunciando o versículo 6 do Salmo 30 (31): Pai, "em tuas mãos entrego o meu espírito" (Lc 23,46). O versículo se completa com as palavras "tu me resgatas, Senhor, Deus fiel“.

     

    Agora, Jesus está morto. O centurião romano não consegue disfarçar seu assombro. Atesta a inocência do crucificado. Afirma que era "justo". O corpo é descido da cruz e sepultado. Rolaram uma grande pedra para a entrada do túmulo (cf. Mt 27,60). O fim definitivo!

     

    Aparentemente, porque a história não termina aqui! "Ao raiar do primeiro dia da semana“ (Mt 28,1), "Maria Madalena e a outra Maria“ foram ao túmulo e receberam a notícia alvissareira: "Ele não está aqui, pois ressuscitou!" (Mt 28,6) E "elas, partindo depressa (...) Correram a anunciá-lo aos seus discípulos“ (Mt 28,8). São Marcos nos conta que Maria Madalena "foi anunciá-lo àqueles que tinham estado em companhia dele e que estavam aflitos e choravam" (Mc 16,10). Pelo SIM de uma mulher, Maria, Deus inicia sua maravilhosa obra salvífica, enviando o seu Filho. Foi também através de uma mulher, de outra Maria, que se inicia o anúncio pascal que atravessará os séculos. "É verdade! O Senhor ressuscitou!" (Lc 24,34). O primeiro anúncio "Ressuscitou!" coube às mulheres (Lc 24,1-10).

     

    E essa Boa Nova atravessa os séculos e milênios. É proclamado em todos os rincões da terra, do norte ao sul, do leste ao oeste, em todas as línguas e culturas.

     

    Minha irmã, meu irmão,

    Dom João e eu, dom Erwin, lhes desejamos uma Santa e Feliz Páscoa da Ressurreição.

     
  • NOTA DA CNBB PELA VIDA, CONTRA O ABORTO

    P - Nº. 0209/17

    NOTA DA CNBB

    PELA VIDA, CONTRA O ABORTO

     

    “Não matarás, mediante o aborto, o fruto do seu seio”

    (Didaquê, século I)

     

    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, através da sua Presidência, reitera sua posição em defesa da integralidade, inviolabilidade e dignidade da vida humana, desde a sua concepção até a morte natural1. Condena, assim, todas e quaisquer iniciativas que pretendam legalizar o aborto no Brasil.

     

    O direito à vida é incondicional. Deve ser respeitado e defendido, em qualquer etapa ou condição em que se encontre a pessoa humana. O direito à vida permanece, na sua totalidade, para o idoso fragilizado, para o doente em fase terminal, para a pessoa com deficiência, para a criança que acaba de nascer e também para aquela que ainda não nasceu. Na realidade, desde quando o óvulo é fecundado, encontra-se inaugurada uma nova vida, que não é nem a do pai, nem a da mãe, mas a de um novo ser humano. Contém em si a singularidade e o dinamismo da pessoa humana: um ser que recebe a tarefa de vir-a-ser. Ele não viria jamais a tornar-se humano, se não o fosse desde início2. Esta verdade é de caráter antropológico, ético e científico. Não se restringe à argumentação de cunho teológico ou religioso.

     

    A defesa incondicional da vida, fundamentada na razão e na natureza da pessoa humana, encontra o seu sentido mais profundo e a sua comprovação à luz da fé. A tradição judaico-cristã defende incondicionalmente a vida humana. A sapiência3 e o arcabouço moral4 do Povo Eleito, com relação à vida, encontram sua plenitude em Jesus Cristo5. As primeiras comunidades cristãs e a Tradição da Igreja consolidaram esses valores6. O Concílio Vaticano II assim sintetiza a postura cristã, transmitida pela Igreja, ao longo dos séculos, e proclamada ao nosso tempo: “A vida deve ser defendida com extremos cuidados, desde a concepção: o aborto e o infanticídio são crimes abomináveis”7.

     

    O respeito à vida e à dignidade das mulheres deve ser promovido, para superar a violência e a discriminação por elas sofridas. A Igreja quer acolher com misericórdia e prestar assistência pastoral às mulheres que sofreram a triste experiência do aborto. O aborto jamais pode ser considerado um direito da mulher ou do homem, sobre a vida do nascituro. A ninguém pode ser dado o direito de eliminar outra pessoa. A sociedade é devedora da mulher, particularmente quando ela exerce a maternidade. O Papa Francisco afirma que “as mães são o antídoto mais forte para a propagação do individualismo

     

    1 Cf. CONSTITUIÇÃO FEDERAL, art. 1°, III; 3°, IV e 5°, caput.

    2 CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ, Declaração sobre o aborto provocado, in AAS 66 (1974) 730-747, 12.

    3 Sb 1,13: “Deus não fez a morte, nem se alegra com a perdição dos vivos”.

    4 Ex 20,13: “Não cometerás homicídio”.

    5 Jo 10,10: “Eu vim para que tenham a vida, e a tenham em abundância”.

    6 TERTULLIANO, Apologeticum, IX, 8: “É um homicídio antecipado impedir alguém de nascer... É já um homem aquele que o virá a ser”.

    7 VATICANO II, Gaudium et spes, n. 51.

     
  • REPAM, Rede Eclesial Pan-Amazônica

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    A REPAM, Rede Eclesial Pan-Amazônica, criada em 2014, abrange os nove países que formam a Bacia Amazônica: Brasil, Bolívia, Peru, Colômbia, Equador, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

    A rede é resultado de três momentos fortes da Igreja na América Latina: o Encontro de Bispos da Pan-Amazônia (2004), a V Conferência do CELAM em Aparecida (2007) e o Encontro dos Bispos da Pan-Amazônia em Manaus (2009).

    O objetivo da REPAM é abrir caminhos de diálogo, de articulação, de cooperação e de fraternidade entre as igrejas locais para fortalecer a comunhão pan-amazônica através de iniciativas como:

    • repensar nossa relação com o meio ambiente e com as populações tradicionais da região;

    • compreender e conhecer melhor a vida do bioma amazônico através da história e do testemunho, das propostas e das denúncias

    • promover o intercâmbio de informações e dar visibilidade aos programas de defesa da vida;

    • assumir a defesa da vida nas periferias existenciais dos povos da Amazônia;

    • formar uma ponte na defesa da vida entre a realidade local, nacional e internacional.

    O dinamismo se inspira na Encíclica Laudato Sì. Pretende-se criar uma consciência de cooperação na defesa da casa comum e uma espiritualidade ecológica universal sobre o destino dos recursos naturais, tendo em vista a dignidade de cada pessoa e povo e seu direito a um desenvolvimento integral.

     

    Nos dias 26 a 28 de maio de 2017 a REPAM quer estar mais próxima à Prelazia do Xingu, realizando no Centro de Formação Bethânia o SEMINÁRIO LAUDATO Si a fim de aproximar mais as Igrejas locais aos ideais da REPAM nacional. Com a participação de lideranças de nossa Igreja no Xingu se propõe a iluminar a realidade local através de uma ação educativa para criar uma cultura ecológica e elaborar um mapeamento eclesial da Pan-Amazônia nos três eixos: eclesial, social e ambiental.

    Fontes: subsídios da REPAM

     

     
  • Poronga - edição abril 2017

    Clique aqui para baixar a versão para impressão ou para envio pelo Whatsapp.

     

    Senador José Porfírio- Souzel

    Paróquia São Francisco Xavier – Alírio Bervian 1ªPISADO –

    ABRIL – JULHO/2017

    Nos dias 09 e 10/02/2017 decidimos fazer uma viagem de reconhecimento da Paróquia S. Fco. Xavier de Senador José Porfírio, conhecido por Souzel. Almoçamos no dia 09/02 na Balsa com a Família de Renato que nos contou da ida em missão para o km 80 da PA-167-N. Sr Aparecida em domingos passados. Seguimos viagem entrando no cemitério, atalho para a PA 167-paramos na vila Bom Pastor, comunidade S. Fco de Assis. Na casa de Édina, recebemos informações. Seguimos para os loteamentos assentamentos Canoé, comunidade São Raimundo Nonato. Sempre tivemos informações sobre outros locais de atendimento como Bambú, Água Preta onde vamos pisar em outra ocasião. No Canoé paramos no Antônio José que coordena uma Associação com todos os implementos para recuperação de áreas degradáveis – transforma o deserto em flor. Estão com a Fábrica de polpas de frutas já quase funcionando, plantio de frutas, outros com Fábrica de farinha. Estavam de passagem pessoas de organizações que apoiam linhas de crédito, projetos e até aluno da Casa Familiar Rural. No 80 passamos em duas casas onde encontramos só as mulheres Leia e Vera. Chegamos já no final da tarde a Souzel. Passamos na casa das irmãs Helena e Mona, realizando com ela a oração do ofício e deixando missa marcada às 7 h do dia 10/02.

    Pe. Bento logo informou-nos que iriamos na comunidade São Pedro da Sabá no outro lado do Xingu, do Tapecuari. Comigo veio Gilberto seminarista que veio do Sul em 31/01 e vai passar o ano de estágio em Gurupá-PA, e Joãozinho do Km 75 Norte de Medicilândia, filho de Bigode, comunidade São Vicente. A janta foi no Jonas e Betânia. No dia 10/02 saímos pelas 8 h com Roberto, o barqueiro da Stª Teresinha é o “diácono’ que domina tudo. Na casa de Sabá, que ainda estava na Roça plantando maniva, aproveitei para Roberto repassar o quadro dos setores com suas comunidades – São seis – nós estávamos no setor 2 ilhas.

    Pe. Bento sugeriu que visitasse o setor 5 – Canoé-PA167 nos dias 13-16/03/2017. Cada dia uma comunidade, vim só, mas os anjos estavam no caminho ajudando-me a encontrar as comunidades. Visitamos famílias, gente conhecida de outros tempos. Deveria ter chegado a Souzel em 20/03, mas não deu, devido a tratamento médico e dentário e outras atividades. No dia 21/03, às 9 h pisamos em Souzel, vindo pelo Rio Xingu de voadeira. Pe. José Amaro, as irmãs Jane e Kátia, Ceará, Claudão e mais um. Recém tinham iniciado a viagem de volta para Anapu. Ainda Pe. Bento colocou-me em sintonia (celular) c/ Pe. Amaro: “Vamos trabalhar juntos” A noite encontro com as lideranças das pastorais. No dia 22/03, às 7 h celebrei com as irmãs, café e bons papos. Passei até dia 23/03. Ao meio dia em Souzel. Os jovens vieram conversar e senti que eles tem um fogo dentro de si. Estão preparando as encenações de 6ª feira Santa em 14/04/2017. No dia 22/3 estávamos reunidos com a secretária Ester, Roberto, o coordenador geral da paróquia. Repassaram muita coisa e fizeram consultas para encaminhamentos. Já na manhã fizemos com Roberto uma programação. A tarde confirmamos e ficou assim:

    PROGRAMAÇÃO

    Março e abril / 2017

     

    30/03 – Volta pela Estrada PA167 a Souzel, fazendo algumas visitas.

    31/03-visão geral da cidade e à noite celebração na PP. Socorro.

    1º/04 – visita na cidade e celebração na Stª Teresinha onde moram as irmãs

    2/04 – 9 h na cidade, São Benedito onde fica Ramadão e mora Roberto.

    20 h Matriz São Francisco Xavier Cidade

    De 3 a 8/04-visita ao Setor 2-Ilhas

    08/04 – volta a Altamira

    09/04-10 h Monte Santo

    18 h Souzel – São Benedito – Caminhada de Ramos para Matriz

    10/04-7 h matriz – é Semana Santa – Missa

    à noite Reunião combinar as celebrações da Semana Santa

    11/04-19:30 PP. Socorro – Missa – cidade – dia de visitas

    12/04-Ainda aberto – celebração em alguma comunidade

    13/04-5ª feira Santa – à tardinha: Lava Pés, Ceia, Adoração - vigília

    14/04-6ª feira Santa-15 h celebração da Paíxão e Via Sacra com Jesus Morto-encenação dos jovens

    15/04-Sábado santo – Vigília Pascal – à noite com fogo novo, proclamação de Páscoa

    Noite de catequese e batizados

    16/04-9 h São Benedito – Boa Páscoa meu irmão, minha irmã!

    20 h Matriz São Francisco Xavier – Feliz Páscoa—Cristo Ressuscitou!!!

    17/04-Ida a Altamira

    18-20/04-Reunião do Conselho Presbiteral e Assembleia Presbiteral

    20-22/04-Reunião do Conselho Pastoral – Bethânia – Altamira

    22/04-19 Santa Teresinha-Missa – Cidade

    23/04-São Benedito 9 h

    = São Francisco Xavier-Missa-20h

    24 a 29/04-setores 3 e 4

    29/04-Stª Teresinha – à noite 19 h

    30/04-9 h São Benedito

    20 h matriz S. Fco Xavier

    Maio/2017

    1º-07/05-Volta a Altamira-Folga

    5/05-80Norte (Flamengo) Casa de Lucas e Socorro-Anapu

    6/05-80 Norte – Santa Luzia-10h Anapu

    Pioneira – Sagrado Coração de Jesus-Km 40 – Casamento 19:30

    7/05 – Imagem de Aparecida vem a Altamira trazida por D. João às 14:20 de avião.

    20 h Souzel Matriz São Fco. Xavier

    08-11/05-visita Setor 6

    12/05-Bom Pastor S. Fraco de Assis 17 h

    13/05-Água Preta – São Raimundo Nonato 9 h

    14/05-Km 80 – N. Sr Aparecida-9 h

    20 h Matriz São Francisco Xavier

    15 a 25/05 ainda aberto

    26 a 28/05—Seminário Laudato Si-

    Rede Eclesial Pan – Amazônica

    29/05 a 09/06 – ainda aberto

     

    Junho/2017

    10-18/06-a Festa de São Benedito – novena

    19-23/06 ainda vago

    26/06 até 2/07-Presença da imagem Peregrina de Aparecida em Souzel.

    30/06 até 2/07-Escola de Fé e Cidadania—Leigos promovem.

    Julho/2017

    No mês de julho Roberto Trindade tirará suas merecidas Férias

    15/07-no Km 90 Medicilândia, aniversário 70 anos de Antônio “duro”. O filho Bernadino pediu no dia 11/03 a minha presença lá.

    16/07-Km70 Sul-10 h Francisco e Gorete (do Espelho). Vai celebrar na comunidade São José onde eram fiéis participantes.

    20-23/07-12ª Romaria da Floresta

    25-29/07 – Retiro Prelatício

    Queremos receber ajuda de quem tem vontade de ajudar com cursos ou encontros de formação, presença conosco nas visitas – às pastorais devem repercutir nas comunidades em cada comunidade uma equipe dinamizadora de todas as atividades, sendo criativos. Queremos ser apoio a este numeroso universo de pobres deste município de Souzel. É preciso promover solidariedade, fraternidade com grupos de vizinhos, convidando todos a ser o que o Papa Francisco pede: “uma Igreja em saída”. Na Sede reunião mensal com as lideranças para formar o Conselho Paroquial.

    Ester, nossa secretária, tem mais a comunicar e detalhar, com a colaboração de Roberto que conhece a paróquia como ninguém. Eu digo que estou começando um pisado por lá. Quero vir para o vosso meio para somar e queremos irmanar-nos com as paróquias e as áreas vizinhas.

    Meu abraço a todos, as bênçãos de Deus e a proteção da Mãe de Jesus e do poderoso Padroeiro S. Francisco Xavier. Uma abençoada Páscoa!

    Pe. Alírio

    Obs.: para acessarem a PORONGA online basta acessar o site da Prelazia do Xingu: www.prelaziadoxingu.com.br

     
  • COMUNICADO - Conselho Presbiteral da Prelazia do Xingu

    COMUNICADO SOBRE TRANSFERÊNCIA DE PADRES

     

    Prezados Párocos e demais Padres, Agentes de Pastoral, Comunidades Paroquiais, povo de Deus da Prelazia do Xingu.

    Após um processo de discernimento, olhando a realidade de nossa Prelazia e tendo ouvido os envolvidos e o Conselho Presbiteral, venho por meio deste comunicar algumas transferências de Padres de nossas Paróquias para este ano de 2017.

    Conforme decisão do Conselho Presbiteral, em comunhão com o Bispo, foi determinada a transferência de alguns padres, a saber:


    Pe. Gilmar Dalcanale da Paróquia de Nossa Senhora Imaculada Mãe dos Pobres localizada no Município de Medicilândia, foi transferido para a Paróquia Santíssimo Corpo e Sangue localizada no município de Brasil Novo.

    Pe. José Geraldo Magela Vidal da Paróquia Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo localizada no Município de Brasil Novo, foi transferido para a Paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos localizada no município de Vitória do Xingu.

    Pe. Romildo Maurício da Silva da Paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos localizada no município de Vitória do Xingu foi transferido para a Área Pastoral Nossa Senhora de Guadalupe no Belo Monte.

    Pe. Jorge de Siqueira César da Área Pastoral Nossa Senhora de Guadalupe em Belo Monte, foi transferido para a Paróquia de Nossa Senhora Imaculada Mãe dos Pobres localizada no Município de Medicilândia.

    Pe. Bento Filgueira da Luz da Paróquia São Francisco Xavier localizada no município de Senador José Porfírio (Souzel), foi transferido para a Paróquia de Santa Luzia localizada no Município de Anapu onde trabalhará junto com Pe. José Amaro Lopes de Sousa.

    Pe. Alírio Bervian que trabalhava na Área Pastoral Assurini, foi transferido para a Paróquia São Francisco Xavier localizada no município de Senador José Porfírio (Souzel).

    Com alegria, testemunho como Bispo a disponibilidade encontrada por parte de todos para as mudanças. Deus seja louvado e abençoe sempre todos os nossos padres e assista-os com sua graça para realizarem a missão que lhes é confiada como mediadores de Nosso Senhor Jesus Cristo, a serviço do povo de Deus.

    Acredito que o mesmo acontecerá com nossas comunidades, acolhendo com amor os novos padres, enquanto manifestam sua gratidão pelo serviço realizado pelos padres antecessores que estiveram à frente de suas paróquias, em nome da Igreja.

    As transferências vão se efetuar do mês de abril até o mês de maio do corrente ano.

    Também devo comunicar que as provisões serão feitas por um período de 6 (seis) anos.

    Que luz da Páscoa de nosso Senhor Jesus Cristo que se aproxima se manifeste sempre mais em nossas vidas e em nossa Igreja. Agradeço a Deus por mais um trabalho realizado e sob a proteção de Maria, Mãe da Igreja e nossa Mãe, abraço-os fraternalmente.

    Altamira, 8 de março de 2017

    Dom João Muniz Alves
    Bispo da Prelazia do Xingu


    Pe. Waldemar Pimentel Filho
    Secretário do Presbitério

     
  • POVO ARARA - CARTA DE REPÚDIO E SOLIDARIEDADE

    O Conselho Presbiteral da Prelazia do Xingu reunido nos dias 07 e 08 de março de 2017, em Altamira, tomou conhecimento da invasão nas terras indígenas Arara do Laranjal, no trecho entre o Km 120 ao Km 140,entre os municípios de Medicilândia e Uruará, na Transamazônica Oeste (BR230), sentido Altamira – Itaituba.

    A referida terra indígena foi devidamente demarcada e homologada e ultimamente bem sinalizada. Portanto, a invasão da área demonstra total desrespeito e descaso com os povos indígenas e com a decisão do Estado de garantir os direitos de nossos irmãos indígenas.

    Repudiamos tal atitude e nos solidarizamos com a causa desse povo, que tem seus direitos garantidos pela Constituição Federal, no seu artigo 231, que reza o seguinte:

     

    Art. 231.São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens. (Constituição Federal, 1988)

     

    Queremos aqui reafirmar nosso compromisso com a Campanha da Fraternidade que trata dos Biomas Brasileiros visando salvaguardar a unidade entre diversos elementos da Natureza, lembrarmos dos povos originários que neles habitam, trazendo em nossas atitudes e gestos concretos o “Cultivar e Guardar a Criação” Gn,2,15

    Exigimos imediatamente uma tomada de posição das autoridades competentes e a retirada dos invasores; garantindo assim o direito dos povos indígenas de viver em liberdade e paz em seu habitat.

    Ao mesmo tempo estamos preocupados com o crescimento constante da violência em nossos municípios que vem assistindo a ocorrência de vários assassinatos cotidianamente, causando insensibilidade e desvalorização da vida.

    Como Igreja temos a missão de sempre defender e promover a vida em todas as circunstâncias; como nos pede o Evangelho; lembramos que Jesus veio para que todos tenham vida e vida em abundância. (cf. Jo10,10).

    Conclamamos a todos os cristãos e cristãs, as comunidades, pastorais, paróquias e pessoas de boa vontade a denunciar e combater todo tipo de injustiça e violência contra a vida, assumindo a prioridade “Defesa da Vida” definida e aprovada pela 7ª Assembleia do Povo de Deus.

     

    Altamira, 08 de março de 2017.

     

    Dia Internacional da Mulher

    As mulheres têm muito a dizer-nos na sociedade atual... A mulher sabe ver as coisas com olhos diferentes dos homens”. Papa Francisco, 2015

     

    +Dom João Muniz Alves,OFM

     

    Pe. Vandeir lima Alves

    Pe. Gilmar Dalcanale

    Pe. Waldemar Pimentel Filho

    Pe. Alirio Bervian

    Pe. Patrick Francis Brennan

    Pe. Hortêncio Medeiros Matias

    Pe. Friederich Satzger

    Pe. José Amaro Lopes de Sousa

    Pe. Romildo Maurício da Silva

     
  • Às Irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo

    Nosso carinho e abraço fraterno....

     

    O amor é a força divina que tudo conforta.

     

    Hoje o céu amanheceu em festa pois nosso Pai recebeu em seus braços a nossa amada irmã Maria Goretti, aquela que no mundo e entre nós apenas semeou ensinamentos de amor e de profunda fé em Deus.

     

    Buscou sempre na arte de amar, fazer com amor o crescimento intelectual e espiritual de tantas crianças, adolescentes, jovens e adultos que o Bom Deus lhes confiou ao aprimoramento intelectual, ético e cidadão, tornando-os sal da terra e luz do mundo fiel à prática libertadora de Jesus Cristo.

     

    Hoje o Pai quis acolhê-la em seu lar com um grande abraço de amor!!!

     

    A nós ficará a saudade, marca do gesto que sempre nos deixou e demonstrou e eternamente o sentimento de gratidão nutrido pela amizade e amor que uniu-nos a ela, nessa grande família Mattiana.

     

    Fica a perda de uma grande religiosa, mestre, mãe, amiga e acima de tudo uma filha muito amada de Deus que com seu testemunho de serva de Deus cumpriu suam missão na terra.

     

    E fica em nossa memória alguém muito especial que abraçou com muita competência sua vocação, sua fé, sua vida e sua missão junto a nós no Xingu e na própria na Congregação das Irmãs Adoradoras de Cristo.

     

    A Prelazia do Xingu reconhece e agradece o grande serviço e trabalho realizado com dedicação e doação a causa educacional de nossa Região através do Instituto Maria de Mattias e seus respectivos anexos (CIBB e CIEK).

     

    Assim nós, povo de Deus do Xingu, queremos unimo-nos em oração junto as Irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo e expressar nossos mais sinceros votos e fraternos sentimentos e dizer-lhe contem sempre com nossas orações e apoio hoje e sempre!!!

     

    E a todos nós cuja fé está no Senhor da vida, Ele acalentará com sua sabedoria e com o seu amor e dará a toda família religiosa das Adoradoras do Sangue de Cristo e à família de Ir Maria Goretti o bálsamo de alívio para a dor e saudade que bate em seus corações.

     

     

    Dom João Muniz Alves, OFM

    Bispo da Prelazia do Xingu

    E todo o povo de Deus do Xingu

     
  • Inauguração do Hospital São Rafael

    50 anos atrás acontecia a

    Inauguração do Hospital São Rafael

     

    Por: Pe. Miguel Rhode

    (Conrado e equipe de enfermagem do Hospital São Rafael)

     

    Muita gente não sabe, mas a Prelazia do Xingu e seus Missionários construíram o Hospital que há tantas pessoas serviu e serve. O mesmo na época da construção da Tranzamazônica foi simplesmente “tomado” pelos militares como se eles o tivessem construído. O terreno e prédio são da Prelazia da Xingu. Na Alemanha foi entrevistada uma das missionárias da época de inauguração do Hospital.

     

    Juana Bluemel fez parte da primeira equipe de assistentes de desenvolvimento, iniciando seu serviço no novo e primeiro hospital da cidade Altamira. O hospital São Rafael foi inaugurado no mês de Janeiro 1967. Juana assumiu o serviço da parteira. Junto com ela estavam Rose Muffler (como Juana da Alemanha) e Luisa Abdank da Áustria. Estas duas foram enfermeiras. Nesta entrevista Juana está se lembrando deste período cinquenta anos atrás.

     

    Juana, 50 anos atrás em Altamira! Do que você lembra de imediato?

    Eu passei um tempo muito bom em Altamira. Foi um tempo agitado. Eu era muito jovem neste tempo. Meus colegas tinham sete e nove anos de idade mais. Foi para mim uma grande aventura.

     

    Como você chegou da Alemanha para Altamira?

    Foi um caminho longo. Minha vida inteira eu passei quase como viajante. Eu morei junto a minha família na zona oeste da Alemanha. Quando os Russos fecharam as fronteiras para o resto da Alemanha fugimos na última hora. Na parte ocidental da Alemanha eu terminei meu tempo escolar. Depois entrei na formação profissional e me tornei parteira. Foi na época dos 60. Foi o tempo em que o Jesuíta Pe. Leppich começou um famoso programa de pregação em público ... nas praças e ruas. Estas pregações despertaram um entusiasmo pela missão dentro de mim. Por isso contatei um serviço de desenvolvimento depois da minha formatura. Através deste serviço eu fui enviada junta as duas colegas para Altamira no Xingu.

     

    Você recebeu uma preparação para este serviço tão longe de seu país e fora de sua cultura?

    Sim! Fizemos um treinamento e uma preparação por três meses na cidade do Friburgo no sul da Alemanha. Depois passamos ainda três meses em Portugal para aprender o Português. Só depois partimos da Alemanha em direção do Brasil. A viagem iniciou em Hamburgo e nos levou diretamente para Belém. Viajamos com um navio de carga.

     

    E quando você chegou em Altamira? E o que você encontrou no seu destino?

    Nós chegamos no mês de Outubro 1966 no Xingu – depois de 18 dias de viagem no navio e mais umas semanas em Belém para nos adaptar e praticar a nova língua. Em Belém ficamos num convento de freiras.

    Altamira foi neste tempo uma cidade pequena, totalmente diferente desta cidade que eu reencontrei numa visita mais tarde em 2004. O hospital foi um prédio bem simples com 20 salas para os doentes, uma sala de cirurgia, uma sala para partos, cozinha e nossos quartos. E ainda tinha uma pequena igreja. A coisa foi financiada e construída pela obra missionária “Misereor”. Foi uma vida bem simples, mas eu me senti muito bem. A vida na cidade ainda foi semelhante à vida de uma grande família.

     

     

    E seu trabalho? Do que você se lembra?

    (sorridente) ... de muitos momentos!! Ficamos normalmente sem ajuda médica. Se for, passou uma vez por mês um médico no hospital para realizar cirurgias e cuidar das doenças mais graves. Lembro-me uma vez um médico se comprometeu a ficar o tempo todo em Altamira. Ele não agüentou e nos deixou depois de poucas semanas. Assim o hospital era nossa. Ajudar nos partos era minha tarefa. Pequenas cirurgias como costurar feridas ou estabilizar ossos quebrados ficou com as minhas colegas. E juntos cuidamos dos pacientes e trataram das doenças típicas tropicais. Era normalmente um trabalho de médicos assistentes, um alem do trabalho típico de enfermeiras. Foi bom assim. Nem um dia passou igual ao outro. Todos dias eram únicos. Em todos nestes anos realizamos também cursos de formação em enfermagem para jovens. Estavam sempre cinco, seis meninas conosco. Normalmente eles ficaram um ano no hospital para aprender o mais importante da profissão.

     

    Você se lembra de momentos ou situações especiais?

    Sim, também aqui eu poderia contar muitas histórias. Uma vez chegou um homem no hospital picado por uma cobra na perna. A ferida inflamou terrível. Ele pediu-nos amputar a perna. A gente cuidou dele e graças a Deus nestes dias passou o nosso médico em Altamira. Ele fez a cirurgia de amputação, mas para esta a gente tinha que emprestar ainda um serrote. Não tina esta ferramenta em casa. Outra vez chegou um jovem. Numa briga violenta ele tinha levado uma bala na barriga. Aqui não tinha tempo de esperar. Para evitar uma inflamação o intestino precisava ser costurado dentro de 24 h. O Pe. Konrad ajudou na preparação da cirurgia e a Luise realizou-a. Graças aos conhecimentos e a habilidade dela tudo saiu bem. Hoje em dia uma situação desta? Não para pensar!

    A minha lembrança mais especial ... num parto prematuro faleceu a mãe. A criança, um menino, ficou conosco. Nós o criamos nos primeiros anos. Cléo, o nome dele, foi depois adotado pela família de uma das nossas meninas em formação. Nunca vou me esquecer disso. Cléo chamou cada uma de nós de mamãe.

     

    O final do tempo e de seu trabalho em Altamira ... Quando você deixou o Xingu?

    Nosso serviço ficou terminado até o mês de Abril 1970. Partimos nós três juntos. Esta vez viajamos de modo luxurioso com um navio de cruzeiro. Chegamos em Gênova na Itália. Daqui cada uma tomou seu rumo. Meu reencontro com a minha família foi maravilhoso. Não houve muito contato com os familiares durante estes quatro anos. Meu pai no primeiro instante nem me reconheceu. Foi bom estar de volta em casa.

     

    Mais uma pergunta: O que fica deste tempo como enfermeira na missão?

    Fica o sentimento bom que eu estava no lugar certo no tempo certo. Eu nunca me arrependi da minha decisão. Estes anos em Altamira marcaram a minha vida e se tornaram importante para o meu desenvolvimento pessoal. Se ainda estivesse jovem ... eu ia decidir de novo por uma missão como esta.

     
  • Reinauguração do Seminário São João Maria Vianney -Etapa Propedêutico-Brasil Novo

     

    No dia 20 de fevereiro de 2017 em Brasil Novo realizou-se a Missã em ação de graça pela Reinauguração da casa e início do ano letivo de 2017 no Seminário São joão Maria Vianney etapa propedêutico.

    A missa foi presidida por Dom João Muniz Alves e co-celebrada por Pe. Vandeir Lima Alves (Vigário Geral), Pe. José Geraldo Magela(pároco de Brasil Novo), Pe. Hortêncio Medeiros Matias(reitor do seminário), Pe. Fritz Satzger(Paróco Nossa Senhora do Perpétuo Socorro), Pe. Lucas Fuertes Rodriguez (Nossa Senhora do Perpétuo Socorro) Pe. João Bosco (Chanceler da Prelazia do Xingu), Pe. Romildo Maurício Silva (pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos).

    Estiveram presente a comunidade católica de Brasil Novo, autoridades municipais: o prefeito de Brasil Novo: Alexandre Lunelli e vereadores, religiosas das Congregações Franciscanas de Penitencia e Caridade Cristã, Franciscanas de Ingolstadt e Adoradoras do Sangue de Cristo, como também jovens da Pastoral da Juventude, Seminarista Gilberto (Igreja Irmã de Porto Alegre-RS e representantes da Fraternidade São Francisco – Ordem Franciscana Secular e equipe do Centro de Pastoral da Prelazia do Xingu.

    Após a celebração todos partilharam um momento de confraternização com um delicioso café da manhã.

    Os trabalhos no ano de 2017 iniciarão com o acompanhamento a 4 seminaristas: Gabriel Matos Pinheiro (Porto de Moz-PA), Antônio Marcos Oliveira Ferreira (Medicilândia-PA), Vinícius Oliveira Gomes (Brasil Novo), Francisco Edvan Brandão(Brejo Santo-Crato-CE) acompanhados por Pe. Hortêncio Medeiros Matias reitor do Seminário e promotor vocacional.

    Que todas comunidades possam voltar suas orações para esse trabalho de formação sacerdotal aos futuros ministros ordenados de Cristo como também a solidariedade e partilha na sustentação dessa obra que é o Seminário São João Maria Vianney – Etapa Propedêutico e Ensino Médio em nossa Prelazia.

    O Seminário São João Maria Vianney-Etapa Propedêutico, Pe. Hortêncio Medeiros Matias e os seminaristas estão abertos a acolhê-los com suas orações, apoio e solidariedade a causa vocacional. (Por Dóris - Centro Pastoral)

     

     
  • 44ª CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini – Paróquia N. Sr ª do Perpétuo Socorro Pe. Alírio Bervian 2ª carta – 10º Ano no Assurini-4ª com Pe. André Delzelle

    FEVEREIRO e MARÇO/2017

    Estamos vendo com alegria o esforço das comunidades construindo capelas ou ajeitando algo no local da comunidade: limpeza, cruz, bancos, ambão, pinturas, estão funcionando catequese, coroinhas, ministros(as)- todos aos poucos dando a sua parte de colaboração.

    Pe. André viajou para sua terra, em férias, na Bélgica, em 24/01/2017. O programa quando voltar já está nessa carta – Todos já sabem, pois, sempre deixa marcado na visita a vinda na próxima.

    Estamos no tempo de férias, tempo de descanso, viagens, tratamentos, cursos tempo de reabastecimento, reanimação e formação. É também um tempo novo mesmo que pouco de novo virá a acontecer, pois, temos um novo grupo de mandatários em nossos municípios prefeitos e vereadores. Assim vai tendo novos encaminhamentos. Deus está permitindo o aparecimento de “chicotes” para corrigir-nos, admoestar-nos tanto em nível municipal, estadual, nacional e internacional. Lembrem os mandatários no poder ou os que nestes dias tomaram posse Juvenil, Jatene, Temer, Trump. De certa maneira Deus é sempre misericordioso. Pois, poderia ser pior, vejam lá! Quem olha com os olhos da fé vê mais longe. Apesar de tudo queremos sempre louvar ao Senhor que é o senhor da História e de nós e da nossa caminhada. Vamos agir, alertar-nos e fazer a nossa parte, colaborando com a obra de Deus, pois, o reino é dele e ele vai manifestá-lo na história.

    Assim vamos colocando as prospectivas para este novo ano que já está no 2º mês: Volta as atividades normais, em Brasília, voltam os deputados e senadores, os juízes estão preocupados com o substituto de Teory” a bola que foi chutada para fora”! No Xingu vão soprar novos ventos neste ano com a presença de nosso novo bispo D. João. Neste mês no final vamos entrar no tempo maravilhoso da quaresma que nos apresenta a campanha da Fraternidade que traz como tema: Fraternidade e Biomas Brasileiros e o lema: “Cultivar e guardar a Criação” Gn2,15. Vamos refletir sobre nossos biomas brasileiros. Nosso bioma é a Amazônia – outros: Pampa, Cerrado, Pantanal, Mata Atlantica, Caatinga.

    Destaque dia 17 e 18 de fevereiro a Pastoral da Criança fará a 1ª Etapa de capacitação das comunidades sobre a Pastoral da Criança na Vila Sol Nascente – Centro Irmã Dorothy. A partir das 17 h do dia 17/02.

    Retrospectivas: Como foi o Natal, ano Novo? Vejam os fatos! Constatei que várias comunidades estão com contas a pagar- Não gosto disso, mas dá uma boa soma. Vejam lá! As comunidades são:Cocal São José; Nova Transunião, St Antônio, Jatobá- São Sebastião; Cajá 1 St Antônio; cajá 2 N. Sr de Fátima; Ressaca Nossa Sr das Dores; Pa- Ressaca São José; João Bispo S. Miguel Arcanjo; Ilha do Elói S. Sebastião; Arroz Cru- St Luzia; Bom Jardim 1 São Lucas; São livros de cantos, camisetas e até calendários. Quem deve, deve saber! Vejam lá!Pois estou para ir em frente e peço que tenham consciência! Já estamos num vermelho além dos R$100.000,00. Se acham que já foi paga a conta ajudem-me a ter certeza. Grato!!! Deus abençoe! Tem dívidas de 2014 até?

    Pe. Alírio e Pe. André

    Fevereiro 2017

    Programação de Pe. André:

    22/02-Altamira

    23/02 Bom Sossego 3 – N. Sr ª Aparecida 9 h

    24/02 Cajueiro Nossa Sr da Conceição1 9 h

    Lajes Santa Luzia15 h

    25/02 Trav. do Nenê Cristo Rei-9h

    18 h N. Sr ª das Aparecida Itatá

    26/02 Ressaca nossa Senhora das Dores-8h

    Ilha do Elói São Sebastião 10:30

    Sol Nascente São Sebastião 19 h

    27/02 Convivência na Prelazia

    28/02 Trav. de Pernambuco Nossa

    Senhora das Graças 9 h

    Pa – Ressaca Mocotó São Sebastião-18h

    MARÇO 2017

    01/03-Nova Trans união- Stº Antônio-15 h

    02/03- Altamira

    03/03-Alegria do Saber 9 h

    Raio de Sol Nossa Senhora Graças16 h

    04/03-Babaquara São Francisco 9 h

    Nova Olinda – São Pedro e São Paulo19 h

    05/03-Bom Sossêgo 2-Santa Maria-10h

    Sol Nascente São Sebastião-19h

    06/03-Convivência na Prelazia

    07/03-S. Miguel João Bispo-9h

    Paratizinho- São Francisco-19h

    08/03 Cajá 1 Sto Antônio 9 h

    São Francisco Pirarara-17h

    09/03 Altamira

    10/03 Firma Sagrada Família9h

    Picadão São jorge-15h

    11/03 Bom Jardim 1 São Lucas-9h

    Palhal Santa Luzia15 h

    Cascata São Rafael18 h

    12/03 Pimentel 4 bocas- Nossa Senhora Aparecida 9 h

    Cajá 2 N. Sr de Fátima – 15 h

    Sol Nascente São Sebastião19 h

    Programação de Pe. Alírio:

    02/02-Vicinal dos Crentes Comunidade São Fco Xavier-30º Aniv. De falecimento de Dona Jó-15h

    03/02-Firma perto do Rio ituna 2-Casa de Valdir e Cosma (vizinhos de Joel) 15 h

    04/02-Ainda a ser marcado

    05/02-75Fx – Transamazônica Festa dos 80 anos de Egidio Barth-10 h

    08-16/02-Era previsto ida para Aparecida do Norte-13-9 h TV Missa Jubileu de Prata (25 anos) da ANPB (Associação Nacional dos Presbíteros do Brasil) e 14 e 15 Assembleia Geral.

    8 a 12/02 Visitas a Souzel = mapa das comunidades

    13/02-Km 100 Sul Nossa Sr ª Sant’Ana 17 h

    18/02-Km90 Comunidade Santo Antônio 115 Norte 10 h

    Comunidades Nossa Senhora Aparecida 105 Norte 16 h

    19/02-Km90Comunidade Cristo Ressuscitado 70 FX10h

    Matriz 19:30

    20/02 Ida a Santarém - Encontro Regional de Presbíteros até dia 24.

    25/02-Km 90Comunidade São Francisco 110N10h

    Comunidade Madre Paulina 110N16h

    26/02-Km 90 São Raimundo Nonato 10 h

    Matriz 19:30

    27/02 Surubim Bom Jesus – 19 h

    28/02-Km 32-Cristoval

    -Km 80n Medicilândia São Miguel Celebração quarta Feira de Cinzas19 h

    MARÇO 2017

    1º/03-Km 90-No 100FX-Encerramento do Retiro dos Adolescentes - iniciou em 25/02-é o 12º Encontro-10 h

    04/03-Km90 Monte Calvário 70 N-10h

    Família de Nazaré 70 N- 16 h

    05/03 KM 95 Norte Santa - Stª Luzia 10 h

    Matriz 19:30

    07 a 8/03 Conselho Presbiteral Extraordinário

    17/03 Chegar no Pontal ida para Beiradão São José – Beiradão – Pontal no Manoel Alho 16 h

    18/03-Festa de São José – Beiradão – Pontal no Manoel Alho.

    19/03-10 h Pontal – Comunidade São Tomé

    23/03 – Assurini – Mangueiras – 1 ano de Falecimento Leno – às 19 h

    24/03-Ida para 80 norte-Anapu-Casa de Dirceu

    25/03-Santa Luzia 80 Norte Anapu-10h

    Prestação de contas Gastos: novembro 2016

    Entradas: Anapu R$ 262,50

    B. Novo R$ 509,00

    Medicilândia R$ 942,83

    Assurini R$ 343,25

    Doações R$ 116,00

    Total R$2.173,58

    Saídas: gastos

    Vinhos e Hóstias 85,00

    Xerox- 28,00

    Baterias e Terminais 740,00

    Óleo 1660,56

     

    Vermelho: R$725,96

    Prestação de Contas de Dezembro – Pe. André

    Saldo Inicial negativo: R$2.060,00

    ENTRADAS

    Doação....................150,00

    Ofertas.................700,00

    Dízimo....................1.266,00

    Total....................1.549,00

    DESPESAS

    Combustível.........................................1.055,00

    Balsa.......................................................276,00

    Vinhos e Hóstias.......................................65,00

    Total....................................................1.455,00

    Saldo Final Negativo..........................1.549,00

    Observações:

    1-O número do celular de Pe. André é 992184328. ligar de preferência na segunda feira pela manhã ou na quinta-feira pela manhã.

    2-no inverno, quando a celebração é de manhã, para as comunidades distantes, o Pe. André procurará chegar o dia anterior de tarde ou de noite.

    Obs.: para acessarem a carta aberta online basta acessar o site da Prelazia do Xingu: www.prelaziadoxingu.com.br

     
  • Dom João em visita a Uruará - Assembleia Paroquial

    Durante os dias 14 a 21 de dezembro do ano de 2016, Dom João Muniz Alves, bispo do Xingu, fez sua segunda visita pastoral a Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Uruará.

     

    O bispo chegou a cidade de Uruará por volta das 18 h do dia 14 e as 19:30 h do mesmo dia ele celebrou a santa missa e conferiu o sacramento da crisma a 11 jovens na comunidade São Pedro no km 175 Fax. No dia seguinte, D. João celebrou às 10 h, com o povo da comunidade Nossa Senhora Aparecida no Km 180 sul e abençoou a capela daquela comunidade, e à noite ele crismou 8 jovens na comunidade Jesus Bom Pastor no Km 190 Fax.

     

    Entre os dias 16 e 18 foram os momentos fortes da visita do nosso bispo:

     

    Pela manhã do dia 16, ele reuniu com o Conselho de Pastoral Paroquial (CPP) e a tarde foi um momento muito especial e esperado por todos, foi o primeiro encontro do nosso bispo com todos dirigentes e lideranças das comunidades da Paróquia Nossa Senhora de Fátima de Uruará.

     

    A tarde do dia 16, após ter sido devidamente apresentado pelo Pe. Jeová às lideranças das comunidades, o bispo fez a abertura da assembleia paroquial, seguido por uma fala de agradecimento e encorajamento aos dirigentes e ficou toda aquela tarde e noite ouvindo respondendo as perguntas da assembleia e atendendo as pessoas que lhe procuravam.

     

    No dia 17 o bispo continuou participando da Assembleia paroquial, ouvindo a avaliação da caminhada pastoral do ano de 2016 e o planejamento para 2017. Na noite do mesmo dia ele celebrou e crismou na comunidade São Cristóvão na cidade. No dia 18 às 08 h, missa de encerramento da Assembleia na igreja Matriz, com a bênção de envio dos dirigentes e lideranças. E às 20 h houve a missa na igreja Matriz onde foram crismados quase 50 jovens e adultos. No dia 20 Dom João visitou mais duas comunidades uma nas zonas rural e outra na cidade onde houve a santa missa e celebração dos sacramentos do batismo, eucaristia, confirmação e matrimônio.

     

     
  • 43ª CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini – Pe. Alírio Bervian 1ª carta – 10º Ano no Assurini-4ª com Pe. André Delzelle

     

    JANEIRO/2017

     

    No dia 10 de dezembro de 2016 realizou-se no Centro Irmã Dorothy a nossa assembleia pastoral anual.

    Participaram da assembleia:

     

    O Setor Chico Mendes,

    Assurini, esteve presente com sete comunidades: Paratizinho: S. Fco; Dispensa 2-Nazaré; Palhal: Stª Luzia; Cocal – S. José; Sol Nascente: S. Sebastião; Cajá 2-Fátima; Bom Sossego: St Maria.

    O Setor Dema – Itapuama a Lages presentes com três comunidades: Raio de Sol N. Sr ª das Graças; Espelho: São Benedito; Itapuama: Divino Espírito Santo.

    O Setor Pe. Josimo – do Babaquara ao Pimentel, presente com três comunidades; Babaquara: S. Fco; Bom Jardim 1-S. Lucas e Pimentel, 4 bocas N. Sr Aparecida.

    O Setor D. Erwin – Pirarara a Ressaca esteve presente com uma comunidade: PA Ressaca (Novo Itapuama) São José.

    O Setor D. Luciano: Transunião e acessos esteve ausente.

     

    Portanto estiveram 14 comunidades presentes num total de 49 pessoas mais 7 cozinheiras (mais ou menos).As decisões foram: Eleição de coordenadores do setor, ficando assim:

    Chico Mendes – Rozimar e Val;

    Dema: Cajá e Ebson;

    Pe. Josimo: Lindomar e Cláudia;

    Dom Erwin: Wanderlei e Juvenil.

     

    *Vamos valorizar os padroeiros com festa: torneio, procissão, partilha, algo para renda (bingo, leilão, rifa, doação…)Mutirão.

    *É bom saber que Luzia do Ananias e Roseli do Pedrinho são as tesoureiras e coordenadoras da comunidade São Sebastião da Sol Nascente.

    *Dar força ao Dízimo – os envelopes estão nas comunidades – o mínimo é R$10,00 (dez reais)por pessoa, por mês, ficando 50% para a comunidade, observação: dez reais é para quem está passando fome.

    *Construção de Igreja: A Igreja São Sebastião do Sol Nascente e Várias capelas como Palhal: Stª Luzia, Itapuama: Div. Esp. Stº, Bom Sossego 3-Ituna, concluir Raio de Sol: N. Sr ª das Graças e muitas comunidades já tem terreno definido até já com cruz erguida: Pirarara vários santos, agrovila Pa Ressaca – S. Sebastião. Pa Ressaca -Stª Luzia, Nova Transunião Stº Antônio.

    *Fazer funcionar grupos de vizinhos e novenas.

    *A pastoral da Criança esteve presente na Assembleia na pessoa da coordenadora Amparo. Esta pastoral já teve seu tempo áureo no Assurini quando Ir Erenita era coordenadora. Vamos voltar aos bons tempos; ter pessoas disponíveis, fazer visitas, pesar as crianças, fazer a festa da vida. Os calendários ainda estão pendurados. O encontro de 18 a 19/02/2017 vai ser importantíssimo. Escolham agentes e enviem.

    *A catequese está vindo com força – de crianças para a 1ª Eucaristia e até de jovens

    e adultos. Pe. André está chamando catequistas e as pessoas estão assumindo. Parabéns!

     

    O Encontro de formação 6/5/2017 vai ser muito importante. Vamos lá. Vai ser um processo, pois não podemos parar e o encontro já vai ser a partir das experiências que já estão fazendo.

    *Um destaque da Assembleia foi a presença de jovens não só como pessoas, mas com expressão, isto é, os jovens deram a sua opinião, falaram e foram eles que mais pediram formação bíblica. Assim vamos articula-nos para dia 08/07/2017, será inicio de vários outros encontros de Formação Bíblica. Jovens articulem-se nas comunidades, nas escolas, nos setores e vamos fazer uma bela caminhada, claro a força dos adultos animando os jovens é importante.

     

    A catequese da crisma deve acontecer em todas as comunidades. Esta é como a formação da liderança, os mais velhos ainda lembram quando d. Erwin fez a crisma. Eles eram os lideres das comunidades. Dom João quer visitar o Assurini e Crismar muita gente. Vamos reunir os jovens e adultos que ainda não foram crismados.

    *Sem dúvida estamos vivendo um novo tempo no Assurini com a presença de Pe. André: Liturgia mais participadas em especial pelas crianças e jovens; catequese funcionando; Dízimo acontecendo; visitas regulares; presença do padre morando no Assurini; cruzes sendo erguidas; liturgias mais organizadas; capelas em construção e muito mais que vocês sentem e vivem. Que Deus continue abençoando.

     

    * Parabéns ao Bom Sossego: St Maria pela coragem de fazer uma festa popular-26/11—Festa do Padroeiro (dia 21é o dia)Que bom foi passar por lá após a festa de aniversário da “Chica do Zezão”. Foi comigo o povo do diretor da Escola Sol Nascente Prof. Valdeci . Parabéns! Foi a 1ª festa da comunidade que vi no Assurini com objetivo para a comunidade. Vamos construir uma capela de alvenaria! Deus abençoe este povo. Gente que tem uma história de caminhada. Próspero Ano Novo!!! JANEIRO 2017

     

    Programação de Pe. André:

    1º/01-19 h: sol Nascente- São Sebastião

    02/01-convivência na Prelazia

    03/01-9 h Alegria do Saber Escola

    na Nova Transunião

    19 h Nova Olinda São Pedro

    e São Paulo

    04/01-9 h N. Sr das Graças Pernambuco

    19 horas Bom Sossego 2 Santa

    Maria

    19 h Paratizinho São Francisco

    de Assis

    8/01- 9 h 4 bocas N. Sr Aparecida –

    Pimental

    15 h Cajá 2 N. Sr de Fátima

    19 h Sol Nascente São Sebastião

    9/01- Convivência na Prelazia

    10/01- 9 h São Benedito – Acesso 6

    Transunião

    18 h:30 S. Francisco Xavier Travessão

    dos crentes

    11/01 9 h São José Cocal

    18 h S. Benedito Bar da Rosa Pirarara

    12/01-18 h Santa Luzia Palhal

    13/01- S. Miguel 9 h – João Bispo

    18 h S. Rafael Cascata Mangueira

    14/01- 9 h Sto. Expedito. Trav. do Soldado

    Escola

    15/01 – 9 h Div. Espírito Santo – Itapuama

    15 h Dispensa 1 N. Sr ª de Conceição

    19 h Sol Nascente São Sebastião

    16/01- Convivência na Prelazia

    17/01- 9 h Bom Jardim 2 S Cristovão

    15 h Espelho São Benedito

    18/01 9 h Ramal dos Maranhenses Novo

    Itapuama

    05/01-17h:30 Babaquara S.     Francisco de Assis    
    06/01—    15 h. São José Novo Brasil     Acesso 2
        19 h Cristo Rei – Planalto    Transunião
    7/01-    9 h Cajá 1 Sto. Antônio

     

    Programação de Pe. Alírio:

    04-11/01Perto de Brasília – DF-Luziânia acontecerá a Semana de Espiritualidade – é na chácara do CIMI – D. Erwin será o assessor

    07/01-Casa de Valdeci e Tanta – pais da Ir. Anadina na Dispensa 1-Assurini-10h

    16/01-Anapu: Casa das Irmãs Franciscanas Festa.

    20/01-Novo Brasil: Assurini Casa de José Pena 11 h

    21/01 – Medicilândia Com São Vicente 10 h

    Com Sag. Coração 75 n 16 h

    22/01-Medicilândia-PA Sr ª Fátima 75 Norte 10 h

    Com São Jorge 75 n 16 h

    23/01- Medicilândia Com. Santa Luzia 85 Norte 10 h

    Com Sg Coração 80 Norte 17 h

    24/01-Pontal

    24/01-No Beiradão São José Casa de Manoel Alho

    25/01-de barco no Rio Jaraucu, indo nos “americanos” volta no dia 26/01

    27/01-Volta do Pontal.

    29/01-Km 80 N – São Miguel- Medicilândia 10 h

    30/01-Vinda de Porto Alegre do Pe. Sílvio trazendo o seminarista Gilberto para um ano de estágio aqui na Prelazia do Xingu, igreja irmã da Arquidiocese de Porto Alegre.

    Há muito espaço para programações que vão surgindo na caminhada, como disse Jesus “A cada dia bastam as suas preocupações”. Mt 6,34

    Queremos desejar a todos um mês de descanso, férias, estudos, viagens, encontros…é sempre um mês especial, e um feliz ano novo!

     

    Prestação de contas Gastos: novembro 2016

     

    Prestação de Contas de Dezembro- Pe. André
    Saldo negativo: R$1.879,00
    ENTRADAS
    Doação....................150,00
    Ofertas.................1.106,00
    Dízimo....................943,00
    Total....................2.199,00
    DESPESAS
    Revisão de10.000 km  do carro.............785,00
    Combustível.........................................1.064,00
    Conta de luz Centro Irmã Dorothy..........124,00
    Balsa.......................................................368,00
    Hóstias.....................................................20,00
    Texto- base CF/2017................................19,00
    Total....................................................2.380,00
    Saldo Final Negativo:..........................2.060,00
    Coleta Missionária................................200,00
    Coleta Evangelização............................500,00

     

    Entradas: Anapu R$ 478,50

    B. Novo R$ 160,95

    Medicilândia R$ 761,05

    Assurini R$ 276,85

    Total R$ 1.677,35

    Saídas: gastos

    Vinhos e Hóstias 85,00

    Xerox- 28,00

    Óleo - 1.340,92

    Balsas 202,00

    Autoelétrica 14.00

    Conserto alto-falante 80,00

    Peças e troca de óleo 780,00

    Mecânico 120,00

    Alinhamento 180,00

    Filtro do ar 30,00

    2 Pneus novos 1440,00

    Pneu Moto 200,00

    Violão Cajá 500,00

    Total 4.999,92

    Vermelho: R$3.322,57= dos 9 anos passou para R$102.963,68

     
  • PROGRAMA DA FESTIVIDADE DO GLORIOSO SÃO BENEDITO

     

    MENSAGEM

     

     

    Querido povo de Deus e Devotos de São Benedito, aproximando-se a festa do Glorioso São Benedito e do Santo Natal, estamos enviando o subsidio sobre a carta de Papa Francisco: “ O rosto da Misericórdia” tal misericórdia tornou-se viva e visível em Jesus de Nazaré. ” O Papa nos adverte:

     

    E meu vivo desejo que o povo cristão reflita durante o Jubileu, sobre as obras de misericórdia material e espiritual. Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e de entrar cada vez mais no coração do evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina. A pregação de Jesus apresenta-nos estas obras de misericórdia, para podermos perceber se vivemos ou não como seus discípulos. Redescubramos as obras de misericórdia corporal: dar de comer aos famintos, dar de beber aos sedentos, vestir os nus, acolher os peregrinos, dar assistência aos enfermos, visitar os presos, enterrar os mortos. E não esqueçamos as obras de misericórdia espiritual: aconselhar os indecisos, ensinar os ignorantes, admoestar os pecadores, consolar os aflitos, perdoar as ofensas, suportar com paciência as pessoas molestas, rezar a Deus pelos vivos e defuntos”.

     

    Sim, precisamos sempre contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição de nossa salvação.

     

    O Ano Santo extraordinário nos ajude viver na existência de cada dia a Misericórdia, que o Pai, desde sempre estende sobre nós.

     

    Ao Padre Francisco Rubeaux a nossa gratidão por continuar nos acompanhando em nossa caminhada com esta reflexão.

     

    A nossa festa que se realiza ao findar este ano de Graça e Misericórdia possa nos conduzir, passo a passo, pelos caminhos do nascido da Virgem Maria, nos revelando a Misericórdia de Deus.

     

    Um Santo Natal, uma Boa Festa e um Ano Novo de Misericórdia e Paz.

     

     

     

    Pe. Giulio Luppi

     

     

    CELEBRAÇÃO DOS FESTEJOS DE SÃO BENEDITO E DO SANTO NATAL

    ANO 2016

     

    DIA

    TEMA

    1ª LEITURA

    SALMO

    2ª LEITURA

    EVANGELHO

     

    09

     

     

     

     

     

    São José

    10

     

     

     

     

     

    Nossa Senhora da Conceição

    11

     

     

     

     

     

    Nossa Senhora de Fátima

    12

     

     

     

     

     

    São Francisco

    13

     

     

     

     

     

    São Judas

    14

     

     

     

     

     

    Santa Maria

    15

     

     

     

     

     

    São Benedito

    16

     

     

     

     

     

    Nossa Senhora do Perpetuo

    17

    “Ó Sabedoria”

    Gn 49,2.8-10

    72,1-4.7-8.17

     

    Mt. 1,1 – 17

    Santo Antônio

    18

    “Ó Adonai”

    Jr. 23, 5 - 8

    72,1-2.12-13.

    18-19

    Mt. 1, 18 – 24

    Socorro Nossa Senhora das Graças

    19

    “Ó Raiz de Jessé”

    Jz. 13,2-7.24-25

    71,3-6.16-17

     

    Lc. 1, 5 - 25

    Nossa Senhora Santana

    20

    “Ó Chave de Davi”

    Is. 7, 10 - 14

    24, 1-6

     

    Lc. 1, 26 – 38

    São Paulo

    21

    “Ó Sol do Oriente”

    2Sm 7, 1-16

    89, 2-5.27-29

    Rm 16, 25-27

    Lc. 1, 26 - 38

    São José

    22

    “Ó Reis das Nações”

    1Sm 1,24-28

    1Sm 2,1-8

     

    Lc. 1, 46 - 56

    Nossa Senhora da Conceição

    23

    “Ó Emanuel”

    Ml 3,1- 4.23-24

    25, 4-14

     

    Lc. 1, 57 – 66

    Nossa Senhora de Fátima

    24

    “Ó Mistério”

    Is. 62, 1 - 5

    89,4-5.16-29

    At. 13, 16 – 25

    Mt. 1, 1 – 25

    São Francisco

    24

    Hoje Nasceu o Salvador

    Is. 9, 1 – 6

    96

    Tt. 2, 11 – 14

    Lc. 2, 1 – 14

    São Judas– Pastoral da Juventude

    25

    Paz na Terra aos de Boa Vontade

    Is. 62, 11 - 12

    97

    Tt. 3, 4 - 7

    Lc. 2, 15 – 20

    Santa Maria – Infância animação de criança

    25

    O Verbo se fez carne

    Is. 52, 7 - 10

    98, 1 -6

    Hb. 1, 1 – 6

    Jo. 1, 1 – 18

    São Benedito

    26

    Família: primeira Comunidade

    Eclo. 3,3 – 17

    128

    Cl 3, 1-12.21

    Mt. 2, 13 –23

    NS, Perp Socorro– Pastoral da Família

    26

    Santo Estevão Diácono – Protomártir

    At. 6,8–10;7,54-59

    31

     

    Mt. 10, 17 – 31

    Santo Antônio

    27

    S. Benedito “Luz das nações”

    Vida de S. Benedito

    89

    2Tm 4, 1 – 5

    Mt. 5, 13 – 16

    Setor Cidade

    27

    Em São Benedito, Deus se faz força

    1Jo 1, 1-4

    97

    At 13,47

    Jo. 20, 2 – 8

    N.S. Graça

    28

    Sagrada Família, Jesus, Maria , José

    Eclo 3, 3-17

    128, 1-5

    Cl 3,12-21

    Lc 2, 22-40

    N.S, Santana

    28

    São Benedito e a Família

    Gn 15, 1-6; 21,1-3

    105, 1-9

    Hb 11, 8-19

    Lc 2, 22-40.

    São Paulo


     

    (Texto da contracapa do programa)

    Dom João Muniz e Dom Erwin Kräutler

    Discípulos Missionários no Xingu

     

    A frente da maior circunscrição eclesiástica do Brasil, Dom João Muniz Alves, OFM e Dom Erwin Kräutler, dedicam-se a evangelização e a renovação das comunidades eclesiais de base, esse novo jeito da Igreja ser. É na organização, formação e celebração dos sacramentos, da Palavra e da Eucaristia que a vida acontece. Somos membros da Igreja do Xingu que faz sua opção pelos mais pobres e excluídos, pela causa dos indígenas e das comunidades ribeirinhas.

     

    A Dom Erwin o nosso muito obrigado por seu testemunho profético – missionário.

     

    A Dom João Muniz, nossas boas vindas e votos de feliz e abençoado Ministério Episcopal, a serviço da vida do povo!

     

     

    Contracapa.

     

     

     

     

     

     

     

    PROGRAMAÇÃO

     
  • FESTIVIDADE SÃO BENEDITO - GURUPA

    JESUS: O Rosto da Misericórdia do Pai.

     

    Pela sua carta “O rosto da misericórdia” o Papa Francisco decretou o ano de 2.016 como o ano jubilar extraordinário da Misericórdia.

    Este ano a Liturgia nos ofereceu de reler e meditar o Evangelho segundo São Lucas. São João Crisóstomo chamava São Lucas de: “escriba, isto é escritor, da Misericórdia de Deus”; e ainda dizia que a misericórdia “é a rainha das virtudes”.

    Bons motivos para nós aproveitarmos esta festa de São Benedito para refletir e nos deixar invadir pala misericórdia divina. Pois o desejo de Jesus é que nós “sejamos misericordiosos como o nosso Pai é misericordioso”.

     

     

    1. Experimentar a misericórdia de Deus:

    Já no Antigo Testamentos numerosos são as pessoas que fizeram a experiência da misericórdia e da bondade de Javé. Fizeram essa experiência em grupo ou individualmente, e cantam essa misericórdia de Deus. Basta lembrar o Salmo 136 que canta o amor de Deus que cria e recria, libertando da escravidão: “Celebrai a Javé porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre”, “eterna é a sua misericórdia”.

    Da mesma forma o Salmo 103 declara: “Javé é compaixão e piedade, lento para a cólera e cheio de amor… O amor de Javé existe desde sempre e para sempre existirá por aqueles que o temem”. A misericórdia de Deus é aqui evocada como “compaixão” isto é a capacidade de padecer com o outro, de se identificar com o outro nos seus sofrimentos. A dor alheia se torna a minha dor. Esse sentimento vem do mais fundo da pessoa, vem das suas entranhas.

    É porque ele conhece o sofrimento do seu povo no Egito que Javé decide libertá-lo das mãos do Faraó. “Conhecer” na língua hebraica não é somente uma questão de saber intelectual (podemos conhecer a dor dos outros através de uma reportagem ou de um documento, mas não passa de um conhecimento teórico). “Conhecer” para os Hebreus é “com-nascer” isto é ter um sentimento de partilha, de solidariedade, de profunda comunhão com a pessoa que está padecendo. Com ela padecemos (com-padecer= compaixão). Aqui podemos reler a mensagem da sarça ardente (Êxodo 3, 1-15).

    Observamos como no texto é descrita a misericórdia de Deus: ele vê, ele ouve, ele conhece, ele desce, ele liberta....todos estes verbos nos indicam que a misericórdia não é palavra e sim ação. Os verbos marcam os diversos passos que levam Deus a ter misericórdia.

    É a partir dessa experiência que Moisés descobre o Deus da misericórdia e da compaixão. Vamos ler no livro do Êxodo 34, 5-7. Javé é o Deus “de compaixão e de piedade, cheio de amor e de fidelidade”. Talvez que mais do que “Javé”, esse seja realmente o nome que revela melhor quem é o Deus de Israel. O amor é a gratuidade de Deus (=sua graça) que se manifesta de forma muito diversa. Lá também basta reler o Salmo 146 para conhecer a lista de todos os benefícios que Javé realizou em favor do seu Povo e das pessoas em particular, movido pela sua compaixão. Deus nos ama, sua misericórdia é para sempre reza e canta o Povo de Israel. Assim “amor e fidelidade” se torna o próprio nome de Deus. A misericórdia vem das entranhas, é a compaixão de quem sofre e padece com o outro. A certeza da misericórdia de Deus para com a humanidade gera a fidelidade, Ele é nossa segurança, por isso Deus é também chamado de “rochedo” sobre o qual podemo-nos apoiar sem medo de cair ou escorregar. Deus é firme e seguro e isso gera em nós a fé (fé, firmeza, fidelidade, todas palavras que tem uma única origem numa palavra hebraica: “Amém”)

    Para refletir: quais são as experiências da misericórdia de Deus que tivemos em nossas vidas, vamos compartilhar estas experiências.

    Podemos rezar juntos o Salmo 136 e depois das louvações por causa das misericórdias de Deus, acrescentamos as nossas de hoje.

    Para refletir: Como hoje, posso descobrir a misericórdia de Deus nos acontecimentos? Mais facilmente dissemos que Deus não olha para nós, nos abandonou? Você concorda? Será que estas experiências do antigo Testamento são do tempo passado? Não vale mais para nós hoje? O que você acha?

    2. OSÉIAS, o Profeta da misericórdia divina.

     

    Profeto Oséias

    O Profeta do amor incondicional

    * Nome Oseias do hebraico "ysh", Hoshea"

    siginifica "salvação", "Libertação ou livramento, ou ainda "O Senhor Salva";

    O nome procede da mesma raiz de Josué e

    é uma forma carinhosa de se chamar o nome

    original, tipo Chico no lugar de Francisco.

     

    Oseias 11, 1-9.

    Foi do meio da escravidão no Egito que os Hebreus fizeram a experiência da misericórdia do seu Deus. É do meio de uma situação social conturbada que o Profeta Oseias vai fazer a experiência da misericórdia divina.

    Israel (o Reino do Norte cuja capital é Samaria) começando pelos seus líderes (reis e príncipes, magistrados e sacerdotes, Oséias 5, 1-7) abandonou o seu Deus, aquele que o tirou do Egito, e se entregou aos ídolos cananeus, divindades da fertilidade e da prosperidade (Oséias 2, 4-1). É a infidelidade em todas as suas dimensões: traíram a Aliança com Javé e por isso é a desordem social (Oséias 4, 1-3) e a idolatria que sustenta este sistema onde quem domina é o mais forte, ou seja, o mais poderoso econômico e politicamente.

    Pela voz do Profeta, Deus lembra ao seu povo todo o amor que sempre teve para com Israel (Oséias 11, 1-9).

    Vamos notar, neste texto, o vocabulário usado pelo Profeta e que expressa o amor de Deus para com o seu povo: amei, chamei o meu filho, ensinei a caminhar, tomei nos meus braços, cuidava deles, atraí com laços de amor, levantei contra o meu rosto, me inclinei para ele para alimentar, como poderia te abandonar, meu coração se contorce dentro de mim, minhas entranhas comovem-se.

    Na Bíblia, duas palavras expressam a misericórdia divina, a primeira é “Rahamim”: é o termo hebraico para designar as “entranhas”, é o plural de “Rehem” que significa “ventre materno”. É a ternura da mulher para com o fruto de seu ventre (1º Reis 3, 26). É um amor totalmente gratuito.

    Hesed” é a segunda palavra que indica uma profunda atitude de bondade. Quando esta disposição se estabelece entre duas pessoas, estas passam a ser, não somente benévolas uma para com a outra, mas, ao mesmo tempo, reciprocamente fiéis por força de um compromisso interior. No Antigo Testamento como no Novo, encontramos a expressão “amor e fidelidade”, “graça e verdade” (Êxodo 34, 6; Provérbios 20, 28; Salmo 25, 10; João 1, 14 e 17). Esta expressão se torna o próprio nome de Deus. Para falar de Deus se diz simplesmente “amor e fidelidade” (Êxodo 34, 6; Oséias 2, 21-22; Salmo 117; João 1, 14).

    Vamos reler uns destes textos e conversar a seu respeito.

    Vamos rezar o menor de todos os Salmos: o Salmo 117. Quando se celebra o Deus de Amor e fidelidade, tudo já é dito. Qual seria o canto de hoje mais próximo deste Salmo?

    Jesus nos revela que Deus é amor, por isso, vem morar em nós (João 14, 21 e 31). João que contemplou em Jesus esta revelação, repousando no peito de Jesus (João 13, 25 e 1, 18) escreve na sua carta: “Deus é Amor” (1ª João 4, 8 e 16). “Ágape”, a caridade, é a plenitude do amor (Romanos 5, 8). Este amor-caridade vem de Deus (1ª João 4, 7) e “é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo” (Romanos 5, 5).

    A misericórdia é a caridade que “toma mãos e pés”, ou seja, o amor que se manifesta e age. A misericórdia, como manifestação típica da caridade, não é apenas um sentimento, mas uma ação decidida e generosa (Tiago 1, 27), capaz de transformar e libertar. Ela é inseparável da justiça e se concretiza no partilhar. Não se trata de dar qualquer coisa ao outro, mas de admiti-lo em nossa vida. “Ninguém tem o direito de ser feliz sozinho” (Raoul Follereau no livro “O Evangelho da misericórdia, página 191).

    Para refletir: Que ideia tenho do amor? Deus me ama! Mas creio de verdade que Deus me ama? Como sinto que ele cuida de mim?

    Como Deus está querendo que retribua o amor que Ele tem por mim? Para responder leia 1ª de João 3, 16 e 4, 11.

    Para orar: Salmo 85; Salmo 103.

     

    3. “Nos visitou a misericórdia do nosso Deus”.

    Lucas 1, 67-79.

     

    São Lucas desde o início do seu livro nos coloca num clima de misericórdia e bondade.

    Como outrora Deus se lembrou de Abraão e Sara, hoje se lembra de Zacarias e Isabel. Ele se lembrou de suas promessas feitas por seus Profetas. Pelo Profeta Natã, Deus prometeu constituir uma dinastia para Davi (2ª livro de Samuel 7, 11-12). Como visitou o seu povo no Egito, agora visita o seu povo que está debaixo da dominação romana. Ele vem para libertar. Deus se aproxima de nós “com simpatia” dizem os Padres da Igreja. Pelo amor, Deus chega a identificar-se com os que Ele ama. Assim se expressa Santo Agostinho: “Estarias morto para sempre, se Ele não tivesse nascido no tempo, jamais te libertarias da carne do pecado, se Ele não tivesse assumido uma carne semelhante à do pecado. Estarias condenado a uma eterna miséria se não tivesses recebido esta misericórdia”.

    Com Jesus aparece entre nós, em plenitude, “a bondade e amor de Deus, nosso Salvador” (Tito 3, 4). Nele “temos reconhecido o amor de Deus por nós, e nele acreditamos” (1ª João 4, 16). Jesus é a visibilidade do amor de Deus, pelas atitudes, pelos gestos, pelas palavras ele nos revela o amor do Pai Ele é " o rosto da misericórdia do Pai" título da carta do Papa Francisco proclamado o Jubileu extraordinário da misericórdia).

    Essa presença misericordiosa de Deus nasce entre os empobrecidos, os “os pobres de Javé”. São as pessoas que confiam na fidelidade divina e tem certeza de que Deus não abandona o seu povo (Zacarias, Isabel, Maria, José, Simeão, Ana…).

    A Boa Nova é proclamada por mulheres e na casa ( e não por homens no Templo ou na Sinagoga....). Esta é outra obra da misericórdia de Deus. Ele vai revelar o seu rosto misericordioso através das mulheres e num ambiente que não é mais o Templo.

    A encarnação de Jesus é a manifestação do amor de Deus: “Deus amou tanto o mundo que lhe enviou o seu filho unigênito” (João 3, 16). João na sua primeira carta enaltece o amor de Deus: foi ele que nos amou por primeiro

    E Jesus será o rosto visível do amor de Deus para conosco: “Quem me viu, viu o Pai” (João 14,9). “Com efeito, a graça de Deus se manifestou para a salvação de todos os homens... quando a bondade e o amor de Deus, nosso Salvador, se manifestaram, Ele salvou-nos, não por causa dos atos justos que houvéssemos praticado, mas porque por sua misericórdia, fomos lavados pelo poder regenerador e renovador do Espírito Santo”(Tito 2, 11 e 3, -5).

    Em Jesus aproximou-se de nós o nosso Deus, Jesus é a face humana “da graça e da verdade” (João 1, 14 e 17: hesed we émet, amor e fidelidade)

    Jesus nos revela que Deus é amor, por isso, vem morar em nós (João 14, 21 e 31). João que contemplou em Jesus esta revelação, repousando no peito de Jesus (João 13, 25 e 1, 18) escreve na sua carta: “Deus é Amor” (1ª João 4, 8 e 16). “Ágape”, a caridade, é a plenitude do amor (Romanos 5, 8). Este amor-caridade vem de Deus (1ª João 4, 7) e “é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo” (Romanos 5, 5).

    Contemplar umas cenas dos dois primeiros capítulos do Evangelho segundo Lucas: a Anunciação; a Visitação; o nascimento de João Batista ou de Jesus. Em todas estas cenas é a misericórdia de Deus que se manifesta.

    Para refletir: Como vejo hoje a manifestação da misericórdia divina?

    Como estas manifestações passam a ser a minha oração

    e meu louvor?

    Para orar: os dois hinos de Zacarias e de Maria: Lucas 1, 46-55 e 1, 67-79.'

     

    4. A prática misericordiosa de Jesus.


     


    Lucas 7, 36-50.

    Vamos acompanhar nesta contemplação da ação de Jesus o livro do Evangelho segundo Lucas.

    Antes do ensinamento de Jesus sobre a misericórdia, Lucas insiste sobre a sua prática misericordiosa. De fato Lucas nos diz que ele “escreveu o que Jesus fez e ensinou” (Atos dos Apóstolos 1, 1). A prática vem na frente da palavra.

    A prática, mesmo sem palavras, é Boa Nova também e antes de tudo. Lucas nos lembra a presença e a ação de Jesus junto aos mais abandonados: os doentes, as mulheres, os estrangeiros... Já, na Sinagoga de Nazaré, Jesus anuncia o seu projeto de ação: Ele vem ungido na força do Espírito, para aliviar as dores dos sofridos e esmagados, Ele vem para anunciar “o ano da graça de Deus” que é o ano jubilar, ano do perdão e da libertação (Lucas 4, 16-22).

    Vamos contemplar a misericórdia de Jesus com as mulheres. São muitas as cenas narradas no Evangelho segundo Lucas. Vamos tentar lembrar alguns textos do Evangelho segundo São Lucas que narram a ação de Jesus junto à mulheres.

    Num primeiro texto Jesus acolhe uma mulher considerada pecadora (Lucas 7, 36-50). Ela trata Jesus com todos os gestos da hospitalidade, coisa que o Fariseu não fez. Jesus sabe o que está no coração de Simão: “se este homem fosse um profeta, homem de Deus, não deixaria esta mulher lhe agarrar os pés”.

    Para a mulher a primeira Boa Nova é justamente que Jesus a deixou agarrar os seus pés, beijar, perfumar, enxugar... Jesus não a rejeitou e sim a acolheu.

    Agora é preciso evangelizar o Fariseu. Simão: “Vês esta mulher”.

    Jesus nos pede de fixar o nosso olhar na adultera, na prostituta. É preciso parar e olhar, pois é o nosso próprio pecado que está diante de nós.

    Marginalizamos as prostitutas, como os Judeus levavam as adulteras para o apedrejamento. Para podermos continuar de nos achar limpos, puros, pois a gente se acha inocente quando prendemos um culpado. Responsáveis de atos ilícitos, pegos na hora, não podem negar o fato e assim nos permitem de esquecer com toda boa fé as nossas próprias irresponsabilidades.

    Em Cristo Jesus nos é dado o perdão, que é a fonte de um amor novo. No coração da mulher, e nosso, corrompido pelo pecado, uma fonte nova jorra, e tudo se torna novo. Nesta mulher, como em nós, ressoou o apelo do amor e ela, como nós, corresponde plenamente a este amor.

    Outro texto fala de uma mulher encurvada (Lucas 13, 10-17), Jesus dá toda a sua atenção às mulheres encurvadas pelo peso da discriminação tanto social como religiosa, em tudo a mulher era marginalizada. Por isso, Jesus lembra que ela também é filha de Abraão, como ele o lembrará a respeito de Zaqueu (Lucas 19, 9). Jesus devolve a dignidade da mulher, pois ela não podia louvar a Deus na Sinagoga, mas agora glorifica o Senhor como já tinham feito as duas mulheres (Maria e Isabel) na casa de Zacarias (Lucas 1, 39-55).

    No Evangelho segundo Lucas, Jesus manifesta ainda a sua compaixão para com uma mulher viúva: a viúva de Naim. Três vezes Lucas, no seu livro, usa o verbo “ter compaixão” (com a viúva de Naim, o Bom Samaritano e o pai do filho pródigo). Em 7, 11-17, é o Senhor que tem compaixão, portanto Deus mesmo, presente em Jesus. Não podemos deixar de pensar nesta compaixão do filho para com a mãe, que um dia será a própria mãe dele, viúva, que conduzirá o filho único para a sepultura. Jesus vai repetir o gesto de Elias e de Eliseu, devolvendo o filho à vida e à mãe., prenúncio de sua própria ressurreição (1º livro dos Reis 17, 23; 2º livro dos Reis 4, 36).

    Não podemos esquecer de que no Evangelho de João, a misericórdia divina tomou o rosto do Bom Pastor. Quem quiser pode também meditar e contemplar a partir deste texto (João 10, 1-18). O Bom Pastor ouve a voz das ovelhas, como elas ouvem a sua. Ele as conduz para pastagens e riachos abundantes, Ele dá até a sua vida, defendendo-as do lobo.

    Para refletir: De que maneira eu pratico a misericórdia?

    Com quem eu sou mais misericordiosa? Porque?

    Para orar: Salmo 16; Salmo 23; Salmo 26; Salmo 34.


     

    5 . As parábolas da misericórdia (Lucas 15, 11-32.)

    Jesus costumava ensinar por meio de parábolas. No livro de Lucas três delas estão reunidas num capítulo só: o capítulo 15. Elas receberam o nome de “parábolas da misericórdia”.

    Lucas as introduz por um versículo que situa muito bem esta mensagem: “Os fariseus e os escribas murmuravam: esse homem recebe os pecadores e come com eles” (Lucas 15, 2).

    Jesus chama os fariseus e os escribas à misericórdia como o Pai do filho pródigo foi compassivo e misericordioso.

    Três pessoas ocupam um lugar central nesta parábola, mas quem está no centro da parábola é o Pai, por isso seria melhor falar em parábola do Pai compassivo e misericordioso. O filho mais novo representa todos os excluídos da sociedade, a qual se acha “justa, limpa, sadia, honesta”. O filho mais velho representa os pretensos “justos e impecáveis”. Ele é a figura de todas as pessoas que tem prazer em humilhar, em espalhar defeitos e falhas dos outros.

    O Pai respeita a liberdade do filho. Ele não o priva de liberdade para lhe dar segurança. Não a tutela! O filho vai fazer sua experiência de vida, e então “vai cair em si”. Discursos e práticas tutelares impedem à pessoa de crescer em humanidade, dificulta a pessoa “cair em si”. Diante do filho reclamando sua parte da herança e partindo, o Pai não fala. Deus criou a pessoa livre ao ponto de ter condição de dizer “Não” ao seu Criado!

    O Pai vê de longe. E nós que, às vezes, não queremos ver nem de perto nem de longe! Deus vê de longe e em profundidade (Salmo 138, 1-2. 16: Tu me sondas Senhor…).O Pai vê com o corpo todo e não somente como os olhos.

    E o Pai se comove e a alegria toma conta de todo o seu corpo. Não só a dor comove, mas também a alegria do reencontro.

    Então ele corre ao encontro do filho. A misericórdia supera todas as expectativas do filho. Ele é acolhido como filho e não como empregado.

    O Pai dá ao filho o sinal do perdão: ele o beija (2º livro de Samuel 14, 33).

    A festa pode começar! Aí está toda a diferença entre Jesus (imagem do Pai) e os fariseus e escribas: Jesus se relaciona na misericórdia e na compaixão, enquanto os fariseus tratam segundo o rigorismo da Lei (puro impuro) quem transgrediu a Lei deve ser punido. A misericórdia devolveu ao filho a sua verdadeira identidade. A compaixão é o caminho que leva ao perdão, à misericórdia, ao amor gratuito.

    O Pai usa da mesma atitude para com o filho mais velho: ele lhe quer bem e lhe lembra que ele está todos os dias junto dele. Mas parece que mesmo assim o filho não compreendeu o que é a misericórdia.

    Vivemos tanto junto de Deus e com Deus (oração, Eucaristia, palestras, leituras bíblicas), mas não descobrimos a imensidão da misericórdia divina. Porque? Por que o nosso olhar e o nosso julgamento partem de nós e do que achamos certo, em vez de partir, como Deus nosso Pai, dos excluídos, das vítimas. Deus não exclui ninguém do seu amor (se não seria se negar a si mesmo), mas Ele se situa de maneira diferente, ele se coloca no lugar do outro com ele sente a dor e o sofrimento tanto físico como psicológico ou espiritual.

    Como cristão chamado à misericórdia, me sinto mais perto da atitude do pai ou do filho mais velho?

    Sou capaz de perdoar até esquecendo as ofensas que recebi? (“Eu perdoo, mas não esqueço!”).

    O que penso e digo das pessoas marginalizadas de hoje, as desguiadas?

    Salmos para a oração: 24; 25; 32.

     

    6 .“Sejam misericordiosos como o seu Pai é misericordioso”

     


     

    Aquele que usou misericórdia” Lucas 10, 37).

     

    Este apelo de Jesus para os seus discípulos e discípulas é um apelo a uma atitude interior: ter um coração misericordioso, sem isto não haverá prática misericordiosa. É um apelo à conversão.

    Para ilustrar este apelo à misericórdia, Lucas nos relata a parábola contado por Jesus: o bom Samaritano. Vamos reler o texto: Lucas 10, 29-37).

    O Samaritano e uma pessoa que enxerga e o seu olhar é de compaixão para com aquele que sofre. Ver o sofrimento do outro, enxergar a realidade. Quem não vê é como quem não sabe. É um analfabeto da realidade!

    Mas o olhar leva ao coração, assim é na antropologia bíblica. A lâmpada do corpo é o teu olho (Lucas 11,34) “Só se vê bem com o coração” (Pequeno Príncipe). Ele olha e se comove, isto é, sente nele a dor do outro, compadece, compartilha o sofrimento do outro. Ele não fica alheio, mas assume com ele a dor pela qual outro passa.

    O Samaritano viu e comoveu-se. Duas atitudes que geram a misericórdia e provocam a atitude seguinte que é se aproximar, se fazer próximo daquele que sofre e necessita de ajuda. O Samaritano deixa o seu caminho e vai ao encontro do homem semimorto na beira da estrada. Ele descia de Jerusalém para Jericó, ele desce ao encontro do necessitado. Não é o outro quem é o seu próximo, mas é ele que se torna próximo do outro. Basta reler a pergunta final de Jesus: “Qual foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” (Lucas 10, 36).

    Após este movimento de ir ao encontro, desencadeia-se toda uma série de ações em favor do ferido. O interessante é que todas estas ações são indicadas por verbos. Ora na gramática o verbo serve para descrever a ação. Portanto a misericórdia é ação, não é palavra. Agir é o próprio da misericórdia, senão não deixa de ser um belo sentimento, que rapidamente vira sentimentalismo. Mas não muda nada da situação.

    A misericórdia vai além da ação concreta no momento necessário, ela se prolonga até o tempo necessário: o Samaritano se preocupa do que pode acontecer na sua ausência e avisa que vai voltar. Podemos até dizer que ele acompanha o caso, ele prossegue a ação começada.

    Escutamos a conclusão de Jesus: “Vá tu e faça o mesmo!”

    Como prático a misericórdia em família, na vizinhança, no serviço ou trabalho, na escola, na comunidade que frequento?

     

    O que acho mais difícil para praticar a misericórdia?

    Acontece eu passar longe dos que necessitam da minha ajuda?

     

    7. Mãe de todas as Misericórdias

    Maria proclama também as misericórdias de Deus e se faz misericórdia.

    Lucas 1, 46 a 55.

    Em primeiro lugar é uma ação de graças pela misericórdia de Deus que se manifesta de novo em favor do seu povo. É a primeira atitude diante da misericórdia de Deus: agradecer. Assim fez também a mãe de Samuel (1ª livro de Samuel 2, 1-10).

    Reconhecer esta misericórdia que se manifesta sempre em favor dos mais abandonados. Deus é fiel à sua prática. É fiel à sua identidade de um Deus dos empobrecidos, não porque é contra os outros, mas porque chama a todos para a compaixão e misericórdia.

    Maria reconhece esta presença ativa de Deus na História.

    Ela descreve esta ação na maneira que sempre aprendeu nas Escrituras: Ele está do lado dos empobrecidos, por isso “derruba os poderosos dos seus tronos, eleva os humildes, manda embora os ricos de mãos vazias e sacia de bens os famintos”.

    Maria é fiel a Deus, mas também ao seu povo. Ela eleva a sua voz para engrandecer o Senhor que sempre está do lado dos pobres e para apresentar o programa do Reino de Deus.

    Maria, mulher forte e corajosa, anuncia a realização da misericórdia divina, com a instauração de um mundo novo de relações igualitárias, de fraternidade e de justiça: “O Senhor agiu com a força do seu braço... se lembrou de sua misericórdia”.

    Maria aprende do Espírito Santo que Deus gosta de exaltar os pequenos e rebaixar os poderosos. Os que nada eram, são valorizados, os que eram infortunados conhecem enfim a felicidade., os que estavam mortos, revivem”(Martin Lutero).

    Em Maria experimentamos os traços femininos do amor de Deus. Ele nos oferece também um modelo acabado de discípula do Senhor. Maria de Nazaré, “longe de ser uma mãe mulher passivamente submissa ou de uma religiosidade alienante, foi, sim, uma mulher que não duvidou em afirmar que Deus é vingador (goél= redentor) dos humildes e dos oprimidos, e derruba dos seus tronos os poderosos do mundo. Foi a primeira entre os humildes e os pobres do Senhor” (Lúmen Gentium, no. 55).

    Maria é uma mulher forte que conheceu de perto a pobreza e o sofrimento, a fuga e o exílio (Mateus 2, 13-23). Ela não foi uma mãe unicamente voltada para o eu filho, mas junto com ele ela assumiu uma ação que favoreceu a fé da comunidade apostólica em Cristo (João 2, 1-12). Sua função materna se dilatou até atingir dimensões universais: “Mulher, eis o teu filho!” (João 19, 25-27).

    Salve Rainha, Mãe de misericórdia”.


     

    Refletir e carregar na nossa oração as mulheres sofredoras de hoje, aquelas que eu encontro todos os dias, mães de família de duas jornadas de trabalho, mulheres explorados pelo trabalho pouco remunerado (empregadas domésticas, lavadeiras, faxineiras terceirizadas).

     

    Para orar: Salmo 44; Isaías 61, 10-12.

    Magnificat: Lucas 1, 46-55.

     
  • Baixar arquivos úteis - Plano Pastoral

    Plano de Ação Pastoral de 2015, baixe em doc >>: Plano de Ação Pastoral de 2015 formato doc

    Plano de Ação Pastoral de 2015, baixe em pdf (pronto para imprimir) >> Plano de Ação Pastoral em pdf

    Plano de Ação Catequética, baixe >> : Plano de Ação Catequética em pdf

     

     
  • Ampliada da Pastoral da Juventude do Xingu

    Durante os dias 2, 3 e 4 de dezembro, a Pastoral da Juventude da Prelazia do Xingu (PJX), esteve reunida na paróquia Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos (Vitória do Xingu). Com representação das 6 regiões (Alto Xingu, Médio Xingu, Baixo Xingu, Transleste, Transoeste e Altamira). Compartilhamos nossos desafios e nos aprofundamos no conhecimento concreto das nossas realidades.

    N a noite de sexta-feira, após o jantar, tivemos uma mística de abertura que teve a participação do Pe. Bosco, Pe. Lucas e Dorismeire do Centro de Pastoral. Refletimos sobre o evangelho das Bem Aventuranças, e percebemos que a sede de justiça, da qual a prelazia do Xingu carrega em sua história, será saciada.



     

    Durante o sábado, tivemos o espaço da manhã e tarde conduzido pela assessoria do Fábio Barros (Casa de Educação Popular), ex representante do Regional N2 na Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude (2009/2012). Seguindo o método das CEB’s (Ver, Julgar e Agir), com base no documento subsídio em preparação para a ampliada Nacional da Pastoral da Juventude, Fábio fez uma análise de conjuntura da situação atual que nosso país e nosso regional enfrenta. Durante a tarde, iluminados pela luz da palavra divina, confrontamos a palavra de Deus com a nossa realidade, e percebemos que as dificuldades das quais vivenciamos só poderão ser superadas com muita oração e obediência aos princípios e ensinamentos libertadores do evangelho.


     


     

     

    Na manhã de domingo (agir) conduzida pela Irma Cléa (Setor Juventude), vivenciamos uma preparação e reflexão visando a construção e formação de uma equipe de coordenação da PJX. Iluminados pela leitura de Mateus 4, 18-22, os representantes das diferentes regiões fizeram suas indicações, das quais reuniram-se ao final, ficando a equipe da seguinte forma:

    Coordenadores: Danyllo Worlan (Brasil Novo) Júlio Augusto (Altamira)

    Secretaria: Josineura Cabral (Vitória do Xingu) e Natália (Altamira)

    Financeiro: Franciely (Gurupá) Jailson Junior (Anapú)

    Comunicação: Diogo Suk (Brasil Novo) Eduardo Medeiros (Anapú)

     

    Ao final do encontro, com o privilégio da benção do Bispo Dom João Muniz, enceramos um capítulo da história de nossa pastoral, e iniciamos outro.

    Que Deus possa abençoar os passos desta Pastoral de agora em diante. E crentes na esperança de dias melhores para a juventude de nossa Prelazia, que esse instrumento de evangelização se fortaleça cada vez mais.


     

     

     

     
  • DOM FREI JOÃO MUNIZ ALVES

     


    DOM FREI JOÃO MUNIZ ALVES

    Pais: José Maria Alves e Antonia MunizAlves

    Nascimento: 08 de janeiro de 1961 povoado Carema - Santa Rita do Maranhão.

    Batismo: 28 de julho de 1962 Carema - Santa Rita.

    Postulantado da Ordem dos Frades Menores (OFM): 13 de fevereiro 1984

    1ª Profissão Religiosa: 02 de fevereiro de 1986

    Profissão Solene: 14 de janeiro de 1991

    Ordenação Diaconal: 12 de dezembro de 1992

    Ordenação Sacerdotal: 03 de setembro de 1993

    Nomeação Episcopal: 23 de dezembro 2015

    Ordenação Episcopal: 05 de março de 2016

    Posse na Prelazia de Xingu: 03 de abril de 2016


    ESTUDOS:

    Ensino Fundamental:

    - Escola Santa Teresinha em Carema (1ª a 4ª série);

    - Ginásio Bandeirante de Santa Rita (5a - 7a série);

    - Unidade Integrada de 1º grau Luís Viana _ São Luís - MA (8a série).

    Ensino Médio:

    - "Eletrotécnica" na Escola Técnica Federal do Piauí.

    Ensino Superior:

    - Filosofia e Teologia: (ICESP) Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí, Teresina - PI.

    - Validação da Filosofia: Licenciatura Plena - UECE.

    - Pós-graduação "Lato-sensu": Especialização em Filosofia Contemporânea – PUC/MG;

    - Pensamento Franciscano – (ITF) Instituto Teológico Franciscano de Petrópolis;

    - Master Universitário em Bioética e Formação - Pontifício Instituto João Paulo" em Roma (estudante hóspede).

    Pós-graduação "Strito-sensu":

    Mestrado e Doutorado em Teologia Moral - Academia Alfonsiana em Roma;

    Mestrado em Filosofia – Pontifícia Universidade Antonianum em Roma;

     

    ATIVIDADES PASTORAIS:

    1992:

    - Diaconato em Piripiri - PI.

    1993 – 1994:

    - Vigário Paroquial da Paróquia São José em Lago da Pedra - MA;

    1995 a 1998:

    - Pároco da Paróquia de São Francisco das Chagas em Bacabal - MA;

    1995-2001:

    - Definidor provincial;

    - Secretário Provincial da Animação Vocacional;

    - Mestre e Presidente do Postulantado;

    - Assistente do Instituto Secular Pequena Família Franciscana de Bacabal;

    - Membro eleito do Conselho Presbiteral da Diocese de Bacabal;

    1999-2001 e 2007-2013:

    - Vigário Paroquial na Paróquia de São Francisco das Chagas;

    2007-2013:

    - Ministro Provincial da Província Franciscana de Nossa Senhora da Assunção MA/PI;

    2013-2015:

    - Membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores da Diocese de Bacabal;

    - Diretor espiritual dos candidatos ao Diaconato Permanente da Diocese de Bacabal;

    - Guardião da Fraternidade Nossa Senhora da Glória;

    - Mestre de estudantes professos temporários;

    2013-2015:

    - Professor no (lESMA) Instituto de Estudos Superiores do Maranhão;

    - Vigário Paroquial da Paróquia N. Sra. da Glória;

    - Visitador Geral na Custódia Autônoma Santa Clara de Assis (Moçambique, África - 2014).

    DESCRIÇÃO DO BRASÃO

    O Brasão Episcopal é utilizado pela Igreja para indicar os traços fortes da espiritualidade e o caráter evangelizador do bispo.

    Chapéu prelatício: Do chapéu, pendem dois cordões, cada um com três fileiras de borlas, somando um total de doze borlas, simbolizando Cristo cabeça da Igreja, com seus doze apóstolos dos quais o bispo é sucessor e mantém a Igreja local em comunhão na fé e na caridade com o Papa.

    Cruz hastil: Em tonalidade dourada, representa a cruz processional e o convite de Jesus: “se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16,24); aponta para a copiosa riqueza do mistério da cruz e ressurreição do Salvador.

    Lema: “Louvado sejas, meu Senhor”: Inspirado no “Cântico das criaturas” de São Francisco de Assis e na Encíclica "Laudato si" do Papa Francisco, ilumina e orienta o caminho missionário do episcopado do novo Pastor. O Cântico das criaturas é expressão de uma vida reconciliada consigo mesmo, com Deus e com o próximo.

    ESCUDO: Traçado em quatro campos.

    Dois campos amarelos: retratam a luz divina e a riqueza espiritual, a constância e o poder de Deus no mundo.

    Dois campos azuis: simbolizam tudo sob a proteção do manto azul de Maria, Mãe de Deus, Senhora Gloriosa e Virgem Imaculada.

    À esquerda, no alto: O Sol e a Lua recordam o “Cântico das criaturas” ou “Cântico do irmão sol e irmã lua” de São Francisco de Assis. São símbolos da força e do poder permanente de Deus no mundo. O sol é Símbolo do Cristo Ressuscitado, Ele é Sol nascente que nos veio visitar (Lc 1,89). A Lua é fonte e símbolo da fecundidade, é guia das noites e dos valores noturnos, evoca a luz
    nas trevas da noite.

    À direita, abaixo: A palmeira do coco babaçu é símbolo de fertilidade, resistência e beleza natural e do Maranhão, sendo chamada de mãe dos pobres (por causa da sua utilidade doméstica); As águas são o tesouro de Deus para a sobrevivência da vida do planeta; lembram a nossa vocação comum através do batismo e os rios da rica hidrografia da grande Amazônia e caminhos de missão e evangelização na região do Xingu.

    No alto à direita: A Bíblia é a revelação da verdade divina que ilumina a história humana. O alfa e o ômega, a primeira e a última letra do alfabeto grego, apontam para o Cristo princípio e fim de todas as coisas (Ap 1,8; 22,13). O TAU: representa a origem franciscana de Dom João Muniz. É o sinal dos eleitos (cf Ez 9,1-7), da certeza e universalidade da salvação, é símbolo de conversão contínua. São Francisco reverenciava com grande afeição este sinal e “com ele selava as cartas e marcava as paredes das pequenas celas” (LM 4, 9; 2,9; 3 CeI3).

    À direita, abaixo: O M com a coroa lembram Maria, mãe e rainha dos apóstolos, sempre presente na vida e missão da Igreja. Ela ilumina e inspira as atividades apostólicas, ajuda-nos a compreender a nossa identidade cristã, nossa razão de ser e de apresentar Jesus ao mundo.


     

     
  • 42ª CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini – Pe. Alírio Bervian 6ª carta – 9º Ano no Assurini-3ª com Pe. André Delzelle

    DEZEMBRO

    Estamos vivendo o tempo bonito do fim do ano e início de um novo ano. No dia de Cristo Rei-20/11 Papa Francisco fechou a Porta do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia -Esperando que o mundo inteiro tenha aprendido a perdoar.

    No dia 27/11 foi o primeiro domingo do ano novo da Igreja, ou seja 1º domingo do Advento. Certamente o Natal é a festa mais linda do ano todo. É o aniversário do Nascimento de Jesus, o Cristo, nosso Salvador. Por isso temos antes os 4 domingos de preparação “espera” “Vem Senhor Jesus Maranata’', com a novena de 16 a 24/12. Temos a festa do Natal no dia 25/12 e depois vai se estendendo até o Batismo do Senhor, depois a festa dos Reis. Vamos viver intensamente este tempo em família, em comunidade e cada um renove-se pessoalmente. Assim desejamos a todos um Feliz Natal e uma alegre e próspero ano novo de 2017. Deus a todos abençoe! Pe. André e Pe. Alírio

    Retrospectivas:

    1- 1º/11Papa na Suécia – Catedral Luterana unidade dos Cristãos um fato de destaque.

    2-Os encontros do Conselhos Presbiteral e Pastoral foi um fato de destaque. Dom João constituiu o Conselho Presbiteral com 12 padres-6 representando as regiões e seis por cargos ou nomeados. O conselho de pastoral destacou a família com o documento do Papa Francisco, “Alegria do Amor”.

    3-Nossa presença nas comunidades Pe. André está muito animado no Assurini e o povo contente em especial os jovens e as crianças. Povo preocupado e agindo com gestos como cruz, ambão para liturgia da Palavra. A preocupação com as capelas: definir terreno, planejar ou ajeitar melhorando e também no terreno para capela. Pe. Alírio agindo não só no Assurini, mas no km 90 nos cemitérios e comunidades. Fomos com Ir. Inês e Pe. Zé Geraldo no 75 Norte e Pontal, são viagens missionárias que animam a gente. Em Altamira não faltam trabalhos.

    4-Nossa ida para o Maranhão em missão não deu certo e não fomos, pois, ia prejudicar a ida ao Pontal.

    Prospectivas:

    1-A Assembleia Assurini vai ser importante que todas as comunidades estejam lá será só no dia 10/12-das 9 às 16h-Ver as 3 perguntas: Ver, Julgar e Agir

    2 A novena de Natal inicia em 16/12 ou antes e vai até depois – o importante é visitar as famílias afastadas, necessitadas.

    3-Coleta da Evangelização será no dia 11/12/2016-3º domingo de Advento.

    Feliz Natal e próspero Ano Novo!!!

    DEZEMBRO DE 2016

    Programação de Pe. André:

    1º/12-Altamira

    02/12-Firma: Sagrada Família 9 h

    Picadão São Jorge 15 h

    03/12-Transunião Alegria do Saber 9 h

    Cajá 2 N. sr Fátima 15 h

    Cascata Mangueiras São Rafael 17 h

    04/12-km 2 da Balsa Barro Duro 9 h

    Cajá 2 – N. Sr Fátima 15 h

    Sol Nascente São Sebastião 19 h

    05/12-Convivência Prelazia

    06/12—Stª Clara e São Sebastião – Jatobá 9 h

    Acesso 6-São Benedito 16 h

    07/12-São Sebastião Novo Itapuama 9 h

    Pirarara – Dona Fátima 16 h

    8/12-Altamira

    Babaquara São Francisco 17:30

    9/12-Palhal Santa Luzia 17 h

    10/12-9 h às 16 h Assembleia Pastoral

    11/12 Escola Severino Pinto – St. Expedito -Travessão do Soldado 9 h

    Sol Nascente São Sebastião 19 h

    12/12-Convivência na Prelazia

    13/12-João Bispo – São Miguel 9 h

    Pa Ressaca Stª Luzia 15 h

    14/12-Cajueiro 2 na Isabel 9 h

    Lages 15 h

    15/12 – Altamira

    16/12-Stº Antônio Cajá 1 - 19 h

    Paratizinho – S. Fco. 19H

    17/12-Cocal – São José 9 h

    -Bom jardim 2 São Cristóvão 16 h

    18/12-Itapuama – Div Esp. Santo 9 h

    -Sol Nascente São Sebastião 19 h

    19/12 – Convivência na Prelazia

    20/12-Acesso 1 São Gaspar 9 h

    Pa Ressaca – São José 18 h

    21/12 Dispensa 2 N. Sr de Nazaré 19 h

    22/12-Altamira

    23/12-Raio do Sol N. Sr das Graças 17 h

    24/12 Itatá – N. Sr Aparecida 9 h

    N. Sr Aparecida Pimentel 4 bocas-16h

    25/12-Ressaca – N. Sr das Dores 8 h

    Ilha da Fazenda S. Sebastião 10:30

    Sol Nascente São Sebastião 19 h

    26/12 – Convivência Prelazia

    27/12- Nova Transunião – Santo Antônio 15 h

    28/12-Bom Sossego 3 – Ituna – 9 h

    São Francisco – Pirarara-17h

    29/12 – Altamira

    30/12-Firma – Sagrada Família-9h

    Picadão – São Jorge 15 h

    31/12-Cristo Rei Trav. do Nenê 9 h

    São Lucas: Bom Jardim 1 18 h

    Programação de Pe. Alírio:

    1/12-Centro Nazaré – Anapu 18h-Conclusão do Ano Escolar

    3/12 – S. Francisco Xavier em Souzel

    4/12-é Festa de N. Sr ª Mãe dos Pobres em Medicilândia

    8/12 Festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição

    Assurini: 1-Dispensa 1-9 h

    2-Cajueiro16h

    10/12- Km 125-Medicilândia S. Francisco 10 h

    -km 97 Faixa Medicilândia N. Sr Aparecida 17 h

    -Assembleia da Área Pastoral Assurini – Sol Nascente 9 h às 16 h

    - Romaria das Águas: Vitória e Souzel dia todo

    11/12 – Pacal – Medicilânda – N. Sr de Lurdes 8 h

    13/12-Anapu Surubim – Novo horizonte – Ramal São José-11 h casa de José Roberto “Zé Vermelho”

    -80—norte Anapu – Stª Luzia-15h

    -Festa no Anapu – Padroeira com a presença de Dom João 17 h procissão.

    14/12-Surubim – Anapu-18h + Francisco “Kaul” 18 anos moro. Pede a mãe Maria Francisca

    17/12-Espelho – Stº Expedito-18h

    18/12-Ramal dos crentes – Assuirini – Festa de São Francisco Xavier com procissão saindo da capela Nossa Senhora de Nazaré, dispensa 2-às 9 h

    22/12-firma – Casa de Dª Ana 18 h lembrando + Reginaldo e + Risca Faca. Pai e Filho. Falta confirmar, pois, foi pedido quando Risca Faca estava vivo.

    24/12 – km 75 sul – Medicilândia – 17 h casamento – Chácara “Malvinas” na comunidade São Pedro.

    25/12-Festa na Dª Tereza-90 Nt Medicilândia 10 h

    26/12-Projeto ir a Óbidos – passar o ano novo.

    Prestação de contas Gastos: novembro 2016

    Entradas: Brasil novo - 294,00

    Assurini 583,50

    Anapu 118,00

    Medicilândia 1.418,10

    Total 2.413,60

    Gastos: 1.464,00

    Saldo R$ 949,60

    Novembro deu azul, isto é , saldo positivo.

    Brasil Novo deu óleo, completando o tanque na volta da viagem ao Pontal no valor de R$185,00. Agradecemos a generosa colaboração. Louvado seja Deus!!!

     

    Saídas: gastos

    Xerox- 24,00

    Óleo - 1208,00

    Balsas 202,00

    Conserto do Pneu 30,00

    Total 1464,00

     

    Praticamente este é o nosso gasto mensal – claro sem outras despesas extras.

    Deus multiplica a quem dá com generosidade e segundo o seu coração! Deus não se deixa vencer em generosidade!!!

     
  • Parceria e corresponsabilidade no atendimento da Igreja na Amazônia

    Nos dias 17 e 18, dom João Muniz Alves  participou da reunião em  Belém/PA o dos bispos da Amazônia com bispos das Igrejas Irmãs que participam do projeto Igrejas Irmãs da CNBB voltado a parceria  e corresponsabilidade no atendimento da Igreja na Amazônia, promovida pelo  Arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, Dom Sérgio da Rocha, e que será feito cardeal no próximo dia 19 de novembro.

    A finalidade da reunião é:

    Favorecer e animar a comunhão e corresponsabilidade da Igreja do Brasil  com a Igreja que está na Amazônia, pois a evangelização nesta região não se  restringem apenas  aos bispos e às Igrejas locais, mas diz respeito ao conjunto  do Brasil e da América Latina, isto é, responsabilidade de todos;

    Discutir a realidade  e os avanços da evangelização da Amazônia e partilhar  experiências e testemunho do trabalho missionário  dessas Igrejas irmãs em parceria com as diversas dioceses e prelazias da Amazônia possibilitando  reavivar  o compromisso missionário,animar ainda mais não só os atuais projetos, mas certamente o despertar de outros projetos missionários o crescimento e amadurecimento da Igreja na Amazônia e no Brasil.

    A Prelazia do Xingu nesse projeto tem parceria com a Igrejas irmãs: Arquidiocese de Porto Alegre(RS), Arquidiocese de Mariana(MG), Diocese de Uberlândia(MG) e  Diocese de Ituitaba (MG)

     

     
  • Conselho de Pastoral - novembro/2016

    Realizou-se de 10 a 12 de novembro de 2016 a 2ª reunião anual do Conselho de Pastoral da  Prelazia do Xingu que abordou como tema a Exortação Apostólica de Papa Francisco : "Amoris Laetitia" e  o serviço da Pastoral Familiar assessorados por Luciana Carvalho e Socorro Silva da Coordenação da Pastoral Familiar Regional Norte II (Pará e Amapá).

    Estiveram presentes  81 conselheiros /as representando as 15 paróquias, 2 áreas pastorais e 6 regiões pastorais.

    Foi um momento de  formação, espiritualidade  e troca de experiência  em relação ao trabalho de acompanhamento  às famílias conforme o previsto em nosso Plano de Pastoral na prioridade Família.

     

    Equipe  do Centro de Pastoral

    Doris e Peta

     
  • II Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal- Rede Eclesial Panamazônica

    Coordenadores de pastoral, religiosos, religiosas, leigos e leigas dos seis regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que fazem parte da Amazônia Legal participam até o dia 16, na cidade de Belém (PA), do II Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal. A reunião que começou nesta segunda-feira (14), tem como proposta discutir a realidade política, social, econômica, cultural e religiosa da região, e a contribuição da Igreja Católica para a promoção e defesa da vida dos habitantes e da biodiversidade. A proposta é fazer uma análise geral de como está sendo desenvolvido o trabalho missionário, atualmente, na região. Além disso, ouvir o depoimento dos bispos e, a partir daí, traçar novas perspectivas e estabelecer novos desafios.

    O presidente da Comissão Episcopal Especial para a Amazônia da CNBB, cardeal Claudio Hummes, diz que o encontro vai ser uma oportunidade para criar uma unidade ainda maior. “Esses encontros sempre visam fortificar as unidades sem desrespeitar a diversidade da região, é claro”, afirma.

    O trabalho missionário da Igreja Católica na Amazônia existe há 400 anos, desde fundação da cidade de Belém. De lá para cá muito já foi feito e outros tantos desafios ainda precisam ser enfrentados. “A igreja sempre teve presente na história da Amazônia e sempre esteve presente para acompanhamento do povo na história e para ajudar a iluminar o caminho nessa história”, afirma o cardeal Hummes.

    O primeiro encontro ocorreu em Manaus(AM),em 2013 e, ao final do encontro foi redigida e divulgada uma carta-compromisso.

    O bispo emérito do Xingu (PA)e presidente do Comitê Brasileiro da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), dom Erwin Kräutler, explica que ainda tem muito a ser feito na região.

    O documento foi uma indicação, dicas para todas as prelazias e dioceses para implantação e fortificação da igreja na Amazônia. O que importa é que as igrejas tomem consciência que todos nós temos que caminhar na mesma direção e viver o compromisso na Amazônia", ressalta dom Erwin.

    Durante o II Encontro também deve ser dado destaque às experiências pastorais em execução na região, bem como refletir sobre novas propostas pastorais à luz dos documentos e orientações do papa Francisco.

    Fonte: CNBB

     

     
  • Composição do Conselho Presbiteral da Prelazia do Xingu

    Conselho Presbiteral

    1. Pe. Vandeir Lima Alves (Vigário Geral, Pároco Catedral)

    2. Pe. Gilmar Dalcanale (Coordenador de Pastoral, Pároco Medicilândia)

    3. Pe. Hortêncio Medeiros Matias (Reitor do Seminário, Vig. Paroquial)

    4. Pe. Patrício Brenner, SVD (Causa Indígena, Vig. Paroquial)

    5. Pe. Waldemar Pimentel Filho (Representante do Clero, Pároco Imaculada)

    6. Pe. Aderney Gemaque (Pároco Porto de Moz – Baixo Xingu)

    7. Pe. Alírio Bervian (Vig. Paroquial Assurini)

    8. Pe. Fritz Satzger, CPPS (Pároco Perpétuo Socorro - Altamira)

    9. Pe. João Evandro Pereira, SX (Vig. Paroquial - Alto Xingu).

    10. Pe. José Amaro Lopes da Silva (Pároco Sta. Luzia - Transleste)

    11. Pe. José Geraldo Magela (Pároco Brasil Novo - Transoeste)

    12. Pe. Romildo Mauricio Silva (Pároco Vitória do Xingu - Médio Xingu)


     

    Composição do Conselho Presbiteral da Prelazia do Xingu


     

    Conselho de Consultores


     

    1. Pe. Alírio Bervian

    2. Pe. Aderney Gemaque

    3. Pe. Fritz Satzger, CPPS.

    4. Pe. Gilmar Dalcanale

    5. Pe. João Evandro Pereira, SX.

    6. Pe. Patrício Brenner, SVD


     

     
  • 41ª CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini - Pe. Alírio Bervian 5ª carta - 9º Ano no Assurini- 2º com Pe.André Delzelle

     

    NOVEMBRO

     

    Pe. André programa a próxima visita sempre na visita anterior. Assim sendo estamos lançando uma carta aberta mensal. Vocês já sabem este programa, mas fica o conhecimento a todos onde estamos dia a dia.

     

    Neste mês de outubro que foi das missões e como gesto concreto a coleta vai para Roma - Nós deveríamos ir pelo mundo e anunciar o Evangelho, mas é difícil deixar tudo para esta missão. Por isso damos nossa ajuda para que alguém vá em nosso lugar. Dom Erwin enviou nossa coleta mesmo pobre - “óbulo da viúva”e o Papa Francisco enviou uma ajuda significativa como gratidão. Não é um gesto bonito? Se nada tivéssemos enviado, nada teríamos recebido. Receberam os envelopes? Devolveram os envelopes? Quanto deu? Ainda pode fazer!

     

    Neste mês os destaques foram as festas de Nossa Senhora sob o nome de Aparecida e de Nazaré - No ano que vem a Igreja no Brasil comemora 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora no rio Paraíba em Aparecida do Norte – São Paulo, por isso que desde o dia 3/10/2016 foi declarado no Brasil ano Mariano até dia 12/10/2017. Lembramos também a festa de Nossa Senhora de Nazaré no 2º domingo de outubro- é o famoso Círio de Nazaré. Nossa Senhora de Nazaré é também a Padroeira da Prelazia do Xingu e houve em Altamira festa com procissões nos dias 22 a 23 de outubro - até com corda...

     

    O fato marcante foi o falecimento de Pe. Frederico Tschol , pai dos pobres, partiu no dia 16 de outubro, no mesmo dia em que no ano de 1987 aconteceu o acidente com D. Erwin, no Km 23, Vale Piauiense - onde veio a falecer Pe. Tore . Que todos os anos é lembrado. Pe. Frederico teve 3 missas de corpo presente 17/10 às 19h no Perpétuo Socorro, e no dia 18/10 às 8 h na Catedral e às 15 h no Perpétuo Socorro seguindo e sepultamento no cemitério Central São João Batista. Trabalhou aqui por 60 anos, Agora estava com 89 anos. No dia 18/10 também foi sepultada nossa amiga Suely “a vigia do Centro Ir Dorothy Stang”- lá era deixado a chave. Ela iniciou a sua paixão na celebração de um ano de falecimento de Bia, no dia 9/10.

     

    Não podemos esquecer de registrar as eleições. A vitória do prefeito eleito. No Assurini foi vencedor em todas as urnas, assim disse para mim o Pedro Barbosa, certamente o Assurini vai ser visto com carinho por Juvenil de Altamira e Dirceu de Souzel. O tempo chuvoso está deixando o povo alegre e vai ter fartura. É?

     

    E agora olhando para frente: neste mês de novembro vamos preparar a Assembleia de 10/12 no Centro Irmã Dorothy das 9 às 16 h. Vamos responder as perguntas em comunidade e eleger os delegados. Todos presentes para decidir juntos sobre o ano de 2017. Pe. André está se enraizando e amando este povo. As crianças, os jovens e todos cada vez mais comprometidos com as celebrações, as atividades, os gestos e em cada visita algo fica para ser feito até a próxima visita.

     

    Que tal funcionar a catequese de crianças, dos jovens e até dos adultos, da acolhida à Eucaristia, para Crisma, fazer acontecer a animação da juventude nas escolas e nas comunidades com torneios, teatros, encontros que levam a conhecer a Palavra de Deus com gincanas e outras atividades e levar consciência no sentido de VER- JULGAR-AGIR.

     

    Vamos começar o mês com nossos queridos finados.

     

    Temos três viagens projetadas - missionárias: coroatá – MA, Pontal de Medicilândia e Belém. É o mês da Festa de Cristo Rei finalização do ano Jubilar da misericordia no dia 20/11/2016e, do inicio do Advento já preparando-nos para o Santo Natal.

     

    Destacamos que no dia 10 de dezembro de 2016 realizará a Assembleia Pastoral 2016 das 9h às16hCentri Dorothy Stang- Agrovila Sol Nascente. Trabalhará as seguintes questões:

     

    Avaliação:1. Pontos positivos: Quais foram as conquistas da comunidade em 2016?

    2. Pontos negativos: quais as dificuldades encontradas?

    3. Quais as suas sugestões para melhorar as comunidades?

    Planejamento 2017: Perguntas: 1-Quais as prioridades escolhidas pela comunidade?

    2-Formação escolhida para 2017: escolher apenas dois itens: pastorais sociais, catequese, ministros, Bíblia, juventude, família, dízimo, liturgia ( cantos novos)

    3- Estabelecer o calendário a nivel de área para 2017.

     

    Lembre de levar os Ingredientes para o almoço e as duas merendas (para 40 pessoas)da Assembleia de área:

     

    5 kgs de arroz Sol Nascente

    1 kg de feijão Espelho

    3 kg de farinha

    2 galinhas tratadas Santa Maria e Raio de Sol

    100 pães de queijo Santa Maria

    5 pacotes de bolacha salgada Palhal

    5 pacotes de bolacha doce

    2 latas de óleo itapuama

    1 kg de sal Itapuama

    1 kg de cebola Pimentel

    2kgs de tomate Pimentel

    2 copos de extrato de tomate

    2 pacotes de Macarrão

    5 cabeça de alho Pimentel

    1 cabeça de repolho

    1 lata de 500gr de margarina

    1 pacote de café Babaquara

    2kg de açúcar Babaquara

    6 garrafas de refrigerante Espelho

    500gr de leite

    50 colheres descartáveis

    50 pratos descartáveis

    1000 copos descartáveis

     

    Carne: cada comunidade deverá entregar R$10,00 com antecedência para comprar a carne.

     

    Obs: Não pode faltar Gerimum, Macaxeira, inhame, limão , verduras, sucos e frutas. Cada um pode trazer prato , colher, faca, copo para aos poucos ir equipando o nosso centro. Assim podemos reaproveitar. Nada  descartável. Só vira lixo!
    É bom trazer bombril, sabão e detergente O que sobra fica no centro onde Pe. André mora ou levamos para Casa Divina providência.

     

    NOVEMBRO DE 2016

    Programação de Pe. André:

     

    1º/11- Nova Itapuama- São Sebastião-9h

    -São Francisco Xavier- Ramal dos crentes-18h

    02/11- Itapuama- cemitério-9h

    Sol Nascente- São Sebastião-19h

    03/11-Vic João Bispo- S. miguel Arcanjo-9h

    Paratizinho- S. Fco-19h

    04/11- Cajá 1- Stº Antônio-9h

    _PA- Ressaca- Stª Luzia-18h

    05/11- Cocal- São José-9h

    -Bom Jardim 2 – S. Cristovão-15h

    06/11—Dispensa 2- N. SrNazaré-9h

    _Sol Nascente – São Sebastião-19h

    08/11-itatá- n. Sr Aparecida-18h

    9/11 -10/11- Conselho Presbiteral- Altamira

    10/11-12/11- Conselho Pastoral – Bethania – Quem vai?

    13/11- Pimentel (4 bocas) - N. Sr Aparecida-9h

    -Sol Nascente- são Sebastião 19h

    15/11- Cajueiro- N. Sr conceição-9h

    - Lages- Santa Luzia-14h

    16/11- Espelho- S. Benedito-9h

    -Itapuama- Div. Esp. Stº-15h17/11- Altamira

    18/11-Nova Transunião-St]ºAntônio-15h

    19/11- Escola Severino Pinto – Stº Expedito-9h

    - Bom Jardim 1- S. Lucas-18h

    20/11-Travessão do Nenê- Cristo Rei-9h

    -Dispensa 1- N. Sr Conceição-15h

    -Sol Nascente- São Sebastião 19h

    21/11- Virgilio Pereira- N. Sr Guadalupe-15h

    23/11- Bom Sossego 3 9h

    - Pirarara-S.Fco-17h

    24/11-Altamira

    25/11- Pernambuco- N. Srª das Graças-9h

    -Agrovila Mocotó-Pa – Ressaca-18h

    26/11- Nova Olinda- São Pedro e São Paulo-9h

    -Bom sossego 2 16h

    27/11-Ressaca-N. Sr das Dores-8h

    -Sol Nascente- S. sebastião-19h

    29/11- Escola Alegria do Saber-15h

    -Transunião- Capela Cristo Rei 1ª missa-19h

    30/11- Pirarara- Bar da Rosa- São Benedito-18h

    às 2ª feiras Pe. André vem para o convívio com os padres e bispos em Altamira.

     

    Programação de Pe. Alírio:

     

    02/11- Brasil Novo- Cemitério às 9h

    03-05/11- Brasil Novo- Encontro de representantes das CEBs Seminario São João Vianney

    05/11- Ilha do Elói- Fim do dia c/ batizados

    06/11-Km 120- Anapu 11h

    09/11- altamira- Conselho Presbiteral- 9h até 10/11 às 12h

    10/11- Reunião Conselho de Pastoral -14:30 até dia 12/11 ao meio dia

    12/11-Irmãos Lassalistas no Babaquara- dia todo

    -Pa -Ressaca- S. José-16h para iniciar às 17h

    _Paratizinho- Barbudo-20h

    13/11- nova Olinda – São Pedro e São Paulo 10h

    Cascata- São Rafael-16h. Era para ser dia 17. mas estamos em Coratá- MA- vejam e confirmem a mudança. Quem sabe Pe. Andre possa ir dia 17!

    14/11- ida para Missão em Coroatá- MA- voltando dia 19/11 ou 20/11- vai um grupo.

    21/11- missão no Pontal com Pe. Zé Geraldo até 25/11

    26/11- Dispensa 1- N. Sr da Conceição-17h Aniversário da Chica

    27/11- Raio de Sol- N. Sr das Graças 10h Capela em construção

    28/11-Ida a Belém- Volta inicio de dezembro.

    É bom lembrar:

    3/12- S. Francisco Xavier- em Souzel

    4/12- é Festa de N. Sr Mãe dos Pobres em Medicilândia

    8/12 Festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição

    -Dispensa 1-9h

    -Cajueiro`16h

    10/12- Assembleia da Área Pastoral Assurini- Sol Nascente

    10/12- Romaria das Águas : Vitória e Souzel

    11/12-1ª festa de S. Francisco Xavier no Ramal dos Crentes, procissão da capela Nazaré às 8h- Vamos lá!

     

    Prestação de contas Gastos : outubro2016

     

    Quanto a questão econômica temos este quadro: Só em outubro as entradas foram R$ 427,30 e os gastos R$1.436,00. Só na revisão do carro e óleos R$ 818,00. Continuamos dependendo de doações e a realidade é que o vermelho continua por mês é em torno de R$ 1.000,00 de vermelho este mês. A coleta de 23/10 foi de R$138,00 e é das Missões lá da nova Transunião. Como vai o dizimo? Estão celebrando cada mês? Tem coordenador ou ministro? Gila, da Ilha do Elói pediu mais carterinhas , parabéns!

     
  • Falecimento Pe. Frederico

    Informamos o falecimento do nosso querido Pe. Frederico Tschol, O velório inicia agora pela manhã na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Avenida Djalma Dutra.

    Nesta segunda-feira:
    * Às 19h – Acontece a Celebração Eucarística presidida por Dom Erwin, seguida de vigília durante toda a noite, na Igreja Perpétuo Socorro.

    Terça-feira:
    * Às 7h – O corpo será trasladado para a Catedral, onde ocorre celebração Eucarística às 8h;

    * Às 12h– O corpo será trasladado de volta para a Igreja Perpétuo Socorro, onde acontece Celebração Eucarística às 15h;

    * Às 16h – Sepultamento no cemitério São João Batista, na Rua Magalhães Barata.

    Prelazia do Xingu/
    CRB Núcleo Xingu.

     

     

     

     

     

     

     

    foto: Julio Garcia - Em ocasião da "missa dos 60 anos de Sacerdócio de Pe. Frederico."

     
  • 40ª CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini -  Pe. Alírio Bervian 40ª carta - 9º Ano no Assurini- 1º com Pe.André Delzelle

     

     

    OUTUBRO, NOVEMBRO, OUTUBRO DE 2016

    Sentimos grande alegria com a chegada de pe. André em nosso meio. Veio uma 1ª vez com bastante rapidez só para anunciar a sua disponibilidade de trabalhar no Xingu. Isto foi em 14 a 16 de junho; veio uma segunda vez para participar do Retiro Anual da Prelazia onde houve uma decisão na reunião do Conselho Presbiteral com Dom João Muniz que foi aceito sua vinda, isso ocorreu nos dias 26 -30/07; veio uma terceira vez para dar uma volta na área Assurini com o acompanhamento do pe. Alírio nos dias 23 a 26/08. Nos dias 31/08 a 4/09 dias caminhamos incansavelmente no setor Chico Mendes, o próprio Assurini, visitando as comunidades com celebrações de duas até 4 por dia. No dia 29/08 fomos a Brasil Novo para buscar a chave do Centro com Pe. Geraldo e o dinheiro de R$1.500,00 para a conclusão do muro. No dia 31/08 Pe. André já fez com o pedreiro Rogério um projeto para concluir o muro do Centro de Formação Ir Dororthy. O projeto todo ficou em R$6.747,00 gasto que foi suprido pela Prelazia. O que ficou para trás não nos compete administrar. Pe. André regressou a Manaus no dia 5/09 para enviar sua mudança e concluir tudo por lá. Voltou para permanecer no dia 14/09 e no dia 17/09 foi com seu carro e mudança morar no centro. Na semana que iniciou no dia 19/09, foi com Cajá visitar locais onde não fomos e lembrando os locais aonde já tinha ido. Parece que passaram o Setor Dema ( Itapuama-Lages); o setor D. Erwin (Ressaca), o setor D. Luciano (Transunião) e o setor (Pe. Josimo bom Jardim e Pimentel). Na semana 26/09 a 30/09 foi a vez de passar pelo Setor Chico Mendes (Assurini) com a companhia de “Val”, assim nestas visitas ficou marcado o programa. Que aí segue:

     

    1/10- Sol Nascente- 19h – são Sebastião

    4/10- Nova Olinda- 9h São Pedro e São Paulo

    05/10- Pirarara- Casa do Assis 5h

    06/10 - Jatobá- Comunidade N. Sr Guadalupe-15h

    07/10- Bom Sossego 3- 9h

    Agrovila Mocotó-18h

    08/10- S. José – Cocal 9h

    Paratizinho18h – São Francisco de Assis

    09/10-Conselho de Pastoral – Centro Ir Dorothy

    -Bom jardim 2 15h- São Cristovão

    -Sol Nascente-19h- são Sebastião

    10/10- Convivência com os padres na Prelazia do Xingu 11h

    11/10- Novo Itapuama- Salazar 9h- São Sebastião

    Dispensa 2- 19h-N. Senhora Nazaré

    12/10- Itatá- 18h- N. Sr Aparecida

    13/10- Cajá 1- 9h- Snato Antônio

    PA Ressaca São José -18h

    14/10 Acesso 1 Jatobá 9h – snata Clara e São Sebastião

    Acesso 6 São Benedito- 15h

    15/010- Conselho de Pastoral – Pimentel 9h

    Bom Jardim I 17h- São Lucas

    16/10 4 bocas- 9h – Pimentel- N. Sr Aparecida

    Sol Nascente-19h

    17/10- Acesso 2- São José – 15h- Novo Brasil

    Planalto- Cristo Rei- 19h- Transunião

    18/10- Palhal- 17h

    19/10- São Benedito – D. Rosa-18h- Pirarara

    20/10- Alegria do Saber- 15htransunião

    21/10- Travessão Pernambuco- N. Sr das Graças-9h

    São Gaspar 15h- Acesso 1

    22/10- Babaquara-9h- são Francisco de Assis

    Dispensa 1-16h30' Nossa Senhora da Conceição

    23/10- Ressaca8h- Nossa Senhora das dores

    Ilha do Elói 11h- São Sebastião

    Sol Nascente 19h- São Sebastião

    24/10- Convivência com os padres-11h

    25/10- Bom Sossego 2- 18h

    26/10 São João Batista . D.Fátima-16hPirarara

    27/10- Sagrada Família 15h- Firma

    28/10- Picadão 9h- São Jorge

    Raio do Sol 17h- N. Sr das Graças

    29/10 – Cajá 2- 9h- Nossa Senhora de Fátima

    trav do Nenê Cristo Rei 16h

    30/10- Barro Duro -8h

    Sol Nascente 19hSão Sebastião

    31/10 11h convivência – Prelazia.

     

    Pe. Alírio está por hora com a sua proposta: Como D. Erwin orientou: “faça o que puder”. Assim só trabalha se for acionado. Até agora programa não faltou e todo dia há solicitações. Assim queremos anunciar o que está agendado:

     

    OUTUBRO:

    04/10- No Anapu com as irmãs Festa de São Francisco-

    7/10- 19h 7 dias de Geraldo Amorim- Pioneira- em casa

    8/10- Bom Jardim 2 Capela S. Cristovão- festa S. Francisco -16h

    Espelho- Festa S. Benedito ( o dia dele é 05) 19h

    9/10- Ilha do Elói -- São Sebastião-10h

    Bairro Boa Esperança – São Francisco- 18h

    10-17/10- Indo e voltando de Porto Alegre- 30ª Festa do clã Bervian

    17/10- Sitio irmão Sol- Aniversário de Ir Celina-18h

    18/10- Novo Pimental- Casa de Irene

    19/10- Cajueiros – Casa de Isabel- 16h

    22/10 – Na 10- casa de...16h

    23/10- 10h Nova Transunião- Casa Rogério -10h

    24/10- Casa de Aquino- Festa 36 anos de Claudio

    30/10- Aurora- Crispim 90 anos- 10h

     

    Fatos de destaque:

    Encontrei Cláudio do Cajá 1, N. Sr de Fátima, contou com entusiasmo a preparação da crisma. Reunem-se uma vez por semana nas casas e estudam e celebram. O povo até já descobriu que é melhor que novena: estudar a bíblia. A comunidade toda está comprometida. E cada encontro tem mais gente. Era assim no inicio como diz em Atos dos Apóstolos. Todos descobrindo o caminho. Parabéns! Sejam fiéis! É o grupo de vizinhos funcionando!

    No Raio de Sol- Nossa Senhora das Graças reunem-se todas as 4ª feiras. O povo está se abastecendo da Palavra de Deus. O casal Helio e Gelsa, a Tereza, o Agostinho e tantos mais. Não falham. Como faz bem ouvir isso. E a capela está em construção através de mutirão. Toda a ajuda é bem-vinda à igreja prédio e a igreja povo unir fé e vida! Beleza!

    O muro do centro está sendo concluído vai ser nesta semana ( de 03 até 8/10). Rogério com os serventes e Pe. André. Como é bom dar conta das obras e não deixar no meio do caminho. Depois vamos para a construção da Igreja Matriz São Sebastião do Sol Nascente, será que até o fim do ano vamos celebrar nela? Só depende de nós!

     

    Senti nas rodadas pela Firma que onde não funciona comunidade o povo está desprotegido na fé e entregue a pilhagem . Os gaviões estão aí para devorar. Vamos tomar cuidado. Leiam a carta de Paulo aos Gálatas. Fico triste de ver e ouvir: “A religião não salva ninguém!”Ora religião significa re-ligar. Quem devemos Re-ligar? Quem está desligado. Há muitos católicos desligados da sua fé, do seu batismo, deixando-se enganar por gente sem escrúpulos. Que só faz “lavagem cerebral” e cria confusão e divisão. São os diabos no nosso meio. Comunidades fortes povo sadio na fé.

    Lembramos que:

     

    O Objetivo Geral da Prelazia do Xingu é: A Igreja, povo de Deus no Xingu, para ser fiel à missão profética e à prática libertadora de Jesus Cristo, ouvindo o clamor do povo e à luz da Palavra de Deus compromete-se com alegria a viver sua opção pelas/os excluídas/os, querendo ser acolhedora, samaritana, comunitária, orante e missionária, a resgatar os valores da família e a incentivar a iniciação à vida cristã no anuncio, no testemunho, no serviço e no diálogo, a caminho do Reino definitivo”.

    E como prioridades temos: Defesa da vida, Renovação das comunidades eclesiais de base , Juventude e Família.

    E que sempre quando queremos conversar, discutir, encaminhar e propor atividades, ações e construir um plano de pastoral para nossa área e ao mesmo tempo avaliarmos e acompanharmos o trabalho pastoral na área realizamos a Reunião do Conselho de Pastoral da área, que pode acontecer por setores com todas as lideranças das comunidades engajadas, padres e missionários no plano evangelizador do Assurini.

     

     

    Prestação de contas Gastos: 13/08 até 1º/10/2016

     

    - Para-brisa: R4750,00

    - Entrega de Coletas, Doações Dizimo e Devoluções:

    - óleo: 2.349,00 ajuda capela R4500,00

    - Total R$ 5.857,60

    - Gastos: óleo, xerox, balsa, ajudas, energia, material litúrgico R$ 5.080,41

    - Saldo desta vez ficou positivo R$ 777,19

     

    obs.: Assim não fechamos o R$100.000,00 no vermelho( R$9 8.691,51). O passe livre da balsa funcionou pouco tempo e não aceitaram mais. Pois a dívida da Prefeitura era alto.

     
  • Encontro com o Papa Francisco

    De 11 a 18 de setembro, Dom João esteve em Roma, na Itália em um curso de formação para novos Bispos e se encontrou com o Papa Francisco.

     
  • Visita a cidade de Assis - Itália

    Nosso Bispo Dom João Muniz Alves nos dias 19 a 23 de setembro de 2016 visitou a cidade de Assis( Itália), terra de São Francisco e Santa Clara.  Na oportunidade presidiu celebração eucarística junto com dom Evaristo Pascoal Spengler (bispo de Marajó-PA) na Porciúncula na Basília de Santa Maria dos Anjos) e visitou a curia da OFM ( Ordem dos Frades Menores). Por Dóris.

     
  • Visita de acompanhamento

    Nosso Bispo Dom João Muniz Alves desde o dia 26 até o dia 29 de setembro de 2016 está na cidade de  Santarém para uma visita de acompanhamento aos  5 seminaristas (Orlando de Araujo,  Arilson Lopes Pimentel, Perison Lopes Tenório, Francisco Junior Loureiro Martins,  Elienai Mendes Alvarez) da Prelazia do Xingu  que estão estudando no Seminário Pio X e  2 jovens  aspirantes (Benedita Pinto Conceição e Joice Barbosa Duarte) que estão na Congregação das Adoradoras do Sangue de Cristo.  Na oportunidade participou de celebração eucarística junto com dom Flávio  Giovenale, no dia 26 de setembro de 2016. (por Dóris).

     

     
  • Visita à cidade do Vaticano

    Nosso Bispo Dom João Muniz Alves esteve  nos dias 10 a 18 de setembro de 2016 em visita à cidade de  Roma  participando do Cursos para Novos Bispos . O encontro foi  promovido pela Congregação para os Bispos . Na ocasião participaram 155 bispos, dos quais 17 eram brasileiros.  Entre os brasileiros estavam 2 bispos  do Regional Norte II : Dom Evaristo (Bispo da Diocese de Marajó(PA) e   Dom João Muniz Alves , Bispo da Prelazia do Xingu(PA). Na oportunidade participou de uma audiência com o Santo Padre, Papa Francisco no Vaticano, no dia 16 de setembro de 2016.

    Por: Dóris.

     

     

     

     

     
  • Eucaristia e Ecologia

    Laudato Sí” – Uma encíclica diferente

    O título desta conferência “Eucaristia e Ecologia” gera sem dúvida uma certa perplexidade. O que “o Memorial da Morte e Ressurreição do Senhor”, a “Hóstia Santa que se consagra sobre o altar e aos nossos olhos se levanta para o Brasil abençoar”, o que o “Sacramento dos sacramentos” tem a ver com assuntos aparentemente tão profanos como as questões ecológicas, bandeiras de luta de ambientalistas e indigenistas, de movimentos e partidos verdes?

    Quem nos dá resposta é o próprio papa Francisco na sua Encíclica “Laudato Si”: “A criação encontra a sua maior elevação na Eucaristia. A graça, que tende a se manifestar de modo sensível, atinge uma expressão maravilhosa quando o próprio Deus, feito homem, chega ao ponto de fazer-Se comer pela sua criatura. No apogeu do mistério da Encarnação, o Senhor quer chegar ao nosso íntimo através dum pedaço de matéria. Não o faz de cima, mas de dentro, para podermos encontrá-Lo a Ele no nosso próprio mundo. Na Eucaristia, já está realizada a plenitude, sendo o centro vital do universo, centro transbordante de amor e de vida sem fim. Unido ao Filho encarnado, presente na Eucaristia, todo o cosmos dá graças a Deus. Com efeito a Eucaristia é, por si mesma, um ato de amor cósmico (...). A Eucaristia une o céu e a terra, abraça e penetra toda a criação. O mundo, saído das mãos de Deus, volta a Ele em feliz e plena adoração: no Pão Eucarístico (...). Por isso, a Eucaristia é também fonte de luz e motivação para as nossas preocupações pelo meio ambiente, e leva-nos a ser guardiões da criação inteira” (LS 236).

    Nesta compreensão da Eucaristia como “fonte de luz e motivação para as nossas preocupações pelo meio ambiente” que nos leva “a ser guardiões da criação inteira” queremos refletir sobre a Encíclica “Laudato Si”. Ser guardião implica em assumir a responsabilidade de zelar pela criação e cuidar do meio ambiente, inclusive com vista às futuras gerações. O Papa Francisco rejeita categoricamente a interpretação de Genesis 1,28 numa perspectiva de dominação implacável do ser humano sobre a criação, de exploração desenfreada e inescrupulosa dos recursos naturais como se fossemos a última geração.

    A referência ao Cântico das Criaturas de São Francisco de Assis realça a harmonia que deve existir entre o ser humano e os outros seres criados que São Francisco chama de irmãos e irmãs. Essa visão de harmonia de que o Papa fala coincide com o entendimento que os povos indígenas andinos conservam desde tempos imemoriais quando falam do Sumak Kawsay (Bem Viver): Existe um ser supremo que criou todas as coisas e por isso deve ser amado e respeitado. Esta consciência faz o homem e a mulher viver em paz consigo mesmo e em harmonia com os irmãos e irmãs e ao mesmo tempo com todos os seres criados, com o mundo que nos circunda.

    Sem dúvida a Encíclica foi também uma contribuição do Papa Francisco à Conferência sobre o Clima realizada de 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015 em Paris que se propôs substituir o Protocolo de Kyoto de 1997 de resultados decepcionantes e chegar a um acordo mundial sobre a redução das emissões de gases de efeito estufa. Nesta histórica conferência de Paris pela primeira vez não se fez mais a distinção entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento o que está bem na linha do papa que alerta na encíclica: “O movimento ecológico mundial já percorreu um longo e rico caminho, tendo gerado numerosas agregações de cidadãos que ajudaram na consciencialização. Infelizmente, muitos esforços na busca de soluções concretas para a crise ambiental acabam, com frequência, frustrados não só pela recusa dos poderosos, mas também pelo desinteresse dos outros (...). Precisamos de nova solidariedade universal“ (LS 14). Em Paris, de repente todos os países – e não apenas alguns – escolhem como meta limitar a temperatura global ao aumento de 2° C e insistem ainda em envidar todos os esforços para atingir no máximo 1,5° C.

    Como secretário da Comissão Episcopal para a Amazônia tive o privilégio de ser recebido pelo Papa Francisco em 4 de abril de 2014 em uma audiência particular de uns vinte minutos. Foi a ocasião em que ele me confidenciou que estava pretendendo promulgar uma encíclica sobre a ecologia. Lembro-me da ênfase especial que deu ao assunto: “Não trataremos de ecologia de modo apenas genérico, está na hora de falarmos em uma ecologia ‘humana‘“. Foi aí que pedi a ele que não se esquecesse da Amazônia e dos Povos Indígenas. Convidou-me então a colaborar nestes tópicos o que fiz com muita alegria e gratidão enviando minha contribuição ao Cardeal Pedro Turkson, Presidente da Pontifícia Comissão Justiça e Paz, encarregado de sintetizar as diversas sugestões vindas de todo mundo.

    Os parágrafos 37/38 e 145/146 são o reflexo das contribuições que ofereci em nome da Igreja na Amazônia. Vejam o que o Papa escreve:

    37. Alguns países fizeram progressos na conservação eficaz de certos lugares e áreas – na terra e nos oceanos –, proibindo aí toda a intervenção humana que possa modificar a sua fisionomia ou alterar a sua constituição original. No cuidado da biodiversidade, os especialistas insistem na necessidade de prestar uma especial atenção às áreas mais ricas em variedade de espécies, em espécies endémicas, raras ou com menor grau de efetiva proteção. Há lugares que requerem um cuidado particular pela sua enorme importância para o ecossistema mundial, ou que constituem significativas reservas de água assegurando assim outras formas de vida.

    38. Mencionemos, por exemplo, os pulmões do planeta repletos de biodiversidade que são a Amazônia e a bacia fluvial do Congo, ou os grandes lençóis freáticos e os glaciares. A importância destes lugares para o conjunto do planeta e para o futuro da humanidade não se pode ignorar. Os ecossistemas das florestas tropicais possuem uma biodiversidade de enorme complexidade, quase impossível de conhecer completamente, mas quando estas florestas são queimadas ou derrubadas para desenvolver cultivos, em poucos anos se perdem inúmeras espécies, ou tais áreas transformam-se em áridos desertos. Todavia, ao falar sobre estes lugares, impõe-se um delicado equilíbrio, porque não é possível ignorar também os enormes interesses econômicos internacionais que, a pretexto de cuidar deles, podem atentar contra as soberanias nacionais. Com efeito, há « propostas de internacionalização da Amazônia que só servem aos interesses econômicos das corporações internacionais ». É louvável a tarefa de organismos internacionais e organizações da sociedade civil que sensibilizam as populações e colaboram de forma crítica, inclusive utilizando legítimos mecanismos de pressão, para que cada governo cumpra o dever próprio e não-delegável de preservar o meio ambiente e os recursos naturais do seu país, sem se vender a espúrios interesses locais ou internacionais.

    Será que a delegação brasileira na Conferência de Paris assimilou a lição do Papa? Fato é que a assim chamada “Contribuição Nacionalmente Determinada Pretendida” do Brasil à Conferência de Paris visa o fim do desmatamento na Amazônia, o reflorestamento e a recuperação de áreas degradadas, além do propósito de alcançar, em termos de fontes de energia, o patamar de 45% de energias renováveis.

    145. Muitas formas de intensa exploração e degradação do meio ambiente podem esgotar não só os meios locais de subsistência, mas também os recursos sociais que consentiram um modo de viver que sustentou, durante longo tempo, uma identidade cultural e um sentido da existência e da convivência social. O desaparecimento duma cultura pode ser tanto ou mais grave do que o desaparecimento duma espécie animal ou vegetal. A imposição dum estilo hegemônico de vida ligado a um modo de produção pode ser tão nocivo como a alteração dos ecossistemas.

    146. Neste sentido, é indispensável prestar uma atenção especial às comunidades aborígenes com as suas tradições culturais. Não são apenas uma minoria entre outras, mas devem tornar-se os principais interlocutores, especialmente quando se avança com grandes projetos que afetam os seus espaços. Com efeito, para eles, a terra não é um bem econômico, mas dom gratuito de Deus e dos antepassados que nela descansam, um espaço sagrado com o qual precisam de interagir para manter a sua identidade e os seus valores. Eles, quando permanecem nos seus territórios, são quem melhor os cuida. Em várias partes do mundo porém, são objeto de pressões para que abandonem suas terras e as deixem livres para projetos extrativos e agropecuários que não prestam atenção à degradação da natureza e da cultura.

    Até agora em nenhum documento papal a realidade em que vivem os povos indígenas e seus legítimos anseios foram abordados de maneira tão contundente. O papa assume a defesa da dignidade e dos direitos dos povos aborígenes. Para a Igreja no Brasil, mormente na Amazônia, e de modo especial para o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), organismo vinculado à CNBB, as palavras do Papa são um enorme impulso para prosseguir na luta destemida em favor destes povos que atualmente estão vivendo mais um momento crítico. Está em jogo a vitória conquistada na Assembleia Nacional Constituinte de 1987/88 de finalmente verem seus direitos inscritos na Constituição Federal. Hoje, lamentavelmente, tramitam no Congresso Nacional Projetos de Emenda Constitucional apoiados em cheio pela bancada ruralista declaradamente anti-indigena e pelos representantes do agronegócio, de alterar os parâmetros constitucionais em franco detrimento dos povos indígenas deste País.

    A encíclica Laudato Sí tem que ser lida e meditada na íntegra, como um todo. É até desaconselhável assinalar apenas um e outro ponto ou insistir apenas nesse ou naquele aspecto sem levar em conta a mensagem completa. Digo isso também a respeito dos já citados parágrafos sobre a Amazônia e os Povos Indígenas. Não podem ser pinçados e analisados fora do contexto de toda a encíclica.

    Mesmo assim saltam à vista algumas palavras-chave que são, por assim dizer, o “arcabouço” de toda a encíclica:

    1. As encíclicas papais são geralmente endereçadas aos “veneráveis irmãos no episcopado, ao clero, às famílias religiosas, aos fiéis da igreja católica” e como expressão de certa condescendência “a todos os homens de boa vontade”. A Encíclica do Papa Francisco “Laudato Sí”, no entanto, quer ultrapassar qualquer fronteira confessional, política, racial e ideológica e se dirige à toda a humanidade em todos os continentes. “Agora, à vista da deterioração global do ambiente, quero dirigir-me a cada pessoa que habita neste planeta. Na minha exortação Evangelii gaudium, escrevi aos membros da Igreja, a fim de os mobilizar para um processo de reforma missionária ainda pendente. Nesta encíclica, pretendo especialmente entrar em diálogo com todos acerca da nossa casa comum“ (LS 3).

    2. “Entre os pobres mais abandonados e maltratados, conta-se a nossa terra oprimida e devastada, que « geme e sofre as dores do parto » (Rom 8, 22). Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf. Gen 2, 7). O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar permite-nos respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos“ (LS 2).

    3. O Papa insiste na “ecologia humana”. Ele cita a encíclica “Centesimus Annus” de 1991 do Papa João Paulo II que fala das “condições morais de uma autêntica ecologia humana”. E explicita: “A destruição do ambiente humano é um fato muito grave, porque, por um lado, Deus confiou o mundo ao ser humano e, por outro, a própria vida humana é um dom que deve ser protegido de várias formas de degradação. Toda a pretensão de cuidar e melhorar o mundo requer mudanças profundas «nos estilos de vida, nos modelos de produção e de consumo, nas estruturas consolidadas de poder, que hoje regem as sociedades»“ (LS 5).

    4. “O progresso humano autêntico possui um carácter moral e pressupõe o pleno respeito pela pessoa humana, mas deve prestar atenção também ao mundo natural e «ter em conta a natureza de cada ser e as ligações mútuas entre todos, num sistema ordenado». Assim, a capacidade do ser humano transformar a realidade deve desenvolver-se com base na doação originária das coisas por parte de Deus“ (LS 5).

    5. “A pobreza e a austeridade de São Francisco não eram simplesmente um ascetismo exterior, mas algo de mais radical: uma renúncia a fazer da realidade um mero objeto de uso e domínio“ (LS 11).

    6. A “cultura do descarte (...) afeta tanto os seres humanos excluídos como as coisas que se convertem rapidamente em lixo (...) acaba por danificar o planeta inteiro“ (LS 22).

    7. “O urgente desafio de proteger a nossa casa comum inclui a preocupação de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral, pois sabemos que as coisas podem mudar (...). A humanidade possui ainda a capacidade de colaborar na construção da nossa casa comum“ (LS 13).

    8. É errado “pensar que os outros seres vivos devam ser considerados como meros objetos submetidos ao domínio arbitrário do ser humano. Quando se propõe uma visão da natureza unicamente como objeto de lucro e interesse, isso comporta graves consequências também para a sociedade. A visão que consolida o arbítrio do mais forte favoreceu imensas desigualdades, injustiças e violências para a maior parte da humanidade porque os recursos se tornam propriedade do primeiro que chega ou de quem tem mais poder: o vencedor leva tudo“ (LS 82).

    9. “O ser humano não é plenamente autónomo. A sua liberdade adoece, quando se entrega às forças cegas do inconsciente, das necessidades imediatas, do egoísmo, da violência brutal. (...) Podemos afirmar que carece de uma ética sólida, uma cultura e uma espiritualidade que lhe ponham realmente um limite e o contenham dentro dum lúcido domínio de si” (105).

    10. Se a crise ecológica é uma expressão ou uma manifestação externa da crise ética, cultural e espiritual da modernidade, não podemos nos iludir de sanar a nossa relação com a natureza e o meio ambiente, sem curar todas as relações humanas fundamentais. Quando o pensamento cristão reivindica, para o ser humano, um valor peculiar acima das outras criaturas, suscita a valorização de cada pessoa humana e, assim, estimula o reconhecimento do outro. A abertura a um «tu» capaz de conhecer, amar e dialogar continua a ser a grande nobreza da pessoa humana. Por isso, para uma relação adequada com o mundo criado, não é necessário diminuir a dimensão social do ser humano nem a sua dimensão transcendente, a sua abertura ao «Tu» divino. Com efeito, não se pode propor uma relação com o ambiente, prescindindo da relação com as outras pessoas e com Deus“ (LS 119).

    11. O ambiente humano e o ambiente natural degradam-se em conjunto; e não podemos enfrentar adequadamente a degradação ambiental, se não prestarmos atenção às causas que têm a ver com a degradação humana e social. (LS 48). “Não há duas crises separadas: uma ambiental e outra social; mas uma única e complexa crise socioambiental. As diretrizes para a solução requerem uma abordagem integral para combater a pobreza, devolver a dignidade aos excluídos e, simultaneamente, cuidar da natureza“ (LS 139).

    12. Sempre se deve recordar que «a proteção ambiental não pode ser assegurada somente com base no cálculo financeiro de custos e benefícios. O ambiente é um dos bens que os mecanismos de mercado não estão aptos a defender ou a promover adequadamente». Mais uma vez repito que convém evitar uma concepção mágica do mercado, que tende a pensar que os problemas se resolvem apenas com o crescimento dos lucros das empresas ou dos indivíduos“ (LS 190).

    13. Trata-se simplesmente de redefinir o progresso. Um desenvolvimento tecnológico e econômico, que não deixa um mundo melhor e uma qualidade de vida integralmente superior, não se pode considerar progresso“ (LS 194).

    14. Já no início da Laudato Si o Papa Francisco insiste numa “conversão ecológica global” (LS 5), aprofundando esse tema no final da Encíclica quando diz: “Desejo propor aos cristãos algumas linhas de espiritualidade ecológica que nascem das convicções da nossa fé, pois aquilo que o Evangelho nos ensina tem consequências no nosso modo de pensar, sentir e viver“. Trata-se na realidade de uma “espiritualidade para alimentar uma paixão pelo cuidado do mundo. Com efeito, não é possível empenhar-se em coisas grandes apenas com doutrinas, sem uma mística que nos anima. E o Papa cita a sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium quando diz que essa mística é “uma moção interior que impele, motiva, encoraja e dá sentido à ação pessoal e comunitária“ e acrescenta: “Temos de reconhecer que nós, cristãos, nem sempre recolhemos e fizemos frutificar as riquezas dadas por Deus à Igreja, nas quais a espiritualidade não está desligada do próprio corpo nem da natureza ou das realidades deste mundo, mas vive com elas e nelas, em comunhão com tudo o que nos rodeia“ (LS 216).

    15. Também já no começo da Encíclica o Papa Francisco fala dos passos da conversão citando do patriarca de Constantinopla Bartolomeu que “propôs-nos passar do consumo ao sacrifício, da avidez à generosidade, do desperdício à capacidade de partilha, numa ascese que «significa aprender a dar, e não simplesmente renunciar. É um modo de amar, de passar pouco a pouco do que eu quero àquilo de que o mundo de Deus precisa. É libertação do medo, da avidez, da dependência» (LS 9). No final ele acrescenta: “Convido todos os cristãos a explicitar esta dimensão da sua conversão, permitindo que a força e a luz da graça recebida se estendam também à relação com as outras criaturas e com o mundo que os rodeia, e suscite aquela sublime fraternidade com a criação inteira que viveu, de maneira tão elucidativa, São Francisco de Assis“ (LS 221).

     

    Termino assim convidando as irmãs e os irmãos a rezarmos juntos e com o Papa Francisco a “Oração pela nossa terra” que ele propõe no final da Encíclica (LS 246):

    Deus Omnipotente,
    que estais presente em todo o universo
    e na mais pequenina das vossas criaturas,
    Vós que envolveis com a vossa ternura
    tudo o que existe,
    derramai em nós a força do vosso amor
    para cuidarmos da vida e da beleza.
    Inundai-nos de paz,
    para que vivamos como irmãos e irmãs
    sem prejudicar ninguém.
    Ó Deus dos pobres,
    ajudai-nos a resgatar
    os abandonados e esquecidos desta terra
    que valem tanto aos vossos olhos.
    Curai a nossa vida,
    para que protejamos o mundo
    e não o depredemos,
    para que semeemos beleza
    e não poluição nem destruição.
    Tocai os corações
    daqueles que buscam apenas benefícios
    à custa dos pobres e da terra.
    Ensinai-nos a descobrir o valor de cada coisa,
    a contemplar com encanto,
    a reconhecer que estamos profundamente unidos
    com todas as criaturas
    no nosso caminho para a vossa luz infinita.
    Obrigado porque estais conosco todos os dias.
    Sustentai-nos, por favor, na nossa luta
    pela justiça, o amor e a paz.


     

    Belém, 19 de agosto de 2016

    XVII Congresso Eucarístico Nacional

     

    Erwin Kräutler

    Bispo em. do Xingu

     
  • 39º CARTA ABERTA

    Pe. Alírio Bervian 3ª carta - 9º Ano no Assurini

    AGOSTO, SETEMBRO, OUTUBRO DE 2016

    Nos meses passados teve acontecimentos marcantes:

     

    Julho: A Romaria dos Mártires, no Mato Grosso, Prelazia de São Félix do Araguaia e Ribeirão cascalheira o município, fomos: Ir Else, Ir jorge e eu. São uns 1.700 km daqui. Saímos no dia 14/07 e voltamos no dia 19/07 a meia noite. Pernoitamos em Marabá com um grupo de universitários; outra noite em Santana do Araguaia com os freis capuchinhos ( na ida e na volta). A Romaria foi nos dias 16 a 17 de julho. O destaque foi o bispo emérito D. Pedro Casaldáliga. Veio de avião, pois, já está em cadeira de roda. Veio gente de toda Brasil e do Exterior. Acontece de 5 em 5 anos. Pe. João Batista foi assassinado pela polícia quando ele e dom Pedro foram interceder em favor de mulheres presas que estavam sendo maltratadas e judiadas. Foi em 1976. No começo a romaria era a cada 10 anos , depois de 20 anos daí para cá de 5 em 5 anos. Na volta em Redenção, celebramos 25 anos de sacerdócio de Pe. Bené. O Bispo dom Dominique e muitas pessoas de Conceição do Araguaia estavam lá.Um destaque da Romaria foi a situação dos indígenas do Mato Grosso, povo Guarani Kawuá: ameaçados de morte pelos jagunços do agronegócio.

     

    Nos dias 21 a 24/07/16 foi a Romaria da Floresta, no Anapu. O destaque foram os jovens (em especial de Brasil Novo); os agricultores da Mata Preta ameaçados pelos grandes grileiros; a presença do nosso novo bispo d. João Muniz Alves.

     

    No final do mês de julho (26-30/07)foi o Retiro com D. Pedro , bispo de Macapá-AP. O destaque foi sua simplicidade, suas histórias, as mensagens e as celebrações dos 4 elementos: Terra, ar, água e fogo. Assurini esteve presente com Val e Cajá.

     

    Nestes meses marcamos presença em Uruará, Medicilândia e Brasil Novo . Quando solicitados e o Assurini que é a nossa área predileta, mas como Pe. Juquinha e Pe. Zé Geraldo já atendem e haviam programado. Nos sentimos mais livres para ajudar outros irmãos, comunidades e paróquias...

     

    PROSPECTIVA

    No mês de Agosto 2016: temos como compromisso apresentar o Pe. André Delzelle na área pastoral do Assurini e mostrar a realidade da cidade de Altamira. Ele quer realizar uma experiência num local desafiador. Virá no dia 23/08 e ficará até 06/09.Depois em conversa com o bispo decidirá o seu local de pastoral.

     

    Neste ano a Prelazia quer dar destaque aos nossos mártires. Por isso estaremos na comemoração dos 15 anos da morte de Dema, será nos dias 24 a 25/08 em Medicilândia 75 Faixa,mas ele continua vivo no meio de nós. No dia 16/10 será Pe. tore, km 23- 29 anos.

     

    Não vamos esquecer o mês vocacional: Cajá está distribuindo as cartilhas com os testemunhos vocacionais. Semana Nacional das Famílias (tema: Misericordia na Família Dom e Missão) de 24 a 28/08 nas 3 paróquias de Altamira finalizando com Celebração de encerramento no dia 28/08 às 8h na Catedral. E no dia 31 de agosto haverá uma celebração de encerramento do mês vocacional às 19:30 na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorrro.

     

    O mês de setembro tráz o destaque da Bíblia . Neste ano o CEBI propõe o estudo do profeta Miquéias: agricultor-denuncia o latifundio conseguido com a exploração dos pobres- acham que estão certos com a Bíblia na mão Deus os destruirá. Alimenta a esperança anunciando a vinda de um Rei que vai libertar o povo: Jesus nascido em Belém. Teremos também a caminhada dos jovens do Xingu nos dias 8 a 11/09/2016. iniciará com a presença de D. Erwin na vivinal 16- n. Srª de Nazaré comunidade de Léo. A caminhada é em memória ao Jovem Leonardo Nascimento de Brasil Novo vítima de um acidente que consequentemente o levou a morte quando voltava de uma missão jovem em Vitória do Xingu.

     

    No mês de outubro é o mês missionário. Tem material para as comunidades e grupos de vizinhos não vamos esquecer a coleta para que o evangelho seja anunciado a todos as nações: o Tema é Cuidar da Casa Comum é nossa missão e lema “Deus viu que tudo era muito bom” Gn 1,31.

     

    A nossa Prestação de contas:

    Nossos gastos foram R$ 6.287,23 e nossas entradas: R$ 4.369,54

    o vermelho ficou em R$ 1.917,89. Assim o total vermelho foi a R$ 99.468,92- continua a média de R$1.000,00 por mês sem salário.

    As entradas vieram das coletas, doações, ofertas ou ajudas. Até agora não vimos prestação de contas de Pe. Juquinha sobre o dízimo que está sendo implantado e creio que está funcionando, mesmo que seja fraco ou as coletas e doações.

     

    Note bem: quanto as entradas temos R$1.800,00 de doações. Quando aos gastos o maior foi de R$ 2.050,00 reparos na parte dianteira do carro em peças e oficina e duas troca de óleo que ficou em R$657,00 e um pneu usado no valor de R$250,00. Só nisto ficou o vermelho.São despesas extras.

     

    Gastos : 25/025 até 7/08/2016

    Paõ e vinho 40,00

    Troca de óleo e filtros 653,00

    Cãmara – Pneus e consertos 540,00

    Buchas 50,00

    Peças e oficina 2.070,00

    energia- Centro Ir. Dorothy 23,98

    Balsa 294,00

    combustível 2.616,25

    Total 6.287,23

     

    Programas agendados : O que está agendado?

     

    AGOSTO

    Estamos em meados de agosto . E tinhamos previsto ir participar do 17º Congresso Eucarístico

    Nacional, mas por motivo de agendas pastorais tivemos que voltar atrás. E também estava

    prevista no final do mês uma missão em Coroatá- maranhão que foi adiada para novembro.

    Assim sendo reprogramamos esta metade do mês.

     

    14/08- Grota Seca (Socorrinha)-10h com Socorrinha e Ir Celina

    95 norte- São Francisco – Medicilândia-14h 1 ano de falecimento de Dona Teca

    na vicina 8- Brasil Novo- 18h – Dª Margarida- no Bom Jesus

    18 a 21/08- disponível para Assurini e Brasil novo . Tem programa marcado, vindo de Lages a Itapuama, mas é também festa na São Roque Vic .18 e outras comunidades., como matriz.

    23/08 até 06/09 estarei a disposição de Pe. André que virá de Manaus para trabalhar no Xingu.

    O bispo d. João pediu para mostrar-lhe a realidade de Altamira e do Assurini. Algo já está

    previsto:

    24/08- Km 90- Medicilândia – Seminário sobre DEMA e a questão ecológica- casa comum. Sede do Sindicato- Dia todo.

    25/08- Km 75 Fx-N. Sr da Paz-10h Missa c/ D. João. Aniversário de 15 anos do assassinato de Dema. Inauguração da Obra do Projeto Dema e plantio de Árvores.

    27/08-Assurini- Babaquara-15h – São Francisco-Comunidade

    PA- Ressaca- São José- fim da tarde-18h Aniversariantes do mês

    28/08- Pimentel. N. Sr Aparecida-9h

    - Celebração das Família -8h Catedral

    31/08- Celebração de encerramento do mês vocacional- P. Socorro-19:30

     

    SETEMBRO:

    03/09 -Barro duro (Beira do Asfalto) 16h Ramal dos Crentes- São Francisco Xavier-19h

    04/09- Na 8- Menino Deus- 10h Chico Patrício- 60 anos.

    Bom Sossego- Stª Maria-10h

    Sol Nascente- São Sebastião-15h

    06/09- N. Sr de Fátima- 75N – Medicilândia-17h

    07/09- Sagrado Coração de Jesus-75N- Medicilândia-10h

    São Vicente 75N-Medicilândia-15h

    08/09- Pontal- Medicilândia- São Tomé- 10h

    Beiradão- São José- Medicilândia- 15h

    09-11/09- Na Romaria jovem – Brasil Novo partindo da vic.16

    10/09-85 N- Stª Rita- 19h. 30 anos de casados Irene e Chiquinho

    15/09- Km100N Medicilândia- Casa Dona Prazedes-19h

    17/09 – Babaquara- São Francisco-9h

    São Pedro e São Paulo- (Socorrinha) Cido -50 anos -19h- pede Socorrinha

    18/09 -75N Medicilândia- Zé Tomé- Bodas de ouro

    24/09 – Brasil Novo- Malvinas-na 19- á tarde

    25/09 Pimentel- N. Sr Aparecida-9h aniversário de falecimento de Carlos Alberto

     

    OUTUBRO

    02/10- Eleições Municipais

    05-07/10- Curso de Garrafas PET- Brasil Novo

    9/10- Sol Nascente- São Sebastião-9h 1 ano falecimento de Bia

    10/10 14h viagem de avião para o Sul- volta 17/10

    17/10- Sítio Irmão Sol-18h aniversário Ir Celina Maria

    22/10-vicinal da 10 Brasil Novo-16h

    24/10- ir a Souzel com Miguel- Curso “ Garrafa PET” volta 27/10

    30/10- Aurora Casa de seu Crispim Acácio

     

    Note bem: Há muito espaço para atender quem estiver interessado . O importante é articular

    se e colocar as comunidades em movimento. O que está realmente funcionando?

    *Temos muito a lembrar como seja pessoas doentes e que marcaram muito nossas

    comunidades como Dª Tanta da Dispensa;

    Dª Jó da Dispensa 2 ( está em Belém- Alexandre e a Filha está com ela) . Rezemos por

    elas e tantas outras- nossa solidariedade.

    *Tivemos mais um caso de assassinato na Nova Transunião - nossa área está

    manchada de sangue. Vamos ser misericordiosos neste ano jubilar: Em vez de matar,

    perdoar e fazer viver.

    *Nossa comunidade viva deve ser tudo para nós. Ser criativos e levantar propostas,

    festejamos as mães , os pais, Festa Juninas, etc

    *Marcar presença nos acontecimentos marcados na carta aberta. Como foi bom ver Val e Cajá no Retiro. Quem tem coragem de representar o Assurini?

     
  • 25 ANOS DE MISSÃO!

    A Paróquia Imaculada Mãe dos Pobres celebrou seus 25 anos de missão no dia 10 de julho de 2016, com a presença de nosso novo bispo, Dom João Muniz Alves. A Data de ereção da Paróquia é dia 01 de julho de 1991, porém, aproveitando da ocasião da visita de nosso novo bispo, organizamos a celebração para alguns dias depois de completar os 25 anos.

    A presença da Igreja na região se dá desde o início da década de 70, com a abertura da Rodovia Transamazônica e a chegada dos migrantes, vindos de todos os recantos do país. Comemoramos assim também os 45 anos de presença da Igreja na Transamazônica, Agrovilas e vicinais.

    Tempo esse de muita esperança como também de dificuldades, dentre elas a ação da Igreja, com rara presença de padres e religiosos/as. O povo rezava e invocava os seus santos de devoção. Dom Eurico Krautler, bispo na época, era de uma presença serena e amiga, com um olhar confiante e sorriso acolhedor. Apoiava os poucos padres a visitar as Agrovilas, quando possível.

    A primeira missa no km 100, na Agrovila Miguel Gustavo, aconteceu em 1972, com o casamento de Caetano e Maria das Dores, celebrada por padre Aldo, Xaveriano, no ano seguinte o padre Sávio, Xaveriano, veio celebrar novamente na mesma agrovila.

    Dom Eurico, como bom pastor se preocupava com as famílias que iam chegando à região, foi então à Arquidiocese de Porto Alegre pedir auxílio de padres e religiosos/as para atender melhor à nova fronteira, no que foi atendido com o envio de irmãs, irmãos e padres para a Prelazia, tornando-se assim a Igreja Irmã do Xingu.

    Altamira é a porta de entrada para os novos missionários e missionárias, onde já estavam as irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo. Irmã Terezinha, desta Congregação acompanhava o padre Conrado nas visitas para Medicilândia, na época, km 90.

    As Irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã começaram sua missão aqui na região, por Altamira, no Bairro de Brasília, estendendo-se logo pela Transamazônica, no km 90, onde, fixaram morada, desde 1977, participando sempre da vida e missão deste povo, juntos na missão os estavam padres, Leo Pedro Schneider, Oscar Fur, Alírio Bervian, leigos/as, voluntários/as, seminaristas, dando continuidade ao anúncio do Evangelho de Jesus Cristo. Padre Alírio foi o primeiro a fixar morada no km 90.

    A Paróquia foi erigida em 01 de julho de 1991, por Dom Erwin Krautler, sob a proteção de Imaculada Mãe dos Pobres, sendo o padre Carlos Alberto Garcia, seu primeiro pároco, auxiliado pelas irmãs, Ignez Wenzel, Catarina Buron, Maria das Neves Morais de Azevedo e Benedita Pereira de Melo; os leigos, Raimundo Rodrigues Xavier ( motorista), João Alberto Garcia, Mário José Henchen e a secretária Maria Divina Pereira de Melo. Hoje está sob os cuidados de Dom João Muniz Alves, Pe. Gilmar Dalcanale ( diocesano) , irmãs Maria Knet, Inês Fell, Benedita Pereira de Melo e as leigas Cristiane de Araújo Silva ( secretária) e Olga Gomes da Silva ( Zeladora).

    Neste ano, 2016, completamos Bodas de Prata paroquial e celebramos todas as vitórias, dificuldades e conquistas, pois, nossa Paróquia continua crescendo sob a proteção de Maria e aos cuidados de seu Filho Jesus Cristo. Com o início do tríduo celebrativo dos 25 anos, no dia 08 de julho, recebemos a primeira visita de nosso novo pastor, Dom João que foi acolhido na comunidade São Judas Tadeu, no km 85 fx, por jovens e lideranças de comunidade, de onde seguimos em carreata até o salão Paroquial, onde mais jovens e lideranças de comunidades, pastorais e movimentos eclesiais o aguardavam.

    Depois de uma série de homenagens de boas vindas, almoçamos e seguimos o roteiro de visitas às comunidades. A primeira missa presidida por Dom João na Paróquia foi na comunidade São João Batista do km 80 fx, ainda no dia 08 a noite, no dia 09, pela manhã celebrou na comunidade Monte Calvário, no km 70 Norte e pela tarde do mesmo dia, Inaugurou e dedicou a capela da comunidade São João Evangelista, no km 112 fx. No dia seguinte foi acolhido pelos jovens na comunidade Nossa Senhora das Graças do km 120 fx e a Noite do dia 10, às 19:30 h presidiu a missa dos 25 anos de missão da Paróquia Imaculada Mãe dos Pobres. Com grande presença da comunidade, seguindo-se de uma confraternização no barracão da Matriz, fruto da partilha de muitas comunidades e famílias. Os jovens foram um ponto forte nesta celebração de prata paroquial e primeira visita de nosso bispo Dom João que demonstra muita alegria, simplicidade e o dom da escuta.

    Agradecemos a Dom Erwin, nosso bispo Emérito pela árdua missão realizada conosco. Deus lhe pague por tudo; pelos momentos de turbulências, mas, também de fé, encontro e esperança, sobretudo na celebração da Eucaristia, gesto de amor e partilha. “ Eu sei em quem acreditei”.

    Somos gratos a todas as pessoas que ajudaram a semear, cuidar para que a semente brotasse e espalhasse seus ramos. Aos padres, irmãs, lideranças de todas as comunidades, pastorais e movimentos eclesiais. Vocês proporcionaram a festa. Nossos agradecimentos hoje e ao longo de nossa história. Muito obrigado.

    Seguem fotos que registram este momento.

     

     

     

     
  • CONVITE: ELES SÃO DOROTHYS

    Foto da Irmã Doroty   11ª ROMARIA DA FLORESTA

        21 a 24 de julho de 2016 em Anapu – Pa

     

     

       Objetivos da Romaria:

     

    » Celebrar e rezar pela vida, pela terra, pela floresta e pela luta.

    » Celebrar a memória da vida da Irmã Dorothy e as nossas lutas!

    » Celebrar as pessoas que têm dado sua vida na luta pela terra, pela paz e pelo sossego.

    » Gritar todos e todas juntos por justiça: que as autoridades ajam em prol da VIDA, PAZ e JUSTIÇA

    » Partilhar novas ideias, novos jeitos de olhar os problemas para construir novas saídas.

    » Trocar experiências, dar força e coragem um ao outro, uma à outra para começar a viver agora aquilo que sonhamos: Mundo de Justiça, Paz e Amor.

     

       Memória:

    Quem são eles?

    - Hércules: um jovem de 17 anos, ocupante do Lote 46, assassinado na Praça de Anapu.

    - Jesusmar: Pai de família, dono do Lavajato, dava apoio aos ocupantes do lote 83·

    - Zé do Lapada: Ocupante do Lote 83, líder na organização do povo, pioneiro de Anapu.

    - Ivanzinho: Parente de um ocupante do Lote 83, apoiava a ocupação.

    - Cosme: Morador antigo do Surubim, falou que apoiava o povo ocupando lote 83.

     

    O que todos tinham em comum?

    A luta pela terra, luta pela vida, o desejo para paz e justiça e defesa dos companheiros e companheiras.

    Eles irritavam os grandes pretensos donos de terras, que sempre querem mais terras.

    Mataram estes cinco homens exatamente como eles mataram Irmã Dorothy. A luta é a mesma.
    Tem outras pessoas que lutaram?

    E nossos jovens assassinados, envolvidos em roubo de motos, de casas. Eles estão ganhando desta atividade? Quem ganha?

    Como conseguir a verdadeira justiça? Comotirar nossos jovens destas atividades que leva à cadeia e morte para eles?

     

    Queremos Justiça!

    Até hoje não tem ninguém na cadeia para responder por estes crimes. As mortes continuam. Quantas pessoas têm sido assassinadas em Anapu desde janeiro de 2016?
    Tem gente na cadeia para estes crimes?

     

    Quando Irmã Dorothy foi assassinada, a justiça respondeu. Teve pessoas presas, julgadas e condenadas. O fato é que Regivaldo Pereira Galvão ainda está fora da cadeia, mas teve julgamentos. Nestes casos agora ninguém está preso, ninguém julgado, ninguém responsabilizado.

    Nestas mortes de 2015 e 2016 só tem impunidade. Está quase se tornando normal de resolver suas queixas matando. É isso que queremos que nossos filhos e nossas filhas aprendam?

    Houve uma passeata pela paz, houve um abaixo-assinado pedindo para as autoridades agirem. Mas até agora nada.

     

    E daí?

    Vem! Pense em novos jeitos de viver, novas linhas de ação!

     

    Futebol para jovens e adolescentes:

    Os pais vendo que drogas estavam circulando no campo dos homens, começaram um time de futebol para jovens e adolescentes, bem longe do campo dos homens.
    O time é campeão.

     

    Capoeira:

    Jovens que estavam já começando a se envolver com drogas, grupos de roubo e furto, foram convidados de treinar na Capoeira. Eles estão trocando faixas, ganhando o respeito da comunidade toda.

     

    O grupo de jovens:

    Reúnem de 15 a 30 jovens toda semana para conversar sobre os problemas, estudar, brincar, trocar de experiências.

     

    Quadrilha de Alto Bonito:

    Uma avó convidou crianças para formar ensaiar quadrilha. Contagiou a vizinhança. Acampamento: Famílias acampadas na beira da estrada de terra para ocupar reuniram e formaram termos de Bem Viver entre eles para viver na Paz e segurança.

     

    Quais outros exemplos que você está sabendo que mostram que já tem gente vivendo a Paz e Justiça e amor do qual sonhamos

     

    LEITURAS DA BÍBLIA PARA ENRIQUECER A REFLEXÃO:

    Apocalipse 6, 9-10
    1 Reis 21, 1-24
    João 6,1-15

    2 Reis 4,1-7
    Miqueias 3, 1-8

    Atos dos Apóstolos 3,1-10

     

    Escolham uma leitura cada vez nos encontros da comunidade.o.

    Qual é a esperança a partir destas leituras? Qual é a força que nós encontramos nelas? Como praticar estas leituras hoje?

     

    COMO SERÁ:

    Concentração no Centro São Rafael ao meio dia no 21 de julho. Saída às 15hs.

    Caminhada pela estrada da Santana e chegada no Lote 55, PDS Esperança no dia 23
    de julho. Missa de Encerramento com Dom João, novo bispo do Xingu, na Cruz
    onde Ir. Dórothy foi assassinada no dia 24 de julho pela manhã.

     

    TRAGA: rede e cordas ou barraquinha, prato, colher, copo, tênis, sapatos ou
    chinelos bem confortáveis!

    Comunidades preparam: teatro, canto, poesia, dança, declarações, cartazes!

     
  • Sessenta anos de Sacerdócio

    Quem não conhece Padre Frederico?! Ou, o Fred, como é chamado pelos mais próximos.

    Pe. Frederico, com 87 anos de vida, hoje, faz 60 anos de sacerdote, um testemunho vivo de sacerdote que doa a cada dia sua vida e seu amor, ao serviço e a missão a qual o Senhor lhe confiou.

    Muitos anos dedicados a nossa cidade de Altamira e outros municípios como Porto de Moz e  Medicilândia onde também foi o pároco por lá dividindo seu tempo entre os dois municípios por alguns anos na década de 90.

    Em Altamira, por muitos anos foi Vigário da Catedral e esteve a frente de vários trabalhos “Samaritanos” entre os quais foi responsável pela criação de vários Bairros e  igrejas em nossa cidade.

    Desde os tempos do Bispo Dom Eurico Krautler (antecessor de Dom Erwin) já era Vigário Geral da Prelazia (segunda pessoa depois do Bispo), ficando no cargo até o ano de 2009.

    Um exemplo de sacerdote,  de humildade  e de dedicação ao Povo de Deus aqui no Xingu! Nosso querido Fred está de parabéns, a ele nosso obrigado e o obrigado de todas as famílias que ele ajudou como Pastor e amigo.

     
  • 38ª CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini - Pe. Alírio Bervian 2ª carta - 9º Ano no Assurini

    JUNHO , JULHO E AGOSTO DE 2016

    Para não perder a memória lembramos os destaques da caminhada de:

    *Março: Em 05 de março foi a ordenação em São Luis do novo bispo do xingu- D. João Muniz Alves por D. Erwin e outros muitos bispos do Brasil (uns 20).

    * Na área quaresma- as voltas com a Campanha da Fraternidade- a questão ecológica: meio ambiente/Casa comum, nossa responsabilidade!

    *No Brasil manifestos pró e contra impeachment”! Povo nas ruas!

    * rodamos em várias paróquias como : Medicilândia, Brasil Novo e Anapu e na cidade de Altamira sempre em diálogo com os padres. Só trabalhamos acionados!

    Abril: No dia 3 de abril a posse do novo bispo do Xingu D. joão muniz Alves. Ainda há comunidades que não sabem o nome do nosso bispo. Antes teve os ultimos momentos nos conselhos de pastoral e presbiteral com D. Erwin, assim estamos vivendo um novo tempo com novas perspectivas.

    * vivemos o tempo pascal com encontros nos 3 núcleos sobre a questão do meio ambiente com o conselho de Pastoral Ampliado. Foram dados passos de articulação com os responsáveis. Os grupos de famílias (vizinhos) estão refletindo e agindo.

    * os políticos as voltas com “impeachment” da Dilma- 17 foi da câmara e já em 11/05 foi no senado.

    *Pe. Romildo , Pe. Hortêncio e eu (Pe. Alírio) estivemos de 19 _ 25 no 16º Encontro Nacional de Presbíteros em Aparecida do Norte com 554 padres do Brasil. O tema dói ' Alegria no anúncio do Evangelho”- documento do Papa. Aliás no dia 8/04 o Papa Francisco lançou um 3º importante Documento sobre a “ Alegria do Amor”; o 2º foi sobre a questão ecológica que a campanha da fraternidade destaca” Louvado Sejas , Meu Senhor- Laudato Si” e o primeiro “Alegria do Evangelho”.

    * Seguimos para o sul e tivemos muitos momentos de convívio, articulação e divulgação da caminhada no Xingu.

    *Maio: voltamos do sul no dia 7- Pe Romildo e Pe Hortêncio já no dia 02 de maio.

    *As mães em destaque e as mulheres e o Rosário nas intenções do apostolado, no dia 08 fomos no Itapuama- Assurini e na 10 em Brasil Novo com duas visitas

    * no dia 15 fomos do Anapu ( Surubim) ao Paratizinho do Assurini.*às segundas feiras estamos no Terço dos homens na St Clara.E convívio com os Padres.

    Como estamos conseguindo levar as decisões da VII Assembleia do Povo de Deus em prática?

    A Defesa da vida- faz- nos questionar sobre os problemas que sentimos em nossa comunidade, setor e núcleo e área pastoral. Este mapeamento acho muito importante . Diante disso será que chegamos a descobrir quais as causas desta problemática? Como aprofundar? Quem sabe o estudo do Profeta Miquéias nos ajudará nos encontros dos Conselhos Ampliados? E ai falta o agir- dar passos de solução, encaminhamento. Há problemas que podem ser resolvidos por nós mesmos, mas há outros que exigem articulações mais amplas e coletivas.

    A revitalização das nossas comunidades aí vai a pergunta: Que sinais temos que somos uma comunidade? O que realmente funciona? Culto? Grupos de vizinhos, dizimo? Catequese? Jovens? Estudo bíblico? Etc... Temos capela? Local de reunião? Lideranças? A liderança se reúnem? Enviamos pessoas para encontros de formação? Vejamos!

    A Juventude como vai? Que propostas temos ou eles tem? Como apoiamos? Será que não era bom lideranças realizar encontros em nossa área para motivar os jovens?

    A Pastoral Familiar era bom encontros de casais para conseguirmos lideranças e deslanchar uma caminhada.

    Os encontros dos Conselhos de Pastoral dos núcleos poderiam ver encaminhamentos concretos: Agosto – Família ...Outubro Jovens...

    As comunidades são como nosso corpo se a gente não o alimenta todos os dias ele morre. A lideranças deve ser criativa como a cozinheira que todos os dias prepara pratos diferentes ou os mesmos com sabores e temperos diferentes. Assim cada mês tem sua característica. No mês de junho os destaques são os mártires da caminhada e os santos populares: Santo Antônio, São João Batista, São Pedro e São Paulo. Certamente as escolas vão dar destaque. - Vamos participar!

    No mês de julho é férias e a Romaria da Irmã Dorothy- Romaria da Floresta. D. João estará lá no encerramento. Neste ano queremos dar destaque aos nossos mártires. Em fevereiro (12) estivemos no Anapu: morte de Dorothy- 11 anos. Na 20 – Juvenil em 29/04. Em agosto vai ser Dema – 25 . em 16 de outubro Pe. Tore (87). Em 27 de fevereiro Antonio e Manoel no km 90; às crianças emasculadas em Altamira. Assim tantos outros: o sangue derramado é semente na caminhada. Quem marcou a nossa comunidade área com a sua morte?

    No mês de Agosto – destaque são as vocações: Padres, Pais- Religiosos- Catequistas- Missionários. D. João está investindo na caminhada vocacional. As orações estão chegando: “ pedi ao Senhor da messe operários”- Disse Jesus” A messe é grande e os operários são poucos”. D. João está levantando a questão. Vamos começar pela oração em família, comunidades , grupos . O material vai chegar aí em sua comunidade.

    Prestação de contas:

    Gastos : 07/02 até 15/05

    Lanternagem 470,00

    Conserto do motor do Val 627,17

    50 xerox e copias de cd 56,75

    Balsas 774,00

    òleo 3.518,44

    Vinho e hóstia 65,00

    troca de óleos e filtros 300,00

    Lavagem 50,00

    Pneu- conserto 40,00

    oficinas e freios 320,00

    Total 6.220,36

    Entradas

    Assurini 1296,60

    Medicilândia 1347,80

    Altamira 76,00

    Anapu 509,50

    Brasil Novo 344,50

    Outros 78,00

    Total: 3.652,40

    Saldo Vermelho: 2567,96 ( Desta rodada)

    Total ficou em R$ 98.551,03 de vermelho. Estamos no 9º ano. Seja 99meses o que equivale a R$1000,00 por mês.

    Programas agendados : O que está agendado?

    MAIO

    20/05 seguir para acesso 6 (transunião) para o mutirão da construção da capela de São Benedito com várias pessaos da comunidade Santa Maria do Bom Sossego e outros.

    21 a 22/05 – Mutirão para construção da capela de São Benedito do Acesso 6 da Transunião.

    22/05- Pimentel- N. Sr Aparecida – 9h aniversário de falecimento de + Mateus , filho de Ian e Acácio- 4 anos. Sol Nascente - São Sebastião às 15h

    24/05Tarde e noite: Festa da Padroeira de Vitória do Xingu

    26/05 Festa do Corpo e Sangue de Cristo em Brasil Novo 8h

    28/05 na 20 Casa de Nair e Zezinho às 10h (Brasil Novo) Com. Pe. Fritz

    19h casa de Antônia e José em Altamira

    29/05 Bom Sossego – Stª Maria -15 h festa de aniversariantes

    30/05 -Almoço dos Padres com D. João na Bethânia

    JUNHO

    02-05/06 – Pe. Juquinha vai visitar as comunidades do núcleo Ressaca- o núcleo D. Erwin. Pirarara , Acesso 1- Pernambuco- Ressaca- Ilhas – Itatá e Novo Itapuama (PA-Ressaca)

    03/06- dia da Misericórdia para os presbíteros.

    MEDICILÂNDIA: 3/06 -80 Norte- Sagrado Coração de Jesus 18h

    04/06- 70 Norte- Monte Calvário-10h 75 Sul- São Pedro-16h

    05/06- 75 Norte (sítio de Pedro Paulo) 10h- Aniversário-

    Medicilândia Matriz- 19:30- Mãe dos Pobres

    11/06- 105 Norte- Stº Antônio-10h

    105 norte- S. José de Anchieta-16h

    12/06- 85 Norte- Santa Luzia 10h – tarde : Visita aos doentes e amigos

    Assurini:

    06/06-14:30 Aeroporto- chega Ir Helena Maria Gabai- Provincial das Ir de Vitória do Xingu

    13/06- Assurini – Cajueiro-16h

    16 - 19/06- Pe juquinha atende núcleo DEMA: Itapuama, Espelho- Raio de sol, Firma, Cajueiro, Lages, Picadão.

    16/06-Irmão Sol – Sítio das Ir Franciscanas- 18h, Aniversário ir Ignez e Ir Maria

    18/06-Raio de Sol – N. Sr das Graças-19h

    22-29- Pe. Juquinha no Núcleo CHICO MENDES:Assurini

    24/06 Ramal do Abacaxi ( Ramal dos Cocos)-19h Casa do João da Horta...

    25/06- Acesso 6 ( Transunião) São Benedito- 15h , aniversário da Antônia Maria – 50anos

    30/06- ida a Macapá com Marcia e Antônio Nilson- 70 anos do Pai Antônio,, no dia 02/07.

    JULHO

    1º a3°07- Leigos reunidos no Km90

    2/07- Pimentel- Cons. de Pastoral Ampliado: estudo do Livro de Miqueias

    03/07- Assurini – centro Ir Dorothy: Estudo do Livro de Miqueias- Cons. Pastoral Ampliado

    - em 1991- Foi eregida a Paróquia imaculada Mãe dos Pobres em Medicilândia.

    07 a 10/07- Encontro de formação dos catequistas Prelazia do Xingu- Bethânia- Retiro

    09/07- Ressaca- Cons Pastoral Ampliado- estudo do Livro de Miqueias.

    - na 10 Brasil Novo- 2 batizados na casa de Vanderlei ou de Marli ( Walace e Fernando)

    11-15/07-Assembleia Eletiva da CRB- Xingu

    14/07 Brasil Novo- 2º encontro de Pioneiros- até 17.

    Viagem a Ribeirão Bonito, Alta Cascalheira- São Félix do Araguaia.

    16 e17/07 – Romaria dos Mártires com o tema: “Profetas do Reino”. Há o santuário dos mártires em Ribeirão Cascalheira- São Felix do Araguaia.

    18/07 – Sítio irmão Sol- 18 h aniversário de Ir Cida (é no dia 22)

    21/07-11º Romaria da Floresta- Anapu até 24/07

    25/07 até 30- Retiro Preláticio- Bethânia.

    AGOSTO

    5/08 - Início das Olimpiadas -Rio de Janeiro-205 Países

    08/08- Sítio irmão Sol- 18 h aniversário de ir Eria

    14/08- Na8 – Brasil Novo- 18h Casa de Margarida (Fª Lourdes- Pediu)

    15 a 21/08 17º Congesso Eucarístico Nacional em Belém- estaremos lá.

    21/08- almoço com os padres da ANPB em Belém- Barcarena- Também padres do Regional da Comissão Regional com Pe. Carlos nosso presidente.

    22a 28/08 – Semana Missionária em Coroatá – MA- D. Sebastião Bandeira e Pe. Luiz Faustino

     
  • MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA SAGRADA COMUNHÃO

     

    A paroquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro desde o ano de 2015, vem preparando um grupo de leigos e leigas para assumirem o serviço de Ministros Extraordinários da Sagrada comunhão.
    seis deles receberam o envio pela primeira vez. Os demais, 24 que atuam nas sete comunidades da paróquia, renovaram o seu compromisso por mais 2 anos.

    Eis a missão dos ministros:

    - Leigos e leigas escolhidos para auxiliar os Padres na distribuição da Santa Eucaristia.
    - Para levar a comunhão aos doentes e pessoas idosas impossibilitadas de participar das celebrações nas comunidades, bem como, fazer visitas regulares aos hospitais.
    - Presidir o Culto dominical nas comunidades e as Exéquias (defuntos).
    - Expor e repor o Santíssimo Sacramento nos momentos de adoração.

     

    MINISTROS * EXTRAORDINÁRIOS * DA * SAGRADA * COMUNHÃO

    --

    COLABORADOR (A)

    COMUNIDADE

     

    01

    ALTANY BRASIL FÉLIX

    PERPÉTUO SOCORRO

    02

    ANA GOMES DOS REIS

    PERPÉTUO SOCORRO

    03

    DINALVA MOTA DE ALMEIDA

    PERPÉTUO SOCORRO

    04

    ELEUZINA TEIXEIRA DA SILVA

    PERPÉTUO SOCORRO

    05

    ELIVAN LEAL CARVALHO GOMES

    PERPÉTUO SOCORRO

    06

    MARIA COLDEBELLA DARONCH

    PERPÉTUO SOCORRO

    07

    MARIA DE FÁTIMA DA SILVA CARNEIRO

    PERPÉTUO SOCORRO

    08

    MARIA DE LOURDES NUNES

    PERPÉTUO SOCORRO

    09

    OLINDA MENEZES DA ROCHA

    PERPÉTUO SOCORRO

    10

    OSISMAR ALVES RIBEIRO

    PERPÉTUO SOCORRO

    11

    TEREZA RAQUEL SOARES LORENZONI

    PERPÉTUO SOCORRO

    12

    ZENÓBIA LÚCIA CRUZ COSTA

    PERPÉTUO SOCORRO

     

    13

    CREUZA SILVA ALMEIDA RODRIGUES

    SAGRADA FAMÍLIA

    14

    FERNANDO DONIZETE CINTRA MACHADO

    SAGRADA FAMÍLIA

    15

    VALDENY DOS SANTOS FRÓES

    SAGRADA FAMÍLIA

     

    --

    ------------

    SANTA CLARA

     

    16

    CORNÉLIO BEZERRA SOARES

    SÃO DOMINGOS

    17

    MARIA APARECIDA SERAFIM MORAES

    SÃO DOMINGOS

     

    18

    DOMINGAS PEREIRA DA SILVA MIRANDA

    SÃO FRANCISCO

    19

    LÚCIA DE TOLEDO BOZZA

    SÃO FRANCISCO

    20

    RAIMUNDA SOUZA BEZERRA

    SÃO FRANCISCO

    21

    ROSA MARIA DA SILVA

    SÃO FRANCISCO

     

    --

    ------------

    SÃO GASPAR

     

    22

    ELIZABETH LÚCIA SILVEIRA CARDOSO

    SÃO JOSÉ

    23

    ELOISA HELENA MATOS DE MEDEIROS

    SÃO JOSÉ

    24

    FRANCISCA MARIA DA SILVA

    SÃO JOSÉ

    25

    JOSÉ ARNALDO SILVA

    SÃO JOSÉ

    26

    MARIA DE NAZARÉ DA SILVA SANTOS

    SÃO JOSÉ

    27

    MARIA EULINA CAVALCANTE

    SÃO JOSÉ

     

    28

    DEONILZA JOSÉ DE LIMA

    SÃO LÁZARO

    29

    FRANCISCA LIMA MOTA

    SÃO LÁZARO

    30

    MARIA DO SOCORRO SILVA CARVALHO

    SÃO LÁZARO


     

     
  • Alegria e saudades - mistura indescritível!!

    São Luís, 31 de março de 2016

    Dom Frei João Muniz Alves, ofm

    É com uma mistura indescritível de alegria e saudades que aqui viemos para sua nova casa, A Prelazia do Xingu.

    Foram anos de convivência em nossa paróquia, em especial em nossa comunidade: a São Miguel Arcanjo. Com o senhor, aprendemos o sentido legítimo de ser franciscano: ser fraterno, manso, ouvinte e operário.

    A alegria, com a qual nos enchemos de orgulho, é grande e dupla! Pois, um filho de nossa paróquia, que muitos de nós vimos andar, aconselhar, concelebrar e trabalhar pela obra do Reino, é escolhido pelo Santo Padre para ser o sucessor dos doze Apóstolos. E também por termos a agradabilíssima certeza de que entregamos este pai amoroso para apascentar estas ovelhas tão queridas, rebanho este que nos encheu de fé, certeza e emoção quando hospedados em nossas humildes instalações.

    Já a saudade é aquela de saber, querido Frei, ainda não nos acostumamos com o Dom, que a possibilidade de nos encontrarmos com o senhor será bem menor. Mas, saiba, Dom João Muniz, que o seu jeito simples e único já conquistou o Xingu, de norte a sul.

    Seria aqui uma injustiça citar apenas alguns dos momentos de paz e luz que a sua presença como pai e pastor nos trouxe como pessoas e como comunidade. Portanto, mesmo que seja muito pouco, nos cabe aqui agradecer com todo o coração, em nome da Comunidade São Miguel Arcanjo, serva da Paróquia Nossa Senhora da Glória e São Judas Tadeu, da Arquidiocese de São Luís do Maranhão, por tudo que já fez pela Santa Igreja e por tudo que ainda fará!

    Que Deus o abençoe e o guarde, com a intercessão de São Miguel Arcanjo e São Francisco de Assis! Que Ele volte a Sua face misericordiosa para o senhor, sua missão e seu povo! Que Ele, o Altíssimo, lhe conceda um longo episcopado, cheio de bons frutos e, sobretudo, Deus!

    Como prova de nossa gratidão, eis o nosso presente para o senhor: São Miguel Arcanjo! Uma imagem daquele que temos certeza que lhe será um grande guardião, seu fiel defensor em todas as batalhas pelas quais passar.

    E com São Miguel, fechamos esta homenagem, dizendo: São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!

    Carinhosamente,
    Os protegidos de São Miguel Arcanjo

     
  • Missa de posse de Dom João Muniz Alves

    A posse do novo Bispo do Xingu, Dom Frei João Muniz Alves, foi um acontecimento esperado com ansiedade pelo povo católico da Região, mesmo num dia chuvoso boa parte desse povo esteve presente, para dar boas vindas ao Dom João e também agradecer ao bispo Dom Erwin pela sua caminhada junto ao povo desta imensa prelazia.

    Momentos iniciais: o povo acolhe Dom João e quer uma lembrança deste momento (uma fotografia) com ele. (adicionado o vídeo no fim da matéria)

     

     


    Enquanto os repórteres buscam informações dos bispos (Dom Wilmar Santin, Dom Pedro Contti)  arcebispos (Dom Alberto Taveira), mais pessoas chegam.


    E logo os bispos foram acolhidos para a celebração em volta do altar e o povo entusiasmado  recebe cada bispo que é anunciado por Dom Erwin.

     

    Mas falta chamar um bispo… Quem será? Nosso querido Bispo Dom João! Veio sorridente, tranquilo e em seu rosto a denúncia da felicidade de se sentir acolhido em sua nova casa pelos seus familiares, velhos e novos amigos da caminhada de evangelização.

     

     

    O Ginásio Poliesportivo em festa pode ver o novo bispo da Prelazia do Xingu em frente ao Altar, acolhido por Dom Erwin e demais bispos do Regional e do Maranhão e por todo o povo presente.

     

     

    Ato seguido: Dom Alberto Taveira dá a posse a Dom João, entregando-lhe a Mitra, o báculo episcopal e o conduz a cátedra e os sacerdotes manifestam obediência ao bispo (do mais antigos aos mais novos). E Dom João preside a celebração já como Bispo da Prelazia do Xingu.

     

     

     

    Dom Erwin chama os representantes dos povos indígenas que dão as boas vindas ao Dom João.

     

    A celebração bem organizada pela equipe de liturgia transcorre animada e com os olhares atentos do episcopado.

     

     

     

     

    Dom João fala ao povo que vem somar nos trabalhos de Evangelização que a Prelazia vem desenvolvendo.


    Momento da comunhão….


    Dom João recebe uma homenagem (que postamos em um novo artigo no site) de seus amigos do Maranhão e uma imagem de São Miguel Arcanjo.

     

    E ao final da celebração, Dom Erwin também recebe uma homenagem da Juventude como expressão da gratidão que todos tem pelo Bispo Emérito do Xingu.

     

     

     

     
  • 37º CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini
    Pe. Alírio Bervian 1ª carta - 9º Ano no Assurini
    MARÇO, ABRIL E MAIO DE 2016

    A Carta Aberta de nº 36 foi que fechou o 8º ano de presença e atendimento no Assurini. O dia exato foi 20/02/2008 quando cheguei a saber pelo Pe. Andoni que iria assumir o Assurini e Pe. Arcelino a Catedral. Assurini sem carro. A 1ª viagem foi com Isã- carro do bispo- às 10h do dia 26/02/2008. Balsa, 1º cafezinho no km 14, casa do Zezão. Almoço no Jó ( já faleceu), fomos para Ressaca- sempre procurando conhecer a área. Celebramos a 1ª missa e ensaiamos os cantos da Campanha da Fraternidade. No dia 27/02/08- fomos da Ressaca para o Espelho, deixamos uma programamação para o fim de semana. Desta vez foi conosco Valdete com o carro vermelho do Pe Gimário 29/02 até 02/03/08: Pirarara, Pernambuco, Itatá, Ilha da Fazenda, Ressaca, Dispensa 2 e Sol Nascente. A partir do dia 4/03/08- dia do falecimento da minha Irma Hilda. Atendi com o fusca de Pe. Bento. No dia 20/03/2016 celebrei o Domingo de Ramos com o povo do Acesso 1- São Gaspar. Celebramos o 8º aniversário, naquele ano em 16/03/08, atravessando águas até o nariz, com a mochila na cabeça e Dª Maria disse uma frase célebre: “ nunca um padre chegou aqui, no inverno!-”. Desde o 1º ano (2008) na 6ª f. Santa sempre foi na agrovila Sol Nascente: cada vez diferente. A 1ª Páscoa foi no travessão do Soldado e Novo Brasil (casa do Vavá)- o rio Ituna todo na estrada, o fusca mergulhou nos poções- estava comigo Paulo e seu filho e Lindomar, do Babaquara... “ inesquecível”. Na continuidade ajeitamos o carro que atendia Medicilândia ( tiramos praticamente do lixo) até conseguir com Projeto do Adveniat comprar o carro verde que era do Orlando da Turbo- 2ª mão e bem conservado- esteve a nosso serviço de outubro/2008 até agosto de 2015. Como é bom manter viva a memória! O povo constantemente lembra este tempo em que entraram no Assurini, esta conquista da terra, as dificuldades das estradas, das escolas, saúde , balsas. Lembram as pessoas que ajudaram a resolver os problemas como prefeitos, vereadores, secretários...as lideranças, os padres, as irmãs. É bom escrever. Aquinio contou das visitas que fez em tempos idos com o sindicato ( Julinho estava junto) e como tudo mudou! Hoje já temos 28km de asfalto e a promessa é levar até o Pimentel, que dá uns 70km, onde está surgindo aos poucos uma “ cidade”.


    O povo está pedindo esta memória e as perspectivas. Estamos festejando 40 anos no Xingu- a data foi 24/02/2016. Saímos do Sul em 16/02/1976. Já rodamos muito: dois períodos em Medicilândia ( 1976-1984 e 2000-2006).Brasil Novo de ( 1984-1994) Doze anos no Anapu ( 1986 a 1998). Vários anos no Belo Monte, 10 anos no Seminário ( 1990-2000) e de 2008 até hoje no Assurini. Agora vivemos desde a operação do coração (18/01/2013) uma situação de “ disponibilidade para quem quer a nossa ajuda”. No mês de novembro e dezembro houve muitos pedidos que foram divulgados na carta nº 36. É claro que houve muito mais visitas que não foram divulgadas. Estamos as voltas com a articulação de padres no nosso Regional Norte 2 (Pará e Amapá). Fomos a Santarém, Itaituba e Marabá (Paraupebas). Pe. Romildo , pároco de Vitória estava a frente. Em nível Nacional estaremos no 16º Encontro de Aparecida de 18-25/04/2016. A nossa Associação escolheu nova diretoria no encontro de Brasília de 15 a 18/02/2016- O Novo Presidente é o Pe. Maciel de Nova Iguaçu- RJ. Estou no Conselho Fiscal. Em janeiro houve encontro da fraternidade Charles de Foucauld. Estamos celebrando 100 anos da sua morte que aconteceu em 1º/12/2016- assassinado- Já foi proclamado Beato- Elci participu também. Eram 19 mulheres ao todo, uns 80 participantes. A viagem para o sul e a volta estava cheia de “supresas missionárias'”. Quando nos deixamos guiar por Deus, ele realmente nos envia a quem precisa. Como é bom saborear as supresas de Deus! As visitas à família, aos amigos, celebrando com as comunidades foi muito edificante. Já de volta pelo dia 05/02/2016 iniciamos nossas atividades aqui: visitas às comunidades e pessoas na cidade de Altamira e Assurini. E dia 12/02 11ºAniversario de morte de Ir Dorothy no Anapu e em Brasil Novo Comitê em defesa do Município ( 13/02). No dia 14/02 – ida para Brasília- volta no dia 19/02- Assembleia da ANPB ( Assoc. dos Padres do Brasil). No dia 19 e 26-28/02 e 11-13/03 estivemos atendendo Medicilândia- como é bom voltar para ver “ como ficou depois da minha morte (saída) ” Atendemos Brasil Novo 4 a 6/03, participamos do Curso de Leigos no Centro Barraco Queimado- 3 celebrações- Paulo Cesar, Paulo Jorge e Ailton como Assessores.visitamos muitas famílias , lideranças , doentes , articuladores e nessa ultima semana de 18-20/03 estivemos no Assurini- visitando , celebrando e programando a Semana Santa.
    A todos Feliz Páscoa – Já Ressuscitou – Aleluia!
    Cristo está vivo no meio de nós!
    Programas agendados : O que está agendado?
    MARÇO
    5ª feira Santa - 24/03/2016 às 10 hs no Acesso 6- São Benedito- Igreja nova
                 às18hs no Espelho – São benedito- Ceia – Lava-pés- Adoração
    6ª feira Santa - 25/03/2016 ás 15h Paixão do Sanhor- Sol Nascente- São Sebastião     segue Via Sacra como povo planejou.
    Sábado Santo - 26/03/16- às 18h Vigília Pasca l- no Bom Sossego- Fogo Novo
    Domingo de Páscoa 27/03/2016 às 9h Dispensa 2 – N. Sr de Nazaré- Páscoa do Senhor.
    No final de março temos conselhos “ de Transição”. Estamos aguardando a vinda do novo
    bispo D. João Muniz Alves que tomará posse em 03/04/2016 às 9h no Ginásio Poliesportivo
    da Brasília. Por isso nos dias 31/03. E 1°a 2/04/2016 estamos reunidos no Conselho presbiteral e pastoral. Dia 31/03 à noite haverá missa do Crisma, isto     é , a bênção dos Santos óleos para a administração dos sacramentos. A celebração será presidida pelo bispo d. Erwin, a pedido de D. João Muniz Alves. Gostaríamos de insistir e convidar: quem pode faça-se presente na posse do nosso novo bispo D. joão Muniz. Cada comunidade envie algum representante.
    ABRIL
        03/04- posse de D. João Muniz Alves às 9h no Ginásio Poliesportivo da Brasília - Bairro Brasília com almoço comunitário.
        09/04- das 9 -13h Conselho Pastoral Ampliado- Pimentel.
     10/04- das 9 -13h Cons. Pastoral Ampliado – Assurini- centro irmã Dorothy
        16/04- das 9 às 13h conselho Patoral ampliado - Ressaca
     16/04- Comitê em Defesa de Brasil Novo e as 17h no cemitério o 11º aniversário      da morte de Pe. Oscar .
        17/04- Viagem a Aparecida do Norte – SP- 16º Encontro Nacional dos Presbíteros, vou como convidado, fim : 25/04
        25/04-seguirei para o sul- renovar a carteira de habilitação
        21/04- Zé Pena completará 90 anos- Parabéns! Que pena! não Poderei estar- novo Brasil, volto do sul dia 06/05.
        29/04-Na 20 de Brasil Novo- às 19h . N. Sr aparecida- 26 anos da morte de Juvenil Pontes, “Sua morte libertou a 20”, disse a esposa Maria , foi depois que os vândalos com o apoio do então vereador Zé Biancarte e seus conparsas derrubaram a igreja da 20. Até hoje nada de justiça! ' Eles acharam que o boi do rico vale mais que o franguinho do pobre!
        30/04- três casamentos na Catedral de Altamira: Joise e Ulisses; Cesar e Marizete; Fernanda e Marcelo- 18h - filhas de Carlinhos que mora no Pimentel. Parabéns! Não estarei . Que pena!
     MAIO
        13-15/05- Conselho de Leigos no assurini- Paulo César e Roberto- Ressaca, Assurini e Pimentel.
        13/05- São Gaspar- Acesso 1- 16h
        15/05- Km 100 Sul – anapu-10h – St° Hisildoro- Dª Coleta pediu.
        *Continuamos disponíveis às solicitações. Pe juquinha tem sua programamção e sentimos que o povo está levandoa serio os encaminhamentos sobre: dízimo, valorização da Bíblia, organização interna da comunidade como catequese, jovens, grupo de vizinhos, culto e reuniões nos setores e as coletas e outros. Parabéns! Nós vivemos das coletas, doações , etc...Campanha dos R$100,00 ano. Os nicleo da área cada vez mais fortalecidos: Ressaca, Assurini e Pimentel com encontros , estudos, articulações e celebrações. Pimentel – domingo de Ramos; Assurini: Quinta feira Santa; Ressaca Domingo da Páscoa.
    PRESTAÇÃO DE CONTAS: até o final de 2015 , ou seja, 13/11/15 a 03/01/2016-
    Gastos:         R$ 4.003,40 Entradas:        R$4.420,75    
    Até que enfim alguma rodada sem estar no vermelho. E o carro novo menos gastos de oficina.
    Aos poucos com o carro que temos agora talves o vermelho vai ser reduzido. Atualmente ficou em R$ 95.983,07 ( sem salários) vermelho na área nesses 8 anos. Se a área encarar o dizimo quem sabe chegará a manter-se? É um desafio!
    Na Área Pastoral Assurini está acontecendo um campeonato com duas chaves: a chave ITAPUAMA iniciou com 9 times e a chave Chico Pium iniciou com 10 times. Nos dias 13/03/16 e vai concluir no dia 17/04/16. Os classificados das duas chaves vão decidir o 1º e o 2º lugar- O Campeão receberá como prêmio R$ 4.000,00 e o vice R$2.000,00. O jogo dos perdedores vão decidir o 3º e 4º lugar, recebendo respectivamente R$ 1.000,00 e um troféu. Este mesmo campeonato está acontecendo no lado esquerdo do rio Xingu (Altamira), os campeões vão jogar no Estádio Bandeirão em altamira. Cajá é o técnico do espelho esporte clube- está criando escudo do time. A SEMEL( Secretaria da Prefeitura) deu as camisas, a bolas, os prêmios e está acompanhando tudo. É um acontecimento que está envolvendo a área . Parabéns juventude!
    *Como vamos dar destaque ao ano da misericordia? Coloco-me a disposição para atender confissões individuais e celebrações comunitárias de penitências. Papa Francisco quer que aja uma reconciliação em todos os níveis. Onde alguém está mal com alguém deve trabalhar-se o perdão, a reconciliação.
    * A Campanha da Fraternidade deve continuar o ano todo em todas as caminhadas, com ações concretas sobre a Ecologia- ' Casa Comum” - nossa responsabilidade. ' os cantos são p/ encontros.
    *O mês de maio é importante mês das mães e da mãe de Jesus.
    Telefones de contato de Pe. Alírio: (93) 3515-2494 , (93) 3515-1761 e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
    Objetivo:“A Igreja, povo de Deus no Xingu, para ser fiel à missão profética e à prática libertadora de Jesus Cristo, ouvindo o clamor do povo e à luz da Palavra de Deus compromete-se com alegria a viver sua opção pelas/os excluídas/os, querendo ser acolhedora, samaritana, comunitária, orante e missionária, a resgatar os valores da família e a incentivar a iniciação à vida cristã no anúncio, no testemunho, no serviço e no diálogo, a caminho do Reino definitivo”.
    PRIORIDADES: Defesa da Vida, Renovação das CEBS, Juventude e Família.

     
  • Convite - Celebração de posse

    CELEBRAÇÃO DE POSSE DE DOM FREI JOÃO MUNIZ ALVES NA PRELAZIA DO XINGU


    A PRELAZIA DO XINGU tem a alegria de convidar você e sua família para acolhermos nosso Bispo Dom Frei João Muniz Alves, que vem do Maranhão para trabalhar junto ao Povo de Deus no Xingu. Será no dia 03 de abril de 2016 às 09:00 h no Ginásio Poliesportivo da Brasília

    Estarão presentes também os representantes de todas as comunidades da Prelazia, Dom Erwin, Padres, Irmãs, Irmãos e uma representação do povo querido do Maranhão da Arquidiocese de São Luís.

    Também se farão presentes os Bispos e Arcebispos:

    Dom Alberto Taveira Corrêa, Arcebispo de Belém
    Dom José Belisário Arcebispo de São Luiz MA
    Dom Roque Paloschi Arcebispo de Porto Velho
    Dom Bernardo Johannes Bahlmann Bispo de Óbidos
    Dom Dominique Mare Jean Denis You- Bispo de Conceição do Araguaia
    Dom Esmeraldo Barreto de Farias- Bispo Ax de São Luis MA
    Dom Flávio Giovenale- Bispo de Santarém
    Dom Pedro Contti- Bispo de Macapá
    Dom Teodoro Mendes Tavares- Bispo de Ponta de Pedras
    Dom Wilmar Santin,Bispo de Itaituba
    Dom Xavier Gilles de Maupeou d'Ableiges Bispo Em de Viana - MA

     

     

     
  • Ordenação de nosso Bispo Dom João Muniz Alves - OFM

    A Prelazia do Xingu está em sintonia com nossos bispos - acompanhamos com Fé e carinho esse momento tão importante para a Prelazia do Xingu.

     

     

    "Queridos irmãos e irmãs de Xingu, Paz e Bem!
    Agradeço a sintonia
     pela oração às vésperas de nossa Ordenação episcopal. Obrigado pelo 
    gesto carinhoso ao vosso novo pastor. Deus nos conduza para juntos 
    servirmos ao seu povo querido nesta Prelazia que tem uma história de 
    heroísmo cristão, de serviço dedicado no amor e na misericórdia pelos 
    necessitados de atenção e cuidado. Estamos juntos nesta missão.
    Meu fraterno abraço e bênção a todos."
    + Frei João Muniz, OFM

     

     

    Fotos coletadas ou enviadas a nós

    Publicado por Prelazia do Xingu em Segunda, 7 de março de 2016
    
     
     
  • Aniversário Ordenação Episcopal

    Parabéns, Dom Erwin Krautler! 35 anos de episcopado.

    Receba as felicitações do Povo de Deus do Xingu, seus amigos e amigas na caminhada.

    "Não sou um guerreiro que combateu com armas terrestres, mas com a espada do Espírito que é a palavra de Deus"...Enfim, pus mão à obra e tinha tanta boa vontade que consegui perfeitamente. Que felicidade poder dizer: "Estou seguro de fazer a vontade do Bom Deus".
    Eu não lamento a vida, oh, não! E minha vida é um ''único ato de amor! O Bom Deus me dá coragem na proporção dos meus sofrimentos. Faz-nos tanto bem, quando sofremos, ter corações amigos, cujo eco responde a nossa dor. A caridade é o caminho excelente, que conduz seguramente a Deus. Sou de tal natureza que o temor me faz recuar; com o amor não somente avanço, mas vôo..."  Santa Teresinha.
     

     
  • Entrevista com o Bispo eleito: Frei João Muniz Alves

    O povo do Xingu ama Dom Erwin Krautler, mas sempre soube pelo próprio bispo, que no Direito Canônico o bispo ao completar 75 anos deve pedir a renúncia do cargo ao Papa. Já faz mais de ano que Dom Erwin fez o pedido ao Papa Francisco e todos aguardavam ansiosos o anúncio do novo bispo. E saiu, como um presente de Natal antecipado ao povo a sua nomeação. Apesar de esperado o anúncio surpreendeu o senhor, bem no finalzinho do ano?

     

    As nomeações episcopais são sempre marcadas pela surpresa. Trata-se de um chamado de Deus e de uma resposta daquele que é chamado a uma missão específica que é evangelizar. Nos seus desígnios Deus sempre nos surpreende.

     

    A nomeação de um bispo tem um certo mistério para o povo, como foi a sua nomeação. O senhor sabia que era cogitado para ser o novo bispo do Xingu? Se sabia, desde quando? Por que o senhor resolveu aceitar?

     

    O processo de nomeação de um bispo é iniciado e conduzido pela Nunciatura Apostólica; envolve o bispo que apresenta sua renúncia, os bispos das dioceses vizinhas, sacerdotes, fiéis, a Cúria Romana e o Papa. O candidato ao episcopado deve preencher os critérios estabelecidos no Direito Canônico (Cân. 378).

     

    O chamado a ser bispo da Prelazia de Xingu foi surpresa para mim. Aceitei, com a certeza de que Deus nos conduz nesta missão de servir aos irmãos desta Igreja viva, atuante e defensora da vida com a força do evangelho de Cristo.

     

    O que sente sabendo que a Prelazia do Xingu é um complexo cultural, onde existem muitas nações indígenas e migrantes de todos os Estados do país?

     

    A Região do Xingu abriga uma diversidade de culturas e de interesses sócio-político e econômico que nem sempre respeitam os direitos humanos. A Igreja tem sido uma voz profética em favor da vida e das culturas autóctones ameaçadas. É uma região de grandes desafios e potencialidades.

     

    O senhor é Doutor em Ética Moral e professor, até sua ordenação foi Guardião dos Franciscanos... deve ter desenvolvido diversas atividades no desenvolver de sua vida pastoral, poderia falar um pouco sobre elas?

     

    Na minha Província Franciscana trabalhei vários anos na formação dos jovens candidatos à vida franciscana: mestre do Postulantado e do período de Pós-noviciado; nos últimos dois anos lecionei no Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (IESMA). Na pastoral trabalhei como vigário paroquial e pároco; na animação da Província colaborei como Definidor e Ministro Provincial. Eu gosto de estar com as pessoas.

     

    Quem é Frei João Muniz Alves, segundo o senhor mesmo?

     

    Frei João Muniz é um franciscano apaixonado por Cristo que se manifesta nos seres humanos e nas demais criaturas. Acredito que podemos construir um mundo melhor, onde os seres humanos serão amados e respeitados e “justiça e a paz se abraçarão” (Sl 85,11) em favor da vida.

     

    Ao dar seu Sim a exemplo de Maria, nossa Mãe, o senhor certamente não tem toda a dimensão do que lhe reserva mas tem a confiança em Deus para lhe apoiar em seus trabalhos junto ao Povo do Xingu. O que sonha fazer primeiramente na Prelazia do Xingu?

     

    Dei o meu sim ao episcopado confiando na bondade de Deus que ama e nunca nos abandona, na força do evangelho e na missão da Igreja. Em todas as partes do mundo a missão da Igreja é sempre a mesma: viver e anunciar o Evangelho de Jesus Cristo encarnado na realidade da vida. Cristo se encarnou, viveu, morreu e ressuscitou para realizar o plano de amor salvífico em favor da humanidade. Nossa missão é estarmos a serviço da vida como Maria, os apóstolos e todos os evangelizadores cristãos.

     

    O bispo é alguém comprometido com Deus e com o seu povo. Quero trabalhar junto às forças evangelizadoras da prelazia.

     

    *Entrevista exclusiva ao site da Prelazia do Xingu, por: João A. Garcia.

     
  • A família que escolhi é o povo do Xingu

    D. Erwin Kräutler: minha grande família que escolhi é o povo do Xingu

    Entrevista exclusiva concedida a
    João Carlos Pereira
    Especial para O LIBERAL


    Nunca pensei que entrevistar D. Erwin Kräutler fosse uma tarefa tão fácil. Liguei para a Diocese, querendo saber onde o encontraria, e fui informado de que estava visitando comunidades. A sugestão da secretária foi que enviasse um e-mail. O que poderia parecer um balde de água fria em meu propósito, rapidamente se transformou numa grande surpresa. Duas horas depois, D. Erwin já havia lido a mensagem e se colocava à disposição. Responderia as perguntas por escrito, porque, onde estava, nem sempre se consegue falar bem no celular.  Quando leu que sua renúncia gerou um grande fato jornalístico, se assustou e desejou saber “quais as razões”. Seria apenas uma rotina administrativa, prevista no artigo 401, parágrafo 1, do Código Canônico, se o renunciante em questão não se chamasse Erwin Kräutler. Ele possui histórico de vida tão raro quanto precioso, no campo social, entre os homens que se dispuseram a entregar (literalmente) a própria vida, seguindo a melhor tradição – da qual se fez digno herdeiro – dos apóstolos de Jesus, pela causa dos menos favorecidos. E quando a notícia é a de que se afasta, oficialmente, de uma missão tão importante, surge outra  interrogação tão grande, quanto a que se formou com o afastamento do cardeal Paulo Evaristo Arns da arquidiocese de São Paulo: o que vai ser  daqueles cuja voz era ouvida apenas pelas palavras de seu Bispo? A comparação não é desmedida. D. Paulo e  d. Erwin, assim como outros grandes Bispos brasileiros, como Hélder Câmara e Pedro Casaldáliga, por exemplo,  passaram a vida lutando, corajosamente,  pelas causas que abraçaram, sem jamais haverem perdido a dimensão da fé. (JCP)

    1 – O Papa aceitou sua renúncia um ano e meio depois do envio oficial do pedido. Nesse tempo, o senhor esperava que a Santa Sé – o próprio Francisco – solicitassem que permanecesse no cargo? Isso aconteceu com os cardeais Ratzinger e Bergoglio, que apresentaram renúncia aos homens que vieram a suceder, no trono de Pedro.
    Apresentei minha renúncia em carta ao Papa Francisco no dia 8 de julho de 2014 como o Direito da Igreja recomenda a um bispo que está completando 75 anos de idade. Poucas semanas depois veio a resposta. O Papa pediu-me que continuasse no cargo “nunc por tunc” (= “por enquanto”) até que fosse nomeado o meu sucessor. Passou um ano e meio até que isso acontecesse.
    2 Nesse período, o senhor continuou a trabalhar sem pensar no desligamento ou fez planos para quando chegasse o documento do papa, aceitando seu pedido?
    Continuei com minha agenda repleta de visitas programadas às comunidades e compromissos dentro e fora da Prelazia.
    3 O que pretende fazer agora. D. Erwin?  Ficará no Xingu, com Bispo Emérito, auxiliando seu sucessor, um franciscano que é professor de Teologia? Quais os seus planos?
    Terei o privilégio de ser o consagrante principal na ordenação episcopal de Frei João Muniz Alves que será meu sucessor como Bispo Prelado do Xingu. Ele precisará de um bom tempo para conhecer essa maior circunscrição eclesiástica do Brasil e assumir a sua missão de bispo numa realidade complexa e em parte também conflitiva. Não vou passar o cargo para ele e sumir do mapa. Um novo bispo não entra pela porta da frente e o seu antecessor sai na mesma hora pela porta dos fundos. Seria um absurdo. Se ele me escolheu como consagrante principal certamente conta ainda com minha ajuda de irmão até conhecer de perto as regiões, paróquias e áreas de pastoral, as diversas dimensões da Prelazia e também os desafios da Igreja do Xingu. Sem dúvida, haverá um tempo razoável de transição, mas sem transtornos. Estarei simplesmente à disposição de meu sucessor. Aliás, fiquei muito feliz com a nomeação desse frade franciscano que nasceu em nosso estado vizinho, no Maranhão. Laudato Sí – Que Deus seja louvado!
    Não faço planos. Sou secretário da Comissão Episcopal para a Amazônia presidida pelo Cardeal Dom Cláudio Hummes e assumi a função de coordenador da REPAM (Rede Eclesial Pan-Amazônica) no Brasil. Esses cargos continuam independentes da sucessão no Xingu. Além do mais recebi e recebo muitos convites para orientar retiros para Padres e Religiosas/os. Não me faltará trabalho e oportunidade de engajar-me nas diversas frentes de nossa Igreja. Aliás, nem consigo atender a todos os convites dentro e fora do país para falar sobre a Causa Indígena e a questão da Amazônia em diversos fóruns, seminários em nível nacional e internacional. Certamente não vou morrer de tédio, sem saber o que fazer. Deus me livre!
    4 O Pará é sua terra adotiva, como Belém foi a terra que adotou, até o fim,  D. Vicente Joaquim Zico,  seu irmão no episcopado. Um homem com duas pátrias (ainda que naturalizado), como se sente agora, quando está, pelo menos oficialmente, dispensado da missão de dirigir uma Diocese?
    Completei cinquenta anos de Xingu. Quando fui nomeado bispo, já vivia há quinze anos no Xingu. Sempre digo que sou “brasileiro nascido na Áustria”. Não fui mandado para o Xingu. A escolha e decisão foi minha. Quando à meia noite de 24 a 25 de novembro de 1965 cheguei em Belém a bordo de num navio cargueiro, sabia que ia ficar. Em 21 de dezembro de 1965 já estive em Altamira. Nunca me arrependi. Ninguém nega as raízes. Seria um absurdo, mas entendo-me hoje como xinguara. Identifico-me com essa região em que vivo há meio século e com seu povo. A maioria dos municípios do Xingu me outorgou o título de cidadão honorífico. Sou Doutor honoris causa pela Universidade Federal do Pará. E tem mais: Aposto que exista alguém que conhece o Xingu e o seu povo tão bem como eu. Visitei as comunidades em toda parte, fui até as cabeceiras dos igarapés e os fundos das vicinais da Transamazônica. Andei pelo Alto e Baixo Xingu. Visitei aldeias indígenas e as comunidades mais distantes. 50 anos não são 50 dias! Com tudo isso, quem ainda ousaria duvidar que sou do Xingu. Nunca me apresentei como “austríaco”. Sempre digo que sou do Xingu. Nasci na Áustria, sim, mas vivi e vivo a minha vida aqui. Não tenho planos de voltar definitivamente à Áustria. É perigoso transplantar uma árvore velha. Se o fizer, ela vai murchar, perder as folhas e lentamente morrer.
    5 Onde mora sua família? Seus amigos estão todos no Pará? A gente do Xingu, os índios, eles são sua família? Penso que o senhor pode dizer como Jesus: “minha mãe e meus irmãos são os que fazem a vontade de Deus”. Onde estão os “seus”, D.  Erwin?
    Tenho minha família em dois níveis. A biológica, é claro, e a família que escolhi. Meus pais, Deus já os recebeu nos prados eternos. Morreram idosos, ambos no mesmo ano. Mamãe foi primeiro aos 91 anos em janeiro de 2004, papai seguiu aos 94 anos em maio daquele ano. Tenho irmãos e irmãs, sobrinhas, sobrinhos, cunhadas, cunhados e muitos primos e primas, inclusive no Brasil, já que meu tio, irmão da minha mãe, casou aqui. Somos uma família tradicional com muitas ramificações. A primeira informação sobre um antepassado com meu sobrenome e no lugar em que eu nasci, é do início do século XV.
    Mas minha grande família que escolhi é o povo do Xingu. É minha gente. Esse povo me acolheu com muito carinho quando cheguei, com a idade de apenas 26 anos, Padre recém-ordenado, cheio de entusiasmo. Em todos esses anos senti sempre o carinho do povo do Xingu. Quando fui ameaçado de morte por alguns mafiosos que não aceitaram o meu empenho intransigente em favor dos pobres, dos índios, os atingidos pela barragem, ou queriam vingar-se porque denunciei injustiças e violências e apontei ainda os criminosos que abusaram de meninas do colégio, o povo reagiu imediatamente e tomou partido em meu favor. Havia faixas dizendo: “Dom Erwin, nós te amamos!” Quantas “declarações de amor” recebi e continuo recebendo. Onde chego em visita a uma comunidade, o povo me abraça, beija, quer pousar comigo para fotos. A turma jovem bate  “selfies”. E no final da visita, sempre a mesma pergunta: “Quando vem de novo?”. Quantas despedias com lágrimas! Alguém ainda dúvida, quem é minha família?
    6 Sabe-se que o senhor é um homem de hábitos simples, que deu a vida pela causa que abraçou. É padre no melhor sentido do termo. O que não pode fazer, enquanto Bispo, que pretenda fazer agora?
    Continuo bispo, só deixo de ser o titular da Prelazia do Xingu. Há coisas que há muito tempo queria fazer e não tive condições de fazê-lo. O arquivo da Prelazia precisa urgentemente de uma atenção especial. Acumularam-se muitos documentos e cartas. Sempre gostei de escrever, mas na maioria das vezes foi quase que “sob pressão”. Queria ter tempo para contar tantas histórias vividas ao longo desse meio século.
    7 Belo monte foi a causa em que, recentemente, mais se engajou. O mundo inteiro ouviu sua voz, protestando contra a construção da usina. Menos, ao que parece, o ex-presidente Lula e a presidente Dilma. Belo Monte é agenda proibida com a Presidente? Quando soube que não poderia tratar desse tema, o senhor desistiu do encontro. O que vale a pena conversar com ela?
    Belo Monte já é uma realidade. Lutamos por décadas contra esse projeto e não conseguimos evitar a sua realização. Estive duas vezes com Lula, em 19 de março e 22 de julho de 2009. Naquelas audiências tive ainda esperança de poder reverter o quadro. Na segunda audiência éramos dez pessoas: indígenas, ribeirinhos, procuradores da República, Dr. Célio Berman da USP e a mulher mais empenhada na luta em favor da Amazônia e de seus povos que conheci em minha vida, a minha comadre Antônia Melo. Foi naquela oportunidade que o Lula me segurou no braço e falou aquela frase que virou até manchete: “Não vamos empurrar esse projeto goela abaixo de quem quer que seja!”. Falou ainda que Belo Monte, se for realizado seria totalmente diferente de outros empreendimentos deste tipo. Ele não pretendia repetir Balbina que chamou de “monumento à insanidade”. Lembrou ainda a grande dívida que o Brasil tem com os atingidos de outras barragens e finalizou dizendo que Belo Monte só será feito “se for do agrado de todos”. Naquela hora fiquei eufórico. Acreditei na sinceridade do presidente. Só mais tarde dei-me conta de que todas as palavras do presidente foram mera encenação. Falou o que o bispo queria ouvir. Quando descobri que fui traído, fiquei com nojo! Como presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) tentei ainda um contato com a Dilma. Mas soube que, se Belo Monte constasse da pauta de assuntos a serem tratados com a presidente, ela mandaria cortar imediatamente, pois Belo Monte é fato consumado. Quem se prontificou a receber-me em audiência foi o Ministro da Secretaria-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. Foi agendada a audiência. Mas poucos dias antes da data marcada, em um evento promovido pela Pastoral Social da CNBB, Gilberto Carvalho foi categórico em anunciar em alto e bom som que a construção de Belo Monte está decidida e essa decisão é irreversível. O que eu iria ainda fazer lá no gabinete desse homem? Pousar para uma foto ao lado de um sorridente ministro como prova do “diálogo” entre o governo e o bispo do Xingu? Não fui! Fui eu quem cancelou a audiência.
    8 O ex-presidente Lula prometeu diálogo, respeito às pessoas e que a usina só sairia do papel se fosse do agrado de todos. Isso não aconteceu. Parece que tudo que ele prometeu foi para ser agradável ao senhor. Deve ter ficado uma grande mágoa por haver ser sido iludido por um presidente da República...
    Soube depois da segunda audiência em 22 de julho de 2009 que a equipe que cerca o presidente já havia questionado a concessão de uma audiência ao bispo do Xingu, alegando tratar-se de “agenda negativa”. Mas Lula manteve o que prometeu em 19 de março. Garantiu efusivamente a continuação daquilo que ele chamou de diálogo. Foi marcado um outro encontro para outubro do mesmo ano. Passei no final de outubro de 2009 uma semana em Brasília aguardando ser chamado para um novo “diálogo”. Cada dia recebi um telefonema do planalto dizendo que “hoje não dá, talvez amanhã”. Na sexta-feira Gilberto Carvalho me telefonou às 21:30 avisando que “lamentavelmente” não daria desta feita eu ser recebido pelo presidente pois ele partiria para Venezuela para encontrar-se com Hugo Chávez. Na minha ingenuidade ainda acreditei no “diálogo” até que finalmente descobri que fui gentilmente convidado a cair fora.
    9 Belo Monte já é uma luta perdida. Como o senhor se sente, depois de haver alertado o planeta para os desastres ambientais que a construção da usina provocaria e, sobretudo, para os dramas humanos? Como o senhor vê o quadro, agora irreversível, das pessoas que vivem na região da usina? As casas, pelo menos, oferecem condições dignas de moradia?
    Muitas vezes me perguntam, se eu não estava tremendamente frustrado e decidido de pendurar as chuteiras de uma vez, já que não fui, ou melhor, já que não fomos vitoriosos em nossa luta. Primeiro não me entendo como derrotado, de jeito nenhum. Como bispo cumpri minha missão. Quem se deixa orientar pelo Evangelho não faz depender o seu engajamento em favor dos irmãos e irmãs da certeza da vitória, já previamente garantida. Aliás, a execução de Jesus na forma mais cruel que a antiguidade conhecia é aparentemente um atestado insofismável do fracasso total e absoluto de sua missão. De fato, os sumos sacerdotes e anciãos acharam que com a morte de Jesus toda a sua mensagem fosse varrida de uma vez da face da terra. No entanto, da cruz saiu a maior revolução de todos os tempos, a revolução do amor. É bem interessante também a palavra de Mahatma Gandhi: “A satisfação está no empenho, não no sucesso. Empenho total é sucesso total”
    As casas construídas para as famílias compulsoriamente desalojadas e arrancadas de sua terra são bonitinhas por fora e apertadas por dentro. São planejadas nos gabinetes de Brasília e não levam em conta a índole do povo paraense e amazônida e as  peculiaridades climáticas da região. Mesmo que têm mais uns poucos metros quadrados inserem-se no estilo das gaiolas denominadas “Minha Casa – Minha Vida”. São uma agressão à cultura habitacional do paraense, do amazônida, pois não levam em conta os costumes do povo que vive aqui. A tradicional hospitalidade amazônida que sempre acha mais um lugar em casa para atar a rede para um familiar, parente ou amigo, é brutalmente massacrada. Imagine-se só um casal com talvez dois filhos diante do pai ou da mãe que vivem no interior e vem a Altamira para se tratar e logicamente se dirigem à casa de seu filho ou filha para hospedar-se. O filho, a filha terá que repetir a sentença do dono da pensão em Belém quando Maria e José procuraram abrigo: “Aqui não tem lugar!”.

    10 O senhor consegue dimensionar o tamanho do prejuízo que os povos indígenas tiveram, histórica e continuamente, na Amazônia, desde que aqui chegou, em 1965, como padre recém-ordenado?
    Lamento que os povos indígenas que até agora viviam na Volta Grande do Xingu não têm condições de sobreviver em suas terras. Não sei se vão sobreviver fisicamente. Culturalmente sei que não! Os grandes projetos governamentais são todos anti-indígenas. Não levam  em conta a presença, desde tempos imemoriais, destes povos. O  sujeito da história é o projeto, não um povo.
    Mas vivi nas décadas passadas também uma experiência muito positiva e gratificante. Desde que cheguei à Amazônia nutri uma afeição especial pelos povos indígenas. Nunca me esqueço da ducha fria que levei quando como padre recém-chegado perguntei pelos Kayapó e um cidadão me respondeu que deveria “largar de mão esses caboclos” e ainda acrescentou: “Se Deus quiser, daqui a vinte anos não sobrará um deles!” Naquela hora jurei comigo mesmo que no que depender de mim lutaria sem trégua em favor dos povos indígenas, pela sua sobrevivência, sua cultura e pelo direito às suas terras ancestrais. Já em 1983 fui pela primeira vez eleito presidente nacional do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Exerci essa função por quatro mandatos. Uma das maiores vitórias que registro em minha vida foi a inscrição dos direitos indígenas na Constituição Federal de 1988. Foi fruto do empenho do Cimi e da Igreja Católica junto com os povos indígenas. Através de inúmeros encontros com os deputados constituintes, conversas e palestras, inclusive no Congresso, conseguimos finalmente uma votação favorável ao capítulo “Dos Índios” (Art. 231 e Art. 232). No dia 1º de junho de 1988, o plenário da Assembleia Nacional Constituinte aprovou a redação do capítulo específico sobre os direitos indígenas. No segundo e último turno de votação plenária, na sessão de 30 de agosto de 1988, de 453 votos, o capítulo sobre os índios obteve 437 votos favoráveis, 8 abstenções e 8 votos contrários.
    Lastimo agora ter que constatar que através da PEC 215/2000 a poderosa bancada ruralista no Congresso declarou guerra às conquistas de 1988, querendo alterar os parâmetros constitucionais.
    11. Quando aqui chegou, há exatos meio século, a Igreja era governado pelo, agora, beato Paulo VI, que cuidava de dar vida às decisões do concílio convocado por seu predecessor, o agora São João XXIII. O Concílio não mudaria apenas o rito da missa, mas muita coisa deveria ser alterada. O que, se dependesse de sua forma de ver a vida, poderia ser mudado nas relações da Igreja com o mundo e da Igreja com seus padres e freiras? A manutenção do celibato é tema proibido ou deve ser revisto pelo papa?
    Não considero o tema “celibato” um tema proibido. É um fato que muitos bispos falam sobre o assunto e não apenas “à boca pequena”. Concordo que se trata de um tema delicado que dá margem para muitas interpretações, às vezes até bastante equivocadas. Quero, porém, colocar os pingos nos is. A decisão por uma vida celibatária é decisão de um homem ou de uma mulher que opta livremente por esse estado de vida. Ninguém tem direito de forçar alguém a tomar essa decisão como ninguém pode obrigar um homem ou uma mulher a se casar. O celibato tem um valor imenso quando é assumido voluntariamente “por causa do Reino” (Mt 19,12). Pessoalmente não poderia imaginar-me fazer o que fiz ou expor-me do jeito como tive que me expor, enfrentar circunstâncias adversas como tive que enfrentar e suportar até ameaças à minha vida se tivesse mulher e filhos. Pelo menos na hora das ameaças teria que tomar a decisão de sair da conjuntura hostil e lembrar-me da primeira responsabilidade como esposo e pai de família. A família sempre teria que ser a prioridade número um.
    O celibato se torna “problema” quando é acoplado à Eucaristia que, segundo as atuais leis e normas da Igreja, pode só e exclusivamente ser presidida por um homem celibatário. O Vaticano II (1962-65) afirmou que “nenhuma comunidade cristã se edifica sem ter a sua raiz e o seu centro na celebração da santíssima Eucaristia, a partir da qual, portanto, deve começar toda a educação do espírito comunitário” (PO 6). A Constituição Dogmática “Lumen gentium” do mesmo Concilio fala da Eucaristia como “fonte” e “ponto culminante de todas a vida cristã” (LG 11). É portanto urgente que a Igreja cria estruturas para que os 70% das comunidades da Amazônia que só tem acesso à Eucaristia duas ou três vezes ao ano possam ter acesso à celebração eucarística dominical.
    O “problema” não é o celibato em si que é uma graça, mas a exclusão de milhões da celebração eucarística dominical por causa de estruturas perfeitamente modificáveis.
    12 É verdade que o senhor pediu ao Papa permissão especial para ordenar homens casados, uma vez que há uma carência enorme de sacerdotes em sua Diocese, onde há 800 comunidades e apenas 27 padres. Qual foi a resposta da Santa Sé? Se é que houve resposta.
    Nunca pedi ao Papa explicitamente uma “permissão especial para ordenar homens casados”. Que eu tivesse feito um pedido nestes termos foi uma interpretação que apareceu em alguns jornais. Na realidade falei na audiência particular que o Papa Francisco me concedeu em 4 de abril de 2014 sobre as “comunidades sem eucaristia”. O Papa falou então aquela frase que também virou manchete. Ele me disse que espera dos bispos “propostas corajosas”. Voltando ao Brasil relatei na Assembleia Geral de 2014 em Aparecida aos bispos reunidos o que o Papa me havia dito. Em seguida a Presidência da CNBB constituiu uma comissão que está estudando e elaborando propostas “corajosas” que oportunamente podem ser submetidas ao Papa Francisco. Espero apenas que isso aconteça o quanto antes.
    13 Na sua opinião, como deveria ser a ação da Igreja, hoje, numa terra continental como a Amazônia, onde algumas denominações ditas “evangélicas” avançam rápida e (desculpe o termo) predatoriamente sobre a consciência católica?
    Minha experiência é que, quando alguém participa e se engaja em sua comunidade e a comunidade está funcionando realmente na sua dimensão samaritana e profética, se entendendo como a família das famílias em que todas e todos tem vez e voz, e ainda tornando-se espaço para a meditação da Palavra de Deus e de oração e celebração é muito raro um membro se despedir e mudar para uma outra denominação.
    14 Padres casados são uma solução paliativa um futuro inevitável para a Igreja?
    Mais uma vez, não se trata de padres casados ou não. O cerne da questão é o acesso dos fiéis à Eucaristia.  
    15. O Papa Francisco tem conseguido fazer com que as pessoas pensem, pelo menos, na misericórdia de Deus para com as minorias, como os gays; ou para com mulheres que praticaram aborto. É a Igreja se abrindo ao mundo para acolher os que, até então, viviam à margem. O que o senhor pensa sobre isso? Como sua vivência entre povos indígenas e a gente simples do interior do Brasil, com poucos direitos à cidadania e à dignidade de vida,  fez o senhor pensar esses temas?
    A história do Bom Samaritano que Jesus contou (Lc 10, 25-37) é para mim o paradigma para entender o que significam compaixão e misericórdia. Compaixão é um estado emotivo, um sentimento afetuoso do tipo: “Coitadinho!” “Dá dó ver o pobrezinho!”. Misericórdia é a compaixão traduzida em ação, em solidariedade, em amor que se doa sem nada esperar em troca.  O detalhe está no original grego do Evangelho de São Lucas, onde a pergunta de Jesus não é “quem foi o próximo” como erroneamente quase todas as edições da Bíblia traduzem. Jesus pergunta: “quem tornou-se próximo?”. Ser próximo é a constatação de alguém estar bem perto de outrem. Tornar-se próximo implica numa decisão conscientemente tomada de aproximar-se de outra pessoa, no caso da história do Evangelho, de quem foi assaltado e está necessitando de primeiros socorros. Não importa quem é, de onde vem, a que raça pertence, que religião professa. Basta que esteja sofrendo, basta que esteja precisando de nosso auxílio, de nosso apoio.
    É essa vocação da Igreja, de cada cristão e cristã: tornar-se próximo. Em primeiro lugar nunca fica o julgamento ou uma possível condenação. A “aproximação” em termos de ajuda, carinho, compreensão tem sempre a primazia. Defendo a vida desde a concepção até o desenlace natural de uma pessoa. Mas defendo também que as mulheres em situações de risco sejam amparadas e tenham alternativas concretas para evitarem o pior, a morte provocada do neném debaixo de seu coração. Quando se fala em aborto, geralmente só se pensa na mulher. Tantas vezes fica sozinha no seu dilema, entregue à própria sorte. Cadê o homem que engravidou a mulher? Está palitando os dentes em qualquer esquina da rua como se nada tivesse acontecido! Existe ainda, e muito, essa desgraça de machismo.
    Quanto aos indígenas, a misericórdia se traduz em defesa de seus direitos constitucionais e numa sensibilidade toda especial para com os primeiros habitantes desta terra. Atitudes ultrajantes e racistas continuam a existir e são muitas vezes cultivadas no seio da família. Se para os pais os índios são “caboclos” e “selvagens” quem vai evitar que os filhos tenham a mesma compreensão? Grande parte do material didático de nossas escolas tem que ser revisado.
    16. São João Paulo II foi duro com o ex-presidente Sarney, quando disse que a reforma agrária no Brasil não poderia fracassar, porque era uma questão de direitos humanos. O que fez a Igreja para que esse processo não parasse de vez?
    Fico intrigado como a questão da “reforma agrária” desapareceu da pauta do governo. Foi durante anos a bandeira prioritária do PT que inclusive ajudou o Lula ganhar a eleição. De repente nem é mais assunto de pauta nos Encontros Nacionais do PT. É uma das grandes decepções que carrego comigo: um partido que assumiu compromisso com as causas dos menos favorecidos no Brasil, especialmente os trabalhadores no campo e os operários debandou para o outro lado, fazendo alianças com o latifúndio e o agronegócio. Parece-me que para  garantir a governabilidade os políticos hoje estão prontos para fazer aliança até com o diabo.
    Ainda bem que a Igreja Católica nunca abandonou essa causa. Sempre de novo a questão agrária estava na pauta de assuntos das Assembleias Gerais da CNBB. E a Pastoral de Terra (CPT) continua firme na defesa dos direitos dos agricultores e denuncia vigorosamente todo tipo de crimes no campo, desde a manutenção de empregados em regime de escravatura até os assassinatos brutais a mando do latifúndio. No caso da questão indígena o CIMI é hoje criminalizado por defender os direitos dos indígenas às suas terras ancestrais, ancorados na Constituição Federal em vigor. No Mato Grosso do Sul uma deputada estadual inventou uma CPI do CIMI que corre atualmente naquela Assembleia Estadual. Que inversão de valores!
    17 O papa Francisco – cuja simplicidade, na casa Santa Marta, onde teve um  encontro privado com o Pontífice, que o deixou muito impressionado pela simplicidade – escreveu uma carta encíclica sobre ecologia. O senhor acha que ele continua pregando no deserto, como João Batista?
    O encontro que tive com o Papa não ocorreu na Casa Santa Marta, mas na biblioteca do Palácio Apostólico. Passei quatro dias na Casa Santa Marta onde pude realmente apreciar a simplicidade do Papa Francisco. Vi como entrou à noite no refeitório e pegou o seu prato como qualquer hóspede para servir-se no buffet. Num outro dia vi-o chamar e aguardar o elevador, os guardas suíços em discreta distância.
    Estou convicto de que a Encíclica Laudato Sí influenciou a 21ª Conferência do Clima (COP 21) realizada há poucas semanas em Paris. Aliás, esta encíclica também tornou-se um ponto alto em minha vida de bispo na Amazônia quando descobri que minhas sugestões a respeito da Amazônia e dos Povos Indígenas apresentadas naquela memorável audiência foram contempladas nos números 38 e 146.
    Pode ser que o Papa é ainda uma voz no deserto, mas ninguém nega que ela repercute e  muito e não será mais calada.
    18 O senhor ainda consegue acreditar num Brasil que não para de produzir notícias sobre a corrupção e a incompetência dos governos para agir em favor da vida dos que mais necessitam?
    “A esperança é a última que morre” é um ditado popular. Continuamos a sonhar com um Brasil diferente. Aqui e acolá surgem fatos concretos. O “Lava-jato” já é um indicativo de mudança. Esses “cabra ruim” que lesaram o Brasil e os brasileiros hoje pelo menos são indiciados e quem nem em pesadelo sonhou com prisão está hoje vendo o sol quadrado. É pena que tudo anda tão devagar que às vezes se perde a confiança. Será que de novo tudo vai acabar em pizza? Como um presidente da Câmara de Deputados comprovadamente corrupto e mentiroso pode ser manter no poder? São perguntas que cada um de nós se faz.
    Mas mesmo assim, mais uma vez:  “A esperança é a última que morre”
    19 Agora que já não é mais responsável por uma Diocese, pensa em dispensar a proteção policial que o acompanha 24 horas por dia, até ir a um aniversário? Já se sente livre para ser livre ou a Amazônia, inclusive nesse sentido, continua a ser um lugar perigoso para pensa em Justiça Social como o senhor?
    Não fui eu que pedi a proteção pessoal. Pelo contrário me opus e só aceitei diante da insistência de quem “sabia mais que eu” e me recomendou encarecidamente que aceitasse a decisão do governo. Assim cabe também à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República com seu programa de Proteção dos Defensores de Direitos Humanos a encerrar a proteção especial.
    Não vejo atualmente nenhuma razão de manter a proteção. Mas, como um superintendente da polícia me falou: „Quando tudo parece tranquilo, mesmo assim nunca se sabe o que essa gente está tramando“
    20 Para finalizar, D. Erwin: o senhor conheceu outras irmãs (ou irmãos) como trabalho e coragem semelhantes ao de  Dorothy Stang em sua caminhada como padre ou como Bispo, que corram os mesmos riscos da missionária assassinada em 2005?   
    Conheci, sim, pessoalmente o Dema, Ademir Alfeu Federicci, casado com Maria da Penha e pai de quatro filhos assassinado na madrugada de 25 de agosto de 2001 em sua casa. Caiu morto aos pés de sua mulher. “Maria cuide de nossos filhos!” teriam sido suas últimas palavras. Morreu pela mesma causa que foi a razão do assassinato, uns anos mais tarde, de Irmã Dorothy Mae Stang.
    Irmão Humberto Mattle foi morto no corredor da Casa da Prelazia em que moro. O motivo verdadeiro de seu assassinato à queima-roupa ninguém sabe até hoje.
    Já em 28 de abril de 1985 Irmã Cleusa Rody Coelho foi barbaramente executada. Conheci-a do Cimi. Dedicou a sua vida aos Apurinã, na Prelazia de Lábrea, AM. A autópsia revelou que foi espancada até a morte. Todas as suas costelas estavam quebradas, seu crânio fraturado.
    Diante dessas e outras mortes bárbaras sempre lembro a palavra que se encontra na Primeira Carta de São João: “Nisto conhecemos o amor que Ele deu sua vida por nós. Também nós devemos dar nossas vidas pelos irmãos e as irmãs" (1 Jo 3,16).

    Porto de Moz, 30 de dezembro de 2015

     
  • Breve notícia sobre a ordenação episcopal do bispo eleito Frei João Muniz Alves OFM

    Na medida que temos novidades vamos informando: sobre a ordenação episcopal do bispo eleito Frei João Muniz Alves OFM:

    Por enquanto estão só definidas as datas para:

    - Ordenação Episcopal no dia 5 de março de 2016 às 17 h (local ainda por marcar) em São Luís do Maranhão. Ainda faltam os demais detalhes.

    - Posse do novo bispo do Xingu em Altamira no dia 3 de abril de 2016 às 09 h (local ainda por marcar), sede da Prelazia. Aqui também ainda faltam os detalhes.

    Em cada sagração episcopal tem o consagrante principal. Quem o escolhe é o candidato, o bispo eleito escolheu Dom Erwin como consagrante principal.

     
  • Bispo eleito - Frei João Muniz Alves - OFM

    Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito, alegrai-vos!

    Vossa bondade seja conhecida de todos.

    O Senhor está próximo.

    Não vos inquieteis com nada; mas apresentai a Deus

    todas as vossas necessidades

    pela oração e pela súplica, em ação de graças.

    Então a paz de Deus, que excede toda a compreensão,

    guardará os vossos corações e pensamentos, em Cristo Jesus“

    Fil 4,4-7

     

     

    Irmãs e irmãos, Padres, religiosas e religiosos,

    catequistas e dirigentes de comunidade,

    Povo de Deus do Xingu,

     

    Neste momento histórico para a Igreja do Xingu convido a todos a deixar-se inspirar pela recomendação de São Paulo Apóstolo aos Filipenses: a alegria no Senhor, a certeza da presença do Senhor em nosso meio como Deus-conosco, o apelo à bondade e misericórdia e, finalmente, a confiança em Deus “pela oração e pela súplica” e “em ação de graças”.

     

    Seguindo o que pede o Direito Canônico (Can. 401 § 1) escrevi em 8 de julho de 2014, poucos dias antes de completar 75 anos de idade, uma carta ao Papa Francisco e apresentei-lhe a renúncia à minha missão de bispo do Xingu. Em resposta à essa minha carta, o Papa solicitou que continuasse no meu ministério de bispo da Prelazia do Xingu até a nomeação de um sucessor.

     

    Desde então passou um ano e meio. Hoje, porém, dia 23 de dezembro de 2015, antevéspera do Santo Natal do Senhor, às 12 horas do Vaticano, 8 horas no Xingu, foi divulgada a esperada nomeação de quem me sucedo como bispo do Xingu. Em 81 anos de existência da Prelazia do Xingu será o quarto bispo após Dom Clemente, Dom Eurico e Dom Erwin.

     

    Eis a íntegra da notícia:

     

    O Santo Padre aceitou a renúncia ao governo pastoral da Prelazia do Xingu, apresentada por S. E. Dom Erwin Kräutler C.PP.S. em conformidade com o Cânon 401 § 1 do Direito Canônico.

     

     

     

    O Papa nomeou bispo prelado do Xingu (Brasil) o Reverendo Padre

     

    Frei João Muniz Alves, OFM,

    até a presente data Guardião da Comunidade Franciscana de São Luís do Maranhão. O Reverendo Padre Frei João Muniz Alves, OFM, nasceu em 8 de janeiro de 1961 em Carema, município de Santa Rita, na arquidiocese de São Luís do Maranhão. Emitiu os primeiros votos religiosos na Ordem dos Frades Menores em 2 de fevereiro de 1986 e os votos solenes em 14 de janeiro de 1991. Foi ordenado sacerdote em 4 de setembro de 1993.“

     

     

    Peço agora a todos os irmãos e irmãs que rezem pelo bispo eleito para que, com a graça de Deus, tenha a coragem e a energia necessárias para conduzir o Povo de Deus do Xingu que lhe é confiado.

     

    Nas Preces Eucarísticas se rezará a partir desta data por “nosso bispo eleito João” Logicamente não é proibido acrescentar, se assim o quiserem, o meu nome como administrador apostólico e depois como bispo emérito, mas em primeiro lugar sempre se dirá o nome de meu sucessor.

     

    Peço ainda que o novo bispo seja aceito de coração aberto por todos os fiéis para que, desde o início de seu pastoreio no Xingu possa sentir-se acolhido com alegria e gratidão.

     

    Data e local da sagração episcopal de Frei João Muniz Alves OFM e de sua posse como bispo do Xingu serão comunicados tão logo que eu receba as respectivas informações.

     

    Até o dia em que o novo bispo tomar posse o Papa me pede que continue à frente da Prelazia do Xingu como Administrador Apostólico.

     

    Aproveito para desejar-lhes um Santo e Feliz Natal do Senhor e todas as bênçãos de Deus para 2016.

     

    Que Deus sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima!

     

    Altamira, 23 de dezembro de 2015

     

    Erwin Kräutler

    Admin. Apostólico

     
  • 36º CARTA ABERTA

    Área Pastoral do Assurini - Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

    Prelazia do Xingu/ 3ª carta de 2015 - 8º Ano no Assurini

    NOVEMBRO/DEZEMBRO DE 2015 E JANEIRO DE 2016

    A Carta Aberta é uma maneira de manter viva a memória. Quem não tem memória não faz história, assim vamos recordar:

    Em maio ocorreu o encontro com as lideranças noAssurini: estudaram o objetivo da Prelazia do Xingu: A Igreja, povo de Deus no Xingu, para ser fiel à missão profética e à prática libertadora de Jesus Cristo, ouvindo o clamor do povo e à luz da Palavra de Deus compromete-se com alegria a viver sua opção pelas/os excluídas/os, querendo ser acolhedora, samaritana, comunitária, orante e missionária, a resgatar os valores da família e a incentivar a iniciação à vida cristã no anuncio, no testemunho, no serviço e no diálogo, a caminho do Reino definitivo”. E as decisões da Assembleia escolhendo as prioridadese encaminhando trabalho na área: 1)Defesa da vida: organização , conscientização, ver-julgar-agir;2) Renovação das Comunidades ecleiais de Base – grupos de vizinhos- formação e autossustentação; 3ª Juventude: escolas- grupos-encontros formação e DNJ;4ºFamília – Encontros e Pastoral Familiar

    No mês de junho estavamos preocupados em equipar o Centro de Formação Dorothy com um fogão, parabólica, geladeira, estante, pois Pe Juquinha faz morada lá e acolhe quem passa. O centro é do povo e é bom todos preocupar-se com ele. Agora até a capela funciona lá. Pois , a capela foi destruida- estava caindo ( abrindo). Vamos contriuir uma matriz- a agrovila Sol Nascente merece.

    Neste mês veio o dinheiro de R$ 50.000,00 do projeto para um carro melhor. Da Associação São Miguél e Almas de Porto Alegre. Enviamos carta de agradecimento e já um novo pedido para um carro para o CIMI.

    Também elaboramos um projeto para construção da nova capela da São Francisco Xavier, localizada agora no travessão dos Crentes. O recurso utilizado é referente a idenização da capela do Palhal no valor de R$30.500,00. Será inaugurada em 13/12, na Festa de SantaLuzia. Todos estão convidados.

    Tivemos um caso triste: o acidente de 3 irmãos lassalistas. Foi em Capanema no dia 4 ou 05/06. o Ir Glicélio trabalhou aqui.

    Comemoramos no dia 22/06 os 86 anos de Pe. Frederico Tschol eos 79 anos de Pe. José como também os 200 anos de fundação da Congregação Missionários do Sangue de Cristo.

    Qual foi o destaque do mês de julho?

    A 10ª Romaria da Floresta com destaque da participação de um grupo de mineiros em missão por Brasil Novo e Transamazônica, eram 26 pessoas, foi destaque também a memória da caminhada e a presença de D. Erwin conosco.

    No final do mês foi o Retiro dos Agentes de Pastoral da Prelazia do Xingu com o bispo D. Flávio Giovenale de Santarém sobre a carta convocatória do Papa Francisco para o ano santo jubilar da Misericórdia: abertura no dia 8 de dezembro e conclusão da festa de Cristo Rei em novembro de 2016.

    No dia 31 /07 iniciamos a negociação coma Sancar. E adquirimos o carro Hilux.o dia 13.

    Qual foi o destaque do mês de Agosto?

    Pe. Geraldo viajou de 14 a 31 e assim andamos em Brasil novo. Andamos onde fomos solicitados.

    Agosto no dia 24 teve a acolhida e a entrada definitiva de Edvaldo (Cajá), Marinalda Almeida e Dorismeire na Ordem Franciscana Secular, Fraternidade São Francisco, ordem terceira, são agora pessoas consagradas que vivem a Regra de São Francisco seu carisma e o comprometimento com o Evangelho. É um sinal importante!

    No dia 25 celebramos na sepultura do Dema um dos mártires da Transamazônica- Km 80.

    Qual foi o destaque do mês de Setembro?

    Estivemos com Ir Else e Miguel da 18- km 50 Brasil Novo com curso de reciclagem de garrafa Pet , fazendo vassouras, em Altamira (- Jaburu), 9-11/09 Placas e Anapu, Casa Familiar.

    No dia 13 foi encontro sobre o Dizimo, assessor Antônio material utilizado:- cartilhas, envelope e fichas para a gente formar equipes e no 2ª domingo de cada mês a partilha..

    No dia 14 D. Erwin disse: “Faça o que puder” , - esta é a provisão para o Pe. Alírio.

    Do dia 21/09 á 1º /10 viagem pelo Sul- Elci foi junto. Foi uma missão com encontros, articulações, visitas, celebrações e festas da família eparentes. Sensibilizar até o Bispo para a igreja irmã, vai enviar mais um padre o ano que vem.

    Qual foi o destaque do mês de Outubro?

    No mês de Outubro foi destaque: a festa de Nazaré, São Francisco e São Benedito do Espelho.

    Os dias 19 a 23 /10 realizou-se o encontro de Presbíteros em Santarém- Área 3 , Norte II. Foram 3 padres: Pe. Romildo , Pe. Hortêncio e Pe. Alírio.

    No Assurini foi destaque a caminhada missionária: cartilha para novena com DVDe coleta.atingiu o povo de mais longe.

    O Sínodo da Família em Roma de 04 a 25.

    31/10 Avaliação do plano 2015- mês missionário bom. O plano organizou 3 nucleos de área, já vinhamos atendendo assim: SMP no Assurini, realização de Crisma nos núcleos Pimentel e Ressaca. Ações referentes para o ano de 2016: CF, 3 encontros do dos conselho pastoral ampliado em cada nucleo estudos com as lideranças.

    Em novembro fizemos viagem ao Nordeste e Brasília - foi uma missão pelo Piauí e Ceará ( Sobral, Itapipoca e Fortaleza) Em Brasília preparação da Assembleia eletiva da ANPB. Elci esteve junto e deu testemunho. Ela visitou também Goiânia.

    Pe. Alírio Bervian

    Prestação de contas:

    Entradas: coletas, dízimo, doações: 2497,80

    P/ L200- ajuda especial : 5.000,00

    Toral: 7497,80

    Gastos c/ a Hilux e L-200 7332,00

    Total Geral- Saldo 165,80

    Programas agendados : O que está agendado?

    NOVEMBRO

    14/11- Travessão Rezende (PARessaca) Casa de Mara 10h

    – Bom sossego-Santa Maria 18h

    15/11-Cocal- São José 10h